História My Bunny - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Tags Female!fonnie
Exibições 82
Palavras 1.562
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Fluffy, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Caham, Kitty e Saya, queridas: SATISFEITAS AGORA? É, aqui está o yuri Fonnie de vocês. E o primeiro yuri que escrevo na life ;u; Sejam gente fina comigo.

Espero que gostem <3 Fiz com carinho para todos.

Capítulo 1 - Ela me pertence


Fanfic / Fanfiction My Bunny - Capítulo 1 - Ela me pertence

→Bonnie←

 

 

Mas um dia de show na Freddy Fazbear Pizzaria. Eu tocava minha – amada – guitarra, enquanto Freddy e Chico seguiam sua programação normal.

 

Alguns meninos tentavam pegar Carl, o cupcake de Chico, porém o mesmo tentava a todo custo impedi–los. Já que seu cupcake era mais precioso que qualquer um de nós.

 

Freddy cantava uma música mais doce e calma, e eu nem tocava direito. Enquanto fingia ser um robô com problemas nas engrenagens – observava cada canto da pizzaria.

 

Infelizmente a Pirate Cove ficava em outra sala, então nem poderia ouvir as histórias de Foxy. A pirata da pizzaria, adorada pelas crianças – e os adolescentes por ter.. peitos exageradamente grandes.

 

Eu por outro lado, sou praticamente uma tábua. Facilmente confundida com um menino, se não fosse pela saia plissada e preta que uso todos os dias.

 

Freddy assim como eu, também usa essa saia característica. Quem foge a essa regra é Foxy, ela usa calças largas de pirata. E o Chico usa calças sociais.

 

Terminamos mais uma música, e nos liberaram para andar pelo ambiente. Eu sorria abertamente enquanto ajudava a distribuir bolo e conversava com algumas crianças.

 

Chico estava com várias meninas pela volta, enquanto elas faziam mil e uma perguntas para o mesmo. Freddy cortava bolo para as crianças e eu andava por aí e conversava com algumas.

 

Até que um garoto me arrastou a uma das salas. A sala da Pirate Cove, onde de longe podia–se ouvir o sotaque quase natural de Foxy contando uma de suas aventuras – que nunca aconteceram – ao grupo de crianças que pareciam mais animadas que a própria pirata.

 

Cheguei perto do palco de cortinas roxas e pude avistá–la de longe. Ela gesticulava uma luta com seu gancho, tinha um sorriso enorme no rosto – dando destaque aos seus caninos afiados – e seu tapa olho cobria seu olho direito.

 

Éramos amigas desde que eu podia me lembrar. Assim como eu era amiga de Freddy e Chico, éramos como uma família. Mesmo todos tendo características bem diferentes.

 

Foxy percebeu minha presença em sua apresentação, e acenou para mim – gesto que praticamente passou despercebido pelos demais. Mas eu, apenas sorri acenando de volta. Foxy com certeza era a pessoa que eu mais gostava da pizzaria, simplesmente pelo fato dela ser completamente ela mesma. Sem diferenças, ou regras. Nossa amizade era bem sincera.

 

Acabo por ser obrigada pelos controles a voltar ao palco, onde iríamos tocar mais uma música feliz de aniversário. Freddy já cantava algumas frases da música, Chico distribuía pizzas e as vezes bolo entre às mesas. E eu tocava minha guitarra como de costume.

 

Assim o dia foi acabando aos poucos, e quando chegou às seis da tarde a pizzaria fechou. Freddy, Chico e eu ficamos no palco principal até o último funcionário ir embora.

 

Freddy devia esperar por Mary, a vigia noturna. Que as vezes dávamos sustos, porém não poderíamos matá–la – já que Freddy tinha uma queda pela morena de olhos azuis.

 

— Bonnie? — senti alguém me cutucar e viro para o lado, dando de cara com Chico.

 

— Olá, Chico. — sorrio docemente para o loiro, que fica vermelho.

 

— Vamos lá comer pizza? Fiz sua favorita dessa vez. — ele disse.

 

Pulo nele com um enorme sorriso no rosto.

 

— Não acredito! Você fez pizza de cenoura? Você é o melhor Chico! — digo animada, dando pulinhos contente.

 

Ele fica mais vermelho e seguimos até a cozinha, onde Freddy terminava de comer sua pizza.

 

— Boa noite Freddy! — falei animada. — Cadê a Foxy? — perguntei olhando para os lados curiosa.

 

— Disse que já vem. — respondeu Freddy com um sorriso doce no rosto. — Acalme–se Bonnie, logo sua amiga vem. — ela piscou para mim nessa última frase e fiquei vermelha de vergonha. — Agora vou até a sala das câmeras, quero ver se Mary já chegou.

 

Me sento em uma das cadeiras, e pego um pedaço de pizza comendo feliz.

 

— Cenoura! — dei um gritinho feliz.

 

Chico sorriu gentil para mim.

 

— Bonnie.. eu poderia lhe dizer uma coisa? — perguntou.

 

— Óbvio que pode. — respondo.

 

— É.. que eu.. — ele começa, porém ouvimos passos e Foxy entra nesse momento na cozinha.

 

— Olá! — ela disse.

 

— Ah, Foxy. — bufou Chico.

 

— Boa noite, Foxy. — sorrio para a mesma, que vem se sentar ao meu lado.

 

— Boa noite, coelhinha. — ela lambeu os lábios de maneira estranha, e sorriu mostrando seus caninos.

 

— Pare de agir como se a Bonnie fosse sua presa. — murmurou Chico com raiva.

 

— O quê? — pergunto.

 

Foxy deu risada do loiro.

 

— Pelo menos termine de falar o que você ia dizer, querido pintinho. — ela disse cínica.

 

Chico fica vermelho e se levanta.

 

— Ótimo. — disse sério. — Bonnie, venha comigo, por favor? Quero terminar de falar aquilo, antes que essa pirata estrague tudo novamente.

 

Foxy mostrou a língua para o mesmo.

 

— Vá em frente, bonitão! Duvido você ter coragem de fazer algo. — ela termina.

 

Chico me puxa até perto do palco principal, onde o encaro sem entender muita coisa. Até que ele sorri cansado.

 

— Bonnie.. eu acho que gosto de você, sabe? — ele desabafa. — Eu realmente gosto da sua companhia, você é tão legal, e tão bonita.

 

Ele.. gosta de mim?

 

— Chico.. eu — ele me impede de terminar, pois sela nossos lábios em um beijo tímido.

 

Penso em empurrá–lo, mas deixo ele. Não queria ser tão rude em recusar seus sentimentos. Mas alguém o empurra, Foxy. Ela parecia furiosa, seus olhos estavam negros, com pontos brancos no meio.

 

— Seu cretino. — disse Foxy com raiva. — Não era para agarrá–la sem consentimento. Você é louco?

 

Chico se sentou no palco.

 

— Pensei que não fosse interromper. — ele disse.

 

— Não se você andasse na linha. — ela bufa, segurando minha mão.

 

— F–foxy? — sussurro confusa.

 

— Que lindo, Foxy. Sabia que não existe relacionamento entre duas garotas? Você deveria saber. — disse Chico cínico.

 

— O que você ‘tá dizendo? — pergunto, tirando todas as atenções à mim.

 

— Você não percebeu Bonnie? Foxy também gosta de você. Ela quer te roubar de mim. — ele respondeu.

 

— Eu não quero roubar ninguém de ninguém. Ela não é sua. — Foxy rebate.

 

Bato o pé no chão.

 

— Vocês dois são idiotas! Quem disse que sou de um de vocês? — pergunto. — Eu não gosto de nenhum de vocês! Me deixem em paz!

 

Ambos se entreolham, e Chico saí para a cozinha resmugando algo que eu nem quero saber. Foxy continuou me encarando com um olhar melancólico.

 

— Bonnie. — ela suspirou. — Me desculpe por isso, o.k? — ela me abraça e retribuo seu abraço.

 

— Não tem problema, Foxy. — sinto ela afagar minhas orelhas de coelho e coro. — E–ei, o que você ‘tá fazendo?

 

Ela sorriu.

 

— Carinho, na minha coelhinha. — ela disse com tom de brincadeira.

 

— Quem disse que sou “sua coelhinha”? — pergunto. — Idiota!

 

Ela gargalhou e me levantou, deixando–me de sua altura.

 

— Leve como uma pluma. Como pode? — ela perguntou, soprando meu rosto.

 

— Ei! Não faça isso. Você tem bafo! — minto.

 

— Eu não tenho bafo. — ela fez beicinho.

 

— Me solta agora? — peço, e ela nega.

 

— Não! Só te soltarei se você me der um beijo. — ela diz.

 

— Argh, está bem! — bufo, dando um beijo em sua bochecha. — Está bom agora?

 

Ela me solta no chão.

 

— Com certeza sim. — ela põe as mãos na cintura. — Vamos, acho que você ainda quer sua pizza.

 

Concordo e voltamos a cozinha, Chico não estava mais lá. Deveria estar em um dos corredores das salas de equipamentos. Foxy propôs de irmos comer na Pirate Cove, aceitei na hora, pois lá era um dos meus lugares preferidos da pizzaria. Mas eu nunca iria admitir a Foxy.

 

Nos sentamos no chão de madeira, eu com o meu prato de pizza e Foxy com outro.

 

— Como foi seu show de hoje? — pergunto, dando mordidas na minha pizza.

 

— Foi incrível! Tinha tantas crianças, gosto tanto delas. — ela sorri feliz. — Eu te vi no intervalo! Veio me ver?

 

— O q–quê? — fico vermelha. — Não! Um garoto me puxou para cá, e depois apenas assisti um pouco do show junto com o mesmo.

 

— Sério? Só por isso? — ela fica pensativa. — Você deveria me visitar mais vezes, tem tantas brincadeiras divertidas para fazermos! Você não se sentiria entediada comigo por perto.

 

— Freddy e Chico ficariam com ciúmes. Somos uma família, não podemos nos separar. — digo.

 

— Oras! Mas não ficaríamos grudadas.. se você quiser até podemos. — ela diz, levantando seu tapa olho com o gancho. — Se quiser posso te ensinar uma das brincadeiras! É uma das mais fáceis de se aprender, e uma das mais divertidas!

 

— Sério? E como é? — pergunto.

 

— Simples, você tem que ficar perto de mim. E de frente, aí você fecha os olhos. — ela diz.

 

— Me parece bem fácil. Como isso é uma brincadeira super divertida? — pergunto confusa.

 

— Só siga os passos, eu já disse que vai ser divertido. Não confia na capitã Foxy? — ela faz beicinho.

 

— O.k, o.k! — respondo, fazendo o que ela mandará, fecho meus olhos. — E agora, Foxy?

 

— Não faça nenhum movimento. E fique quietinha. Está bem? — ela pergunta, e concordo com a cabeça.

 

Sinto ela me beijar e abro os olhos na hora, a empurrando.

 

— Foxy?! Por que você fez isso? — pergunto corada.

 

— Porque eu te amo, e quero você só para mim, The Bunny. — ela disse.

 

Foxy.. — sussurro envergonhada, abraçando ela com força.

 

Ela me abraça de volta.

 

— Você também me ama? — ela pergunta.

 

— Eu não sei.. você me deixa descobrir? — pergunto.

 

— Por você? Óbvio! — ela sorri, me beijando.

 

E depois desse beijo, vários se seguiram. Até quem sabe – eu revelar meus sentimentos por ela.


Notas Finais


Byee ♥ E obrigada à quem gostar dessa one =3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...