História My Candy Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Jellal Fernandes, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Nalu
Exibições 23
Palavras 2.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello! Mais um capitulo. Espero que gostem
Boa Leitura!!

Capítulo 2 - Chapter 2


Fanfic / Fanfiction My Candy Love - Capítulo 2 - Chapter 2

☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆

            O pânico se abateu nas garotas assim que viram a presença ameaçadora da famosa Titânia. Com medo de apanhar começaram a se dispersar dali imediatamente, estavam em numero maior, podiam facilmente dizer que acabaria com a ruiva ali mesmo, no entanto as coisas não são bem assim. A representante da classe 3-C Erza Scarlet, é a garota mais forte de todo o colégio, adepta e boa em diversas artes marciais, isso fez com que todos passassem a temer sua presença, enfrenta-la mesmo que em grande numero é o mesmo que sentenciar a sua morte.

            Erza sorriu satisfeita e foi de encontro a amiga, a qual abraçou apertado fazendo Lucy se distanciar de Natsu. A saudade que sentiam uma pela outra era inigualável, desde pequenas são amigas, confidentes, é como se fossem o diário secreto uma da outra, entre ela não havia segredo. Estavam felizes e muito por se reencontrarem após um longo ano.

            – Senti tanto a sua falta Erza. – apertou ainda mais a ruiva em seu abraço.

            – E eu a sua, não tem noção do quanto tenho para te contar. Pensei que só voltaria em três semanas, você realmente me enganou.

            O abraço de urso iria durar longos minutos se não fosse interrompido por um limpar de garganta. Olhou para frente e viram Natsu envergonhado coçando a nuca de maneira desajeitada. Lucy o olhou de maneira fria, não podia acreditar que no pouco tempo que esteve longe às garotas passaram a dar em cima dele, sabia que deveria ter voltado antes.

            – O que você quer? – indagou a loira nervosa.

            – Não precisa ficar chateada comigo. Sabe a culpa não é minha. – resmungou ele de cabeça baixa.

            – A culpa não é sua... Certo... A culpa é minha então? – debochou e ele apenas suspirou frustrado. – Caramba Natsu, eu fiz o maior esforço para me transferir, para passar meu ultimo ano escolar com você e quando eu chego tem um boato de que você tem uma namorada. Esta que não sou eu. Mas quem infernos é essa tal de Lisanna?

            – Lisanna sou eu, algum problema com isso? – a albina resolveu se pronunciar. Esteve ali o tempo todo, não conseguia sair do lugar.

            – Ah! Então é isso... – Lucy analisou a garota de cima a baixo. – Valeu Natsu, por fazer do meu primeiro dia de aula uma droga.  Son grand imbécile.

            Aquilo a deixou ainda mais nervosa. Saiu pisando duro no chão sendo seguida por Erza e Levy. A baixinha de algum modo conseguiu entrar na sala e ver a cena desde o inicio, se soubesse que Lucy e Natsu eram namorados jamais teria feito a besteira de falar que Lisanna e ele tinham alguma coisa. Tinha que se desculpar por aquilo, afinal acabou falando demais.

            – Droga... – murmurou Natsu.

            Ele continuou ali parado atônito a tudo sem entender nada. Foi muito repentino o modo como viu a namorada entrar na sala, lhe beijar e logo depois ficar furiosa. Estava acostumado aquele ataque de ciúmes, mas o fato de ela estar no Japão lhe causava estranheza, melhor dizendo ele não sabia da data de volta dela e sempre que perguntava ela não lhe contava aumentando ainda mais a sua curiosidade. Estava surpreso e muito. A alegria de vê-la novamente se sobressaia, mas aquele era o pior momento de todos para se reencontrarem, jamais pensou que quando Lucy retornasse se transferisse para a Fairy Tail.

            – Eu sou realmente um idiota.

            – Natsu não precisa se sentir culpado por isso. Acho que aquela garota exagerou. – tentou conforta-lo inutilmente a albina.

            – Não! Lisanna você não entende... – disse tristonho. – Eu não deveria ter deixado você ou qualquer outra garota do fã clube se aproximar demais. Sei o quanto a Luce é ciumenta. Não sei quem espalhou esse boato, mas já te deixei claro uma vez, o que você quer eu não posso dar. A única pessoa especial para mim, àquela que eu amo é a Lucy.

            Lisanna viu o desespero de Natsu ao sair correndo da sala a procura da namorada. Ela ficou ali parada estática sem se mexer, aquela foi a segunda vez que seu coração havia se quebrado com as palavras dele. Já havia sido rejeitada, mas realmente pensou que se aproximasse e mostrasse que tipo de garota era, talvez, só talvez ele viesse a retribuir a esse sentimento, no fundo de seu coração ainda havia uma chama de esperança acesa, porem agora ela foi completamente apagada.

            As lagrimas vieram a sua face involuntariamente, queria continuar cega acreditando que aquela tal de Lucy não era sua namorada, melhor dizendo noiva. O amava tanto que seus sentimentos transbordaram. Começou a gritar no meio da sala sendo observada por poucas pessoas que ainda se encontravam ali, se sentia humilhada, queria poder arrancar aquele sentimento de seu peito. Deveria ter feito oque ele disse a muito tempo “por favor, me esqueça” se tivesse feito, se não tivesse insistido, se tivesse procurado por um outro alguém agora mão estaria sofrendo tanto.

            Natsu correria desesperado pelo corredor procurando pela namorada. Em seu momento de Frenesi acabou trombando com alguém e indo imediatamente ao chão. Varias folhas se espalharam ao seu redor. Olhou para cima e viu seu professor com uma expressão surpresa.

            – Por que tanta pressa senhor Dragneel?

– Desculpe Jellal-sensei estou procurando a Erza.

– Ah! Não deve correr assim pelo corredor, pode machucar algum outro aluno. Vi a senhorita Scarlet indo em direção ao terraço com Senhorita Hearthfilia e a Senhorita McGarden.

– Sério? Acabou de salvar minha vida. Obrigado Sensei.

            Não esperou o professor dizer nada, entregou os papeis que conseguiu juntar e correu em disparada para o terraço. Estava preocupado, ansioso e nervoso. Estava uma mistura de sentimentos dentro do Natsu, nem mesmo ele sabia explicar direito o que estava sentindo no momento, mas uma coisa estava clara, precisava explicar todo esse mal entendido. Não queria ficar brigado com Lucy, não agora com o seu retorno.

            Seguindo até o final do corredor viu a escada estreita que dava acesso ao piso superior. Subiu rapidamente e antes de abrir a porta pode ouvir risos. Respirou fundo um tanto aliviado, provavelmente ela não parecia tão brava quanto aparentava estar. Entrou no local e avistou Erza, Lucy e Levy sentadas no chão encostadas ao parapeito, ambas pareciam estar se divertindo bastante.

            Inseguro tossiu levemente chamando a atenção delas. Uma tensão desconfortável tomou conta do local. Lucy o olhava com irritação, isso provocou arrepios no rosado que desmanchava aos poucos o sorriso amarelo que surgiu em seu rosto para tentar apaziguar os ânimos, não deu muito certo obviamente pela reação contraria que ela teve.

            Sem mais o que fazer se ajoelhou e no chão e ritmicamente começou a se curvar pedindo desculpas por tudo, até mesmo por coisas que não havia feito. As lagrimas não paravam de escorrer pelo seu rosto, estava em pânico, precisava ver Lucy sorrindo para si mais uma vez, faria qualquer coisa por isso.

            – Natsu, pare com isso.

            Ao ouvir a exigência ele imediatamente parou, mas manteve sua cabeça baixa em arrependimento.

            – Sabe... eu realmente fiquei chateada, eu não queria ouvir que meu namorado tem outra, mesmo que seja um mal entendido, isso machuca, mas isso não muda o fato de eu te amar. Mesmo que eu esteja brava agora eu ainda irei te perdoar, por que é você quem eu amo e eu sei que sou eu quem você ama. Eu amo você Natsu.

            – Luce...

            A grande felicidade de Natsu o fez pular sobre Lucy e a encher de beijos. Sentiu tanta saudade de fazer isso. Nunca imaginou que um ano era tanto tempo, até mesmo as brigas que tinham por e-mail não tinha a mesma graça, não podia ouvir a voz dela lhe gritando ou sentir os tapas deixando sua pele vermelha. O que mais pensou durante o ultimo ano era em como queria toca-la, em como queria abraçá-la mais uma vez.

            Durante todo esse tempo, sempre que tinha uma briga com a namorada ou se sentia triste ia até a Erza para poder se confessar, como um padre e uma pecadora. Aos olhos de Natsu a amiga era como um anjo caído,  ou seja uma pessoa assustadora e diabólica, mas ao mesmo tempo que ainda existe bondade dentro dela.

            – Natsu parece ser a garota da relação.

            Comentou por alto a Scarlet.

            – Como é? Como se eu fosse ser uma garota.

            – Mas age como uma. Agora mesmo quando se desculpou, ou quando vinha atrás de mim para pedir conselhos sobre como fazer as pazes com a Lucy. Pensando nisso, eu te ajudei muitas vezes. Será que sou um anjo?

            – Um Anjo Maligno.

            – Repete isso se tem coragem.

            Como de costume, eles começaram uma briga da qual já era obvio quem seria o vencedor. Enquanto isso Levy observava tudo chocada, mal podia acreditar que o popular, o mais cobiçado e o melhor jogador da Fairy Tail, seria na verdade um grande idiota inocente. Sabia da amizade que ele tinha com Erza, presidente do conselho estudantil, mas não esperava que fosse dessa forma.

            Confusa voltou seu olhar para Lucy, viu as expressões da mesma e ficou ainda mais surpresa. A garota madura e ar de princesa que ela tinha quando se apresentou para classe era somente uma fachada, a loira era mais uma garota apaixonada e isso ficava claro em seu sorriso bobo e rosto corado enquanto observava o namorado agir que nem criança. Ver aquilo a deixou profundamente arrependida, sabia que não tinha culpa, afinal não sabia que eles estavam namorando, mas se culpava parcialmente por Lucy ter ficado tão magoada.

            – É... Lucy-san!

            – Lucy

            – Hã?

            – Eu te falei para me chamar apenas de Lucy, lembra?

                – Oh! Verdade, havia esquecido. Sabe... Eu gostaria de me desculpar.

                – Por quê? Você fez algo de errado?

            – Não exatamente... Eu não sabia que você era namorada do Natsu, então pensei que não teria problema te contar sobre aquele boato. Eu não tinha intenção de te irritar.

            – Ah não se preocupe com isso, você não tem culpa. Além de que eu já sabia que esse boato... Bem é um boato. Não teria como isso ser verdade. Olhe bem para o Natsu, ele não tem a capacidade de trair alguém. Ele é honesto, sincero e infantil demais. Fiquei realmente chateada por ouvir isso. Sabe qualquer garota ficaria muito irritada quando escuta que seu namorado tem outra. Não acha? De qualquer forma, posso estar irritada com isso agora, mas não vai durar muito tempo. É meio que impossível ficar muito tempo brava com o Natsu.

            Lucy e Levy sorriram uma para a outra e voltaram a observar a briga sem fundamentos que ocorria entre Natsu e Erza. A loira hora por vez ficava se perguntando que tipo de punição deveria dar ao namorado por tê-la feito se irritar tanto. Até a noite já teria pensado em algo, mas naquele momento apenas queria aproveitar o tempo com seus amigos.

            O intervalo chegou ao fim junto às aulas. O tempo que aquele pequeno grupo passaram juntos rendeu em muita conversa e risos e isso serviu para Levy conhecer ainda mais os colegas, a imagem que tinha tanto de Natsu quanto de Erza foi completamente quebrada. Eles não eram temíveis e sim amigáveis e um tanto infantis, atém mesmo Lucy hora ou outra se juntava a algumas discussões.

            Com o final das aulas Lucy seguiu o caminho sendo seguida pelo namorado. Ainda tinha coisas a resolver na escola. Agora que havia retornado, não poderia descuidar nem relaxar, não estudaria artes o tempo inteiro. Lhe faria bem participar do clube de artes ou até mesmo do clube de mangá. Tinha a necessidade de conhecer outros traços, de ver diferentes formas de expressão através da pintura.

            O tempo que passou em Paris foi realmente bem aproveitado, gostou de poder estar em um ambiente daqueles que almejavam ser pintores de sucesso, mas estar rodeada o tempo inteiro de pessoas que apenas enxergava o próprio nariz a irritava profundamente. Fez alguns poucos amigos, mas nenhum que valesse muito a pena de levar adiante, além de que sentia constantemente falta de seus únicos amigos, para ela eles eram insubstituíveis.

            Em passos lentos seguia para o segundo andar. Local da sala de artes. Suspirou. Estava desconfortável, ser seguida daquela forma a fazia se sentir constrangida. Havia dado a opção de se encontrar com o Natsu ao anoitecer, mas ele não quis apenas a seguiu com insistência. Erza não quis se envolver, além de ficar claramente nervosa quando foi citado o clube de artes. Levy tinha compromisso e não poderia esperar, então teve que ir com rosado. Não sentia que a presença dele fosse incomoda, mas se sentiria menos desconfortável se talvez ele dissesse algo e não andasse da cabeça baixa o tempo inteiro. Parecia assustado.

            Chegando enfim a sala, deslizou a porta, não havia nenhum aluno, mas o professor Jellal se encontrava ali distraído desenhando algo em um caderno. Aproximou-se sem fazer muito barulho. Olhando por cima do ombro dele teve um vislumbre do que ele desenhava. Era uma garota, esta tinha cabelos longos, utilizava óculos e tinha uma expressão séria. Mesmo inacabado, Lucy logo reconheceu.

            – Sensei?!

            Foi pego de surpresa. Jellal deu um pulo da cadeira e olhou para trás assustado. Fechou o caderno de desenho e colocou sobre a mesa.

            – Srta. Hearthfilia! O que faz aqui?

            – Ah... Eu, apenas vim trazer meu pedido de inscrição para o clube. – respondeu sistematicamente, não conseguia tirar o desenho da mente. – Sensei o que estava desenhando?

            – Nada! Nada demais. – ele ficou nervoso, suas bochechas se avermelharam. – E você senhor Dragneel, deseja entrar para o clube também?

            – Oh! Não, Não. Apenas vim acompanhar a Luce.

            – Então já se conhecem. São amigos?

            – Claro que não Sensei. Natsu é meu namorado, meu noivo, não está envolvido com nenhuma tal de Lisanna.

            – Acho que vou morrer hoje.

            O professor riu levemente da situação, varias coisas se passavam pela mente dele naquele momento e ver o jovem casal só o vazia pensar ainda mais em besteiras.

            – Então Srta. Hearthfilia, normalmente o clube funciona as terças, quartas e sextas. Seja bem-vinda.

            – Obrigada Sensei. Ah! Sei que é meio estranho, você é um professor, mas poderia me chamar apenas de Lucy? Ser tratada com tanta formalidade me incomoda.

            – Claro! Como preferir.

            – Cool! Assim sinto que somos amigos. Bem, acho que agora posso ir. Natsu me empresta o seu celular, esqueci o meu, preciso mandar uma mensagem para a Erza.

            Um pouco confuso o rosado entregou o aparelho. Lucy sorria de modo travesso.

            – Conhece a Erza?

            – Claro Sensei. Somos melhores amigas. – abriu ainda mais o sorriso ao vê-lo abertamente nervoso. – Vous l’aimez!

            Ela riu e foi saindo da sala arrastando o Natsu, mas não sem antes girar o corpo e dar uma risada brincalhona e se despedir do professor que mantinha os olhos arregalados.

            – Au revoir!


Notas Finais


Pessoas! Deixem nos comentários o que acharam do capitulo. A opinião de voc~es é importante para mim.

Traduções

Son grand imbécile. (seu grande idiota)
Vous l’aimez!(você gosta dela!)
Au revoir! (Tchau!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...