História My Capital Sin - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bagntan Boys, Bts, Jeongguk, Jungkook, Você
Exibições 28
Palavras 2.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTEEEE DESCULPA PELA DEMORAAAA EU NAO DESISTI DA FIC, EU ESTOU COM PROBLEMAS NA MINHA INTERNET!! FOI MAAAAAL.

Capítulo 6 - I Wanna You


Fanfic / Fanfiction My Capital Sin - Capítulo 6 - I Wanna You

POV JEONGGUK

  - Alô?
  - Jeon!!!
  - Rachel?
  - Sim, como você está? - disse com uma voz manhosa.
  - Tudo bem. E você?
  - Tudo sim oppa! Você ta livre hoje? - juro que pensei muito bem nessa proposta, a (S/N) está indo embora, não posso me prender a ela.
  - Depende. Por que a pergunta?
  - Ah, queria ver se podemos fazer alguma coisa juntos.
  - Não sei, Rachel. Depende do andamento da empresa, da hora que vou sair daqui.
  - Entendi, você vai sair daí tarde?
  - Provavelmente.
  - Tudo bem. Você me liga?
  - Vou ver o que eu posso fazer. Preciso desligar. - falei e desliguei sem nem escutar a resposta dela. A Rachel era uma mulher maravilhosa, modelo também. Mas diferente da (S/N) era japonesa, já fiquei várias vezes com ela, não sei se ela está a mesma de antes, mas ela era muito... Exuberante.

  Lembrei que a (S/N) está em casa, eu não sabia o que fazer, esse desfile na Rússia estava me tirando do sério. Faltavam exatos 7 dias para ela ir e eu não queria me apegar. Resolvi ligar para ela.

  - (S/N)?
  - Oi. - ela falou com uma voz de sono, provavelmente estava dormindo.
  - Você está na cobertura?
  - Sim.
  - Você quer jantar hoje?
  - Por mim tudo bem Jeongguk.
  - Vou pra casa às 20:00, esteja pronta.
  - Tudo bem, tchau. - foi o "tchau" mais suave que já escutei. Quase um sussurro.
  - Tchau, (S/N).Tinha alguma coisa nessa mulher que me deixa louco.

 Já eram 19:00 quando escutei alguém bater na porta. Eu odeio quando vêm ao meu escritório sem me contatar primeiro.
  Abri aporta e dei de cara com uma mulher de cabelos pretos na altura da cintura e com um vestido tubinho, Rachel. Ela estava simplesmente sexy e linda.
  - Jeon!
  - Rachel. - disse concertando minha postura mentalmente.
  - Como você está?
  - Tudo bem, entre. - ela entrou andando encima de seus saltos.
  - Já faz muito tempo. - ela virou pra mim e colocou os dois braços encima dos meus ombros.
  - Sim, faz. - falei não podendo deixar de observar seu decote.
  - Senti sua falta em Amsterdã. - só pude sorrir, estava vidrado em seus seios. Ela pegou minhas mãos e colocou sob sua cintura. Daí já não vi mais nada, fui pra cima dela, foi inevitável. Ela sorriu. - é, eu acho que você sentiu a minha também.

  Não queria ter feito nada com a Rachel, mas não consegui evitar, ela estava muito sexy. Quando terminamos já eram 19:40. - Merda, a (S/N)!

  - Rachel, eu preciso ir. Tenho compromisso.
  - Você não iria sair tarde daqui, Jeon?
  - Ia, mas surgiu um compromisso que não posso remediar. - Bufou.
  - Tudo bem. - disse terminando de ajeitar a roupa. - foi bom rever você Jeon, até logo.
  - Até, Rachel.

 Quando saí da empresa, eram 19:55. Eu ia chegar atrasado. Daqui até a cobertura eram 40 minutos. Tive que mandar uma mensagem pra (S/N) avisando que iria chegar atrasado. Dirigi igual um louco, em um dos horários mais movimentados do dia. Cheguei eram 20:33. Subi o mais rápido possível e cheguei no meu apartamento. Me deparei com a mulher mais linda que já vi no mundo. Me olhando com um sorriso extremamente maravilhoso no rosto. A minha consciência pesou na hora, nunca havia sentido isso em relação a mulheres. Por quê com ela é assim?
  - Desculpa, eu tive imprevistos na empresa hoje.
  - Tudo bem, você vai tomar banho?
  - Vou sim, eu não demoro. - não a beijei porque fiquei com medo dela sentir o cheiro da Rachel.

  Fui para o banheiro e tomei um banho rápido. Depois vesti uma roupa social qualquer. Fui pra sala e ela estava lá, mexendo no celular, provavelmente conversando com os pais. Nesse momento, minha consciência já pesava toneladas pelo acontecido há uma hora atrás. A única coisa que consegui fazer foi puxá-la a um beijo de desculpas e arrependimento. Não queria parar de beijá-la, mas fui obrigado pelo celular tocando. Eu nem vi quem era e desliguei, voltei e a beijei de novo. Quando paramos ela disse que ia retocar a maquiagem. Pouco tempo depois ela voltou, linda como antes. Confesso que preferia antes, com a marca de batom. Era a minha marca, a marca de que ela já tinha um dono. Ela nem imagina o que a espera quando voltarmos.

  - Pronta?
  - Sim, vamos.

  Entramos no carro e fomos a um restaurante francês. Chegamos lá todos me receberam e me cumprimentaram, eu costumo vir aqui muitas vezes. Nós pedimos e nossos pratos chegaram rapidamente.

  - Quando você vai?
  - Na terça-feira que vem, às 19:00.
  - Você pretende voltar?
  - Jeongguk. - parou de comer e respirou fundo. - não. - me senti desconfortável com aquela resposta.
  - Entendi.

  Durante o jantar conversamos muito, não deixei transparecer o meu descontentamento. Eu queria que ela ficasse, queria assumir alguma coisa com ela, mas eu não posso agora. A única opção que me resta é deixá-la ir. Nunca senti a atração que eu sinto por ela com outra mulher. Todas eram como a Rachel pra mim, sexo, só isso. Mas ela tem alguma coisa e eu não posso deixar ela ir assim, eu preciso fazer alguma coisa. Mas o que? Não posso e não acho que ela queira ter um relacionamento agora. Pude perceber da (S/N) até esse momento, é que ela é bem largada. Não sei se isso é bom ou ruim. Nesta hora está sendo ruim. Preciso ir para casa e fazê-la minha novamente, aproveitar o máximo que posso.

  Terminamos o jantar e pedi a conta. Saímos do restaurante e fomos para o carro. Ela olhava para mim durante todo o percurso, como se estivesse gravando as minhas feições. Coloquei uma mão em sua perna e apertei, eu realmente não queria que ela fosse embora, queria que ela ficasse comigo e para mim. Comecei a alisar sua coxa e ela colocou a mão sobre a minha e a pegou beijando em seguida. Só com esse simples ato eu já queria abraçá-la e não deixar ela sair nunca dos meus braços. Por quê?

 POV (S/N)
  Jeongguk está carinhoso desde que voltou, estou desconfiando de algo. Esses dias nós quase nem nos vemos, ele chega tarde da empresa e quando chega, nós transamos e dormimos. Hoje ele me levou para jantar e está me dando carinho. Chegamos em casa depois do jantar que por sinal estava ótimo e eu já estava indo para a cama. Estava cansada apesar de ter acordado há 3 horas. Eu o vi fechar a porta atrás de mim e fui trocar de roupa quando eu voltei ele estava na cama, de bruços, parecia cansado. Eu sentei encima dele e me esforcei em uma massagem. Ele pareceu relaxar com aquilo, enquanto eu o tocava, beijava o pescoço dele. Eu podia sentir os arrepios vindos dele. Ele me puxou e me deitou na cama. Começou a me beijar e estava começando a ficar quente, eu já estava molhada. Ele enfiou a mão por dentro do meu sutiã e começou a apertar meus seios. Entrelacei os dedos em seu cabelo e o mesmo desceu a mão para a minha calcinha. Ele estava me estimulando e eu estava louca, gemendo. Até que ele penetrou um dedo e começou a movimentar dentro de mim.  Eu já estava quase gozando quando ele tirou de dentro de mim e parou de me beijar indo de encontro com a minha intimidade. Tinha certeza que dava pra escutar do outro lado da rua o gemido que eu soltei quando a língua dele entrou em contato com a minha pele, estava tão quentinha e seus movimentos rápidos que me desfiz facilmente. Eu realmente não sei me controlar quando se trata de Jeon Jeongguk. Quando ele acabou de me chupar, veio subindo  a cabeça e me dando beijos pela barriga, seios, pescoço e mandíbula. Eu apenas deixei meus dedos irem de encontro com as costas nuas dele. Ele pegou minha mão e colocou sobre seu membro duro e pulsante por cima da cueca. Comecei a masturbá-lo e ele estava gemendo em meu pescoço. Sua respiração quente estava tão gostosa e seus gemidos eram músicas para os meus ouvidos. Troquei de posições ficando por cima dele e comecei a chupar seu membro . Aquilo era tão gostoso, grosso e grande. Passei a língua por cada veia estufada, cada canto da glande, as bolas... Aquilo era como um doce preferido. Senti suas mãos em minha cabeça fazendo-me reproduzir os movimentos que o mesmo queria. Ficamos assim até ele gozar em minha boca. Se fosse outra pessoa eu teria xingado, mas como era ele eu deixei e foi gostoso. Ele me tirou tão rapidamente que não tive nem tempo de perceber que ele estava encima de mim e me penetrando. Eu gemi forte quando ele entrou. Estava tão lento e forte, mas estava tão gostoso que não tive coragem de falar pra ele ir mais rápido. Senti que essa seria a ultima vez, ele estava se despedindo, me sentindo e saboreando. Ele começou a passar as mãos em minha cintura, fazendo um carinho calmo como as estocadas. Eu ia gozar, já estava suspirando. E ele também, senti que esse êxtase iria ser gradativo, não ia vir como uma bomba igual aos outros. O puxei para um beijo e gozamos, juntos. Foi tão bom, seria besteira se eu falasse que o que acabamos de fazer não parecia foda e sim amor? Eu estava quase desistindo de voltar para o Brasil, mas não podia deixar minha família sozinha. Minha mãe queria reunir todos para o natal, e não tinha como não comparecer.
  Ele deitou ao meu lado e me puxou entre os seus braços, ainda estávamos conectados e ele estava alisando meu cabelo e minhas costas. Estava tão gostoso, estava tão calma... Ele levantou meu rosto e me beijou, calmamente. Eu abri meus olhos e pude ver sua feição, como se estivesse preocupado, ressentido e pior, se despedindo. Coloquei a mão em seu peito e senti sua pulsação, ele estava acelerado, comecei a alisar seu peito e ele me apertou ainda mais e aprofundou o beijo. Eu o senti enrijecendo dentro de mim, e percebi que ele precisava de mais eu não conseguia negar, me deu vontade de chorar, não sei o porquê. Mas eu apenas o apertei mais contra mim, era como se estivéssemos querendo que o outro não saísse de perto. Ele me colocou por cima dele e começou a estocar suavemente dentro de mim eu estava agarrada aos cabelos dele e presa num beijo que eu não queria parar, mas o ar faltou e fomos obrigados. Nós estávamos ofegantes e cansados, mas não paramos e eu já estava querendo mais. Eu me sentei e comecei a rebolar no colo dele, ele me olhava tão intensamente que foi impossível não me prender ao olhar dele. Ele era tão lindo, era como se o rosto dele tivesse sido esculpido por anjos. Ele passava as mãos em minhas coxas enquanto eu cavalgava. Nós estávamos em um ritmo lento e agradável. Ele me enchia em cada estocada e eu só tinha vontade de mais e mais. Tudo por ele. O telefone dele estava tocando mais ninguém era capaz de parar. Era nossa intimidade, nosso momento. Eu já sentia o ápice novamente. Estava tão perto, comecei a ir mais fundo e eu gozei, ele esperou o meu desfazer passar e me colocou por baixo, ele continuou estocando até ele gozar. Estava esgotada, ele também. Fomos para o banho e pela primeira vez que nos banhamos juntos, não aconteceu nada. Ele apenas "cuidou" de mim, me ensaboou, enxaguou, secou, vestiu e me colocou para dormir. Eu estava tão cansada que não consegui desejar boa noite.
  "Boa noite, Jeon"

  Amanheci com um delicioso cheiro de café, mas hoje ainda é quarta-feira e o Jeongguk tinha que estar no trabalho essa hora. Desci e vi o homem mais lindo com quem tive a melhor noite da minha vida, cozinhando só com a calça do moletom e pantufa. Estava nublado em Seul hoje, tava um clima tão bom pra ficar na cama que tive que lutar pra sair dela.
  - Bom dia, minha linda. - meu coração disparou com essa última parte.
  - Bom dia, você não tinha que estar na empresa agora? - falei e ele veio me beijar, sorri. - sai, eu ainda não escovei os dentes.
  - Eu não importo.
  - Mas eu importo! - empurrei ele de leve e fui para o banheiro. Pude escutar a sua risada antes de entrar.

  Voltei e ele tinha posto a mesa, eu ia sentar mas ele me puxou para seu colo e começou a me dar comida. Enquanto isso ele me dava beijos nas costas que me faziam arrepiar. Me virei de frente pra ele e comecei a beijá-lo.

  - (S/N), a gente precisa conversar. - ele falou parando o beijo.
  - O que aconteceu? - perguntei meio preocupada.
  - Eu não quero que vá embora.
  - Jeongguk, eu não posso ficar. Preciso ver meus pais no Brasil. - de novo esse assunto. Falar disso me deixa muito pra baixo porque ao mesmo tempo que quero ir, desejo muito ficar aqui com ele por mais um tempinho.
  - (S/N), o que eu posso fazer pra você ficar?
  - Nada Jeon, ninguém pode, nem eu posso. - ele enfiou o rosto em meus cabelos e ficou se enterrando neles.
  - Eu gosto do seu cheiro, sabia? - eu estou totalmente perdida.
  - Não. Não sabia. - comecei a fazer carinho nele também.
  - Fica, por favor. - ele falou quase em um sussurro. Já era a terceira vez que ele me pedia pra ficar, mas eu não podia, realmente não podia.
  - Jeon... - ia começar com as minhas desculpas quando ele me cortou com um "shii" e começou a beijar meu ombro. Ele estava me alisando, aquele colo parecia tão aconchegante esses dias.
  - Vem, vamos pra cama. - falou e me puxou para o quarto.


Notas Finais


Espero que gostem!! comentem bastante!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...