História My controversial World - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Violencia, Yaoi
Exibições 27
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Redimindo o tempo que perdi... sem postar...
Espero que gostem e desculpe por qualquer erro ❤ ❤ ❤

Capítulo 29 - Cap 29: Quero vê-lo!!!!


         Leandro: 6 anos atrás 


      Eu estava dentro da biblioteca lendo um livro de 600 páginas só de cálculos de matemática em menos de 20 minutos conseguia resolver 20 problemas de matemática do oitavo ano, meus livros era as únicas coisas que eu podia dizer que não tinha problema nenhum podia dizer que nada era difícil naquilo, livro era a única coisa em que eu podia gabar minha inteligência apesar de ter só 10 anos de idade...
-Você acha isso divertido!!!! - ouvi os berros da minha mãe na cozinha
-Você acha que é a única que tem problemas Pandora?  Acha que é a única que leva culpa de alguma coisa? Para de se fazer de vítima!!!!! - Meu pai revidou com outro berro
-Eu me fasso de vítima Leon ? De quem você acha que foi a culpa ? de quem ? Que tudo isso aconteceu?  Ah..a Yara... o... Mat.. - minha mãe... Eu podia ver suas lágrimas cair contra o balcão aonde ela se segurava eu podia ver seus olhos ficarem vermelhos de tanto chorar
-Amor me desculpe.... - Meu pai tentou chegar perto dela.
-Chega Leon, eu... não posso perder a cabeça agora por sua causa não quero ter outro ataque não piore as coisas - Minha mãe avia Limpado suas lágrimas e logo subiu as escadas e pude ver a porta ser fechada com força.
-Merda !!!! - ele gritou e logo me fitou eu olhando pela brecha da porta - Ah Leandro - ele suspirou e veio até mim me segurando no colo - Me desculpe meu pequeno por fazer você ouvir isso - a gente se sentou no sofá
-Pai.... Quem é Yara ? - O fitei de perto
-Ninguém Leandro ninguém - ele me abraçou e eu logo o afastei de mim
-Não quero seu abraço irei ver minha mãe - comecei a correr as escadas, a porta estava trancada eu peguei dois grampos do bolso e a abri de vagar quando abri a brecha vi minha mãe tirar um retrato de seu guarda roupa e se agachar no chão eu não sabia o que estava acontecendo mais só vê minha mãe chorar daquela forma meu peito apertou ela chorava em silêncio tentava segurar seus soluços eu fiquei ali sentado vendo a minha mãe só a observando quando ela começou a colocar a mão no peito e logo em seguida cuspir sangue eu me alertei e corri em sua direção eu me assustei quando me perdi nos seus olhos eles já não pareciam tão azuis assim, parecia "olho de peixe"
-Mãe!!!!!!! - eu berrei - Pai !!!!!! - sai gritando pela casa
-O que foi ? - ele falou assustado
-Ah mamãe ela... - E comecei a chorar e ele parecia ter intendido meu recado pois ele sabia que eu só chorava por algo realmente doloroso.
-Leandro me escuta ok ? Você vai pro seu quarto e aja o que ouver não saia de lá até eu mandar ok ? Agora vai - eu corri pro meu quarto e me abaixei perto da cama eu fiquei ali por um longo tempo quando ouvi  o barulho da ambulância Pulei na cama e fui direto na janela vendo minha mãe sendo levada em uma maca semi acordada.
-Mãe....


                      ×--------------×

    Só o que eu via era a escuridão só o que eu via era um medo tomar o meu corpo de um forma inacreditável, não conseguia sentir meu corpo minha boca estava seca e só sentia o gosto do sangue podia sentir o meu coração  bater lentamente, que rumo eu estava tomando ? O que diabos está acontecendo comigo ? Eu tentei abri meus olhos e horas tentando finalmente consegui abri-los mas mal conseguia ver algo.
-Doutor ele abriu os olhos !!!!! - ouvi um chiado era só isso que conseguia ouvir
-Leandro ? Consegue me ouvir ? - Novamente ouvi o chiado ecoar pelo meu ouvido era tão aguniante
-Ele não consegue nos ouvir... isso é um problema suas pupilas está dilatadas creio que também não consiga nos ver direito
-Será que ele sente algo doutor?
-Não sei - senti algo afiado na minha pele mais a dor sumiu em segundos...
-Ele não reage... Escuta enfermeira me diga caso ele feche os olhos novamente irei ligar para Yitsu já volto.

Beto: 19:12 da noite

-Alo Yitsu ? - Rezava que fosse ele
-Ah sim como tá o Leandro ? - Sua voz era sonolenta
-Ele abriu os olhos mas não ouve não vê direito e muito menos sente algo sabe se algo do sintoma ? Quando vira para cá?
-Não deixe ele fechar os olhos de jeito nenhum Beto, Nunca se sabe quando ele irá abri-los de novo isso não tem nada a ver com sintomas isso é algo que veio dele.
-O que você quer dizer com isso Yitsu ?
-Pandora teve isso diversas vezes pelo trauma que viveu e você sabe disso, isso faz parte de traumas cada pessoa tem a forma de prender isso a ele e esse é o jeito do Leandro que viveu sua vida toda vendo sua mãe desistir da própria vida
-Então o que a gente faz ?
-Ah cara se a Pandora estivesse aí seria mais fácil já que a Pandora e a pessoa que ele mais ama...
-Espera... tá querendo dizer que ele precisa de alguém que o conforte? 
-Sim, porque? tem alguma pessoa a esse nível mais que a Pandora?
-Talvez tenha...
-Olha eu estou no vôo agora para São Paulo chego em menos de 2h coloque gelo no seu peito o lado do coração e na testa e nos pulsos o corpo dele deve estar só o fogo na brasa
-Isso você tem razão
-Então fassa isso, as veias negras poderão parar de circular, a e também não deixe ele dormir isso é muito importante
-Porque não? 
-Leandro tem pesadelos quando pensa na mãe ele pode morrer asfixiado enquanto dorme e ele nesse estado não dará nem pra perceber se ele dorme ou não alguém terá que ficar do lado dele 72h por dia eu tenho que ir agora
-Espera conseguiu a cura?
-Não posso dizer que consegui mais pode ser o suficente para colocar Leandro fora de estado de perigo você só não pode deixar aquelas veias continuar a circular não pode deixar chegar no cérebro se não você já sabe né doutor
-Eu sei... não se preocupe irei cuidar disso - Desliguei o celular e fiz tudo que Yitsu pediu e logo fui para a área de espera aonde o garoto de olhos de cores diferentes, estava sentado no chão ele continuava olhando para sua mão.
-O Leandro abriu os olhos - O garoto se agitou rapidamente como todos que estavam ali - Mas ele não está realmente acordado ele não ouve não sente e não vê direito entre todo os aspectos
-Fala sério... - O garoto colocou as mãos na cabeça
-Ei garoto qual é seu nome ?
-Felipe porque ?
-O que você é do Leandro ? - O examinei da cabeças aos pés
-Ele é o namorado!!!!! - Gabriela gritou do banco aonde se sentava
-Isso é verdade ? - voltei a olhá-lo
-Não... nem cheguei a pedir isso ainda... - Seu sorriso parecia forçado
-Vem comigo - ele me olhou sem entender mais só foi ele pensar que veria Leandro se levantou em um pulo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...