História My controversial World - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Violencia, Yaoi
Exibições 33
Palavras 1.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Cheguei chegando !!!! Eu não tenho nada pra falar 😂😂
Boa leitura e desculpe por qualquer erro! !!!

Capítulo 30 - Cap 30: Tons diferentes...


Fanfic / Fanfiction My controversial World - Capítulo 30 - Cap 30: Tons diferentes...

  Felipe: 19:14 da noite

    Eu estava exausto fiquei sentado o dia todo esperando por uma notícia é finalmente o Leandro abriu os olhos mais aquilo não era grande coisa como o doutor disse, eu o segui até um quarto o médico disse que o vírus que Leandro possuía não era contagioso era apenas hereditário mas caso a cura fosse encontrada e Leandro tivesse um filho a criança não seria infectada e era por isso que o tio dele já estava a procura da cura a quatro anos... e realmente muito tempo espero que encontrem a cura rápido.
          Eu entrei no quarto e lá estava Leandro só usava uma calça de moletom ele estava sem camisa pude ver as veias que pulsava do braço até o coração seu cabelo que grudava na testa e os sacos de gelo nos braços na testa e no peito não era algo normal a se fazer... cheguei perto dele e o olhei meu coração acelerou em menos de um segundo. Eu puxei um pequeno banco e me sentei olhei para a mão de Leandro e a toquei ele estremeceu rapidaente sua pele estava quente até demais.
-Leandro ? Consegue me ouvir ? - apertava mais forte sua mão e ele avia correspondido com o mesmo.
-Não consigo... te ouvir direito mais pelo menos consigo te ver  - ele deu um sorriso fraco.
-Uau e a primeira vez que te vejo sorri assim. - Tentei sorri mais vê-lo daquele jeito me doía e muito. Leandro apenas me olhava e eu fazia o mesmo apertei sua mão mais forte e me apoiei contra a parede. - Eu não vou te deixar sozinho seu toco de gente, se você esconder algo de mim de novo eu não vou te perdoar - Sussurrei e vi Leandro fechar os olhos vagarosamente e acabar caindo em um sono profundo sem soltar a minha mão. - Você e realmente uma criança em... - Acabei fechando os olhos e adormeci junto dele.


                         ×-------------×
  
  Felipe: 22:01 da noite

-Felipe ? Felipe !!! - senti algo me cutucar e chamar meu nome
-O que...?! - falei sonolento
-Acorda precisa sair do quarto o tio do  Leandro chegou ele vai cuidar do Leandro agora - Lucas continuava me balançando
-Esta bem... - Olhei para Leandro e nossas mãos continuavam agarradas uma na outra eu suspirei fundo, não queria soltar sua mão mais sabia que podia segurar ela quantas vezes eu quisesse quando ele melhorar, soltei sua mão de vagar e segui a te a porta me dando de cara com um homem pouco mas baixo que eu magricelo dos olhos puxados pretos, cabelo castanho escuro jogado pro lado ele usava um galeco branco e era um pouco moreno.
-Você deve ser Felipe certo ? - Sua voz era arisca
-Sim você é o tio do Leandro ?
-Sim sou Yitsu Takyizuma Relsey - ele apertou a minha mão - Qual é seu nome rapaz ?
-Felipe
-Só Felipe?  - ele me olhou confuso
-Ah... Felipe Huker Madty - falei baixo
-Que estranho conheço esse nome de algum lugar...
-Acho que você esta perdendo tempo tentando lembrar desse nome do que cuidar da vida do Leandro que está em risco - tentei mudar de assunto.
-Tem razão, ele sobreviverá não se preocupe sou cientista mais antes disso me formei em médico - ele sorriu e logo fechou a porta.
-Eu espero... - fui para a sala de espera vendo Lucas deitado nas cadeiras no segundo sono. - Ah acho que vou me juntar a você - tirei minha blusa de frio e fiz um pequeno travesseiro e me deitei nas cadeiras duras espero vê-lo bem amanhã não sei por quanto tempo eu vou aguentar ver ele naquele estado.
        
      Leandro: terça-feira 8:15 da manhã.

 Fui abrindo os olhos devagar vendo aquele sol impertinente invadir o quarto aonde estáva, estava podendo ver as coisas perfeitamente e isso me alegro pude também ouvir o chiado das árvores que se balançavam conforme o vento, ouvi a porta do quarto ser aberta e me surpreendi com quem estava a minha frente.
-Yitsu ?! - Minha voz estava roca.
-Eae garoto como se sente ? - ele se sentou na minha cama
-Um pouco dolorido, cansado...
-Graças a Deus que funcionou - ele suspirou aliviado
-O que você fez ? - tentei ficar sentado na cama
-Consegui criar uma vacina que elimina as células que já foram danificadas pelo vírus mais não está 100% pronta se isso acontecer você vai se livrar de todo esse peso nas costas - ele avia sorrido podia ver suas olheiras.
-Eu acho que você está mais cansado que eu tio, mas muito obrigado você salvou a minha vida - ele avia me abraçado e eu retribui
-Eu mais cansado ? Tente me compara com seu namorado - ele riu
-Namorado... Felipe?!! - arregalei os olhos
-Esse mesmo irei chamá-lo - ele se levantou
-Que ? Não fassa isso, Yitsu!!!!! - gritei mais logo senti minha garganta doer acabei tendo que ficar queto.
          Eu estava ansioso, inquieto eu não sabia que ele ainda estava aqui, Felipe simplesmente esteve do meu lado todo esse tempo ? Comecei a olhar prós lados querendo saber se aquele imbecil vinha ou não vinha acabei olhando prós meus pulsos podia ver as veias acinzentadas toquei no meu peito e senti as veias que ainda possuíam pulsar e aquilo avia me dado arrepios estava tão chocado que nem percebi quando a porta foi aberta e fechada mais ouvi quando seus passos chegavam mais perto de mim, olhei para cima e corei meu peito estava saltitando prestes a sair pela boca olhei para seu rosto que emitia uma felicidade enorme seu sorriso quadrado e cativante era a coisa mais linda que tinha visto esses últimos dias, parecia que eu podia esquecer todos os meus problemas só de vê-lo sorrindo... e seus olhos que brilhavam conforme o ângulo do sol aquele olho castanho e aquele olho  verde uma mistura única que me dava arrepios ele veio até mim me dando um abraço apertado e eu fiz o mesmo nem um dos dois pretendia soltar um ao outro naquele momento...
Eu realmente amo esse idiota.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...