História My controversial World - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Violencia, Yaoi
Exibições 88
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Mais um capítulo pra vocês meus jovens espero que gostem ❤ ❤ desculpe por qualquer erro !!!

Capítulo 8 - Cap 8: Exitado, dor, sorriso bobo...


  Logo chegando na escola sinto as pessoas me fuzilar com os olhos e principalmente rirem de mim enquanto passava isso não me importava muito até que senti uma mão no meu ombro.
-Ei senhor ignorante - falou a garota rosada
-O que você quer dessa vez ? - continuava andando
-Sabe o que as pessoas estão falando de você? 
-Não é ligo o foda-se pra quem souber
-Nossa, mais vou dizer mesmo assim parece que alguém soltou um boato de que você se cortar pra chamar atenção e toma ante depressivos - ela avia dado uma pequena gargalhada
-E mesmo? - A encarei
-Sim - ela revirou os olhos
-EI SEUS BANDOS DE ZÉ NINGUÉM VÃO CAÇAR UMA ROLA PRA VOCÊS CHUPAR! !!!!! - Avia gritado o mais alto que conseguia e todos me olharam furiosos - E assim que se chama a atenção, agora vai caçar o que fazer pois eu não quero gente perto de mim
-E eu achando que você era um passivo inocente que nao xingava, Desse jeito você não vai pra frente - ela deu batidinhas nas minhas costas
-E nem pra trás também pois eu não te perguntei
-Você não acha que já tem inimigo suficente não?  - Ela ficou seria
-Foda-se - Olhei para ela irritado
-Bom você quem sabe senhor arrogante - ela avia feito careta e entrou na sala eu ia entrar também quando sou puxado pelo meu casaco e jogado contra a parede.
-Mas que merda o que você quer agora ? - falei jogando minha mochila no chão e o encarando
-Calma aí rei da cocada preta só vim trazer a receita dos meus óclos - ele avia colocado o papel enfrente dos meus olhos eu avia pegado o papel e ia me retirando mas ele avia me colocado na parede de novo e me olhado fixamente
-Mas que merda de mania e essa desse povo me sair puxando pra tudo que e canto? - avia colocado minhas mãos nos meus cabelos
-Eu vou com você compra meu novo óclos - ele deu um sorriso
-Não, posso muito bem comprar sozinho
-Mas o óclos que você quebrou e meu
-Você...
-Não tem "você", no final da aula esteja na porta da saída - ele logo desgrudou de mim e andou até um ponto ele virou as costas e deu outro sorriso fazendo meu coração bater novamente...
-Que porra e essa ? - Olhei para o meu peito, peguei minha mochila e entrei na sala rapidamente. O sinal avia tocado e o professor de educação física avia aparecido era um homem forte pele branca e olhos azuis claros tinha um cabelo rapado e bem anparado
-Bom parece que tem alunos novos aqui eu me chamo Fernando e eu não vou pegar leve com ninguém aqui passarei como vai ser a pontuação dos bimestres e quando terminarem vão para a quadra hoje será futebol. - As meninas gritaram em rejeição pois não gostavam de futebol a única que ficou feliz ali foi a Larissa.
-Opaa que maravilha vou poder ver homem nu na minha frente - ela deu um pequeno sorriso malicioso, nos tínhamos dois horários de educação física quando aviamos terminado de escrever descemos as escadas para ir para quadra privada chegando lá me deparo com Felipe aos beijos com uma garota ruiva falsificada.
-Bom e o seguinte vamos fazer o sorteio do time com camisa e sem camisa - ele falou seriamente com as duas turmas eu fiquei o máximo longe possível do Felipe pois não queria aquele merda perto de mim.
      No final acabei ficando no mesmo time do sem camisa aonde o infeliz do Felipe estava ele avia me visto e logo veio colocando ses braços ao redor do meu pescoço.
-Vai ficar sem camisa em - ele deu um sorriso no canto da boca
-Você não tem mais o que fazer não? - encarei ele torto
-E divertido irritar um suicida - ele me olhou de cima já que era bem maior que eu
-Não sou suicida - falei normalmente
-Não? - Felipe falou surpreso - Então que remédios eram aqueles que o Roger e o Nando acharam na sua mochila ?
-Então você conhece aqueles merda? - O olhei seriamente
-Ah eu sei que são dois imbecis mais né - ele passou as mãos nos cabelos pra disfarçar...
-Ei vocês dois vão ficar aí parados ? - O professor encarava a gente
-Já estamos indo professor do meu coração - ele me saiu puxando.

~Felipe: 7:39 da manhã
     Sai puxando aquele toco de gente até a quadra eu não sabia porque mas cada vez mais queria irrita-lo e fazer o máximo pra não deixar de falar com ele e avia tirado a camisa para jogar e quando viro pra trás vejo o toco de gente tirando a blusa eu fiquei ali paralisado que nem um idiota ele tinha um corpo incrívelmente forte cheio de curvas seu abdômen era definido como o meu eu fiquei ali perdendo tempo até que jogam a bola na minha cabeça.
-Os seus bando de filho da puta - foi logo pulando em cima dos meus amigos enquanto as meninas babavam no Leandro a única que me olhava fixamente era a Patrícia minha namorada  ela sorria e acenava não tinha muito interesse nela e ela era irritante pra caralho mas bom ela ameaçou a se matar por minha causa ela era loca então acabei ficando com ela pelo menos ela é bonita. Começamos a jogar e só quem fazia gol era eu e o Leandro eu achando que ele era sedentário o suficente pra não ser bom em nada que fosse físico, Nando que era do grupo adversário estava uma fará com o pequeno ele logo foi atrás do Leandro eu tentei mudar ele pra outro rumo com a bola mas como aquele filha da puta era gordo ferrou eu junto ele deu uma rasteira em mim e no Leandro que fez a gente cair com tudo no chão  quando tínhamos rolado no chão, eu segurei o Leandro pelo braço pois eu não queria cair mais não adiantantou ele acabou ficando por cima de mim e quando o olhei mais fixamente pude ver o quanto ele estava ofegante pude sentir sua respiração seu corpo quente e o seu cabelo ondulado e castanhos escuros que parecia preto grudado na sua testa sua boca avermelhada parecia me chamar para beijá-la até que Leandro me olhou e logo saiu de cima de mim e foi andando rapidamente para enfermaria a lateral do seu braço estava rasgado e sangrando muito minha perna estava da mesma forma logo Patrícia veio correndo na minha direção.
-Você tá bem meu amorzinho?  Eu vou cuidar de você tá bem? - Ela avia gritado até alto demais
-Não eu estou bem vou até a enfermaria - tirei suas mãos de mim e logo fui mancando até a enfermaria encontrando Leandro com a enfermeira pervertida eu olhei feio para ela e logo bati a porta forte
-Eai professora deixa que eu cuido dele - A encarei
-Mas já estou terminando - ela sorriu olhando pro Leandro que não estáva  nem ligando pro nosso bate papo ali.
-Ah mais uns alunos se machucaram vai lá dar uma olhada - a empurrei para fora - Você tá bem ? - falei sentando na cama aonde ele estava
-Não é como se eu fosse morrer por um arranhão desse - ele continuava a olhar para janela que dela saia raios solares que penetravam os olhos de Leandro que deixava uma cor única e extraordinária eu estou começando a ficar exitado só de olhar para esse garoto.
-Ah bom eu já estou indo vou esperar você no final da aula não esquece.
-Você vai assim ? - ele falou calmamente
-Eu estou bem - sorri, ele me olhou torto levantou da cama e veio na minha direção e avia me dado um chute na perna, aquilo doeu pra caralho
-Você enloqueceu caralho... - Avia gemido de dor
-Bem ? Para de pagar de machão cara é vai cuidar desse ferimento - ele falou tranquilo e logo saiu da sala me fazendo da um sorriso bobo enquanto sentia uma dor do cão na perna.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...