História My Daddy - Jikook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Daddy Kink, Jimin, Jungkook, Yaoi
Visualizações 216
Palavras 1.406
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um dia de shot \o/
Essa também é uma adaptação de outra shot minha euheueh
Espero que gostem ♥

Capítulo 1 - Capítulo Único


PARK JIMIN

Flashes clareavam ainda mais o local já repleto de luzes. Eu queria poder dizer que estava cansado de tanto brilho, mas a verdade é que ser fotografado por ele conseguia deixar tudo melhor. Me sentia muito confiante para as poses que eu precisava fazer, tudo porque sabia que ele capturaria todas elas em um ângulo perfeito.

Como um artista faz sua arte, ele representava em fotos as imagens da arte que ele mais admira. Eu. E eu sei bem disso.

Ao terminarmos todas as fotos, acabou que apenas eu e meu fotógrafo permanecemos na sala agora com pouca iluminação. Ele guardava as lentes das câmeras e eu passava meu tempo trancando as duas portas. O sorriso malicioso que ele abriu ao me ver do outro lado da bancada foi o suficiente para acender uma chama de desejo que incendiou meu corpo por dentro.

- Um menino comprometido não deveria ficar tão próximo de alguém como eu. – A voz de Jungkook estava rouca e ele praticamente sussurrava. – Não acha, baby?

- Ah, daddy, eu estou entediado. Vou encontrar meu noivo só depois das seis, preciso me distrair enquanto isso. – Sussurrei na tentativa de provocá-lo, o que deu certo. Me aproximei mais dele e mordisquei o lóbulo de sua orelha. – Acaba com o meu tédio, daddy.

Jungkook não pensou duas vezes antes de me grudar em um beijo caloroso e até mesmo possessivo, agarrando minha cintura como se eu fosse sair dali correndo a qualquer instante. Eu não iria a lugar algum que não fosse com ele, eu apenas queria que ele possuísse meu corpo e me fizesse gritar de prazer como ele sempre fazia nas nossas tardes de diversão dentro do estúdio fotográfico.

Levei minhas mãos até seus cabelos e entrelacei meus dedos nos fios escuros, recebendo um aperto ainda mais forte na minha cintura, o que me fez arfar em meio ao beijo. A bancada atrás de mim serviu de apoio para as minhas costas, Jungkook veio para a minha frente e subiu sobre o meu corpo, não perdendo tempo para desabotoar os botões da minha camisa, voltando em seguida a me beijar.

Puxei sua camisa também, desabotoando tudo com pressa, logo tirando aquele tecido de seu corpo, já que o mesmo era totalmente desnecessário para o momento. Seus lábios tocaram o meu pescoço, sugando com força a pele.

- Seu noivo não vai gostar de ver essa marca... mas vou fazer mesmo assim. – Sorri com aquilo e o puxei para mais um beijo. – Não temos muito tempo, baby, preciso fechar o estúdio daqui menos de uma hora.

- Então anda logo, daddy. Tira logo a minha roupa. – Pedi já ofegante, sentindo suas mãos em minha calça, logo retirando tal peça.

Também puxei a sua calça, já tirando a boxer preta que havia por baixo. Sempre que acabávamos transando na empresa precisávamos ser rápidos, não havia tempo a perder, ou poderíamos ser pegos e isso definitivamente não seria legal. Não quando o meu pai é o dono da agência.

Ele terminou de me despir e desceu os lábios pelo meu corpo, sugando minha pele, ou apenas beijando mais suavemente. Recebia leves mordiscadas e em troca apenas puxava seus cabelos e suspirava audivelmente enquanto me sentia hipnotizado com seus toques.

Sua boca chegou ao meu membro, arqueei as costas ao sentir sua língua passeando pela extensão, me fazendo soltar um gemido provavelmente alto demais. Não liguei para isso, a sala era afastada das outras e só viriam aqui mais tarde para conferir se ela havia sido trancada. Óbvio que sempre havia a possibilidade de nos flagrarem, mas isso só deixava tudo ainda mais excitante.

Jungkook levou um dedo até minha entrada, o colocando ali em seguida e o movimentando. Eu precisava de mais do que isso, era questão de necessidade já. Senti mais um dígito me adentrar e apenas consegui gemer em resposta, movimentando meu quadril contra sua mão, ainda sentindo sua boca em meu membro.

- Ah, daddy, quero mais. – Pedi manhoso.

- Quer mais o que, uh?

- Quero você. – Continuei manhoso, ainda segurando seus cabelos enquanto ele voltava a beijar o meu pescoço.

- E o que quer que eu faça, baby? – Sugou a pele do meu pescoço novamente, ainda movendo seus dedos em mim.

- Huuuum... – Murmurei, ainda sem respondê-lo. – Me fode, daddy.

- Só porque pediu desse jeitinho manhoso. – Beijou meus lábios novamente, mordendo meu lábio inferior enquanto puxava minhas pernas para que eu as entrelaçasse em sua cintura.

Senti seu membro adentrar minha entrada, sentindo também um leve incômodo em um primeiro momento, mas tendo seus beijos em meu pescoço relaxando meu corpo. Quando ele parou, esperando que eu me acostumasse, movi meu corpo contra o seu, ouvindo ele me chamar de apressado. Apenas gemi em resposta, pedindo que ele andasse logo.

Um tapa foi desferido em minha coxa esquerda, enquanto com a outra mão ele apertava minha coxa direita e empurrava seu corpo contra o meu. Estava tudo ótimo, se não fosse por ele se afastar bruscamente de mim. Um sorriso muito malicioso surgiu em seus lábios enquanto me encarava dos pés à cabeça.

- Levanta. – Obedeci, ficando ao lado da bancada. – Agora apoia os braços na bancada... empina bem esse quadril. – Ele sussurrava em meu ouvido de uma forma tão sedutora, que eu apenas fiz o que ele mandou sem pestanejar, apoiando os cotovelos na superfície dura da bancada.

Seu corpo aproximou-se do meu e eu logo senti seu membro em mim novamente, assim como mais um tapa sendo desferido em minha pele. Ele estava inclinado sobre mim e beijava as minhas costas, algumas vezes me fazendo virar o rosto para poder atacar meus lábios. Nossos beijos saíam completamente bagunçados, mas eu não dava a mínima para isso, apenas gemia e tentava mover meu corpo contra o dele, ainda que ele preferisse ficar no controle sempre.

Quando senti sua mão em meu membro, movendo-se no mesmo ritmo que seu corpo contra o meu, soltei um gemido ainda mais alto, ouvindo os seus gemidos roucos invadirem meus ouvidos.

- Ah, daddy, mais rápido. – Pedia de uma forma tão manhosa, que sentia até vergonha, mas que no momento saía de uma forma muito natural e eu apenas fazia, sem me importar com o quão constrangedor era.

- Assim, baby? – Perguntou após acelerar os movimentos.

- S-sim. – Eu mais gemi minha resposta do que outra coisa, mas não me importei verdadeiramente com isso.

Quando eu estava quase chegando ao meu ápice, ele novamente separou-se de mim, sorrindo novamente daquela forma maliciosa. Jungkook sentou-se na grande e confortável cadeira que tinha naquele estúdio e me puxou para seu colo, fazendo com que eu sentasse sobre seu membro.

Segurei-me em seus ombros enquanto me movia, sentindo suas mãos apertarem com força a minha cintura. Beijei-o novamente, logo descendo meus lábios para o seu pescoço querendo abafar pelo menos um pouco os sons impróprios que saíam por minha boca. Quase gritei quando atingi meu ápice, mas fui calado por um beijo sedento. Antes que ele tivesse um orgasmo, saí de cima dele e beijei seu corpo, chegando com a boca em seu membro e o botando em minha boca.

Não foi preciso muito esforço para fazê-lo gozar, fazendo-me sorrir e suspirar cansado. Levantei-me e sentei novamente sobre suas pernas, tentando recuperar o ar. Do nada nós dois começamos a rir, mas eu sabia exatamente o motivo de estarmos rindo.

- Eu te amo, Jungkook. – Sussurrei contra seus lábios roubando mais um beijo. – Ou eu deveria te chamar de noivo?

- Eu também te amo, Jiminnie. Pode me chamar como quiser, eu sou seu mesmo. – Ele sorriu largamente. – Imagina o que nossas famílias pensariam se soubessem as loucuras que fazemos.

- Pois é, imagina a cara deles por saber da minha pouca vergonha de trair o meu noivo com o meu próprio noivo. Nós temos fetiches estranhos.

- É que com você dá vontade de experimentar de tudo. Ainda queria te vestir de garota.

- Vá sonhando! – Ri alto, levantando e me vestindo.

Jungkook fez o mesmo, me encarando e ainda rindo. Quando ambos já estávamos vestidos, pegamos nossas coisas e saímos do estúdio como se nada tivesse acontecido, contendo o riso ao passar do lado da secretária, pois ela era a que ficava mais perto da sala afastada, e eu tinha plena certeza de que ela sempre nos escutava, porém não dizia nada por saber que somos noivos.

E em breve seremos casados.


Notas Finais


Gostaram? Espero muitíssimo que sim ♥
Beijão ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...