História My Daddy - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Babygirl, Daddy, Jin
Exibições 84
Palavras 1.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OMG, Huahahah tá quente mdsu.

Capítulo 8 - Punição .


Jin se senta em uma poltrona do quarto, e faz um gesto para que ela se aproxime dele.

Soon estava nervosa, pois aquilo era algo muito novo para ela. Mas decide fazer o que seu Daddy lhe pedia, afinal, não queria irrita-lo.

E Infantilmente, ela se senta no colo de seu Daddy . Porém quase Instantaneamente ela sente algo muito confuso ao fazê-lo,pois algo naquilo parecia estar muito errado.

- Sabe o que vai acontecer baby ?

Ela faz um gesto negativo com a cabeça, já que estava agitada demais para falar algo.

- Eu vou te punir por tudo o que você está fazendo para aborrecer seu daddy.- ele pausa.- O que você acha ?

Ela parece estremecer em resposta, e ele coloca a mão em sua coxa.

- O que você acha baby ?- Ele repete novamente, esperando uma resposta.

- Daddy, o que fiz para lhe aborrecer?- Ela diz nervosa.

Ele sorrir.

- Você é teimosa, vive se machucando e é negligente com seus machucados. Sempre que está com dúvida sobre algo prefere perguntar inutilmente para uma máquina... o que poderia perguntar a mim, que lhe explicaria tudo com...-ele aperta sua coxa com força, como se quisesse enfatizar.- ...Todo prazer.

Ela parecia não se lembrar de como respirar, e estava tão vermelha quanto um tomate.

Jin desliza o dedo por seu rosto delicadamente, como se apreciasse a reação. E se aproximava gradualmente dela.

- Ah... e não posso esquecer do último acontecimento. - e ela percebe algo nos olhos de Jin mudarem.

Os olhos dele estavam frios e arrogantes, e diferentes do calor que emanavam antes.

- Você estava com outro garoto não estava ?

A surpresa parecia clarear o rosto dela

- Esta falando de Tae? Daddy eu somente o ajudei, ele estava perdido e eu estava sozinha !

- Soon... minha linda baby... Você podia ter chamado alguma das empregadas para ajudar, não precisava perder seu precioso tempo.

- Ma-s Daddy eu...- Ela teimava em contradizer ele. E ele queria somente calar sua boca.

Jin puxa ela para um encontro bruto com seus lábios, e beija-a de forma forte e sem delicadeza alguma. Como se estivesse com sede, e só ela pudesse sacia-lo.

Ela fica assustada com a rapidez e posse que ele toma. Jin apertava com uma de suas mãos livres a coxa dela e ao mesmo tempo em que a beijava rudemente, segurava a cabeça dela com cuidado. Afagando e bagunçando seus cabelos quase carinhosamente.

Soon sentia algo se agitar dentro de si, e era como se ela quisesse mais. Como se gostasse do jeito que Jin lhe beijava, era algo totalmente... fora do comum para si.

Quando Jin se afasta, ela estava ofegante.

- Não interrompa seu daddy, Você ainda vai ser punida. -ele diz sem se afetar.

Quando ela recupera o fôlego, se perguntava mentalmente como ele fez aquilo e... o que e ele queria dizer com... punir à ela?

- Punir ?- Ela pergunta temerosa.

Ele sorri de forma maliciosa.

- Você gostou deste tipo de beijo minha pequena ?

Ela somente abaixa a cabeça envergonhada em dizer aquilo em voz alta, e move ela positivamente.

Mas é claro.

- Então você quer mais? -Ele diz levantando sua cabeça com um dedo, fazendo ela olhar em seus olhos.

Ela se sentia ficar sem fôlego novamente só de olhar para ele, já parecia ser algo instantâneo. Nunca que se sentiu daquela forma. Era algo sufocante, estava tudo apertado em si.

- Você só vai receber algo parecido novamente, se aguentar o que irei fazer a seguir. Como uma boa menina certo ?- Ele parecia buscar uma confirmação da parte dela.

- Certo Daddy. - Ela olhava em seus olhos.

- Vire- se.

Ela parece não entender o que ele queria dizer com aquilo. Então Jin vira ela em cima de seu colo, e levanta o vestido lilás que ela usava.

Soon se remexe inquieta com aquilo.

- Fique quieta, ou vai ser pior baby.

Ela solta algo como um gemido irritado. E ele não pode conter a risada que lhe subia pela garganta em vê-la daquela forma.

Soon usava uma calcinha com estampa de florzinhas azuis. E ele puxa as dobras de um dos lados delicadamente, deixando sua bunda visível.

- Quero que conte comigo.- ele sussurra próximo ao seu ouvido.

- Certo... DADDY. - Ela fala alto após sentir a primeira pancada que Jin lhe dá na bunda .

Ardia muito, doía muito!

Ela tenta se levantar do colo dele, mas Jin segura Soon pela cintura, e começa a passar a mão no local onde havia transferido o tapa, como se acalmasse o ardor.

- Conta comigo baby... se não contar vou perder a conta e vamos começar do começo... e seu Daddy não quer isso.- Jin diz lentamente.

Ele estava aproveitando aquilo tudo .

De fato, a dor parecia sumir a medida que Jin passava a mão.

- Certo, Daddy. -Ela diz apertando os olhos e segurando firme nas dobras da calça dele.

- Lembre- se de não gritar muito alto... alguém pode ouvir.- ele diz divertido, somente para provocar ela, recebendo em resposta um grunhido inconformado.

Não era como se ele ligasse para o que diriam. Ele tinha o controle sobre o que acontecia naquela casa. Mas mesmo assim não podia impedir os cochichos que podiam acontecer devido aos curiosos, sobre Soon.

Ele não ligava sobre o que podiam pensar sobre ele. E ele sabia como silenciar a todos. Mas de alguma maneira queria cuidar para que nada de estranho aflingisse sua Baby, e não podia esquecer que ela era melhor amiga de sua irmã...

Mais uma palmada. Forte dessa vez.

Soon solta um gritinho baixo.

- Dois...-diz com a voz esganiçada.

Mais uma.

- Três...- Ela estava ficando com a voz rouca.

E como ele estava adorando ouvir a voz dela mudar, como amava ver ela a mercê dele. Ele sabia que ela Confiava nele e cada vez que ela se mexia em seu colo ele aplicava mais uma palmada.

- Seis...- Ela estava ficando cansada.

- Somente mais duas baby... está quase lá .

Ele bate desta vez com menos intesidade, preparando ela para que viria a seguir.

- Sete. - Ela diz procurando ar.

Jin finalmente aplica a última, e bate com as palmas abertas na mesma, deixando a marca de seus dedos.

- Oito...!!

Soon estava com a voz fraca. E Jin segura ela em seu colo, finalmente colocando ela sentada com as pernas abertas.

Ele estava usando muito auto-controle, pois sabia que tinha que dar um tempo para que ela se acalmasse. Mas ele queria Soon ardentemente, desejava ela como nunca desejou ninguém.

O rosto dela estava bem vermelho, e com marcas de lágrimas. Ela soluçava baixinho e a boca da mesma estava tão vermelha e inchada para ele...

Não, ele tinha que se segurar por hoje.

Ele abraçava ela, e fazia carinhos consecutivos em suas costas. E logo os soluços se transformavam em uma respiração pesada.

- Pronto querida... Minha pequena... Você foi ótima, excepcional. Tão perfeita...- ele sussurrava.

- Daddy. - Ela chama por ele com a voz ficando finalmente calma.

- Sim Baby ?

Ela parece pensar no que dizer, e deixa ele surpreso com o que viria a seguir.

- Estou com fome.

~

Jin havia mandando Soon tomar banho, e havia descido para pedir que alguém preparasse algo para ambos comerem.

Já eram 7:00 PM, e ele estava preocupado.

Min ainda não havia chegado em casa.

Ele puxa o celular do bolso, pronto para ligar para o estúdio de balé da mesma. Porém, antes de fazê-lo. Recebe uma ligação.

- Alô ?

- Boa noite Sr.Seok desculpe a perturbação, mas à um casal aqui que gostaria de falar com o senhor pedindo permissão para levar a Srt. Min... É procedimento padrão espero que entenda.

- Claro, passe para eles agora.- ele diz tentando manter a calma.

Ele ouve um ruído baixo, como de quem entrega o telefone para outro. E logo uma voz familiar entra na linha.

-Olá Jin meu querido! Desculpe vir assim sem avisar, eu havia perdido o seu número. Lembra de mim ? Sou eu a tia Park.- diz risonha.

O alívio lhe atinge ao ver que não era alguém estranho. Acontece que já sequestraram ele quando mais jovem, e Jin não lidava ainda com aquilo... da forma adequada. Devia ser por isso que era tão protetor.

- Claro tia Park, Oi... Você me assustou. - ele deixa escapar uma risada preocupada.

- Meu filho, perdão. Seus pais não lhe avisaram também não? Eu queria levar Min para passear hoje e vim direito para cá... pode acontecer de ela dormir na minha casa não é?

Ele consegue ouvir o grito empolgado de Min do outro lado da linha.

- Ah sim, mas é claro. Por favor tomem cuidado.- ele diz passando as mãos pelo cabelo.

- Definitivamente teremos, ahã, Até mais.

( ruído.)-... Eu disse que era da família querida, talvez agora você me dê licença.

A ligação fica muda.

Jin solta um suspiro, ele conhecia bem o jeito de sua tia Park.

Ele vai para cozinha, onde a maioria dos empregados se arrumavam para irem embora. Afinal, no final da noite nenhum ficava em casa como antigamente. Todos tinham uma casa perto o suficiente, o que na opinião de Jin era um bônus. Pois não gostava de muitos deles pela casa.

Ele já sabia o que ia fazer.

Ele daria para Soon uma noite completa, para mostrar para ela a recompensa por lidar tão bem com a punição cumprida, embora não tenha pegado tão pesado com ela, a mesma respondeu bem à ele.

No fundo Jin estava orgulhoso de Soon.

De alguma forma ela lhe encantava.


Notas Finais


Como ficou ?
Ow Baby's, vcs são demais ! Hauahha
Muito obgd pra vcs que leram, vcs que favoritaram e etc...♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...