História My Daddy Masochist (Imagine Taehyung) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Abuso, Daddy, Escrava Sexual, Imagine Taehyung, J-hope, Jimin, Jungkook, Masoquismo, Mestre, Personagens Originais, Sadomasoquismo, Taehyung, Você
Visualizações 544
Palavras 989
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Okay, podem me xingar e tacar pedras em mim o quanto quiserem pela demora...
Primeiramente, eu peço desculpas pela demora e vim aqui lhes dar uma explicaçãozinha...
Nesses últimos dias, não estou com motivação de escrever e nem de ler nada e também estou com bloqueio de criatividade; eu só penso em ficar deitada com os fones de ouvido e quase nunca consigo aprestar atenção em minhas aulas. Mas não precisam se preocupar, porque eu não vou desistir das minhas fanfics; só peço um pouquinho de paciência pra vcs e que não desistam da finc.
Então, aqui está mais um capítulo fresquinho pra vcs. Espero que gostem...

P.S.: Depois coloco a imagem do capítulo.

Capítulo 25 - Father?


Fanfic / Fanfiction My Daddy Masochist (Imagine Taehyung) - Capítulo 25 - Father?

LEIAM AS NOTAS INICIAIS

My Daddy Masochist

Capítulo 25-Father?

 

Taehyung On

Eu havia acabado de embarcar no aeroporto de Busan. Bom, minha "nova vida" no Japão não foi fácil, mas também não foi complicada; consegui me ajustar bem lá até os dias de hoje, mas eu achava que já estava na hora de voltar para o meu país de origem.

Eu andava despreocupadamente pelas ruas ensolaradas da cidade até um ponto de táxi e entrei no primeiro que havia ali, dei o endereço para o taxista e logo o homem começou a dirigir. O endereço era em uma casa em um dos poucos bairros mais ricos da cidade; lá era onde havia uma casa que eu havia comprado, mas eu havia morado com minha mãe até eu mudar de país.

Suspirei ao lembrar-me dela e automaticamente a imagem de meus irmãos mais velhos e meus sobrinhos me veio a mente. Senti uma onda de saudades me invadir; mas no momento em que eu me lembrei de Taeshin essa onda de saudade foi substituída por raiva.

-Estou voltando, (S/N)...-sussurrei para mim mesmo, encostando minha cabeça na janela do carro.

[...]

Entrei dentro da enorme casa de dois andares de estilo americana, andei pela média sala-de-estar e fui até a escadaria de mármore cinza, indo para o segundo andar. Lá havia um corredor onde havia três quartos e uma mini-biblioteca.

Entrei no quarto principal, deixando minhas malas em cima da enorme cama de casal. Decide começar a arrumar minhas roupas no enorme closset e dar uma limpada na casa, pois a poeira já estava começando a me incomodar.

Após terminar de fazer todos os meus afazeres, decidi tomar um longo e relaxante banho. Andei até a enorme suíte enquanto retirava todas as minhas vestes e as jogava dentro do cesto, indo de encontro a enorme banheira de cor negra que eu já havia enchido com água morna.

A água morna relaxou meus músculos doloridos e tensos, peguei o pequeno frasco de sabonete líquido e comecei a passa-lo pelo meu meu corpo, tirando os resquícios de suor do mesmo. 

Enquanto me lavava, pensei em sair de casa e ir comer alguma coisa. Eu apenas sabia cozinhar o básico, que era miojo, ovo frito e por ai vai...

Lavei meu cabelo e terminei meu banho rapidamente, saindo da banheira e enrolando a toalha felpuda em minha cintura após secar minhas madeixas cinzas e voltei a passos lentos até o quarto.

Andei até a cama e peguei a cueca boxer de cor preta que estava em cima dos lençóis cor de creme, vestindo-a. Peguei uma camisa cinza e a vesti juntamente com a calça jeans cinza-desbotada, pegando meu tênis branco com detalhes pretos da Adidas em seguida.

Passei um pouco de perfume e peguei meu celular juntamente com minha carteira e as chaves do carro. Desci as escadas e fui até a cozinha, pegando as chaves de casa e saindo da mesma.

Dirigia pelas ruas ensolaradas enquanto ligava o rádio no volume baixo. Estacionei no primeiro estabelecimento que encontrei, o Subway, e entrei no mesmo. 

Sentei-me em uma das mesas que estavam do outro lado da lanchonete, do lado das enormes janelas de vidro. O lugar estava meio cheio e nesse aglomerado de gente acabei reparando em um garotinho brincando com um ursinho de pelúcia em uma mesa do outro lado.

Ele me parecia familiar. Tinha cabelos e olhos negros como a noite, usava uma blusa de frio de cor amarela e uma calça jeans azul-clara juntamente com uma par de tênis branco de alguma marca.

O garotinho estava tão concentrado em sua brincadeira com aquele ursinho de pelúcia de cor amarela que nem estava notando que estava se afastando da mesa onde estava.

Pode não parecer ou ser impossível de acreditar, mas eu amo crianças.

O garotinho parou em minha frente, ainda distraído com o brinquedo.

-Olá.-eu disse, chamando sua atenção.

Ele direcionou seu olhar para mim.

-Oi!--ele sorriu.

Um sorriso quadrado igual o meu...

-Jihoon, o que eu disse sobre conversar com estranhos?!-uma mulher que julguei ser a mãe do menino se aproximou.

Qual não foi minha surpresa ao reconhecer aquela pessoa depois de muito tempo. Ela estava muito diferente, estava mais velha, crescida, mais bela e com o corpo totalmente formado, cheio de curvas.

Seus olhos se arregalaram quando me viu. Ela agarra a mão da criança enquanto eu a observo com um minimo sorriso nos lábios.

-T-Taehyung...-ela pisca várias vezes enquanto sussurra meu nome.

Ah, essa voz...

-(S/N)...-levanto-me e dou uma passo em sua direção.-Veja só como você cresceu e mudou! Está ainda mais linda!

Ficamos nos encarando durante alguns minutos até uma vozinha chamar nossa atenção.

-Mamãe?-o mais novo puxou levemente a mão de (S/N).-Quem é ele?

Arregalei os olhos, olhando da criança para (S/N).

-Como assim, mamãe?-perguntei.

 

-Será que pode me explicar tudo, agora?-perguntei, encostando minhas costas na cadeira e cruzando os braços.

Eu e (S/N) estávamos sentados em uma das mesas que ficavam do lado de fora do estabelecimento, ao lado de uma mini-parquinho onde algumas crianças brincavam - inclusive Jihoon - enquanto eram vigiados pelos pais e por um segurança que havia ali.

-Anda, (S/N)!-eu já estava começando a ficar impaciente.

A garota respirou fundo antes de olhar dentro dos meus olhos.

-Depois que você fugiu para sei lá aonde...-ela começou.-Eu comecei a me sentir muito mal. Tinha enjoos fortes e tonturas, mas não ligava muito pra isso.

Eu ouvia atentamente cada palavra que saia de sua boca.

-Taeshin me levou ao médico depois que eu passei mal na casa da Sra. Kim e...-ela fechou os olhos fortemente e respirou fundo.-Descobri que estava grávida.

Finquei minhas curtas unhas na carne de meus braços por um momento.

-No começo, tentei acreditar que Jihoon era filho de Taeshin...-ela abriu os olhos e me encarou seriamente.-Mas a verdade é que Jihoon é o seu filho, Taehyung.

Arregalei os olhos, surpreso.

-O O que?-gaguejei.

-Você é pai de Kim Jihoon.

 


Notas Finais


O que acharam??? Até o próximo capítulo...
Desculpem o capítulo pequeno.
Beijos<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...