História My Daddy, Your Baby (Imagine Long Hot Jimin BTS) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Amor, Bangtan Boys, Jimin, Sexo
Visualizações 360
Palavras 4.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiii genteeee! Demorei? Desculpa!

Eu estava resolvendo uns negócios para uma viagem que ia fazer, mas como eu disse, eu IA, não vou mais. Tive que cancelar por motivos pessoais que não vêm ao caso agora.

Espero que gostem bastante!

Boa leitura!

Capítulo 7 - Aconteceu...


Fanfic / Fanfiction My Daddy, Your Baby (Imagine Long Hot Jimin BTS) - Capítulo 7 - Aconteceu...

***

Pov's Jimin

– Por favor, deixa! – implorei mais uma vez ao PD-Nim, que parecia estar bem certo da sua resposta. 

– Eu já disse que não! É tão difícil entender? 

– Sim! É uma coisa tão simples que peço...

– Você pensa que é, mas não é. 

– E o que tem de tão complicado nisso? 

– Bom, primeiro: ela vai para uma faculdade; segundo: faculdade custa caro; terceiro: terá mais uma boca para alimentar; quarto: teremos mais gastos; isso já serve para você? 

– Somos cantores de Kpop, teremos dinheiro suficiente para isso. 

– Não é bem assim que a coisa funciona, Jimin... Pensou na Sarah também? Será que ela também não vai querer ficar? E aí, como fica a situação? 

– A Sarah pode ir para casa, mas a (Seu nome) fica.

– Não é bem assim...

Bufei irritado. Convencer o PD-Nim a deixar a (Seu nome) morar aqui conosco não estava sendo fácil. Eu não queria ficar longe dela, e o único jeito era fazer com que ela morasse comigo. Mas o PD-Nim virou um obstáculo para isso. 

Eu sabia, desde aquele sorteio, que a ganhadora teria que ir embora bem cedo no quarto dia. Mas não pensei que a ganhadora fosse minha melhor amiga. Agora que está tão perto dela ir embora, sinto que não posso deixar isso acontecer. 

Pensei a noite toda em como persuadir a mente do PD-Nim para ele aceitar a (Seu nome) aqui, e a mente da (Seu nome) para concordar com a minha proposta. Mas o obstáculo número 1 está difícil de superar, e o obstáculo número será difícil também. 

A (Seu nome) desde pequena, sempre foi um pouco teimosa. Quer dizer, muito teimosa. Quando não aceitava uma coisa, não aceitava e pronto, nós tínhamos que se conformar com a atitude dela. Mas agora será diferente, tem que ser diferente.

Dá para ver nos seus olhos que ela não quer sair de perto de mim, assim como eu não quero sair de perto dela. Se a convidasse para vir morar conosco, tinha certeza que aceitaria, não de primeira, mas ao longo do tempo ela iria pensar melhor no assunto. 

PD-Nim me olhava irritado, com os braços cruzados e as pernas agitadas ele batia o pé no chão, como em um sinal para que eu esquecesse o assunto e fosse dormir, igual aos outros membros. Mas eu não desistiria tão fácil. 

– Jimin, esqueça isso. Você sabia desde o princípio que uma hora ou outra ela iria embora. – PD-Nim falou um pouco mais calmo. 

– Mas... Eu não quero que ela vá embora... – Comentei triste.

– Eu sei, mas você vai superar. 

– Não vou superar! – me agitei. 

– Por que não? 

– Porque... Porque... – gaguejei sem saber o que falar. 

– Jimin... Você por acaso...? 

– Não! Eu só quero minha amiga perto de mim. 

– Sinto muito, mas não vai dá. 

– Por favor... 

– Não, Jimin. Tente entender que vai ser melhor assim. 

PD-Nim me deu as costas e saiu da sala entristecido. No fundo, eu sei que ele ficou triste por não querer ou não poder fazer essa minha única vontade. 

Eu também me entristeci. Estava tudo acabado. A (Seu nome) ia mesmo embora, e eu ficaria sem ela mais uma vez. Ela pode até continuar no mesmo país, mas em algum dia outra turnê vai começar, e terei que sair daqui. 

A única coisa que eu tinha para fazer agora era passar no quarto da minha amiga e me despedi. Eu acho que o PD-Nim está certo, será melhor assim. Eu acho. Não sei. Só sei que quero minha amiga perto de mim. 

Dei um último suspiro e decidi passar no quarto dela. Falar com ela, tentar minha última tática para fazer cin que venha morar comigo. Caminhei até seu quarto devagar, como se estivesse com medo de anunciar o que fiz, e da sua reação ao saber. 

Abri a porta do seu quarto e encontrei as duas mulheres, a (Seu nome) e a Sarah arrumando suas malas. A Sarah parecia um pouco triste também, ela tinha se apegado bastante conosco, principalmente com o Jin. Acho que não estava sendo fácil para ela ir embora. 

Mas a (Seu nome) era um caso à parte; ela estava abatida, seus olhos continham olheiras gigantes, como se alguém ou algo tivesse roubado o sono dela. Eu sei bem o que é, eu também fiquei assim, a noite toda pensando nela e como seria ficar longe dela mais uma vez. 

– Jimin, você está aí! Eu nem te vi. – Sarah comentou abrindo um sorriso meio forçado. 

Logo depois da exclamação de Sarah, (Seu nome) se virou e seus olhos encontraram os meus. Seu olhar transmitia tristeza, mas ela tentou de tudo abrir um sorriso, ainda que fosse forçado. 

– Bom dia, Jimin. – (Seu nome) desejou um pouco sem jeito. 

– O que vocês estão fazendo? – perguntei qualquer coisa sem saber o que falar. 

– Não está vendo? Estamos arrumando nossas malas para irmos embora! – Sarah jogou na minha cara. 

– Sarah! – (Seu nome) a repreendeu.

– Desculpa... É que estou irritada, não quero ir embora sem falar com o Jin, mas ele acorda tarde. 

– Por que não acorda ele então? Vai lá no quarto do Jin e o acorde, se despeça e depois venha. – Comentei tentando arranjar um jeito de fazer com que a Sarah saísse do quarto e me deixasse a sós com a (Seu nome).

– Não será muito incômodo? – (Seu nome) perguntou apreensiva. 

– Não, ele não liga para isso. Pode ir Sarah, se despeça do Jin. 

– Eu vou mesmo. Tchau. 

Sarah saiu do quarto feito um relâmpago em direção ao querto do Jin, me deixando sozinha com a (Seu nome). Ela olhou nos meus olhos e depois desviou, como se estivesse com medo. Eu, porém, sustentei meu olhar nela, tentando de alguma forma fazer com que ela percebesse meu desejo. 

E deu certo. 

– Jimin, o que você quer? 

– Nada... Só quero que minha melhor amiga fique aqui comigo. – respondi normalmente. 

– Você sabe que eu não posso. 

– Não, eu não sei. 

– Jimin... 

– Por favor, olha nos meus olhos e diz se você quer ou não ficar aqui. 

– Eu quero, mas não posso. Entenda isso, pelo amor de Deus! 

– Mas eu não entendo! 

– Por favor... 

(Seu nome) ia continuar sua frase, mas antes disso a calei com o meu dedo, o pressionando sobre seus lábios. Ela se espantou, mas não quis se afastar, nem tinha porquê fazer isso. 

– Se eu falar uma coisa, promete não ficar irritada? – perguntei manhoso. 

– Depende do que seja.

– Vou considerar isso como um "prometo". 

– Fale então. 

– Bom... Eu fiz uma coisa, e eu não sei se foi certo... 

– Você fez o quê? 

– Eu pedi para o PD-Nim deixar você... Morar aqui. 

– O QUÊ?! – (Seu nome) exclamou irritada. 

Ok, não era essa a reação que eu esperava dela. Eu sabia que a princípio ela ficaria contra a minha ideia, mas achei que depois iria entender. Mas ela está irritada, como se o que fiz fosse um dos piores pecados que já existiu. 

– Por que ficou irritada? – perguntei espantado. 

– Você ainda pergunta? Sinceramente, Jimin, agora você foi longe demais! 

– Por que? 

– De onde você tirou a ideia de vir morar com você? 

– Eu só não quero me separar mais de você! 

– Jimin, você já parou para pensar nos gastos que essa mudança vai trazer? Nas dificuldades de transporte nos dias de turnê? Eu vou dar muito trabalho! 

– Não vai não! 

– Vou sim! E eu ainda tenho a faculdade, como vou fazer para ir a faculdade nos dias de turnê? O gasto que terão com os materiais e transporte... 

– Para (Seu nome)! Eu já disse que isso não dará trabalho para nós! 

– Quem diz isso? Você, e quem mais? 

– Só eu... 

– Então Jimin! Vê se entende de uma vez que eu não posso ficar aqui com vocês! Me desculpa, mas eu não posso. 

– Mas... 

– Chega. Vamos falar de outra coisa. 

(Seu nome) suspirou, passou a mão pelos seus cabelos cacheados e voltou novamente seu olhar para mim. 

Ela é linda, não quero me afastar dela! 

– Agora eu fiquei curiosa... O PD-Nim concordou com isso? – (Seu nome) perguntou interessada. 

– O que você acha? – falei sem muito interesse. 

– Que não... Eu já sabia. 

Suspirei derrotado. Eu ainda estava certo da minha opinião, e achava que seria legal ter a (Seu nome) na mesma casa que eu todos os dias. Mas o obstáculo número 2 não foi vencido, na verdade, piorou a situação. Ela estava certa em ir embora, e eu estava derrotado na minha ideia. 

O que me restava agora era se despedir da minha melhor amiga e talvez nunca mais a ver. Ela iria para a faculdade, e estaria nos shows, não teria chances de vê-la novamente. 

Trocamos mais algumas palavras, até a Sarah chegar no quarto esbaforida e dizer que todos os meninos estavam na sala esperando para se despedir da minha amiga. Meu coração se entristeceu com essa notícia, mas claro, tentei não transparecer isso para (Seu nome).

As duas mulheres pegaram suas malas e foram em direção à sala, que estava cheia de homens com pijama e cara de sono, a mesma que continha no meu rosto. O PD-Nim não estava na sala, o que achei estranho, já que foi ele que deu a ideia do sorteio. 

Um por um foi se despedindo da (Seu nome) e da Sarah. Primeiro o Jin, depois o Suga, o Namjoom, o V e o Jungkook. Quando todo mundo se despediu, chegou a minha vez de se despedir. 

– É... Parece que você vai mesmo embora... – falei encarando o chão. 

– Jimin, não fica assim. – (Seu nome) tentou encontrar meus olhos. – Olhe para mim. 

Levantei o rosto, demonstrando minha tristeza. Era a primeira vez que eu ficava assim depois de tanto tempo achando que nunca mais veria ela. 

– Eu vou embora, mas tentarei manter contato. – (Seu nome) tentou me tranquilizar. 

– Você não terá tempo... 

– Eu arranjo um para o meu amigo.

– Eu não quero que... – fui incapaz de terminar a frase, pois me assustei quando a (Seu nome) agarrou meu pescoço e me abraçou. 

Não pude e nem queria falar nada, aproveitei o momento e apertei contra o meu corpo, num abraço amoroso e um pouco caloroso. (Seu nome), então, passou a mão nos meus cabelos, os acariciou gentilmente depois sussurrou no meu ouvido:

– Nunca estarei longe de você... 

Me arrepiei com aquilo e a soltei imediatamente. Sorri meio sem jeito, quando levei um grande susto. 

PD-Nim entrou na sala esbaforido, como se tivesse voltado de uma corrida intensa. (Seu nome) arqueou as sombrancelhas confusa, enquanto eu tentava me recompor do susto. 

– O que foi PD-Nim? – (Seu nome) perguntou estranhando a entrada repentina dele. 

– Vim falar... com vocês... dois... – PD-Nim respondeu sem fôlego.

– Sobre o quê? – perguntei ainda confuso, igual à minha amiga.

– Eu vejo... o sofrimento... dos dois...

– Como assim? – agora foi a vez dela perguntar. 

– Eu entendo... o que estão... sentindo... 

– Sério? – Hoseok perguntou se intrometendo na conversa. 

– Sério. Eu já tive uma melhor amiga, e ela foi embora três vezes. Nessas três vezes, eu nunca fiz nada para impedir que ela fosse embora. – PD-Nim falou recuperando o fôlego. 

– E o que aconteceu com ela? – Taehyung perguntou. 

– Ela morreu... E eu nem pude me despedir dela... 

O olhar do PD-Nim de repente se entristeceu. Na verdade, todo mundo que estava na sala se entristeceu junto com ele.

– Mas agora, eu posso fazer diferente, não comigo, mas com você, Jimin. – ele completou. 

– O quê? O que você está... 

– Você vive me pedindo coisas, que as vezes sou obrigado a recusar... – ele deu uma pausa. – E o que você me pediu hoje é uma delas... – mais uma pausa. – Mas eu não posso te ver triste, assim como não posso ver os outros meninos tristes também... – mais outra pausa, me deixando ansioso. – Então, eu pensei bem e... 

(Seu nome) que segurava a mala sem muita força, apertou com força as mãos, nervosa tanto quanto eu para saber o que o PD-Nim iria falar. 

– E... Eu deixo a (Seu nome) vim morar aqui conosco! Mas claro, se os outra meninos quiserem. – PD-Nim concluiu sorrindo e se virando para eles. 

– Nós não ligamos para isso. A (Seu nome) pode ficar aqui, estamos mesmo precisando de uma garota para alegrar ainda mais esse lugar, não é garotos? – Jin falou. 

– SIM! – todos responderam em uníssono alegres. 

Um sorriso enorme apareceu nos meus lábios ao ouvir essa notícia maravilhosa. Era como se eu estivesse escutando uma música recém-gravada. Eu nem podia acreditar que realmente consegui amolecer o coração do PD-Nim. 

Olhei para a (Seu nome), para ver sua reação. Ela estava boquiaberta, espantada com a notícia. Acho que nem percebeu quando soltou a mala que segurava no chão, de tanto espanto que levou. Parei de frente para ela, para tentar trazê- la de volta à realidade, mas antes mesmo de falar...

– NÃO! – (Seu nome) gritou mais assustada do que o normal. – Eu não posso! 

– O quê?! Como assim? Não acabou de ouvir? O PD-Nim deixou você ficar! – avisei à ela. 

– Eu ouvi, mas não posso acreditar. 

– Pois acredite! Agora podemos ficar juntos e...

– Eu não vou ficar! – minha reação à essa exclamação foi abrir a boca. 

– Por quê? Por acaso quer se ver longe de mim? – perguntei me fazendo de ofendido. 

– Não! 

– Eu não entendo! 

– Jimin, quantas vezes eu te falei que não posso ficar aqui com vocês?! Caramba, respeita o meu lado também! 

– E você respeitou meu lado quando foi embora? Pensou nos meus sentimentos? Na amizade que tínhamos? – estourei irritado pela teimosia da minha amiga.

– Jimin, eu não tive escolhas! 

– Sim, e mesmo assim eu respeitei a vontade dos seus pais, pois sabia que era necessário você ir embora. Mas agora... 

– O que tem o "agora"? – ela me encarou irritada. 

Olhei ao meu redor, e só assim pude perceber os olhares de tensão que eu recebia dos meninos, do PD-Nim e da Sarah. Todos pareciam estar mais nervosos do que eu. 

– Olha, eu sei que você tem sua vida, assim como eu tenho a minha. Também sei que algumas coisas na sua vida vão atrapalhar nossa convivência, mas... Eu sofri bastante quando você foi embora. Perdi minha melhor amiga, e passei o resto da minha infância achando que nunca mais fosse te reencontrar. Aí eu conheci os hyungs. Entrei para a Big Hit e comecei uma nova vida ao lado deles. Fiquei muito feliz em fazer novas amizades, e estou mais feliz ainda por ver que essa nossa amizade está durando tanto tempo, mas... Você acha que eu te esqueci? 

– Jimin... Eu... – a interrompi.

– Eu ainda não acabei. Durante todo esse tempo, sua imagem nunca saiu da minha mente, ver você saindo por aquela porta dizendo que ia embora... Ainda mexia comigo. E quando achei que nunca mais iria te ver, me aparece você, ganhadora de um sorteio que eu dei ideia. Eu fiquei tão feliz em te rever novamente, que me esqueci que o sorteio só durava três dias. Agora, você está indo embora de novo, mas eu não quero e não vou deixar. 

– Jimin, pelo amor de Deus... – (Seu nome) sussurrou. 

– (Seu nome), não é capricho meu. Eu quero que você entenda meu lado também, assim como entendo o seu. Quando você foi embora, prometi a mim mesmo que se um dia te reencontrasse, nunca mais deixaria você ir embora para longe de mim. Agora você está prestes a me deixar e eu... Estou tentando cumprir minha promessa. Pode parecer infantil mas... Sou eu. Não peço que mude definitivamente para nossa casa, pois também seria impossível, mas peço que fique por mais alguns dias. Será que pode me fazer esse favor? – encarei seus olhos castanhos. 

(Seu nome) suspirou e passou a mão nos seus cabelos cacheados. Quando ela faz isso, eu sei que está pensando seriamente em aceitar minha proposta, e meu corpo se alegra espontaneamente. 

– Jimin, eu também sofri bastante com nossa separação. Gostaria muito ficar aqui com você e os meninos, mas... Tem outros motivos que... – (Seu nome) lutava contra ela mesma para tentar falar o real motivo. 

– Quais outros motivos são esses? – perguntei interessado, e decidido em cumprir minha tarefa. 

– Bom, a Sarah, por exemplo. 

– Eu? Por que está me metendo nessa história? – Sarah perguntou assustada. 

– Porque você é o motivo principal. – (Seu nome) respondeu.– Se eu aceitar sua proposta, a Sarah fica como? Ela irá ficar aonde? 

– Não se preocupe comigo, amiga. Diferente de você, eu estou praticamente sendo obrigada a ir embora. Meus pais querem que eu fique com meu primo, mas você... Pode ficar aqui com seu amigo, eu não me importo! – Sarah explicou sorridente. 

– Mas Sarah... 

– Eu já disse. Aceita logo de uma vez, ou fica chorando pelos cantos. 

Voltei meus olhos para (Seu nome), que agora mordia os lábios, pensativa. Olhando para o chão, ela roía as unhas, batia o pé, balançava a cabeça. Olhando assim, vejo que se tornou uma mulher madura, que me atrai de um jeito impressionante. 

Passado alguns minutos, (Seu nome) voltou seus olhos para mim, percebeu meu nervosismo, e o de todos daquela sala, e deu um sorriso de canto. Meu corpo se alegrou novamente. Ela pensara sobre a proposta, e pelo sorriso posso dizer que a resposta é positiva.

– Olha, o que você me pede é um pouco difícil de aceitar, mas... – (Seu nome) mordeu os lábios pensativa. Só nessa ação dela, pude sentir um estremecimento. – Eu... aceito. Mas só por mais alguns dias. 

Sorri espontaneamente e a abracei com toda minha força. Seus músculos se contraíram ao meu toque, eu pude sentir, mas ela não deixou de me abraçar também fortemente. PD-Nim abriu um sorriso grande e suspirou se jogando no sofá. Os meninos começaram a pular e a festejar entre si mesmos. 

Nos separamos do abraço, e pude ver a alegria estampada no sorriso da (Seu nome). No fundo, ela queria ficar comigo, só não aceitou de primeira por causa da Sarah. Mas agora, que tudo estava resolvido, ela pensara melhor e aceitara minha proposta. 

– Bom, está todo mundo muito feliz, mas eu preciso ir para casa. – Sarah nos lembrou cortando o clima alegre que se instalara. 

(Seu nome) se despediu da amiga, levou-a até sua casa, depois voltou para nossa casa, feliz e radiante. Guardou suas malas e disse que queria conversar um pouco conosco, mas antes disso, eu tinha mais uma coisa para pedir ao PD-Nim. 

– Ahn... PD-Nim? Eu posso pedir outra coisa? – perguntei com medo dele recusar. 

– Outra? Já não está bom para um dia só não?! – exclamou. 

– É coisa pequena, talvez você nem se importe. 

– Ok, peça. 

– Eu posso me mudar para o quarto vazio? – tinha um quarto na nossa casa que estava vazio. O Jungkook, em um jogo ficou com aquele quarto, mas ele não dorme lá, então achei que pudesse pegá-lo para mim, para executar os meus planos. 

– Mas aquele quarto não é do Maknae? 

– Olha, eu não vou emprestar meu quarto para ninguém! – Jungkook avisou.

– Por favor! Eu preciso muito daquele quarto! – implorei com cara de cachorro abandonado. 

– Você disse que também precisava da (Seu nome). – Taehyung me lembrou. 

– Eu sei, mas isso tem haver com a (Seu nome). – respondi. 

– Com a (Seu nome)? – PD-Nim perguntou atônito ao que estava acontecendo. 

Lancei um olhar significativo para o Taehyung e os outros meninos, que logo entenderam o recado. PD-Nim, ainda estranhando tudo, só olhava para nós com cara de palhaço. Aproveitei que a (Seu apelido) não estava conosco e botei uma parte do meu plano em ação.

– Sim, com a (Seu nome). – respondi corando. – Eu preciso muito desse quarto. 

– Então, se for assim, eu dou meu quarto para o Jimin. Afinal, eu nem durmiu lá mesmo. – Jungkook falou me lançando um olhar significativo. 

– Bom, se o Kook aprova essa ação, então eu também aprovo. – PD-Nim concluiu e saiu da sala. 

Ótimo, agora era só pôr o resto do meu plano em prática. Mas primeiro, arrumaria aquele quarto. Ele estava muito sujo.


Pov's (Seu nome)

Depois de todo o ocorrido, de muita luta contra as vontades do Jimin, eu acabei caindo na dele. Era sempre assim, eu teimava, ele também, e no final de tudo quem ganhava era o Jimin, sempre ele. Mas na verdade, eu gostei de tudo isso ter acontecido. Adorei ouvir as palavras que o Jimin falou, dizendo que nunca me esqueceu, e que sempre existiu um lugar para mim dentro do seu coração. Não tinha como não se emocionar escutando isso do seu melhor amigo. 

A princípio, como sabem, eu realmente não queria ficar mais algum tempo aqui. Para mim, seria vergonhoso demais estar no mesmo lugar onde o suposto cara que eu estou gostando mora. Olhar para aqueles olhos, aquele sorriso, todos os dias, seria... nem sei o que seria. Mas como sempre, eu fui sucumbida pelos desejos do meu amigo. 

Eu estava preocupada com a Sarah e em como ela iria reagir ao convite do Jimin, mas depois que vi que ela não dava muita importância, resolvi ficar. Será muito bom passar mais um tempo com meu amigo, já que faz bastante tempo que não nos víamos. Será bom para eu tentar esquecer isso que sinto dentro de mim e descobrir que é só mais uma pura amizade.

Bom, depois de ter levado minha amiga até a casa do seu primo, voltei para minha nova casa – por enquanto – e avisei aos meninos que guardaria minhas malas no meu quarto, mas depois voltaria para conversar com eles. Fui para o meu quarto e os deixei na sala sozinhos. Não sei o que conversaram na minha ausência, mas quando voltei eles me olhavam esquisitos, e pareciam querer sorrir de algo. 

Jimin me avisou que mudaria de quarto, o que achei estranho. Sempre achei que o Jimin gostasse de dividir o quarto com o Hoseok e o Jungkook, já que quando éramos pequenos, ele vivia falando que não via a hora de ir para faculdade, para poder dividir o quarto com outras pessoas. E agora, quando ele me falou isso, achei estranho, mas não protestei. Era a vontade dele, não posso interferir. 

Passamos o dia todo nos divertindo, jogando vários jogos de tabuleiros, apostando coisas super esquisitas. E como sempre, o Jimin perdeu em quase todas, e como eu sou muito malvada, disse que quem perdesse o jogo teria uma punição. O Jimin perdeu e teve sua punição – que eu não posso contar porquê é um pouco constrangedor. O último jogo que jogamos foi Uno. Quem perdesse, a punição seria limpar o quarto novo do Jimin, que estava bastante sujo. Achei que o Jimin ou o Suga fosse perder, mas quem perdeu foi eu. Ou seja, eu que tive que limpar o quarto. 

Mas o Jimin disse que não deixaria eu fazer tudo sozinha, e me ajudaria. Os meninos não viram problema nisso, afinal, não era eles que iriam limpar aquele quarto. Decidimos cumprir nossa punição à noite, depois do jantar. E como prometido, depois do jantar, os outros meninos foram para seus quartos, enquanto o Jimin e eu íamos para o novo quarto. 

Agora, era de noite, e nós estávamos trabalhando duro limpando aquele quarto. Tínhamos acabado de varrer e tirar o pó da maioria dos móveis, só faltava o armário. Eu decidi que iria limpar o armário, enquanto o Jimin pegaria suas coisas e traria para o seu novo quarto. 

Estava lá eu, quieta, fazendo meu trabalho, quando Jimin chegou com a última caixa que continha algumas coisas suas. 

– (Seu nome), ajuda aqui! – Jimin pediu apressado. Pela sua expressão facial, acho que a caixa estava pesada demais para ele carregar. 

– Estou indo. 

Fui de encontro a ele e peguei nas bordas da caixa, o ajudando a levá-la até à sua cama, que agora se encontrava forrada e bem arrumada. 

– Estou cansado... – Jimin se jogou na cama bagunçando-a um pouco. 

– Jimin, vai desarrumar a cama. – reclamei.

– Arrumo de novo. 

– Hum...

– Você não quer parar para descansar? – sugeriu. 

– Não. Eu só quero acabar logo com isso e dormir. 

– Quer que eu te ajude? 

– Não precisa... 

– Mas eu vou te ajudar mesmo assim. 

Sorri internamente enquanto entregava outro pano limpo para o Jimin. Ver que ele realmente queria me ajudar me deixa boba. 

Começamos a limpar novamente o armário. Depois de um tempo, nós estávamos quase acabando, só faltava a parte de cima do armário. Jimin disse que não precisava limpar ali, mas eu bati o pé e disse que limparia. Quando eu quero fazer algo, eu faço por completo. 

Para alcançar a parte de cima do armário, peguei uma cadeira que tinha ali por perto e subi em cima dela. O único problema era que estava meio bamba, ou seja, a cadeira poderia quebrar ou cair e levar meu corpo contra ao chão. Mas mesmo assim, eu subi, e me apressei o máximo que pude para poder sair de cima daquela cadeira. Mas a força que eu fazia não colaborou muito, e uma das pernas da cadeira quebrou, fazendo um "crack" indesejado. Meus pés saíram de cima da cadeira e, para não ver a queda, fechei os olhos. 

Estava pronta para cair no chão, quando senti braços fortes agarrarem minha cintura, impedindo que meu se chocasse com o chão. Para me certificar de que não cairia no chão, circundei meus braços no pescoço do Jimin, me prendendo mais ainda. 

– Pode abrir os olhos... – Jimin sussurrou. 

Abri meus olhos e dei de cara com outros olhos, fundos e que me encaravam estranhamente. Jimin me colocou no chão, mas não soltou minha cintura, ao contrário, apertou ainda mais. Nossos corpos estavam pertos demais, pertos o suficiente para eu sentir sua respiração meio ofegante bater com a minha. Nossos corações estavam acelerados, pareciam querer sair de nossos corpos. 

Meus olhos não conseguiam olhar para outra coisa a não ser o ser maravilhoso que estava à minha frente, me encarando como um caçador faz com sua presa. Sem perceber, meu olhar desceu em direção aos lábios carnudos do Jimin, que estavam entreabertos e secos, como se precisassem de algo. De repente, senti como se quisesse, precisasse daqueles lábios, e mordi os meus contendo o desejo. 

Jimin, que encarava meus lábios também, ao ver a mordida, se remexeu um pouco e disse com uma voz rouca: 

– Há muito estou tentando me controlar... 

– Jimin... – sussurrei. 

– Me desculpa por isso. 

Entendi o que ele disse só quando seus lábios se tocaram nos meus, iniciando um selinho carinhoso. A princípio, eu tentei parar aquele selinho, antes que se transformasse em um beijo, mas não pude de desejar aquilo. Jimin pediu passagem com a língua e eu dei, sem perceber o que estava fazendo. 

Iniciamos um beijo lento, mas cheio de desejo. Jimin parecia carinhoso, e com sua mão direita, segurava meu queixo delicadamente, com sua mão esquerda, ele apertava minha cintura, ansioso. Suas mãos estavam frias e pareciam tremer. Nossas línguas dançavam dentro de nossas bocas em completa harmonia, que aos poucos foi desaparecendo, dando lugar a um beijo cheio de ardor. 

O que eu estava fazendo? 

O que aconteceu?


Notas Finais


Eita, será que vai ter um hot próximo capítulo? Será que finalmente eles vão se pegar?
Não posso prometer nada! Kkk!

Espero que tenham gostado!
Me desculpa pelos erros de digitação.

Beijos e... AMO VOCÊS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...