História My Dark Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Dark, Dio, História, Julie, Love, Obscuro
Exibições 19
Palavras 3.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


♥ Boa Leitura ♥

Capítulo 8 - Encontro Amoroso


Fanfic / Fanfiction My Dark Love - Capítulo 8 - Encontro Amoroso

*Julie: On*

Julie: -Há! _ Gemi puxando o lençol que estava acima da minha cabeça e me contorci. -Dio, está doendo! Coloca devagar!
Dio: -Estou colocando devagar, fique calma querida. _ Eu gemi de novo sentindo aquela coisa grande me tocando.
Eu: -Hum… D-Dio, está ardendo! Isso é muito grande!
Dio: -Eu sei, mais tem que aguentar.
Julie: -Há!! _ Mordi meus lábios. -Dio, vai devagar, vai me machucar!
Ethan: -Julie, para com essa porr@ de palhaçada, é só merthiolate sua fresca!
Eu: -Mais a quantidade está grande! Isso arde! _ Gemi de novo agarrando meu travesseiro.
Dio: -O antigo merthiolate é o melhor, vai sarar logo. _ Ele enfaixou meus pés com esparadrapos  depois beijou cada sola dos meus pés. Podia sentir aquela boca quente, mesmo sobre o pano, tocando minha pele. Suspirei olhando para ele.
Ethan: -Imagine quando for perder o cabaço ? Vai ficar gritando que nem uma cabra histérica.
Julie: -E-Eth! _ Ele riu. Olhei para Dio que fazia uma careta.
Dio: -Fique de cama por um tempo. Nada de caminhar se não for para o banheiro.
Eu: -Virou médico agora ? _ Cruzei os braços para reforçar minha ironia.
Dio: -Digamos que sim, conheço sobre o assunto.
Ethan: -Dio e suas surpresas! Já que você está recheado me responde uma coisa. É bissexual ? _ Os olhos cor cereja brilham para Dio.
Dio: -Não...
Ethan: -Ain nossa, mais tem tendência. Mesmo assim, eu adoro dá pra um machinho.
Julie: -Ethan! _ Meus ciúmes eram óbvios. -Dio é meu! _ Agarrei as coxas dele, só não entendi quando ele gemeu baixinho.
Dio: -V-vai com calma Julie.
Ethan: -Afu! Vocês são melosos demais! Vou vomitar ali e já volto. _ Ele sai do quarto, ficamos eu e Dio no quarto de novo, ainda estava grudada nele.
Dio: -Julie, m-melhor se levantar. – Eu olho para e aprumo meu corpo e vou de encontro ao seus olhos marejados de desejo.
Eu: -Desculpa, foi ataque de ciúmes. _ Fiz uma careta para ele, Dio devolveu com aquele sorriso que tanto amo.
Dio: -Quero levar-la para jantar, amanhã num restaurante. _ Eu corei de leve.
Eu: -Restaurante ? _ Ele acenou com a cabeça. -Mais amanhã que horas ?
Dio: -Que tal ás 18 horas ?
Eu: -Tudo bem. Me passa o endereço do restaurante ? Vou pegar o táxi enquanto… _ Ele nega com a cabeça enquanto sorrir para mim.
Dio: -Não vai precisar de táxi, nem endereço. Eu mesma venho buscar-la de limousine. _ Ele me beijar e de imediato eu o correspondo. -Por favor, não use aquela maquiagem, detesto ver-la se maqueando e se parecendo o que não é. Quero você sem maquiagem, de preferência.
Eu: -Tudo bem então. _ Eu sorrio para ele ajeitando a sua jaqueta, aproximei de sua orelha mordendo levemente e sussurrei. -Pode ser que no final da noite possa rolar alguma coisa.
Ele se enterrou no meu pescoço e apertou meu traseiro com força.
Dio: -Que interessante. _ Um gemido escapa dos meus lábios quando ele começou massagear meu traseiro.
Eu: -D-Dio… _ Jogo minha cabeça para trás, ele me deita na cama e sobe por cima de mim. Direcionou-se até a marca vermelha e chupou com força, apertei seus ombros e gemi entre eles, grandes desejos tomavam conta de mim e que me levavam ao tesão.
Ethan: -Put@ que o pariu! Parem com essa porr@! _ Senti Ethan empurrando Dio de lado que o mesmo cai na minha cama. -Cês estão com um fogo no c* que Meu Deus!
Dio: -Eu tropecei nela… _Olhei para Dio que piscou pra mim.
Ethan: -Fod@-se! Vaza logo que tá tarde, amanhã você vai dá pra ele até cansar!
Eu: -Ei! Olha a boca Ethan!
Ethan: -Cala a boca garota! Sai, oh gostosão da cocada branca! _ Enquanto ele arrastava Dio para fora do quarto, eu mandei um beijo assoprado, ele apanhou no ar e beijou a própra mão, quando a porta fechou eu ri muito e me joguei na cama.

*Julie: Off*

*Autora: On*

*Dia seguinte*

Dio estava no seu quarto em frente ao enorme espelho ajeitando seu paletó preto com excessão da blusa e a gravata que eram branca. Estava ansioso para ver Julie naquela noite. Olhou da varanda de seu quarto o sol se pondo e a noite chegando, checou seu relógio de pulso: eram 17 horas. No mesmo instante, Mordecai apareceu.
Mordecai: -Senhor, sua limousine está esperando-o.
Dio: -Tudo bem, estarei descendo. _ Ao passar pela porta, Dio entregou um papel com um número anotado nele para Mordecai. -Ligue para este número, procure por uma mulher chamada Julie ou Ethan e diga a ela ou ele que estou me dirigindo a casa dela para buscar-la. _ Mordecai concordou e Dio foi para a limousine para encontrar com sua com sua garota.

 ***

Julie estava sentada na penteadeira ainda com sua toalha de banho. Estava nervosa para o seu primeiro encontro com um homem. Qual restaurante seria ? Será que é muito caro ? Será que a comida é boa ? Aonde ele a levaria depois do restaurante ? Perguntas e mais perguntas surgiam deixando a ruiva inquieta.
Ethan: -Ju, um mordomo com nome de Mordecai ligou dizendo que Dio está se direcionando para cá! Se apresse logo!
Julie: -Tudo bem, estou quase pronta. _ Ela andou em passos curtos até sua vestimenta.
Um vestido longo da cor preta, tinha um corte vertical na barra da saia dando visão as suas belas pernas, as mangas eram longas e caidas deixando seus ombros e suas costas amostra e ia de encontro com um belo decote, mostrando parte de seus seios. Era presente que sua madrinha tinha lhe dado no quando fez 17 anos mais nunca tinha usado ele, seria a primeira vez. Colocou o vestido com um salto alto preto e olhou-se no espelho do banheiro. Pela primeira vez estava diferente, ninguém mais via como a garotinha feia da rua, ela  agora estava impecável e lindíssimaEspantou-se com tamanha beleza que ela tinha e a transformação radical que teve, sorriu com isso e corou ao imaginar a reação de Dio quando tentar ver-la com este vestido. Será que o coração dele iria suportar ? E riu com aquilo.
Passou um batom nude e pegou sua bolsa preta e foi para sala onde Ethan estava sentado comendo pipoca.
Ethan: -Caralh*!! Amiga tá lindaaa!!! _ Berrou aplaudindo a sua irmã. Julie corou. -Simplesmente esta muito perfeita.
Julie: -Ai que isso, nem sou tudo isso.
Ethan: -Tá zuando comigo, né ? Menina ele vai ficar na tua mão! Quando chegar na casa dele ele vai te comer até ver estrelas!
Julie: -Ethan! 
Depois de meia-hora, Dio finalmente chega no seu primeiro destino. O motorista abre a janela que o separava de Dio.
Dio: -Vou buscar minha namorada. _ O motorista concorda, sai do carro e vai até a porta de Dio, abrindo para este saisse do carro, ele foi em direção a mansão da sua garota parano em frente a porta, ajeitou seu paletó e tocou a campainha a espera de alguém atender.
Julie: -Ai meu Deus! Estou nervosa!
Ethan: -Porr@ Julie, cala a boca! Para de palhaçada! _ Ethan abre a porta, recebendo Dio com um sorriso e o convida para entrar. -Nossa! Tá deliciosamente elegante sr. Dio! _ Este morde as lábios fixando no traseiro de Dio.
Dio: -Onde está Julie ? _ Ele ajeitou seu paletó e cruzou suas mãos.
Ethan: -Vou buscar a princesa, ela está de palhaçada. _ Saiu da sala e foi a cozinha.
Julie: -Ele está na sala ? Ei Ethan! Háá!! _ Mal deixou sua amiga falar, apenas a puxou pelo pulso até o corredor, a soltou e virou-se para ela. -Não precisava ser tão bruto, eu sei me locomover! 
Ethan: -Ele tá te esperando sua mimadinha! E só porque estou de bom humor hoje eu vou fazer uma entrada pra você, se me deixar no vácuo eu te mato! _ Julie faz careta e Ethan vai para onde Dio está. -Hunf! Sr. Dio, é com muita alegria que vou lhe apresentar a srta. Julie! 
Mesmo morrendo de muita vergonha, Julie foi até eles com pequenos passos tímidos. 
Dio soltou suas mãos e a observou entrar, olhou a sua nova namorada de cima a baixo. Nunca tinha visto ela daquele jeito. Nem mesmo ela nunca se viu assim, vestia daquele modo; não era mais aquela nerd que ele via na escola com roupas largas e fora de moda, ela estava bela de linda. Subiu seus olhos estudando cada parte daquele vestido nela que modelava seu corpo. Um simples vestido preto com renda mas que fizera uma diferença nela. Sentiu seu membro pulsar forte, tanto que fazia sua calça ficarem mais apertada do que estava. Para disfarçar a dolorosa ereção, colocou uma das mãos no bolso para afagar a calça. Encontrou os olhos everdeados de Julie e sorriu para ela, aproximou-se, segurou-lhe a mão e beijou, como um cavaleiro.
Dio: -Está imcrivelmente linda. _ Rodeou a ruiva, aproveitando para olhar-la por trás enquanto seu tesão por aquela jovem só aumentava.
Julie: -Obrigada. _ Sorriu encontrando os olhos azuis daquele homem, ele estava tão lindo, tão irresistível e tão elegante, muito mais belo que o normal. Corou bem de leve quando os olhos dele foi de encontro com os dela, ele sorria com tanto carinho mais os olhos brilhavam de desejo por aquela mulher.
Dio: -Vamos ?! _ Ele estendeu o braço para ela que o enlaçou e juntos foram para a limousine. O motorista abriu a porta para Julie que o cumprimentou e sorriu, este retribuiu com outro sorriso para a moça. Logo Dio entrou atrás e sentou-se ao lado dela.
Julie: -Nossa… _ Dio rir para ela, o motorista entrou na limousine e fechou a janela separando novamente ele de Dio. -Que restaurante nós iremos ?
Dio: -Quer mesmo saber ?
Julie: -Bom, se achar conveniente contar… 
Dio: -Claro, você de alguma maneirs vai descobrir. Vamos ao restaurante Gordon Ramsay. 
Julie: -G-Gordon Ramsay ?! Ai meu Deus! Esse restaurante é super caro! _ Dio rir com o rosto surpreso de Julie. -Por favor, me diga que iremos apenas passar por ele.
Dio: -Não, vamos jantar nele. E poderá pedir o que quiser. 
Julie: -Então, pelo menos eu posso ajudar a pagar ? Nem que seja só a gorjeta do garçom.  _ Dio olha de lado para Julie, aquele olhar intimidador fez os ombros da ruiva cairem assim como seus olhos ao chão. Dio segurou as mãos da sua dama e as beijou.
Dio: -Não vou permitir que você tire um centavo desta bolsa. Eu pagarei tudo e qualquer coisa e não tenha vergonha disso. Tudo bem ? _ Segurou o rosto da sua garota e o levantou para ver, o olhar triste esverdeado era como uma faca transpassando seu coração. -Não fique assim, por favor. Quero ver seu lindo sorriso esta noite, só ele.
Julie: -Oks. _ Sorriu para ele que franziu as sombrancelhas. Ele estava tão sexy para ela.
Dio: -Bem melhor. _ A beijou com carinho. -Só que eu ainda não me jogo em cima de você porque não quero ver seu vestido sujo ou amassado, só mais tarde.
Julie: -Como assim ? O que quer dizer ?
Dio: -Paciência, saberá depois. _ Um sorriso malicioso brota em seu sorriso o que faz Julie corar.

*Autora: Off*

*Julie: On*

*Restaurante Gordon Ramsay*

Tinha se passado apenas uma hora depois que saimos. A limousine estacionou na porta do restaurante, o motorista saiu e foi até a porta do lado de Dio, abriu a porta e se afastou para que Dio saísse. Ele saiu ajeitando seu paletó preto, logo virou-se e estendeu a mão para mim. Sorri agradecida e segurei sua mão para sair.
Eu: -Obrigada. _ Sorri para ele. -Obrigada por nos trazer sr. Motorista. _ Este apenas acentiu com a cabeça dando um simpático sorriso. Dio estendeu o braço para mim e eu enlacei com meu outro braço.
Somos recebido pelos porteiros do restaurante que abrem a porta de vidro para nós. Cumprimentamos eles e nos direcionamos a recepção. Um homem de paletó azul estava com uma prancheta no seu mini balcão branco com vários detalhes prateados nele e as siglas do restaurante.
Recepcionista: -Boa noite sr. Dio e companhia _ Ele deu um largo sorriso para nós, eu devolvi com um sorriso meigo mais Dio nem ao menos se esforçou para sorrir.
Dio: -Boa noite. Fiz uma reserva de mesa a dois. _ O recepcionista olhou a prancheta.
Recepcionista: -Sim, aqui está. Mesa para dois junto com a srta. Edward. Por favor me sigam. _ Ele nos levou a uma mesa média redonda, com uma linda decoração de mámore nela, cores preto e branco, as cadeiras pareciam poltronas de tão grandes e aparentemente macias, eram de puro veludo, os talheres guardados numa mine caixinha de vidro com dois copos de vidro vazios, para completar uma luminária de vidro em forma de flor, a luz mudava de cor a cada 10 segundo lentamente. -O garçom irá servir-los como bem merecem. _ Este retornou ao seu ponto inicial.
Sentei ao lado de Dio na mesa observando as decorações. Eram tão lindas e muito bem organizada. Estou pasma com tudo isso.
Eu: -É muito mais belo vendo esse restaurante de perto. Deve está lhe custando uma fortuna, não é ?
Dio: -Não se preocupe com o valores, eu quero que saia daqui satisfeita. _ Acenei com a cabeça. Logo veio o garçom até nossa mesa  trazendo consigo dois cardápios e uma jarra média de água, ele revirou os copos vazios da mesa e os encheu com água.
Garçom: -Boa noite sr. Martin e srta Edward. Aqui estão os vossos cardápios, voltarei em 10 minutos para anotar o s vossos pedidos.
Dio: -Tudo bem, mais antes, eu queria ter uma breve palavra. _ O garçom acentiu com a cabeça. -Querida, voltarei logo logo, fique a vontade para escolher o que quer, não importa a quantidade.
Eu: -Certo então. _ Ele saiu e eu fiquei olhando o cardápio. Oh meu Deus! Era tudo tão caro! Acho que até um frutos do mar sairia bem mais barato do que tudo isso. 
Cada refeição era um preço de uma apartamento. Mordi meus lábios tentando procurar uma refeição que não fosse tão cara assim.
Finalmente achei algumas de minha refeição que não custasse os olhos da cara: salada de camarão, frango empanado com batatas e hamburguer gigante, algumas comidas italianas, entre outras... Mais eu odeio camarão, a única vez que eu comi comida italiana foi quando eu descobrir que a tão adorado bifinho dos deuses era carne de lesma(eca), frango empanado e batata frita até aceitaria se não viesse o hamburguer gigantão! E agora, o que fazer ? O que eu vou comer ?
Dio voltou a mesa, ajeitou seu paletó preto e sentou-se ao meu lado.
Dio: -Já escolheu ?
Eu: -Na verdade o que você escolher será a minha opção.
Dio: -Então vai ser complicado. _ Ele rir e olha pra mim.
Eu: -Ué! Por que ? _ Ele deu uma breve olhada em mim, aproximou suas mãos em minha nuca e sussurrou no meu ouvido.
Dio: -Você… _ Oh droga! Estou toda arrepiada, vermelha e molhada.
Eu: -Eh… _ Mordi meu lábio inferior e passei minha mão por cima da sua e entrelacei meus dedos com os dele.
Dio: -Quero sua boca agora! _ Ele me trouxe para mais perto e me beijou. Aquele delicioso gosto de menta fresca em contato com a minha boca era uma das melhores sensações. Há! Como eu queria pular em cima daquele homem e tacar um dane-se para todos em minha volta. -Vou deixar você para mais tarde. _ Ele desliza o cardápio na minha frente e aponta para um prato bastante curioso. -Vou comer este aqui, lhe interessa ?
Julie: -Parece gostoso, o que é ?
Dio: -Se chama molho Curry, gosto desde prato. Mais ele é bem pimentado. 
Julie: -Ai, é tão difícil escolher! _ Ele olha mais um pouco o cardápio e me aponta para uma outra refeição.
Dio: -Tem tortas. Você pode escolher qual vai querer. _ Mordi meus lábios em protesto. Eu sou apaixonada por tortas, de todos os recheios. Mas, por que ele tem que me apontar justamente para uma refeição mais cara do cardápio ?
Julie: -Qual é a torta mais barata ?
Dio: -Não se preocupe com o preço, apenas escolha querida. _ Ele beija minha bochecha, estou vermelha de corada, mais não porque ele me beijou, eu estava envergonhada.
Olhei atentamente para as todas tortas, analisei cada uma delas com cuidado.
Julie: -Torta de frango com molho de catupiri. Parece gostoso! 
Dio: -Quer que eu escolha as bebidas ? _ Acenei a cabeça positivamente e sorri.

***

Passamos algumas horas no restaurante, comemos até ficarmos satisfeitos. Quando a conta chegou a nossa mesa eu tentei pegar o papel para ver mais Dio não permitiu que eu visse, tinha a total certeza que aquele jantar saiu muito caro. Dio pagou a conta na recepção e fomos para a limousine. Os mesmos porteiros simpáticos abriram a porta para nós, eu sempre sorria agradecida porém Dio continuava sério. O motorista saiu do carro e abri a porta, entrei e em seguida entrou Dio.
Dio: -Espero que tenha gostado da refeição.
Julie: -Amei, não só porque me levou a um restaurante caríssimo, mais você estava comigo. E com certeza, se me levasse para jantar no bar mais baratos eu estaria feliz. _ Ele franze as sombrancelhas.
Dio: -Nunca vou te levar ao bar. Odeio bares. _ Ele se aproximou de mim e me beijou. -Você merece o melhor.
Julie: -Obrigada Dio.
Dio: -E pensando nisso, eu queria fazer uma surpresa para você. _ Ele retira de dentro de seu bolso uma caixinha branca com uma decoração muito linda e meu nome. -Abra. _ Apanhei a caixa e abri com cuidado: era um conjunto de pulseira, gargantilha e brincos de puro ouro e tinha alguns cristais ao redor dele, dentre elas destacava-se a esmeralda, a jóias central de ambos os acessórios.
Julie: -Ai meu Deus!! Isso deve ter lhe custa muito caro! _Olhei para ele que ria.
Dio: -Vire-se, deixe-me ajudar-la a colocar o colar em seu pescoço. _ Eu virei de costa e ele estendeu a gargantilha até o meu pescoço e o prendeu ali. Era tão belo. -Eu amo muito ests colar. Por favor, use-o sempre que for possível.
Julie: -Claro, sempre que possível eu irei usar-lo. _ Passei a mão no acessório que usava. -Amei, amei e amei! _ Ele estendeu o braço para mim, eu me joguei neles para me aquecer. Senti seu rosto afundar em meus cabelos enquanto ele me acariciava, fechei meus olhos lentamente e acabei cochilando.

***

Ouço passos de sapatos numa escada, eu ainda estava de olhos fechados e ainda me recusava a abrir-los, o tamanho sono não me permitia abrir meus olhos e o corpo quente de Dio me mantia mais sonolenta. De repente ele me afasta de seu corpo e me deita em algo macio e acolchoado, acho que era uma cama. Meus sapatos de salto alto são retirados de meus pés, mais eu não liguei porque eu ainda estava querendo manter meus olhos fechado. Senti uma mão quente por cima do meu pescoço e desceu a minha marca, um beijo quente foi depositado ali com carinho. Eu me contorci na cama e mormurei ficando na minha posição fetal. Meus cabelos são afastados de meu pescoço e logo sinto Dio me abraçar por trás e enterrar seu rosto no meu pescoço e sussurrar um "Eu te amo". Abri meu olhos, ainda pesados de cansados e o beijei.
Julie: -Boa noite. _ Ele também estava dormindo, provavelmente mais morto de cansado do que eu. Também deitei minha cabeça naquele travesseiro macio e fiquei olhando para a parede até pegar no sono novamente.


Notas Finais


O que vocês acham que vai acontecer na manhã seguinte ? Comentem aqui :P
Este é o vestido que Julie usava (incluindo a gargantilha e o brinco): https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSuxNHgFj7q4xFFje1JGcJwO5izKSgU5zo8Kt5HCBiH9EA6oOvZxOLaJhck0w

♥ Kissus da Sama ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...