História My Dear Brother - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Incesto, Irmã, Irmão, Irmãos, Justin Bieber, Oneshot, Proibido, Sexo
Exibições 1.508
Palavras 1.034
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


* A fanfic está sendo respostada, minha antiga conta (tommoloves) foi banida. Então vou recomeçar tudo novamente, o que me deixa frustrada.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction My Dear Brother - Capítulo 1 - Capítulo Único.

MY DEAR BROTHER — MEU QUERIDO IRMÃO

Prendi minha respiração quando o senti levantar as cobertas e deslizar para debaixo delas. Meu coração estava batendo acelerado, eu lentamente inspiro quando sento seu corpo contra o meu. Eu estava congelada, fingindo ainda está dormindo. Fingindo não sentir a mão dele em meu quadril quando ele roçou sua ereção em minha bunda. Apertei meus olhos enquanto sua mão escorregava para minha calcinha, agarrando a minha pele nua firmemente balançando minha bunda em sua direção enquanto empurrava-se para frente. Ele me puxou pelos quadris suavemente, tentando não me acordar, mesmo que eu esteja acordada desde primeiro segundo que o ouvir abrir a porta. Enquanto puxava meu quadril para trás, forçando a minha bunda em seu pau, o sentir puxar minha calcinha para baixo. As pontas dos seus dedos esfregaram minha buceta, separando meus lábios com os dedos encontrando minha entrada, afundando a ponta do seu dedo dentro de mim. Pressionando-o mais forte, mais fundo, até que seu dedo estivesse todo dentro de mim. Está não foi à primeira vez que eu tinha o sentido aqui no em meu quarto, no escuro, deixando-o acariciar minha intimidade sem protestar. Eu sempre tive muito medo de “acordar”. Suponho que tudo isso seja minha culpa, porque eu por diversas vezes o deixei deslizar suas mãos ásperas por cada polegada de meu corpo. Senti o nariz dele na parte de trás da minha cabeça, inalando o cheiro do meu shampoo quando ele começou a me penetrar um pouco mais forte com seu dedo. A parte mais difícil era não poder demonstrar qualquer sinal de que estava apreciando seu dedo penetrando minha buceta. Eu sabia que era errado. Mas eu não posso negar que me eu me sentia no céu, não posso negar que deitei na cama todas as noites esperando por ele, para entrar em meu quarto e violar-me com seus dedos. Quando senti seus dedos deixarem minha intimidade molhada, e senti o pressionamento familiar de seu pau contra minha bunda. Eu não tinha certeza do que ele estava fazendo, porque ele nunca teve contato direto, ele sempre deixava seu pau em mim através da minha calcinha. Foi quando eu senti. Senti-o arrastando a cabeça de seu pau ao longo da minha fenda molhada. Empurrando a cabeça de seu pau entre os lábios da minha buceta, deslizando para cima e para baixo sobre meu clitóris á minha entrada. De para trás e de trás para frente, ele fodeu as minhas dobras e segurou meus quadris enquanto seu pau molhado por minha excitação deslizava por entre minhas coxas. Sua mão escorregou entre os nossos corpos e senti mais a pressão de seu pau enquanto ele esfregou-o conta minha buceta mais forte, usando a pressão de sua mão. Eu o senti parar na entrada de minha intimidade. Então meus olhos se abriram arregalados quando o sentir pressionar a cabeça de seu pau contra minha entrada. A ponta do mesmo provocando o seu caminho para dentro de mim. Porra. Fechei os olhos novamente de forma rápida, prendi a respiração mais uma vez e agarrei meu travesseiro no escuro, quando eu o senti começar a me penetrar. Eu gemia enquanto ele me penetrava inteiramente, e senti a mão dele cobrir imediatamente sobre minha boca.

— Shhhhhii — disse ele pressionando fortemente sua mão sobre minha boca. Eu gemi e agarrei seu antebraço. Apertando sua mão em minha boca, ele levou sua boca ao meu ouvido e sussurrou — Não faça barulho. — ele disse suavemente. Ele deslizou para dentro de mim lentamente, saiu um pouco para fora e em seguida empurrou-se para frente novamente, estremeço em seus braços quando o senti me abrir lentamente. Sua mão saiu da minha boca e escorregou para dentro da minha camisa, agarrando meu seio, apertando-o. Virei minha cabeça afundando-a no meu travesseiro, permitindo-me gemer livremente. — Você é tão gostosa, minha pequena. — ele gemeu quando puxou meu mamilo e beijou ao meu pescoço. Eu gemi alto e me engasguei quando senti ele me penetrar mais forte. — Shhhhi. — ele respondeu ao meu gemido. — Nós não queremos acordar ninguém. — ele saiu de dentro de mim e acendeu a luz ao lado da minha cama. — Mmmmm. — ele gemeu quando colocou os olhos sobre meu corpo nu pela primeira vez iluminado pela luz.  Ele agarrou meus quadris, me colocando de quatro e se ajoelhando atrás de mim, agarrando meu traseiro com suas duas mãos. Ele se inclinou e beijou a minha bunda, mordendo-a suavemente e, em seguida me penetrou. Me fodendo por trás lentamente. Em seguida mais rápido. Logo eu estava gemendo de forma incontrolável e ele deslizou a mãos por minhas costas, forçando minha cabeça para baixo, empurro meu rosto no travesseiro. — Fique quieta. — ele gemeu quando começou a me foder mais forte. Seus quadris batendo conta mim, impulsionando meu corpo para frente. Eu não conseguia parar de gemer, não podia ficar quieta. Eu me sentia bem. Estava amando cada segundo dele tomando aquilo que sempre quis. Ele me virou e entrou em mim novamente, colocando minhas pernas sobre seus ombros. Levantou minha bunda com as mãos e começou a penetrar-me de forma que imagino que nenhuma virgem é fodida pela primeira vez. Gritei e sua mão disparou sobre minha boca. Ele implorou para que eu fosse mais silenciosa. Era impossível, quando ele se recusou a desistir de me foder implacavelmente. Minhas mãos cavaram em seus braços e meu queixo caiu, deixando um longo grito escapar da minha boca enquanto ele me fodia sem piedade. Minutos depois, ele estava se derramando dentro de mim, deixando sua porra encher minha intimidade. Ele gemeu quando engoli em seco respirando, enquanto empurrava-me em sua direção, tentando fazê-lo continuar-me fodendo. Ele gruiu quando caiu em cima de mim e eu senti seus quadris empurrando contra mim, enquanto derrama o restante de seu gozo dentro de minha boceta.  Na manha seguinte, todos nós sentamos á mesa de café da manhã, eu ainda podia sentir seu gozo escorrer de minha buceta em minha calcinha, sob a saia do uniforme. Enquanto caminha em direção a porta de entrada, com a mochila em meu ombro, pude ouvi-lo gritar: — Tenha um bom dia na escola, te vejo essa noite. — eu sabia exatamente o que meu irmão queria dizer.


Notas Finais


* Gostaram?

Minha outra fanfic c/ incesto: https://spiritfanfics.com/historia/scarlett-6723477


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...