História My Dear Daddy - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, G-Dragon, Got7, IKON, Jay Park
Personagens B.I, BamBam, Bobby, Chanwoo, Donghyuk, G-Dragon, Jackson, Jay Park, JB, Jinhwan, Jinyoung, Junhoe, Mark, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang, Youngjae, Yugyeom, Yunhyeong
Tags Bigbang, Got7, Ikon, Jay Park, Universo A/b/o, Universo Alternativo
Visualizações 232
Palavras 1.359
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, não me matem, eu estava muito ansiosa para postar esse capítulo. Boa leitura a todos.

Capítulo 26 - Punição


Fanfic / Fanfiction My Dear Daddy - Capítulo 26 - Punição

Mansão Park.
Coréia Do Sul - Seul.
18/05 /2016.
17:24.

Após o jogo acabar, todos foram embora e parecia está tudo bem, só que Kwon, sabia que não estava.

Ele andava lentamente pro fundo da casa, aonde estava a piscina e só escutava os passos se aproximando.

– você sabe que só foi um jogo.

Falava calmamente, mas estava com medo, não sabia o que poderia acontecer e o Alfa, parecia calma demais.

– você gostou?

– o que?

Ele não conseguia entender a pergunta, na sua cabeça aquilo não tinha lógica.

– responda, você gostou do beijo do Hanbin?!

Agora ele estava em sua frente e o menor conseguia ver a fúria nos seus olhos.

– não.

– vá para o quarto, tire a roupa e me espere lá.

Ele apenas caminhou até dentro da casa (mansão, como realmente deveria ser chamada) e foi para o quarto e fez o que havia lhe mandado.

– deita, fique de bruços e abra as pernas.

E assim ele fez, pela primeira vez sentiu vergonha de ficar tão exposto, mas fechou os olhos e tentou relaxar.

– o que você....

– calado! Você não tem direito nenhum de falar agora!

O Alfa corta a fala do Ômega e desfere um tapa em sua nádega, deixando o lugar com a marca de sua mão e vermelho.

– é uma pena eu gostar tanto de você, se não poderia fazer um pouco pior do que tenho em mente, você é sortudo Kwon.

Falava enquanto espalhava lubrificante de framboesa na entrada do mesmo, que gemeu em resposta. Ele não preparou bem o pequeno e já colocou o vibrador dentro de si, ajustando na velocidade três, já que só tinha cinco.

– você é uma vadia, minha vadia, apenas minha, ninguém tem nenhum direito ou posse sobre você, além de mim.

O jeito possessivo que ele falava, fazia o corpo de Jiyong, tremer, soar e saírem gemidos dos seus lábios. As poucos a velocidade foi aumentando, até finalmente estar no máximo e a única que se escutava era os gritos que ecoavam naquele quarto, se não fosse pelo que havia acontecido mais cedo, o Alfa já tinha atendido o pedido do seu Ômega.

– levanta e não tire o vibrador, fique em pé aqui, perto da cama.

O garoto não estava conseguindo ficar deitado, imagine em pé com aquele pênis de borracha dentro de si vibrando e lhe dando prazer.

– Daddy... Eu preciso de você, por favor...

Fala de forma manhosa se arrastado ajoelhado pela cama, até a beirada da mesma e soltando alguns gemidos baixos, o pior de tudo, era que ele sabia que não estava na velocidade máxima e que poderia piorar.

Após ficar aonde lhe foi mandado, seus cabelos foi brutalmente puxados, aproximando seu rosto do Alfa, que sorria mostrando seus dentes caninos afiados, mas ele gostava, não se importava em sentir dor, sabia que logo mais sentiria prazer.

O beijo era calmo, poderia parecer estranho, mas não, assim ele está mostrando que consegue proporciona coisas que o outro não conseguia, mas lá no fundo, ele sabia que a culpa não era de Hanbin.

– você foi um baby mal, o que você merece?

– que meu Daddy, me puna.

O sorriso nos lábios do de cabelos laranja, era infantil.
As laterais do seu quadril, eram seguradas pelo Park, que abusava do seu pescoço, mordidas eram deixadas dês do ombro até o pescoço, alguns filetes de sangue eram deixados no local, pois seus dentes estavam afiados.

Ele estava quente, quase sem forças em suas pernas, apenas queria ter um orgasmo, apenas isso.

– Daddy, me ajuda...

Olhava esperançoso para o mais alto, que sorria perverso e negava com a cabeça.

– há mas já? Mal começamos a brincar.

Ao terminar de falar, tirou o controle do vibrador de sua calça, o colocando na velocidade máxima, observando a expressão do seu pequeno.

– seu...

Sua boca se encontrava aberta e seus olhos arregalados, um gemido mais alto, parecido com um grito, saiu dos seus lábios, fazendo seu corpo cair por cima do de Jay. Finalmente, havia atingido seu tão esperado orgasmo e se encontrava cansado, mas ele queria brincar um pouco e resolveu entrar na brincadeira.

Entrelaçou suas pernas na cintura do mais alto e arrastou sua língua preguiçomente pelo pescoço, no final chupando o local e sorrindo, ao escutar um gemido baixo, perto do seu ouvido.

– você gosta? Quando eu rebolo gostoso no seu colo? Quando deixo sua pele vermelha? Cheia de marcas? Em você gosta?

Perguntava sussurrando e simulando uma penetração com seu quadril, fazendo as ereções se chocarem de forma violenta e gemidos saírem dos lábios de ambos.

– sabe o que você é Park? Um ninfomaníaco, que ama foder a minha bunda e sabe que aquela réplica minha que você achou lá, nunca vai te satisfazer como eu faço, que vai aperta seu pau, enquanto goza de forma, que faça você repetir, você simplesmente está viciado em foder Kwon Jiyong, o seu babyboy.

As palavras entravam pelos ouvidos do Alfa, que não queria, mas tinha que admitir, que tudo que ele falava era verdade, nunca se cansaria de fazer aquilo todos os dias.

– você gosta quando eu me composto como uma vadia, quando eu ando usando saias curtas, mostrando a polpa da minha bunda, por que, apenas não admite que gosta de aperta cada parte do meu corpo? Que sentiu vontade de matar, Hanbin, ao ver meus lábios colados nos dele?

Suas palavras eram diretas e o atingiam de forma bruta, assim como suas costas, se chocando na parede, causando ardência.

– cala a porra da boca e faça o que, seu Daddy gosta.

Acariciava o cabelo laranja, sorrindo e logo depois, roncando com rapidez sua calça, deixando sua boxe azul escuta a mostra, deixando o volume destacado.

– vem...

Dizia o puxando até a frente do espelho e ele entendeu, se sentando no chão de frente pro espelho e logo depois, o ruivo se sentando em seu colo e apoiando sua cabeça em seu ombro.

– me ajude Park.

Disse de forma calma e logo sua entrada foi invadida, pelo membro do Alfa, que deslizava com facilidade, por causa do lubrificante natural.

– PORRA!

Ele não havia esperando e já foi sentado, fazendo sua entrada engolir o falo do maior, por inteiro. Os movimentos circulares no colo dele, começaram de vagar e logo começou a rebolar mais rápido.

A imagem da bunda dele refletindo no espelho, fazia o Alfa, delirar e aperta mais suas coxas e investir mais fundo e rosnar.

Odiava admitir, que suas melhores fadas foi com aquele maldito Ômega, que está destruindo seu psicológico de uma forma, que ninguém nunca conseguiu fazer, queria mandar pra casa do caralho e voltar a viver como antes, mas se fizesse isso, iria na casa do caralho, buscar Jiyong.

– ahhh Daddy...

Sua voz estava tão manhosa e baixa, que só conseguia imaginar foder aquela boca, até que ela enchasse.

– você é um filho da puta.

O Ômega o xingava, antes de atingir seu segundo orgasmos e seu corpo cair mais uma vez, por cima do Alfa, totalmente mole e cansado.

– minha vadia, já está cansada?

Concordou com a cabeça e seu corpo foi levantado, o levando até a cama de forma cuidadosa e o deitando, deixando suas pernas abertas.

– pena que, eu não acabei.

E o penetrou mais uma vez, segurando com uma mão na cabeceira da cama e a outra do lado de sua cabeça, colocando toda a sua força mas estocadas, surrando a próstata do pequeno, que gemia de forma alta.

Quer saber, ele não se importava mais com aquele beijo, Hanbin, nunca veria a expressão de prazer de GD, do resto levemente corado, boca um pouco aberta, como arqueava as costas ao sua próstata ser acertada com força, como apertava a cintura dele com suas pernas, como suas mãos seguravam o lençol, há ele nunca veria aquilo.

E foi pensando nisso que, se desfez dentro do Ômega, soltando um gemido baixo e vendo a expressão serena dele ao pegar no sono.

– você é meu, lembre disso Kwon Jiyong.


Notas Finais


Gostaram? Espero que sim.
Caso se notem, algo escrito como "capítulo 26 MDD" não liguem, pois eu escrevo pelas notas do celular e são muitas fanfics, até umas que eu ainda não postei, já que eu só quero postar quando tiver pelo menos 20 capítulos.

Se gostaram, favoritem e comentem, me ajuda a saber se estão gostando. Até a próxima jujubas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...