História My dear iris flower - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance, Shoujo(romantico)
Visualizações 5
Palavras 1.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


essa historia é uma fanfic que tenho pensando a anos, e nunca pude escrever ela porque eu não tinha nenhum meio de escreve-lá, mais descobri o Spirit fanfics e hoje escrevo fanfics que nem uma louca.

contarei um pouco sobre a historia, essa historia ou fanfic do jeito que vocês preferirem. será baseada em sentimentos e em acontecimentos... (Jurá?).

e essa " Minha querida flor de iris", será baseada baseada bastante em flores e a imagem da fanfic não tem nada haver, mais ta tranquilo, logo eu mudo ela.

nesse primeiro capitulo não tem muito sobre o sentimentos dos dois, porque eles acabaram de se conhecer... eu quis colocar mais sobre o dia da Iris...

não colocarei apresentação deles porque acho ridículo isso...

boa leitura e espero que gostem, desculpe qualquer erro. No próximo haverá mais coisas sobre os dois....E

Dean: Deu né deixa as pessoas lerem o capitulo.

Eu: Eu não te chamei na conversa.

Dean: Nossa...

Capítulo 1 - Capitulo 1


Fanfic / Fanfiction My dear iris flower - Capítulo 1 - Capitulo 1

My dear iris flower

 

Quando entrar setembro

E a boa nova andar nos campos

Quero ver brotar o perdão

Onde a gente plantou

Juntos outra vez

 

Já sonhamos juntos

Semeando as canções no vento

Quero ver crescer nossa voz

No que falta sonhar

 

Capitulo 1

 

Pétalas rosadas de Sakura se mesclavam com o vento–elas voavam com o vento formando ondas– era primavera. Uma garota olhava as folhas de Sakura voarem pela sua sacada e também olhava sua flor favorita–Flor de Iris–, admirava o jeito que aquelas pétalas rosadas voavam e o jeito que a flor se mexia parecia que estava a dançar, não era a toa que seu avô havia plantado duas árvores de sakuras em frente à janela de seu quarto. Arvores de Sakura eram raras no país dela. O Mais velho sempre dizia que essas árvores eram lindas na primavera e que as flores de Iris eram parecidas com a menina, o Avô da garota amava plantas e arvores.

Hoje a garota tinha 16 anos e ainda lembrava-se das palavras de seu avô.

“Até agora busquei ensinamentos para controlar emoções, confesso que não encontrei, mas cheguei à conclusão que em matéria de sentimentos ninguém é forte o bastante para controlá-los”.

A mesma nunca soube o que seu avô dizia, eram frases confusas que hoje fazem sentido para ela.

—Iris! Venha Almoçar!

—Sim mãe!

A garota desceu as escadas correndo. Logo que ela terminou de almoçar ela iria subir para o quarto dela, mais a mãe da garota a chamou.

—íris amanha é seu primeiro dia de aula... Arrume seus materiais e se prepare— a mãe da garota lavava um dos pratos sujos.

—Sim mãe!

Iris arrumou o que ela tinha que arrumar e se jogou na cama macia amarotando os lençóis, dormindo em seguida. A garota acordou com os gritos de seu irmão.

Abriu-o os grandes olhos e olhou ao redor vendo que seu irmão estava parado na porta. O Ruivo ia gritar mais uma vez, mais viu que ela já estava acordada então parou com o show que ele estava fazendo no quarto da garota e Iris olhava para os olhos esverdeados de seu irmão e ele olhava para os olhos escuros dela, que relatavam um “Sai daqui”.

— o que você faz aqui Joaquim?— Iris perguntou a seu irmão o vendo suspirar.

— vim te acordar para não perder esse dia maravilhoso, Roxinha— zombou da garota.

— que horas são— íris perguntou se sentando na cama.

— 17:00 horas da tarde— falou se retirando do quarto.

 Rapidamente a garota pulou de sua cama e correu para a sala de estar, onde estava seu pai sentado lendo um jornal. Correu para a porta mais seu pai a impediu.

— aonde você pensa que vai com essa roupa?— perguntou ele ainda olhando para seu jornal.

O pai da menina era um Homem de bem com a vida, trabalha em uma empresa rica que qualquer um queria trabalhar, ele quase não parava em casa, mais quando parava era um milagre.

O homem havia cabelo preto– em um penteado formal–, o homem era jovem aparentava ter 22 anos, mais já tinha 35 anos. Andava sempre com roupas formais que destacavam os músculos grandes, nunca iria largar o amor que ele tinha de ler sempre seu jornal quando voltava de seu trabalho, para ficar atualizado das noticias que o mesmo perdeu durante que estava em seu trabalho.

— Pai... — a garota olhou para as roupas que usava e viu que estava com um pijama rosado de panda.

— se você estiver indo trabalhar na cafeteria de seu Tio, por favor, vá apresentável querida— o Mais velho a olhou e sorriu e a mesma retribui-o sorrindo da mesma forma do que seu pai e se retirou da sala, voltando para o quarto.

Entrou no quarto abrindo as portas do guarda-roupa, pegando um vestido lilás que combinava com a cor do cabelo dela. Colocou o vestido lilás – o vestido caia bem nas curvas da menina a deixando bonita que nem uma pétala de Iris –, amarou os cabelos lilás em um coque totalmente desleixado e colocou-o uma sapatilha. Deixou o quarto pegando a bolça e o uniforme que estavam na cômoda da cama.

 Foi até a sala e o pai de íris deixou de lado o jornal só para admirar a filha.

—Muito melhor agora— o Mais velho falou sorrindo para a garota.

—Obrigada— agradeceu beijando a testa de seu pai e se retirou de casa esperando seu pai falar a palavra de sempre.

— Se cuide!— o mais velho gritou e a mesma assentiu já fora de casa.

Caminhou pelas ruas movimentadas vendo varias arvores lindas se chacoalharem pelo vento, o vento era frio, mais a garota não se importava. Chegou à cafeteria e já se deparou com as belas Rosa-chá (rosa damascena) na entra da cafeteria, essas eram suas amigas que chamavam os fregueses por causa das belezas delas. Bastante senhoras iam naquela cafeteria por causa das Rosa-Chá.

Iris entrou na cafeteria e logo foi recebida por Peter seu amigo de trabalho.

— Boa tarde Iris, sempre atrasada— brincou Peter.

— dormi mais que a cama, como sempre— Falou íris rindo e logo o tio de íris apareceu de traz das portas da cozinha.

— finalmente! Por favor, íris se vista e vá fazer seu trabalho— ordenou o Tio da menina. O Tio era diferente do pai da menina, mesmo os dois sendo irmãos havia muita diferença entre eles.

Iris correu para o banheiro e vestiu o uniforme indo atender uma senhora que estava sentada de frente a grande parede de vidro, as rosas era a paisagem juntamente com a rua movimentada.

— Sofia como vai à senhora?— Iris perguntou olhando para a mais velha que olhava para as flores atentamente.

— Bem e você minha jovem Iris?— a senhora sorria gentilmente.

— estou Bem e o que a senhora vai querer?

— bolo de amêndoa de milho e um café— Iris anotou rapidamente no papel o pedido e entregou para o Peter que estava a olhar lá fora.

 

 

*・☪•̩͙ •˖✶

 

— E ai, Dean o que você acha?

— Eu não acho nada John— Dean se encostou novamente na parede de gesso esfarrapada.

— o John esta certa Dean, você tem que começar a parar dessa moleza que esta dando a ele e partir para a guerra — o garoto asiático do bando olhava para Dean esperando uma resposta dele sobre o assunto.

— Mok... Pensarei sobre o assunto— Dean diz atravessando a rua e os amigos dele vão de atrás.

— que tal tomarmos ou comermos algo?— Um gordinho do grupo pergunta sorrindo.

— Só pensa em comida né Gabriel?— John brinca entrando na primeira cafeteria que ele viu e logo se deparou com uma moça de cabelos lilás que fez o mesmo ficar paralisado.

— moço você precisa de ajuda?— a menina pergunta ajeitando sua saia do uniforme que estava um pouco alevantada.

— Na... ca...— Dean empurra ele e entrou na cafeteria dando de cara com a moça. Olhou para a menina e rapidamente desviou o olhar, poderíamos dizer que ele estava envergonhado.

— Viemos tomar um café e comer algo... — Gabriel se pronunciou sorrindo para a moça.

— Claro, sentem-se— a lilás os levou até uma mesa de Cinco lugares. Todos pediram o que iriam querer e logo a moça se retirou.

— Nossa que gata!— o único que tinha cabelos cacheados no grupinho falou.

— fique quieto Thomas— Dean falou encarando a moça que conversava com um rapaz que estava todo atirado para ela, isso era na visão dele.

— vai me dizer que você não a achou bonita... Dean?— perguntou Mok enrolado na sua própria língua.

— Claro que ele a achou bonita, ele não para de encará-la— Respondeu Gabriel no lugar do Dean.

— ela esta vindo com os pedidos— alertou John se ajeitando no assento.

— aqui estão os seus pedidos— a lilás entregou os copos de café juntamente com alguns bolos.

— Qual é o seu nome?— Mok perguntou sorrindo, ele queria ajudar Dean ele sabia que o amigo dele estava interessado na garota.

—... Iris— a Menina respondeu sorrindo gentilmente.

 

Já choramos muito

Muitos se perderam no caminho

Mesmo assim não custa inventar

Uma nova canção

Que venha nos trazer

Sol de primavera

Abre as janelas do meu peito

A lição sabemos de cor

Só nos resta aprender

 

Já choramos muito

Muitos se perderam no caminho

Mesmo assim não custa inventar

Uma nova canção

Que venha nos trazer

Sol de primavera

Abre as janelas do meu peito

A lição sabemos de cor

Só nos resta aprender

 

 

 

Continuo?

 

 

 


Notas Finais


comentem e favoritem...

espero que tenham gostado do capitulo...

comentem se esta bom, porque isso me ajuda bastante a continuar....

(Nome da musica: Sol de Primavera - Beto Guedes).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...