História Dear, Stranger. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Aventura, Jungkook, Romance, Suspense, Taegguk, Taehyung, Taekook, Yaoi
Exibições 35
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Mistério, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores, tudo bem com vocês? Bom, esta é a minha primeira fanfic e faço aquele simples pedido de que peguem leve comigo pois vou me esforçar para dar um bom conteúdo para vocês lerem mas é claro que nem tudo ou todos são perfeitos, então, aceito sim críticas construtivas!

Tenho alguns avisos agora sobre esta fanfic;

• Kim Taehyung e Jeon Jungkook terão a mesma idade (15 anos) ! Só muda o fato de que JK será mais velho em meses.
• Eu criei essa fanfic em base da ideia que o livro do escritor Harlan Coben lançou em poucos dias ou semanas atrás, tendo ele o título de ''Não Fale Com Estranhos.'' Eu indico bastante esse escritor, é um dos meus favoritos.

- \\ -

• A fanfic será dividida por ''capítulos'' Então, quando o capítulo ''Do Not Talk Withe Strangers'' acabar, estarei colocando outro título no capítulo e as suas partes, assim como farei aqui.
• Eu irei dar o meu máximo para tentar atualizá-la duas vezes ou uma vez na semana, talvez uma em um dia da semana e outra atualização ao final de semana.

Chega de enrolação, vou liberá-los para a sua leitura da qual espero ser agradável e me perdoem desde já se houver algum ou qualquer tipo de erros!

Capítulo 1 - Do Not Talk With Strangers: First Part.


Fanfic / Fanfiction Dear, Stranger. - Capítulo 1 - Do Not Talk With Strangers: First Part.

Point of View; Kim Taehyung.

Sabe aquela famosa frase em que nossas mães teimam em nos dizer mesmo sabendo que não seguiríamos ao seus conselhos? Por exemplo; Não fale com estranhos. Todas as crianças tiram até mesmo sarro dessas simples palavras que fazem uma grande diferença, mas para falar a verdade nua e crua, falamos com estranhos para poder criarmos amizades ou para nos achar em lugares no qual estávamos perdidos, perguntar o nome de uma pessoa não a faz menos estranha, ela continua não fazendo parte de sua vida e mal sabendo o seu nome, continuando a ser um estranho. Porém, não damos muita a atenção para isso, temos que nos socializar ou seremos considerados doentes pela sociedade e possivelmente o nosso último destino seria consultas diárias em algum psicólogo imprestável. 

Eu pareço estar no meio de uma revolta psicológica, o que é verdade, eu realmente estava ao meio de uma e não me permitiria sair tão cedo dela para encarar os meus novos colegas de classe. Sim, essa já seria a quinta escola na qual estava me matriculando em uma questão de dois anos, eu odiava ter que me mudar tanto de escola mas os meus pais insistiam em fazer isso, ambos trabalhavam com a mídia e teriam de se mudar sempre que o trabalho os solicitavam. Meu pai era um escritor famoso na Coréia do Sul e até mesmo em Portugal, Kim Young-Ha, e a minha mãe era uma atriz famosa na Coréia do Sul, Kim Jin Kyeong. Ambos eram duas grandes inspirações para mim, eu amava ler e principalmente atuar, na minha antiga escola em Daegu, era o líder no clube de teatro que a escola tinha orgulho em manter. Eu não sabia como faria amigos em Busan, meu novo lar, talvez, procuraria algum clube para me inscrever ou talvez conversar com a pessoa que sentaria á minha frente, não me orgulhei de ser um dos primeiros alunos a chegar em sala de aula logo ao meu segundo dia, eu atraía muitos olhares por conta dos meus pais e não sabia se me orgulhava disso ou temia para com isso. 

Passei uma de minhas mãos aos meus fios castanhos, enquanto suspirava com a espera impiedosa que mais me pareciam ser séculos se arrastando, já poderia ouvir a entrada e os cochichos de alguns alunos que iriam adentrando a minha nova classe. Em poucos minutos a professora de química já enchia a lousa com um conteúdo novo e todos os alunos se esforçavam para tentar ao menos acompanhar a mais velha, o lugar a minha frente continuava vago pela segunda vez, o garoto que ali sentará havia faltado no dia anterior e provavelmente faltaria nesse dia também.

''Com licença, senhora Park.'' Uma voz doce ecoou pela sala silenciosa, atraindo olhares de todos os alunos inclusive o meu. Era um garoto, ele tinha cabelos negros assim como os seus olhos curiosos, rosto leitoso e bochechas adoráveis da qual qualquer um adoraria apertá-las, ainda mais com uma certa ruborização que existia. ''Me perdoe pelo atraso, estava acompanhando a minha mãe e acabei falhando com o meu compromisso como aluno.'' Adicionou em seu pedido, sua voz não estava trêmula como outrora mas sim autoritária, talvez, era de costume do garoto ser um tanto peculiar a ponto de desafiar nossa professora desta forma. 

''Muito bem, Senhor Jeon... Se apresse e sente-se em seu lugar, estamos iniciando uma série de exercícios novos.'' Avisou a mais velha com um sorriso orgulhoso nos lábios, talvez fora a mesma em que alertou ao tal Jeon para ser assim, não arrogante ou insuportável mas sim, corajoso.

Pude presenciar alguns cochichos e olhares que seguiam o garoto pela sala, ele veio em minha direção e se acomodou na carteira vazia á minha frente, isso fez com que o meu coração acelerasse a contra gosto, talvez, porque eu havia prometido a mim mesmo que conversaria com o garoto que se sentasse ali, e no fundo; eu desejava que o mesmo faltasse apenas para não cumprir com a minha palavra. Ele não me era estranho, bom, não completamente, talvez eu teria o visto algumas vezes em Daegu ou Seul em alguns eventos do quais participava com a minha mãe, mas isso era de certa forma impossível. 

A aula passava lentamente e a professora já estava a um bom tempo acomodada em sua cadeira estofada, apenas esperando com que os seus alunos terminassem logo as devidas tarefas das quais ela havia enchido em lousa, todas continham um grau elevado de dificuldade mas para mim não era algo tão difícil de serem resolvidas. O garoto em minha frente batucava o lápis em sua carteira e passava as mãos pelos cabelos negros, talvez, estivesse com dificuldades mas eu era inseguro o bastante para perguntar isso a ele e muito menos para tentar explicar a matéria a ele. Ouvi o mesmo bufar e isso foi como um despertador para os meus devaneios, logo levei o olhar para o meu caderno e retornei a resolver o restante de minhas atividades, até que; sinto um olhar me queimar e eu não estava completamente errado, levei meus olhos castanhos para poder ter a visão de quem me encarava e acabei por ter de encarar um par de olhos negros, ele me fitava com intensidade que poderia jurar que o mesmo observava a minha alma sem muitos esforços.

''V-você deseja alguma coisa?'' Pigarreei em um gaguejo que me fez ruborizar logo em seguida, o garoto por sua vez, da uma bela risada fraca e logo se endireita tendo o corpo completamente virado em sua cadeira para mim. Droga, o que falaria para ele ou com ele?

Ele estala a língua no céu da boca e forma um sorriso solidário no canto de seus lábios, eu estava perdido mas ele parecia se divertir a cada ato que cometia. Suas mãos pousaram em minha carteira e seu olhar veio de encontro aos meus novamente, ele me parecia uma pessoa confiante e um completo oposto da uma personalidade insegura.

''Você é o novo aluno, não é mesmo? Kim Taehyung se não me falha a memória.'' Ele finalmente se anunciou, uma voz serena toma conta de minha audição e eu estava tão perdido em suas orbes negras que nem pude me questionar de como ele saberia do meu nome ou coisas do tipo, seria um tanto óbvio demais ou grosseiro da minha parte.

''Sim, sou eu mesmo... E qual seria o seu nome?'' Reúno toda coragem que estava em meu ser para fazê-lo esta pergunta sem gaguejar o que já me era um grande avanço, ele sempre com um sorriso considerável doce em seus lábios parece ponderar entre responder a minha pergunta ou me questionar sobre alguma outra coisa, talvez, mais inteligente ou profunda. 

''Huum, eu me chamo Jeon JungKook.''

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...