História My Dear Teacher - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Amor Proibido
Visualizações 550
Palavras 1.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii amores *-* Tudo bem com vocês? Espero que sim <3
Espero que gostem do capítulo, pois o escrevi com muito amor para vocês.
Leiam as notas finais, por favor.
Desejo uma boa leitura a todos (a).

Capítulo 23 - Conversation.


Fanfic / Fanfiction My Dear Teacher - Capítulo 23 - Conversation.

 

POV. Jennifer Parker – Estados Unidos. – Manhattan.

Após ter deixado o apartamento do professor Justin, eu pego um táxi para casa.

Coloco a minha mochila em meu colo e encosto a minha cabeça no banco e fico viajando em meus pensamentos.

Como eu queria poder mostrar para o mundo tudo isso que eu vivo com o professor Justin. Falta apenas nove meses para acabarmos as aulas e no próximo ano já estarei em uma universidade. Vou estar longe do ensino médio, longe de tudo que me impedi de viver o meu amor com o professor. Vou estar com os meus 18 anos e nada vai nos impedirmos de ficarmos juntos.

E eu não vou desistir daquilo que foi difícil de conquistar.

– Moça chegou. – sou tirada de meus pensamentos pelo taxista.

Pago o mesmo e desço colocando a minha mochila nas costas e caminho até os portões passando pelos mesmos.

Olho as horas e são apenas 16h15min da tarde.

Abro a porta e fecho a maçaneta atrás de mim, assim que levanto minha cabeça dou de cara com os meus pais na sala. Meu pai está sentado em sua poltrona lendo um jornal enquanto bebe o líquido que se encontra em sua xícara. Olho para o sofá e vejo a minha mãe folheando uma revista.

– Boa tarde, Jenny. – meu pai tira a atenção de seu jornal e me fita calculando cada passo meu.

– Boa tarde. – forço um sorriso tentando esconder o máximo a minha surpresa por eles estarem em casa tão cedo.

– Chegaram cedo.                                        

– Você chegou tarde. – para. – Você estava a onde?

– Andando por ai. – caminho na direção deles. – Às vezes é bom sair, sair abre as idéias.

– Linda essa aliança, não é mesmo? – levanta e caminha em minha direção e segura na minha mão esquerda e passa os dedos sobre a minha aliança em meu dedo anelar.

– Também achei quando a comprei em uma joalheria do shopping.

– Só uma coisa Jenny. – chega mais próximo de mim. – Seja mais esperta do que eu mocinha.

– O que você quer dizer com isso? – pergunto.

– Nada, apenas seja mais esperta.

– Está preocupado Michael Parker? – deixo a minha mochila descer de meus ombros e coloco-a sobre o sofá. – Desde quando você se preocupa? Porque como sempre você coloca o trabalho em primeiro lugar, e a única coisa que você espera de mim e do Nathan é que estudemos.

– Jennifer, eu e a sua mãe nós viemos de baixo, tudo o que temos hoje foi conquistado com o nosso trabalho árduo, com o nosso suor, e tudo isso foi pensando no seu bem estar e no do Nathan, pois não queríamos que vocês passassem pelo que passamos antes de chegarmos até aqui.

– Se hoje você estuda nos melhores colégios, tem tudo o que quer é por causa do meu trabalho e o trabalho de sua mãe. Você devia ser grata a isso.

– Do que adiantam ter todas essas coisas sem amor? Sem atenção? Sem carinho? – elevo o meu tom de voz e sinto meu rosto virar com o tapa que acabo de levar.

Levo minha mão até o local acariciando. Olho para o meu pai incrédula sem acreditar no que acaba de acontecer.

– ABAIXA ESSE SEU TOM DE VOZ COMIGO. – grita. – PORQUE A AUTORIDADE DESTA CASA AINDA CONTINUA SENDO EU.

– A verdade dói, não é?

– Você está de castigo. – diz. – Um mês sem cartão de crédito, agora é do colégio para casa e de casa para o colégio.

– De castigo por falar a verdade. – múrmuro. – Em que século nós vivemos?

– Não, você está de castigo justo por ser uma adolescente rebelde e mimada.

Para não contrariá-lo pego a minha mochila e caminho em direção das escadas. Ao chegar a meu quarto jogo a mochila sobre o sofá do quarto e caminho até o meu banheiro.

Tiro a minha roupa e a jogo no cesto de roupa suja, faço um coque abacaxi em meu cabelo e entro no Box ligando o chuveiro.

Depois de 10 minutos, termino o meu banho e saio enrolada na toalha tendo visão de minha mãe sentada em minha cama.

– Senta aqui. – bate sobre a cama. – Nós precisamos conversar.

Caminho em direção de minha mãe e me sento ao seu lado ainda mantendo contato visual.

– Jennifer desculpa se nós erramos na sua educação e na do Nathan. – fita suas próprias mãos. – Desculpa se colocamos o trabalho em primeiro lugar, se demos mais atenção ao trabalho do que com um tarde com vocês.

– Mãe, eu é quem devo pedir desculpas. – a abraço. – Aquelas palavras saíram de forma impulsiva, eu não pensei na repercussão delas, mas o fato é que eu cresci na companhia da Lucia, e quando eu sentia medo do escuro, quando sentia medo de dias de tempestades, eu corria para o quarto de vocês e vocês não estavam lá, estava em viagens de negócios, eu sentia falta disso, aliás, ainda sinto.

– Eu prometo que as coisas irão mudar. – acaricia os meus cabelos delicadamente. – Só não diga que nós não nos importamos com vocês, pois nos importamos sim, tanto que trabalhamos a vida inteira para dar uma boa vida para vocês, como o seu pai disse, nós não queríamos que vocês passassem pelo que nós passamos minha querida.

– Mas me diga a verdade. – para. – Tem alguém que está fazendo esse coraçãozinho bater mais forte? – arqueia uma sobrancelha.

– Não mãe.

– Eu sou sua mãe, vou estar aqui quando você precisar, quando quiser se abrir comigo é só me procurar, eu sou a pessoa que vai te dar os melhores conselhos.

– Eu sei mãe, obrigada!

– Agora vai trocar de roupa. – vejo a minha mãe levanta-se e caminha em direção da porta.

Caminho até meu closet e procuro um short de cintura alta e uma camiseta branca com enormes letras vibrantes. Me visto e me jogo em minha cama. Pego o meu iPhone e começo a passear com o meu dedo sobre a lista telefônica, disco o número da Lola e no terceiro toque ele atende.

– E ai Jenny, o que manda?

– Estou de castigo Lola. – olho para a enorme janela do meu quarto.

– Justin Bieber. – ouço a sussurrar. – Mas, qual o motivo que te levou a ficar de castigo?

– Cheguei a casa tarde e meus pais já estavam. Eu discutir com o meu pai. Acabei me descontrolando, elevei o tom de voz e agora estou de castigo como se fosse uma criança.

– Jenny eu acho melhor você não desafiar o seu pai, pois as coisas podem piorar. – suspira do outro lado da linha. – Já pensou na possibilidade dele te mudar de colégio, cidade ou até mesmo país?

– Não Lola, ele não faria isso. – digo pensativa e deito em minha cama.

Eu acho que o meu pai não chegaria a esse ponto de tomar uma decisão tão drástica, ou chegaria?

Essa é a pergunta que não quer calar.

Balanço a minha cabeça afastando esses pensamentos.

– Vamos para uma boate hoje? – pergunto mudando a nossa conversa de rumo.

– Você não está de castigo?

Castigo nunca me impediu de fazer as coisas que eu tenho vontade. – dou de ombros mesmo sabendo que ela não está me vendo. – Esqueceu que somos as rebeldes de Manhattan que sai a noite para curtir nas boates mais badaladas de New York?


Notas Finais


Jennifer não discuta com seus pais, as coisas podem complicar : ( O que será que vai acontecer nos próximos capítulos em diante?
Ainda temos muitas coisas para viver nessa fanfic. *-*
Obrigada por todos favoritos e pelos comentários do capítulo anterior, eu amei todos os comentários *-*
Vocês poderiam ler minha nova fanfic? Vou ficar muito feliz de ter vocês como leitoras lá também.
Link: Insano Amor –
https://spiritfanfics.com/historia/insano-amor-6843701
https://spiritfanfics.com/historia/insano-amor-6843701
Obrigada por ler <3
Continuoooooo?
Beijinhos da Miih. Eu amo vocês amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...