História My Demonic Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 16
Palavras 1.384
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem do cap^^
bjinhos e boa leitura <3

Capítulo 3 - Quando isso vai acabar?


Quando a aula acabou sai de lá rápido, pois meu pai iria me pegar na frente da escola, mas antes de sair senti alguém me puxar olho e era Vincent, Ele me encosta na parede me beijando, mas logo me afastei e o olhei.

–Sinto muito, é que não posso demorar...

–Espera... –Ele segurou em minha mão antes que eu começasse a correr, me soltei e logo sai correndo.

–Desculpa! Até amanhã! –Acenei e logo fui correndo para o pátio da escola, chegando lá logo vi meu pai na entrada da escola me esperando de braços cruzados.

Engoli a seco e andei até ele, chegando perto dele abaixei a cabeça me desculpando pelo atraso, por estarmos perto de muitas pessoas ele não fez nada apenas sorrio e me puxou logo, ele foi me puxando até em casa, assim que chegamos lá ele me levou para o porão me jogando lá e já tirando a roupa.

–Vou te proibir de ir à escola, fico na vontade até tarde e não gosto disso... –Não, ele não podia me proibir, ele não podia tirar a única brecha de liberdade que eu tinha.

Continuei me afastando enquanto ele se aproximava mais, eu me afastava já chorando, logo ele me pegou pelo cabelo e aproximou seu membro da minha boca pegando o chicote e me batendo.

[...]

Depois de tudo aquilo ele saiu  dali me deixando no porão muito fraco e sem forças para me curar, continuei chorando, desta vez chorando sangue, me levantei devagar ainda sentindo muita dor, e sai do porão indo para a sala, ele estava no telefone, fui até ele logo ele levantou o olhar me olhando, o fiz largar o telefone e me sentei em seu colo beijando seu pescoço.

–N-Não faz isso pai... –Tento falar firme e com um tom manhoso me segurando para não chorar, pego a mão dele e passando-a por meu corpo indo a minhas nádegas.

Ele as aperta me fazendo gemer baixo mesmo sem querer, ainda estava dolorido, ele lambeu meu pescoço e mordeu perguntando:

–Não fazer o que? –Logo após me deu um tapa e apertou mais minhas nádegas.

–Não me deixa sem ir à escola... Por favor... –Passei minhas mãos por seu corpo me mantendo firme. – E-Eu... Estou gostando de lá e... Quem sabe se eu gostar da escola, eu fique mais feliz e tenha mais... Disposição para fazer tudo o que você quiser... –Rebolei ali o vendo sorrir.

–Você sabe que vai ter que me agradar... Como pretende fazer isso?

O beijei desabotoando novamente sua camisa e logo beijando seu corpo ele soltou gemidos baixos sorrindo, desci minhas mãos notando seu membro já ereto, tirei sua cueca passando a masturba-lo o olhei e ele sorria.

–Estou fazendo certo? Estou conseguindo lhe agradar?.

–Hmn...nh Está... Vem sobe logo no meu colo e cavalga...

Assenti e subi em seu colo passando seu membro por minha entrada, gemi baixo para ele e ele sorrio segurando em minha cintura e me empurrando com toda força para baixo me fazendo gemer e chorar um pouco de dor, ele passou a me mover e com a sua outra mão me masturbar, eu gemia alto, mas de dor.

Ele colocou mais força e velocidade nos movimentos, logo passei a me mover sozinho em cima dele ele gemia também e logo me puxou para um beijo retribui gemendo também para agrada-lo, continuei me movimentando até que ele não se segurou mais e gozou em mim o coloquei todo em mim fechando os olhos. Estava ofegante e me controlava para não chorar, mas logo ele me tirou de cima dele e me jogou no chão se ajeitando.

–Muito bem... Convenceu-me, não vou mais te tirar da escola. – Ele me olhou e então me levantei tremulo e o olhei.

–Obrigado... E-Eu posso pedir só mais uma coisa? –Ele me olhou. –Me deixa ver Annie pai... Por favor... – ele deixou e logo me levantei mesmo sem forças subindo as escadas e indo no meu quarto pegar uma roupa.

Vesti-me e fui ao quarto de Annie, ela estava dormindo, me aproximei de sua cama começando a chorar, Annie era meu único raio de luz para continuar aqui, minha irmãzinha... Não deixarei ninguém tocar nela, nunca.

Continuei com o carinho vendo-a dormir, sorri fraco, ainda chorando, naquele momento queria tanto um abraço dela só aquilo me acalmaria naquele momento.

Levantei-me do chão e me deitei no lugar vago da cama a abraçando e chorando muito, maldita família, ainda vou nos tirar daqui... Ainda vou ver meus irmãos felizes, ainda vou ser feliz...

Abracei mais Annie...

“Apenas ao fim de absortas orações...

É que  alcançamos nobres sonhos”

 

[...]

Sou acordado por minha mãe que me da um tapa me fazendo sair logo da cama, a olhei ainda fraco por tudo que aconteceu.

–Seu pai te espera seu imundo... –Abaixei o olhar me despedindo de Annie e logo saindo dali e indo para meu cantinho no porão.

Ao chegar lá vi meu irmão Luka apanhando aproximei-me de meu pai tocando seus ombros, ele me olhou e lhe dei um selinho.

–Meu pai, o que Luka fez? –Fiz massagem em seus ombros beijando sua nuca na esperança dele amolecer.

Mas não foi bem isso que aconteceu. Ele se virou para mim e segurou forte em meu braço, me levou para o canto onde ele sempre me prendia me prendendo. Logo depois puxou Luka lhe injetando algo.

–Esse será seu castigo seu maldito! –Falou meu pai dando um soco em Luka.

–Eu não vou! Não vou fazer isso... –Luka cuspiu quase pegando no rosto de meu pai que lhe deu mais um soco e logo o posicionou a minha frente, Luka tentou lutar, mas enquanto mais ele resistia mais apanhava. E eu... Eu tinha que proteger meu irmão.

–L-Luka... Faça... –Comentei baixo e já aos choros. – Faça...

Ele me olhou e não falei, mais nada logo meu pai me soltou me batendo.

– Acho que isso vai ser divertido... Vamos faça você. –Ele riu me batendo mais e logo se afastou um pouco apenas para observar tudo.

Olhei Luka que balançava a cabeça negativamente para eu não fazer nada, mas não o dei ouvidos, logo segurando em seu membro exposto e o colocando em minha boca, escuto seu gemido e sinto sua mão em meu ombro tentando me afastar. O fiz tirar sua  mão dali continuando a chupar seu membro.

[...]

Depois de tudo fiquei chorando no meu cantinho no porão, mas logo vi alguém entrar, me sentei no colchão olhando para a porta e logo vendo meu irmão ainda chorando se aproximar de mim. Continuei o olhando e tentando não chorar, ele se ajoelhou a minha frente e de repete me abraçou forte, chorando e chorando.

–Por que fez aquilo!? –Ele se afastou me olhando e segurando meu rosto. –Era para você ter deixado ele me bater! Seu idiota!

Ao ouvir aquilo não me aguentei mais abaixando a cabeça e voltando a derramar minhas lágrimas.

– E-Eu não queria ver ele te machucando... N-Não queria... –Coloquei minhas mãos no rosto me encolhendo mais ali.

–Iori, Fazer isso com você... –Falou ele entre soluços. –Foi o pior castigo...

–Me desculpe Nii – O olhei e logo abracei.

Ele não falou mais nada apenas retribuiu o abraço ficamos abraçados e chorando por um tempo, depois ele se afastou me olhando e passando a mão por meu rosto.

–Aguenta ficar aqui mais um pouco?

–Como assim? –O olhei ainda derramando algumas lágrimas.

–Vou nos tirar daqui... Vou tentar Iori... Mas se eu não conseguir, promete que vai dar um jeito de sair daqui com Annie...

Fiz que sim o abraçando mais, ele não conseguia parar de chorar  fiquei fazendo carinho em seus cabelos até sentir-me sonolento, fechei os olhos logo apagando de vez. Quando acordei, não vi mais Luka e a porta do porão estava trancada novamente, voltei ao meu cantinho abrindo minhas asas e me aquecendo com elas, pois estava muito frio. Fechei os olhos novamente pedindo para que amanhecesse logo.

 

Bem, eu conheço a sensação.
De se encontrar na beira do abismo
E não há cura
De se cortar com uma navalha afiada.

Eu estou lhe dizendo que

Nunca é assim tão ruim

Aceite isso de alguém que já esteve onde você está

Caído no chão

E você não tem certeza

Se você pode aguentar mais

 


Notas Finais


espero que tenham gostado do cap^^
se gostaram pfv comentem isso ajuda mt <3
bjinhos e até o próximo cap :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...