História My Destiny - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~docinho_meanie

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Got7, Jackjin, Markgyeom
Exibições 64
Palavras 2.554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


"há quanto tempo ela não posta um capítulo?"
"já faz 84 anos..."
ooooooi seus pãozinhos lindos <3
quantos séculos, não é? rsrsrs
bom, tenho avisos importantes e algumas coisas pra dizer e a primeira delas é: desculpa.
desculpa mesmo, meus bolinhos. Eu sei que ando sendo muito irresponsável em relação à fanfic e que muita gente tava muito ansiosa por capítulo novo, então I'M SO SORRY. Sério, me perdoem rs
segunda: eu estou mudando o nome e a capa dos capítulos porque 1- as capas estavam feias e sem qualidade, e eu prefiro colocar uma foto fixa pra todos os capítulos 2- os nomes eu resolvi deixar em inglês já que a nossa fic tem o nome em inglês. Também mudei a capa, fiz uma personalizadinha e bonita sz
terceira: eu não vou colocar meu user mais (docinho_meanie:) nas notas iniciais porque já que só eu que escrevo as notas, acho que não é necessário (?) e nas notas finais eu vou colocar somente o link de alguns comebacks e debuts do mês/semana, já que não da pra eu expor minha opinião abertamente por causa do tempo que eu demoro pra postar os capítulos
quarta: todos os capítulos sairão pontual e oficialmente no domingo, já que é o meu dia mais livre (também tem o fato de eu estar estudando pra passar no instituto federal, então me entendam amo voces)
quinta: essa semana eu vou postar TRÊS capítulos até chegar no domingo. Porque, além de compensar o atraso, o capítulo que eu escrevi ficou IMENSO e eu precisei dividir ele. Então, é basicamente o mesmo capítulo dividido em três partes e cada parte tem um nome diferente sfnazdbfvosbd
sexta: chegamos aos nossos 32 favoritos e isso me deixou super feliz e mais motivada ainda a escrever pra vocês, sério, muito obrigada meus pães <3

bom, acho que é só isso
sem mais enrolação, tenham um bom capítulo sz

Capítulo 5 - We'll never be friends


Fanfic / Fanfiction My Destiny - Capítulo 5 - We'll never be friends

Depois de mais algum tempo encarando o mais novo que ousara enfrentá-lo, Mark enfiou as mãos nos bolsos da calça e saiu caminhando pela calçada lentamente. Andou por alguns minutos sem rumo e resolveu que iria para uma praça que tinha perto de sua casa, mais especificamente na frente dela. Caminhou as três quadras que precisava para chegar em seu destino e se sentou em um banco embaixo de uma árvore bem grande e que dava uma sombra e brisa deliciosas. Algumas pessoas passavam eufóricas e apressadas pela praça em direção ao centro da cidade; coisa comum nos dias de semana. O garoto, desocupado, observou a movimentação por um tempo, mas logo ficou entediado. Pegou seu celular no bolso e olhou as horas; ainda faltavam dez minutos para as cinco.

Markkie: hey, oq acha de vir aqui na praça um pouco?

Markkie: to entediado e preciso conversar, ja q vc me deu bolo de novo

Guardou o celular no bolso novamente e começou a encarar o chão. Depois de alguns segundos pensando, se arrependeu de ter enviado aquela mensagem.

Quer dizer, Jongin não era uma má pessoa, tampouco má companhia, mas costumava ser um tanto exagerado. Às vezes, pegava o amigo enaltecendo o namorado e dizendo o quanto o amava e sempre colocando elogios a mais no outro. Mark não tinha preconceito, muito pelo contrário. Mas achava estranha a relação que Jongin conseguiu estabelecer com o pequeno Kyungsoo. O garoto se mostrava um adolescente fechado e quieto, distante demais. Porém seu amigo era o total oposto.

Na verdade, Mark tinha um pouco de inveja de Jongin. Ele era um garoto alto, de boca carnuda e uma cor que, para muitos, era extremamente linda e atraente e, além disso, era feliz o tempo todo. Era óbvio que encontraria alguém facilmente. Mas Mark nunca pensou que o amigo fosse ficar tão apaixonado e enlouquecido pelo outro. Na realidade, ficava um pouco receoso em conversar com o Kyung, pois tinha medo de falar alguma coisa que não devia. Mas, apesar de tudo, estava satisfeito. Seu amigo estava mais feliz do que nunca e era isso que importava. Sentiu seu celular vibrar algumas vezes e o pegou rapidamente.

Jongprincess: O que você ta fazendo na praça uma hora dessas? Não deveria estar em casa estudando?

Jongprincess: E aconteceram uns imprevistos, por isso não fui. Mas a gente pode falar por mensagem mesmo.

Markkie: mas eu quero falar pessoalmente

Markkie: por favor, nunca t pedi nada jognin

Markkie: jongin*

Jongprincess: É que agora eu não posso. O Soo disse que ia fazer uma janta pra mim hoje, mas mandou eu vir mais cedo caso ele precisasse de ajuda.

Jongprincess: Ele ta ali na cozinha preparando tudo. Ele é tão lindo e carinhoso. <3

Markkie: ok, ok chega de enaltecer seu namorado, eu ja entendi

Markkie: vou pra casa, entao

Jongprincess: Desculpa.

Leu a última mensagem enviada pelo Kim e olhou a hora antes de desligar o celular e enfiá-lo no bolso com uma certa raiva. Jongin estava fazendo muito isso ultimamente. Mark sabia que era normal namorados passarem bastante tempo juntos, mas seu amigo estava esquecendo de si aos poucos. E, mesmo que os exageros de Jongin fossem ligeiramente irritantes, sentia sua falta.

Se lembrou da hora que era e se levantou. Seu pai chegaria logo em casa e, como Jongin havia dito, ele deveria estar estudando. O movimento na rua começava a cessar. Colocou as mãos nos bolsos da calça e saiu andando pela praça em direção a sua casa, em passos lentos e chutando uma pedrinha. Em um momento, chutou a pedra com certa força e a mesma foi parar do outro lado da rua. Mark acompanhou-a com o olhar e viu que ela havia atingido o pé de alguém que andava calmamente. Olhou pra pessoa, que não parou de andar, e fez um olhar de decepção.

- O que esse garoto tá fazendo aqui? Ele é empregado do café, como pode morar em um bairro como esse? – disse para si mesmo.

Acompanhou com o olhar a direção onde Yugyeom ia. O garoto parou em frente à casa vizinha a sua depois do lago e uma senhora veio abrir a porta para ele. Mark não acreditava no que seus olhos viam. Quer dizer que o garoto que o enfrentou mais cedo não era pobre e ainda era seu vizinho? Era muita coisa pra ele engolir de uma só vez. Apenas voltou pra casa e foi direto pro seu quarto estudar.

 

- x -

 

Yugyeom tirou os sapatos, colocou as pantufas confortáveis e entrou em casa totalmente exausto do longo dia que teve no café, deixando sua bolsa em cima de uma poltrona e se jogando no sofá de barriga para baixo, provocando uma pequena risada em Soonyon que o observava. A mais velha se aproximou e sentou na poltrona que estava desocupada ao lado do sofá, acariciando o cabelo de Yugyeom.

- Pra você estar tão cansado assim, deve ter andado muito por Seul.

- Na verdade, eu tava trabalhando. Em um café. – respondeu à mais velha com a voz um tanto abafada por causa de sua posição.

- Sério? – perguntou animada e juntando as mãos. – Tão rápido assim?

- Parece que o gerente precisava de um garçom urgentemente e gostou de mim. Então me contratou. – disse se sentando.

- E qual o nome do gerente?

- Na verdade, o sobrenome. E é Lee. Ele não me disse o seu nome.

- Lee... Acho que não conheço só pelo sobrenome. Mas que bom que você conseguiu, Yugyeom! Muito bom mesmo. – a animação da mais velha parecia ainda maior que a do próprio Yugyeom. – Mas não se esqueça que você não precisa se esforçar tanto, ok?

- Tudo bem, Soo. Eu prometo que não vou me esforçar muito. Se você não se importa, eu vou subir. Tô um pouco cansado. – sorriu de canto e se levantou.

- Claro que não me importo. Pode subir, eu vou fazer o jantar. Descansa um pouco.

O mais novo chegou próximo de Soonyon e se inclinou, deixando um selar em sua testa e logo dando a volta na poltrona para subir até seu quarto, deixando sua bolsa ali mesmo, na sala. Entrou, acendeu a luz e fechou a porta, porém deixando-a destrancada. Deitou-se ao contrário na cama, deixando os pés sobre a cabeceira da mesma e a cabeça em sua ponta. Ficou encarando o teto azul por alguns minutos e pegou no sono em seguida.

 

- x -

 

Mark já estudava – ou pelo menos tentava – a algum tempo quando ouviu a porta da frente de sua casa ser aberta e em seguida a voz de seu pai perguntando pra uma empregada onde seu filho estava. Ouviu ainda a mesma responder que estava no quarto estudando e os passos de seu pai em direção a escada.

- Filho? – algumas batidas na porta e seu pai a abrindo em seguida. – Estudando ainda?

- Faz pouco tempo, na verdade. – desvia o olhar do caderno e olha seu pai, fazendo uma reverência breve.

- Ah, tudo bem. Não precisa estudar mais, de qualquer forma. A faculdade entrou em greve de novo. – seu pai parecia um tanto incomodado com a notícia, mas tinha um sorriso no rosto.

- De novo? Aish... – passou a mão nos cabelos, os bagunçando um pouco. – Você sabe quando eles voltam, appa?

- Não faço ideia. Mas não precisa se preocupar. Assim que eu souber quando for, te aviso pra voltar a estudar um pouco antes. Por enquanto, não precisa. – se aproximou do filho, colocando a mão sobre o ombro do mesmo. – Pode descansar agora.

- Obrigado, appa. – sorriu para o mais velho que se afastou e foi em direção a porta, saindo do quarto e fechando a mesma. Mark suspirou e foi em direção a janela de seu quarto, relaxando seus braços no encosto e deitando sua cabeça sobre eles.

Mark se achava um garoto de muita sorte por ter seu pai ainda consigo e não só como tal, mas como amigo. Antes da morte de sua mãe, as coisas não eram assim entre os dois. Mark era um adolescente irresponsável que vivia tomando bronca do pai e sendo protegido pela mãe. A senhora Tuan era um anjo em corpo de mulher e o marido fazia de tudo para vê-la feliz. Mesmo com o filho irresponsável que tinha, não parava de sorrir. E os problemas que surgiram mais pra frente ainda não conseguiram tirar seu sorriso. Até seu último suspiro ela sorriu. Olhou pro céu e uma estrela piscou mais forte, fazendo-o sorrir.

- Eu sei que você tá aí em algum lugar, omma. Eu te amo. – desviou o olhar por um segundo para a janela da casa vizinha e viu um Yugyeom com a cabeça e os braços jogados para fora da cama, a boca levemente aberta e dormindo profundamente. Não conseguiu segurar o riso quando viu a cena, mas revirou os olhos em seguida. Aquele garoto realmente era seu vizinho?

- Aigoo... Não acredito nisso. – saiu de perto da janela e se jogou na cama, meio decepcionado. – O que eu devo fazer? Evitar ou provocar?

A ideia de provocar o mais novo estava martelando na cabeça de Mark. E, já que ele não tinha nada pra fazer, resolveu que era isso ou ficar jogado na cama até pegar no sono.

Mark: youngjae?

Mark: preciso da sua ajuda

Youngjaempregado: ora, ora quem temos aqui

Youngjaempregado: oq vc quer?

Mark: hey, cuidado com o jeito que fala com seu chefe, mocinho

Youngjaempregado: fala logo, nao tenho a noite toda

Mark: ta bom, eu preciso do numero daquele seu amigo

Mark: o que me enfrentou hoje no café

Youngjaempregado: acha q sou aquelas mulheres q trabalham na telefonia? me poupe querid

Youngjaempregado: o

Mark: olha, eu nao vou pedir por favor entao é melhor enviar logo

Mark: e sim, vc tem cara de mulher querid

Mark: a

Youngjaempregado: porra chata

Youngjaempregado: Contato

Youngjaempregado: pronto, agora me dá paz

Mark: cumpriu seu dever, parabéns

Mark adicionou o número de Yugyeom e, apressado, lhe enviou uma mensagem. E que começassem os jogos.

 

- x -

 

Número desconhecido: ei, gato

Número desconhecido: estou com saudades de vc

Número desconhecido: quando vamos nos reencontrar?

Yugyeom sentiu seu celular vibrar no bolso e acordou assustado, se sentando na cama rapidamente e ficando meio tonto. Coçou os olhos por um instante até se acostumar com a claridade e pegou o celular, vendo três novas mensagens de um número desconhecido.

Yugyeabusado: Desculpa, mas nos conhecemos?

Número desconhecido: ora, mas que absurdo

Número desconhecido: nao se lembra de mim, querido? a noite foi tao boa, como pode se esquecer?

Yugyeabusado: Olha, acho que você se enganou de número, senhor. Eu cheguei na cidade anteontem e mal saí de casa.

Número desconhecido: ah desculpe, me enganei mesmo de número. mas diga, o que acha de nos encontrarmos, hã?

Yugyeabusado: Não sei se é uma boa ideia. Eu não te conheço e você não me conhece, isso não faz sentido.

Número desconhecido: ora yugyeom vc é muito chato. estragou a brincadeira

Mark se levantou da cama e foi até a janela olhando o mais novo sentado em sua cama com o celular em mãos e o cabelo totalmente bagunçado.

Número desconhecido: vem ate a janela, idiota

Observou Yugyeom hesitar um pouco antes de ir até a janela do seu quarto e olhar pro lago lá embaixo.

Yugyeabusado: Não vejo nada. Só o lago que ainda está ali.

Número desconhecido: olha mais pra cima, besta

Yugyeom sentiu um certo receio de desviar seu olhar para cima, mas sua curiosidade e a vontade de matar aquela pessoa que estava fazendo aquilo consigo eram tantas que acabou se entregando e olhando para a janela vizinha. Acabou por ver um Mark muito sorridente – sorriso o qual achou ser um tanto irônico – acenando para si.

Yugyeabusado: Mark Tuan? Ah não...

Trouxa Tuan: nem vem que nao tem, yugyeabusado

Trouxa Tuan: acha que estou feliz por vc ser meu vizinho?

Yugyeabusado: De onde tirou esse nome? E, sim, você deve estar bem feliz de me ter como vizinho. Sabe, acho até uma grandiosa honra, trouxa tuan. E quem te passou meu número?

Trouxa Tuan: credo, que texto, fala um pouco menos

Trouxa Tuan: primeiramente: esse nome é o que melhor te descreve e eu te odeio

Trouxa Tuan: segundamente...

Yugyeabusado: Acho que essa palavra não existe.

Trouxa Tuan: calado

Trouxa Tuan: segundamente: trouxa tuan? qual é, ate o jongin pensaria em algo melhor

Yugyeabusado: Não sei quem é esse e não me importa. Só vou repetir o que você disse: é o nome que melhor te descreve.

Trouxa Tuan: xiu, bebe chorao. ainda nao terminei. e foi o youngjae que me mandou seu número

Yugyeabusado: Ah, eu vou matá-lo.

Trouxa Tuan: sinta-se a vontade, nao vou sentir falta dele msm

Yugyeabusado: Mentira, não vou matar ele. Gosto dele.

Trouxa Tuan: pera, vc gosta dele? calma preciso fazer uma coisa

Yugyeomossexual: Que coisa?

Trouxa Tuan: agora ja fiz, yugyeomossexual

Yugyeomossexual: Como é? Okay. Primeiro: homossexual se escreve com "h". Segundo: eu gosto do Youngjae como um amigo ou irmão.

Trouxa Tuan: como vc consegue escrever tao certinho? serio, vc e o jongin tem problemas. ate o kyung escreve mais ou menos.

Yugyeomossexual: Você fala tanto nesse Jongin. Ele é seu amigo? Ou algo a mais...? (moon face)

Trouxa Tuan: sabe esse kyung que eu to falando? pois entao, é o namorado do jongin. e eu sou macho, me respeita

Yugyeomossexual: Tenho minhas dúvidas, Mark. Mas, mudando de assunto, o que você queria comigo?

Trouxa Tuan: sabe q me esqueci? acho q queria tw encher o saco

Yugyeomossexual: Ah, sim. Porque você me ama demais, não é?

Trouxa Tuan: ja falei q te odeio, yugyeiludido

Yugyeiludido: Iludido por que? Quem me ama e não é correspondido é você, Tuan.

Trouxa Tuan: o q acha de descer e me enfrentar feito homem?

Trouxa Tuan: pensando bem... é besteira. eu gosto de outra pessoa mesm

Yugyeiludido: Qual o nome dele?

Trouxa Tuan: dela**

Yugyeiludido: Ah ta, ela. Aham. Sei. Mas me diz aí.

Trouxa Tuan: min...

Yugyeiludido: Min... O que?

Trouxa Tuan: ah ta bom é ele

Trouxa Tuan: ele chama jeonghan e é amigo do jongin. ele que nos apresentou

Yugyeiludido: Você já se declarou? Ou ta esperando ele vir atrás de você?

Trouxa Tuan: nao me declarei e nem vou. ele namora. o seungcheol. aquele menino me arrebenta no cacete se eu chegar perto do anjeonghan

Yugyeiludido: Anjeonghan? Gostei do apelido, pela primeira vez. Sabe, você não é tão inútil assim.

Trouxa Tuan: nao me importa sua opiniao. nem sei porque to falando dessas coisas com vc. acho melhor vc ir dormir

Yugyeiludido: Na verdade, vou jantar. Mas boa noite nem tão trouxa assim tuan.

Não Tão Trouxa Tuan: boa noite, nem tao iludido assim yugyeom.... pera nao. vc continua sendo iludido. so que menos abusado

Yugyeiludido: Kskskskskks. Tchau.

Mark desviou os olhos de seu celular e olhou pra janela vizinha. Yugyeom acenou e sorriu, se virando e deixando o celular sobre a cama. Saiu do quarto logo em seguida, apagando a luz. Yugyeom era um tanto esquisito na visão de Mark, mas já estava acostumado com a "esquisitice". Achou até o mais novo bem parecido com Jongin em certos aspectos. A diferença é que, para Mark, eles nunca seriam amigos.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...