História My Different Love. - Capítulo 68


Escrita por: ~ e ~Matheus_TM

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Diferente, Felipe, Morador De Rua, Nathan, Rua
Visualizações 38
Palavras 1.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente, está aí mais um cap pra vocês seus lindos.

Boa leitura...

Capítulo 68 - Atentado


Fanfic / Fanfiction My Different Love. - Capítulo 68 - Atentado

~Pov's Nat~

Acordei cedo encima do peito do Lipe, percebi que ele estava muito quente então levantei e fui pegar um termômetro no criado mudo então voltei e pus em seu braço e constatei que ele estava com febre já que o termômetro marcava 38,5º.

Levantei tomei banho, me troquei e fui até uma farmácia ali perto, ao voltar ele ainda estava dormindo.

TOC TOC.

Nat: Pode entrar.

Vi: Papai, o senhor não vai hoje? Porque o pai ainda está na cama?

Nat: Está doente, acho que a responsabilidade hoje vai ser sua filho. Qua do for sair, passa o controle da empresa para o seu tio Alex.

Vi: Ok. Mas o pai tem oque?

Nat: Febre, e ele está dormindo, não quero incomodar mas não sei oque mais ele tem...

Vi: Tá. Então tchau papai.

Lipe: Amor?*Diz com voz muito rouca*

Nat: Oi.

Lipe: Eu não estou me sentindo bem.

Nat: Eh, eu sei... Mas oque você tem?

Lipe: Dor de cabeça, estou fraco, dor na garganta, frio e enjoo.

Nat: Não se preocupe, vou trazer os remédios.*Dou um beijo na testa* Fica quietinho aí que já trago tudo...

Saio do quarto, e vou preparar um café da manhã caprichado, com panqueca, pão, queijo, presunto e suco de laranja. Ponho tudo em uma bandeira e ponho os remédios num cantinho. Vou ao quarto ponho a bandeira sobre seu colo e lhe dou mais um beijo na testa.

Nat: Você prefere tomar os remédios ou ir ao médico?

Lipe: Não sei... Acho que ir ao médico seria mais prudente.

Nat: Então coma, vou preparar sua roupa.*Fui ao guarda roupa, peguei uma roupa pra ele, passei ela e levei pra cama. Ele ainda comia.*

Lipe: Quem está na empresa?

Nat: Vi vai tomar conta das coisas por lá. Não se preocupe.

Lipe: Mas é a faculdade?

Nat: À tarde o controle da empresa vai passar pro Alex, já que ele é o suplente.

Lipe: Ah. *Ao terminar de comer, eu o ajudo a se trocar e o levo até a garagem, onde o carro já deveria estar.*

Ligo para o motorista e dá na caixa postal.

Nat: Vamos... Eu vou dirigir.

Lipe: Oque houve com o motorista?

Nat: Eu não sei. Mas deve ter sido algo sério, ele é tão dedicado e nunca falta ou se atrasa.

Lipe: Exato.

Nat: Vem... *Apoio ele em mim e o levo até meu carro. Sento ele no banco do carona e vou pro banco do motorista.*

@Minutos [email protected]

Lipe: Liga o rádio?

Nat: Tá pera... *Ligo o rádio*

Rádio: *Música*

@minutos [email protected]

Rádio: Interrompemos a programação, pra dar uma notícia importante. O carro dos empresários e casal Nathan Monteiro e Felipe Afonso Monteiro, foi atacado na travessa ______, por um grupo terrorista que pôs o carro em chamas.

Nat: Oque? O Vi?

Rádio: Felizmente todos sobreviveram, George Barbosa o motorista​ da família viveu uma experiência inesquecível, por ter que pular do carro. George um homem de 28 anos e quase deixa 2 filho, já órfã de mãe e sem nenhum parentesco perto. As crianças teriam que ser encaminhadas a um abrigo. Algumas pessoas especulam que os verdadeiros alvos eram o Nathan e o Felipe, porém por sorte eles não estavam no momento. O filho deles Victor Monteiro escapou por pouco o, pois ele havia deixado o carro 5 minutos antes do acidente. Mais detalhes às 16:30 no rádio jornal. Bom dia e Continuem agora com a programação. *Música*

Lipe: Vamos pra lá.

Nat: Mas já estamos aqui...

Lipe: Mas se não for eu vou ficar aflito, é só vou piorar.

Nat: Mas... O Vi... O Vi está lá...

Pego meu celular e percebo que ele estava em modo avião, não sei como.

~Pov's Vi~

Saí do carro, já na empresa.

Vi: Tchau George.

Ge: Tchau Vi. *Ele ascena*

Vou andando até a porta do prédio, abro e entro, depois eu lembro que havia esquecido minha pasta no carro e então sou surpreendido pelo George que traz a pasta até mim.

Vi: Obrigado.

Ge: Disponha chefinho. Kkkkk.

O George sai e eu o olho pela janela, ele vai até o carro e dá partida. Antes de sumir do campo de visão vejo algo sair do carro, pulando ou sendo jogado e logo depois o carro explode.

Vi: Geooorgeee?

Saio da empresa correndo e o encontro no chão desmaiado. Então eu chamo uma ambulância que o leva para um hospital, eu o acompanho deixando uma mensagem na recepção pra o Alex assumir o controle.

@uma hora e meia [email protected]

@Ligação [email protected]

Nat: Vi, onde você está?

Vi: Estou no hospital, com o George ele desmaiou. Tem repórter em tudo que é canto aqui.

Nat: Em que hospital estão?

Vi: No _______.

Nat: Estamos indo pra aí.

Vi: Tá.

@Ligação [email protected]

~Pov's Nat~

Dirigi o mais rápido o possível até o hospital e como já estávamos lá marquei uma consulta para o Lipe. Ao entrar no corredor onde me indicaram o Vi vem correndo e me abraça.

Nat: Me explica isso direito. *Falo muito nervoso*

Vi: Eu não sei oque houve, o carro simplesmente explodiu. E estão dizendo que era um ataque direcionado a vocês dois...*Fala mais nervoso ainda é me abraça*

Nat: Não se preocupe com agente. Não vai acontecer nada. Mas e o George?

Vi: O médico disse que ele bateu a cabeça durante o pulo e por isso desmaiou, talvez ele possa acordar confuso ou até mesmo sem memória.

Nat: Essa não.

Vi: O Pai não estava doente?

Nat: Ele está. Olha essa cara abatida... Por falar nisso vamos logo até a sala de atendimento, aproveitando que o hospital não está cheio.

Lipe: Vamos. Vi... Se o George acordar pode no chamar?

Vi: Tá bom.

~Pov's Niji~

Como eu desconfiava, quase foi tarde demais para salva-lo...

@FlashBack [email protected]

Estava chegando no trabalho quando o carro do Lipe passa por mim e para logo a frente, na empresa. Não era fácil de perceber que o carro não estava normal, qualquer um poderia ter notado que havia algo embaixo do carro.

Então o carro deixa o vi na empresa e vai embora, segundos depois ele retorna e para no mesmo local porém o motorista sai do carro com uma pasta, então decidi investigar, olhando embaixo do carro. Vi um dispositivo estranho, que de forma Laguna fazia parte do carro, já havia visto aquilo em algum lugar, mas onde? não conseguia identificar o objeto então me levantei e logo depois o motorista volta, entra no carro e sai. Me viro pra entrar na empresa quando me lembro onde vi aquilo... Foi na academia onde eu treinei desarmamento de armar e bombas...

Niji: GEORGEEEE. *Tento gritar mas o mesmo já estava bem longe, então eu pego meu celular e ligo*

@Ligação [email protected]

G: Alô, quem é?

N: George, é o Nathan. Primo do Lipe.

G: Ah. Oi Nathan... *BIP BIP BIP(Bips estranhos no fundo*

N: Pula do carro .

G: Oque?

N: Não pergunta, só me escultamos se quer salvar sua vida. Pula do carro.

BOOOOOOOM

Niji: Será que ele escapou?

Vi: GEORGEEEE.*grita de uma da janelas*

@FlashBack [email protected]

Agora é caso sério e precisa ser investigado mais a dentro. Se não tomar cuidado, isso pode se repetir, mas além disso, da próxima vez pode dar certo e alguem sair machucado.

~Pov's Nat~

Após algumas horas o George já dava Sinai de que ia acordar, porém já estava na hora de pegar o Rafa e o Luan na escola.

Nat: Victor... Meu carro está na garagem. Pega o Rafa e o Luan no colégio e depois pode voltar se quiser.

Vi: Tá bom. Se ele acordar não esquece de perguntar sobre os filhos dele...

Nat: Tá... *Ele sai com a chave do carro*

Desde que soubemos que ele tinha filhos sem parentes próximos, imaginamos que eles poderiam está na escola e ficamos preocupados com o horário de ir buscá-los.

Lipe: Porque ele nunca disse que tinha filhos? Ele sózinho, pra cuidar dos dois, trabalhando 12 horas por dia e com um salário daqueles... Me sinto até culpado se essas crianças não tiverem a devida criação.

Nat: Mas não tínhamos como saber... Se ele não tivesse filhos, o horário não seria problema é o salário sustentáveis muito bem ele e as crianças.

Lipe: Verdade...

George: Ahhh. Aí... Onde estou?

Nat: Calma George.

Ge: Nat? Lipe? Oque aconteceu?

Lipe: Você sofreu um atentado. Não se mecha muito não vai fazer bem.

Ge: Oque? Mas... Que horas são?

Lipe: 11:50

Ge: Meus filhos... Preciso pegar meu filhos na escola.

Lipe: É só dizer onde é que nós dois vamos pegar.

Ge: No ______, perto do ______.

Nat: Ok. Então vamos logo lá. Já já voltamos.

Ge: Espera... Preciso saber de lgumas coisas.

Nat: Não se preocupe quando voltarmos, esclarecemos tudo, mas por enquanto tente por as ideias no lugar.

Ge: Obrigado.

Nat: Amigo é pra essas coisas.

Ele nos disse o nome das crianças e eu fui buscar, Saímos e vamos até o ponto de ônibus.

Nat: Por sorte é aqui perto...

Lipe: Sim... E oque você pretende fazer em relação às crianças?

Nat: Vamos cuidar delas.

Lipe: Oque? Mas... Como?

Nat: Temos uma mansão... Vamos exigir que o George e seus filho morem lá. Já que não sabemos ao certo pra quem foi o ataque.

Lipe: Entendi, mas isso não seria perigoso? Se o ataque foi pra nós, vamos colocá-los em risco, mas se oataque foi pra ele estamos nos colocando em risco...

Nat: Ele passa 12 horas por dia em nossa casa, só sai no horário de almoço, que eu imagino que seja pra pegar os filhos na escola e deixar em algum lugar, e depois sai ás 18:40... Se for-mos correr perigo, você tem que lembrar que já estamos... Tanto nós quanto ele.

Lipe: Verdade... Então vamos contratar seguranças?

Nat: ...e instalar mais câmeras de segurança.

Lipe: Ok. Fechado.

@minutos [email protected]

Nat: Viemos buscar Pietro e Petrick Barbosa.

Segurança: Desculpe mas apenas os pais podem pegar as crianças...

Nat: O George está hospitalizado e incapaz de vir.

Segurança: Será que teria como o senhor provar? E dizer quem é você?

Nat: Sou um amigo dele, e chefe também. E aqui está, uma cópia do contrato de emprego e o atestado médico dele.

Segurança: Alexia... Pega o Pietro e o Petrick da sala 7 pra mim.

Alguns minutos depois ela volta com duas crianças de aparentemente 7 anos.

Lipe: São gêmeos?

Nat: Aparentemente sim... *Me abaixo.* Oi, meu nome é Nathan, sou amigo do seu pai. Quantos anos vocês tem?

Pietro/Petrick: 7

Biiii. Biiii.

Lipe: O Vi chegou.

Rafa: Ligou pra ele?

Lipe: Sim.

Nat: então vamos?

Pietro: Porque o Papai não veio nos buscar?

Nat: É que o Papai ficou doente e está no médico. Mas ele está bem...

Petrick: Ele está com dor?

Nat: Não sei... Vamos perguntar a ele?

Pietro: Vamos...

Nat: Mas primeiro vamos comer. Está na hora do almoço.

Fomos pra casa e almoçamos, depois que eu acabei, esperei as crianças terminar e fui até o jardim e fiquei andando de uma lado a outro, até que sou surpreendido pelo Lipe.

Lipe: Oque foi?

Nat: Estou pensando... Como nossa vida mudou... Antes eramos mendigos... Agora estamos subindo na vida... Fico pensando, isso tem um preço assim como tudo na vida. Será que o nosso preço é esse? Dor e tragédia?

Lipe: Do que está falando?

Nat: Primeiro foi o Lucas e agora é isso. Espero que não se repita oque houve hoje.

Lipe: Não importa se aconteça ou não. Oque importa é que estaremos juntos, para enfrentar tudo que vir pela frente, inclusive isso.

Nat: Obrigado por ser tão perfeito.

Lipe: Só tento dar meu melhor... Mas você que é perfeito... Rsrs *Nos beijamos.*

Continua...


Notas Finais


Galera, a fic vai entrar em uma nova fase. Acabou a fase de só haver o romantismo meloso. Agora os dramas começam.

Gostaram? Deixem um comentário para eu saber se gostaram?

Amo vcs e até o cap que vem. ❤️❤️😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...