História ↣❅✽My Dream Come True✽❅↢ - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine, Surubangtan, Youxall
Visualizações 18
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Harem, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - ❁✝My First Day - Help!✝❁


Fanfic / Fanfiction ↣❅✽My Dream Come True✽❅↢ - Capítulo 1 - ❁✝My First Day - Help!✝❁

{Reino Unido - Europa}


E lá estava eu, com os olhos arregalados na sala da diretora, tentando me sintonizar com aquela notícia. Eu? Um zé ninguém, que só sabia estudar, iria pra Coréia do Sul? Isso só pode ser brincadeira.

E então? O que acha? Ela disse, me fazendo sair do pequeno mundo em minha cabeça, qual eu habitava quando estava nervoso. 

Ah...Hm...E-Eu posso pensar? Falo em um tom quase inaudível, sentindo minhas mãos suarem. Arrumo o óculos redondo e passo a mão pelos meus cabelos lisos, agora em tons escuros de azul. 

Ela somente assentiu com a cabeça e eu, saí correndo, tentando não esbarrar em ninguém. Socorro! 



Bom, deixa eu voltar pro começo. 

Meu nome é (S/N), e atualmente tenho dezesseis anos, e estou na faculdade por ser muito adiantado. Moro no Reino Unido com minha avó, já que meus pais me expulsaram de casa. Me formei em Harvard e vim pra cá, morar com a mãe do meu pai. Tenho pele clara até demais, pra ser específico e o corpo magro, tenho somente coxas grossas e bunda grande enorme ─ . Olhos azuis esverdeados e lábios grossos. Tenho 1,64 de altura, e o dia mais estranho da minha vida, vulgo hoje, se resumiu em estudar, estudar e ser chamado na diretoria, por quê, aparentemente eu ganhei uma bolsa de estudos para estudar em uma das maiores faculdades de Seoul, na Coréia do Sul. 

Nesse exato momento estou andando ou melhor, correndo até minha casa, para dar a notícia a minha avó. 

Chegando lá, abri a porta da frente e entrei numa velocidade que, se eu não tivesse me controlado, teria ido parar em outra linha temporal Flash teria inveja ─. 

Vovó? Falei um pouco alto e a vi descendo as escadas, com um sorriso no rosto, como sempre tinha, ao me ver chegar.

Como foi a aula hoje, meu querido? Pus as duas mãos nos joelhos, tentando recuperar o ar que me faltava do esforço que fiz ao correr tanto. Ela me olhou preocupada, com as sobrancelhas franzidas. O que aconteceu? Te fizeram algo novamente? Veio correndo? Sente aqui. 

Ela me guiou até o sofá, e levantou, indo pegar um pouco de água. Ao ver o copo, agradeci com um aceno da cabeça e bebi tudo praticamente em um só gole.

Está melhor? Mexi a cabeça rapidamente, fazendo-a rir e alguns fios azulados caírem sobre meus olhos. Soprei aquela franja e suspirei. Conte-me o que lhe aflige, filho.

Bom, vamos do começo, eu tava estudando como sempre, e estudando, e estudando, até a senhorita Margot me chamar na sala dela, o que eu achei estranho. Chegando lá, ela sorri pra mim e fala que eu ganhei uma bolsa pra estudar em Seoul, na Coréia do Sul. UMA FUCKING BOLSA DE ESTUDOS NA MAIOR FACULDADE DE SEOUL. AHHHHH! NÃO QUERO. Vou recusar. Falo rapidamente, dando meu famoso ataque de drama/nervos. Arrumo os óculos. Minha avó não sabia se ficava feliz, ria ou ficava brava por eu ter falado palavrão. Ela odeia palavrões. 

Espera. Recusar? Não vai recusar porra nenhuma não, moleque atrevido. Ela falou e eu arregalei os olhos, soltando uma gargalhada. Amanhã mesmo você vai lá na senhorita Margot e dirá a ela que vai sim estudar lá. 

Mas e a senhora? Como vai ficar? Ela cerrou os olhos e bateu em meu braço. Grunhi de dor e olhei espantado para ela.

Acha que eu vou ficar mofando aqui sem você? Eu sei me cuidar, garoto! Oportunidades assim não são dispensadas, até porque talvez isso só ocorra com você uma única vez na vida inteira, então vê se para de drama e vai logo pra essa merda. Eu ri mais ainda, pensando em como ela mudou da água pro vinho. Agora vai tomar um banho porque você tá fedendo demais, parece que correu uma maratona...'Pera...Deixa quieto! Você correu até aqui. Anda! Anda! Vamos! Temos que jantar para comemorar!

Ela disse e bateu a palma da mão na testa. Subi as escadas correndo e fui para meu quarto, tomar um banho. Assim que terminei, vesti uma calça de moletom cinza e uma camisa sem estampa, branca. Desci as escadas e a vi preparando a comida. Sorri. De fato, ela era a minha família. Eu tinha medo de deixá-la.

{Dias Depois - Aeroporto}

Bom, estava na hora. Estava vestindo uma calça de couro preta, uma camisa cinza com gola em 'v' e uma camisa xadrez vermelha porcima. Aquela voz irritante agora chamava o embarque 335, destinado a Coréia do Sul. Minha avó e a senhorita Margot me observavam entrar. Antes disso, corri até elas e as abracei.

Sentirei saudades. De vocês duas. Muito obrigado!

Corri até o portão de embarque e entrei. Seria uma longa viagem. Eu tinha que organizar meus sentimentos. Eram muitas emoções juntas e eu tive que treinar meus ensinamentos de otaku na última hora. Japonês e coreano ao mesmo tempo. Droga! Espero que tudo dê certo. Fechei meus olhos. Meu sorriso não queria sair. Eu estava nervoso, mas a felicidade predominava. Respirei fundo e, depois de uns quinze minutos pensando, adormeci. 

{Seoul - Coréia do Sul}

Abri os olhos ao sentir um suave toque em meu braço direito. Olhei para o lado e sorri vendo uma garotinha me chamando.

O-Oppa, acorde, chegamos. Sorri agradecendo e ela correu para a sua mãe, que sorriu para mim. Balancei a cabeça, como gratidão e saí, pegando minha mochila e indo até a esteira, atrás da minha mala. Assim que achei, fui até a porta e vi um carro, com um rapaz alto do lado, segurando uma plaquinha com meu nome. Fui até ele e o mesmo esboçou um sorriso gentil.

Olá sr. (S/N), a dona Scarlet me contratou para levá-lo para onde queira. Seja muito bem vindo a grande Seoul. Ele se curvou, e eu fiz o mesmo, sorrindo.

Por favor, me chame só de (S/N), e eu gostaria de saber seu nome, senhor. Sorri agradecendo ao vê-lo pegar minha bagagem e guardá-la no porta malas. Assim que entrou, me olhou pelo retrovisor.

Me chamo Kwon Ji Yong, mas pode me chamar somente de JiYong. Ele diz suavemente e dá partida, indo em direção ao meu estabelecimento. 

O carro estava silencioso, um silêncio agradável. Eu observava a cidade pela janela, admirado com a quantidade de luzes. Depois de uns vinte e cinco minutos, o carro para e vejo que estou em frente a um prédio luxuoso.

Chegamos. Ele diz baixo e abre a porta para mim. Agradeço e vejo-o pegar minha mala. Pego a mesma e o olho. No seu quarto há uma agenda e lá contém meu número, me ligue quando precisar.

Muito obrigado mesmo JiYong. Falo sincero e entro no edifício, indo para o elevador e tocando no botão com numeração cinquenta dourada. 

Assim que paro em meu andar, pego a chave e entro em meu apartamento, que havia o número oitenta e sete na porta. Antes de fechar a porta, vejo um garoto se agarrando a outro. Sinto minhas bochechas ficarem quentes. Eu provavelmente estava vermelho igual o vestido da Mônica. Ele para e olha para mim.

Hm, então você é o vizinho novo, huh? Interessantíssimo. Sou Kim Namjoon, mas pode me chamar de Namjoon, ou amor, como preferir. Falou com um tom sedutor, me fazendo revirar os olhos e fechar a porta com brutalidade. Ouço uma risada. Nos vemos por aí, (S/N). 

Congelei na hora. Como ele sabia meu nome? Puta que pariu. 

Enfim, foda-se ele, me jogo no sofá, cansado. Hoje foi cansativo.

Começo a ouvir barulhos estranhos. Espera, gemidos? Ah não! Nem por um caralho. Coloco os fones e tento ignorar. Os barulhos eram altos demais. Ligo para a recepção e aviso do barulho. 

Paro de ouvir ao escutar um telefone tocar.

Sinto muito Kim Namjoon, mas vou causar tua desgraça. Mexeu com o baixinho errado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...