História My Enemy, My Ally - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Kris Wu, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanyeol, Drama, Exo, Love&hate
Exibições 135
Palavras 2.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fluffy, Hentai, Josei, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E lá vamos nós com um cap recheado de acontecimentos :3
Boa leitura~

Capítulo 5 - Five;


A casa cheirava a lavanda. Lavanda e perfumes masculinos caros. Os móveis tinham um esquema de cores preto e branco o que dava um ar contemporâneo e moderno, a iluminação era quase como a de um filme cult, com um belíssimo lustre enfeitando a sala. Luhan tirou seu blazer assim que destrancou a porta e o jogou no sofá antes de caminhar até a geladeira para pegar água para os dois.

– Sinta-se em casa. – Sorriu, entregando-a o copo. Haera engoliu o líquido de uma vez só para ganhar coragem. – Pronta? – Luhan se aproximou, sentando-se ao seu lado no sofá confortável.

– Ah, claro. – Ela sorriu, colocando o copo na mesinha de centro e se virando para ele. Luhan suspirou, umedecendo os lábios sem jeito e levantando suas mãos.

– Posso? – Perguntou, seus dedos roçaram na ponta de sua jaqueta jeans. Haera acenou com a cabeça, tímida demais para encará-lo. Luhan retirou sua blusa, seu toque era quase como gentil demais. – Você quer tirar o seu vestido ou quer que eu tire? – Riu, tentando acalmar Haera com um ambiente mais descontraído.

– Ah, eu tiro. – Haera se levantou, se livrando do vestido e ficando apenas em sua roupa íntima na frente do loiro que a escaneava cuidadosamente.

– Como eu esperava. – Seu dedos gelados contornaram cada centímetro do corpo exposto da jovem com admiração. – É perfeito. – Suas mãos pararam na cintura fina de Haera antes que a olhasse nos olhos e percebesse que suas digitais estavam gélidas demais para que a tocasse tão livremente. Luhan imediatamente a largou, abaixando a cabeça. – Desculpa. – Murmurou envergonhado, havia se deixado levar pelo momento e não levou em conta como ela se sentia.

– Tudo bem. – Riu. – Espero não te atrapalhar… É minha primeira vez. – Mordeu o lábio inferior, encarando o rapaz que arregalou os olhos surpreso.

– Você nunca fez isso antes? – Haera negou, bochechas vermelhas como tomates maduros. Luhan sorriu gentilmente, se levantando e tranquilizando a jovem com um cafuné. – Tudo bem, eu te ensino. – Deu uma pausa. –  Podemos começar?

Haera concordou com a cabeça e levantou o queixo. Luhan puxou sua fita métrica e a amarrou ao redor dos seios da jovem, marcando os números obtidos em seguida. A garota não conseguia conter seu sorriso de felicidade ao ter suas medidas tiradas por um dos designers favoritos.

– Quando se tem suas medidas tiradas, você deve usar roupas mais coladas, senão a precisão vai pro espaço. – Explicou, recebendo um murmúrio como resposta. Luhan fez o mesmo em seus braços, ombros, pernas, cintura, tudo o que precisava de medição. – Acho que podemos começar. Bom, por agora acho que devo ter algumas que lhe servem. – Comentou enquanto encarava orgulhosamente o caderno onde as medidas de Haera estavam anotadas.

– Onde…? – Ela perguntou, olhando ao redor da sala. Luhan riu docilmente, apontando com seu lápis para o quarto.

– Eu as mantenho escondidas. Meus vizinhos podem achar que sou um pervertido. – Haera riu de sua afirmação e o seguiu até o quarto.

Enquanto isso, na portaria do prédio, Baekhyun esperava por Chanyeol com uma expressão mais do que aflita, seus olhos que ameaçavam a se fechar de vez em quando encaravam a tela escura do celular. O ronco do carro familiar foi um alívio que veio no momento certo.

Chanyeol saiu do carro, imediatamente reconhecendo seu amigo e o cumprimentando. Os dois caminharam até o porteiro que deu-lhes um sorriso cansado.

– Boa noite. O Luhan já chegou? –  Perguntou casualmente. O homem apertou os olhos, escaneando ambas faces e concordando com a cabeça.

– Já. Vou ligar para ele, senhor, um momento. – Ele anunciou, se inclinando sobre o mármore da mesa para tirar o telefone do gancho. – Seu nome é?

– Fala que é o marido da Haera. – Sorriu gentilmente e Baekhyun engoliu seco em preocupação pela vida da jovem, Chanyeol estava mais do que irritado. O casal tinha um pacto. Poderiam ver quem lhes viesse à cabeça, mas não em público onde paparazzis os usariam para ganhar dinheiro extra e uma foto na capa de todos os tablóides estúpidos.

– Ah, Senhor Lu. O senhor tem visita. – Ele disse, olhando para Chanyeol e Baekhyun.

– Visita tão tarde? – Luhan questionou, olhando o relógio em seu pulso que marcava 10:45PM enquanto Haera o encarava curiosa. – Quem é?

– Ele disse ser o marido de Haera, senhor. – Luhan arregalou os olhos, virando para a jovem. Não esperava que ele fosse ciumento o suficiente para seguí-la até sua casa, especificamente quando a garota havia deixado claro que ele não era bravo.

– É seu marido. – Anunciou, um pouco alto demais, permitindo que os dois ouvissem a discussão entre a dupla. – O que eu faço? – Chanyeol torceu o nariz, se Haera dissesse à Luhan para não deixá-lo subir, ele não teria nada a fazer que não o levasse à cadeia, teria apenas que aceitar a vergonha.

– O quê?! – Haera exclamou, bagunçando os fios de seu cabelo, não esperava que Chanyeol soubesse que estava visitando Luhan, muito menos ir atrás dela. Ela mordeu o lábio inferior e acenou com a cabeça. – Deixa subir. – Murmurou.

– Pode deixar subir. – Luhan repetiu no telefone ao porteiro e Chanyeol sorriu triunfante. – Uma boa noite. – Desligou. O senhor concordou com a cabeça e gesticulou para que a dupla prosseguisse até o elevador.

No andar onde Luhan morava, havia outros dois apartamentos e três inquilinos; uma senhora fofoqueira – ela era mãe do cirurgião plástico que comprou o lugar no último ano – e um rapaz jovem que só saía de casa às noites de quartas-feira para reciclar o lixo. A dupla teve que usar a técnica da eliminação para achar qual era a campainha certa. Contando com a descrição um pouco bêbada de Baekhyun, ele era novo demais para ter tantas plantas decorando a porta da frente, mas se vestia bem demais para ter uma porta da frente completamente ignorada e um capacho simples. Restando apenas uma campainha, Chanyeol a pressionou, recebendo a resposta apenas um tenso minuto depois.

– Chanyeol, não é? – Ele sorriu, dando passagem aos dois. O mais alto torceu o nariz e entrou, ignorando o rapaz que havia estendido sua mão para cumprimentá-lo.

– O caimento está muito melhor. – Haera comentou enquanto caminhava do quarto até a sala., ajustando a parte de baixo da Lingerie que Luhan havia lhe entregue. – Ainda é um pouco apertado, mas achei super fofa e sexy. – Sorriu, levantando o olhar e percebendo a presença de Chanyeol e seu melhor amigo que mordeu os lábios ao vê-la. Chanyeol arregalou os olhos ao ver Haera apenas de lingerie na casa de um estranho. – Especialmente quando era um par tão sofisticadamente bonito como aquele que apresentava, ela nunca havia usado algo do gênero com ele em sua intimidade e até onde ele sabia, nem com Kai. Que tipo de ser Luhan era para conseguir fazê-la usar algo tão “fofamente sexy”?

– Yah! Kim Haera! – Gritou nervoso, caminhando até a jovem e cobrindo-a com seu corpo. Baekhyun piscou duas vezes e desviou o olhar ao receber ameaças do amigo. Luhan riu, agindo casualmente.

– Ficou boa! – O loiro exclamou, levantando seu polegar e olhando a garota – ação que fez Chanyeol cobri-la ainda mais e ameaçar Luhan mentalmente.

– Né?! – Ela sorriu, completamente ignorando o ruivo que a encarava furioso. – Acho que um tamanho maior seria ótimo. – Comentou.

– Bom… Eu posso ajustá-la. Você pode passar e pegá-lo amanhã. – Luhan sorriu e Haera quase gritou de animação.

– Eu adoraria! Obrigada. – Mordeu o lábio inferior e Chanyeol suspirou, agarrando-a pelo braço e a puxando até a porta mais próxima que localizou, no caso a do banheiro. Haera rolou os olhos, sendo praticamente jogado para dentro do cômodo.

Chanyeol removeu seu suéter azul e procedeu em vesti-la contra sua vontade. A jovem suspirou, deixando-o fazer o que quisesse. Depois que ela estava coberta, ele cruzou os braços, encostando na parede e esperando uma explicação.

Uma explicação que não veio.

Invés de explicá-lo porque estava na casa de um estranho, apenas de lingerie e agindo tão casualmente sobre isso, Haera apenas ajeitou seu cabelo na frente do espelho. O mais alto suspirou pesado, tentando não estapear a garota na sua frente. Se fosse Baekhyun, provavelmente já o teria jogado da pequena janela que adornava o banheiro.

– Começa a explicar. — Disse com uma expressão mais séria que o normal.

— Você já viu o que aconteceu, não há nada a explicar. — Haera decidiu brincar com Chanyeol um pouco, uma péssima ideia. O rapaz suspirou, massageando seus olhos enquanto caminhava mais perto da jovem.

— Você sabe do nosso acordo. — Ele levantou o olhar, encarando-a através do espelho. Logo, suas mãos se chocaram contra o mármore da pia, fazendo-a pular. — Eu preciso te lembrar? Sem nada público. — Haera bufou, cruzando os braços.

— Você vive em clubes e saindo com garotas diferentes toda noite. Por que eu não posso fazer o mesmo? — Questionou, se virando e ficando apenas alguns centímetros de distância de Chanyeol. A respiração quente do rapaz fazia cócegas em seu pescoço.

— Poderia Luhan ser bom à ponto de te fazer esquecer do nosso acordo e ficar corajosa de repente? — Ele riu, fechando completamente o espaço entre os corpos. Seus lábios roçaram nos dela, suas mãos explorando o corpo tão conhecido, Haera cedeu, fechando seus olhos e abrindo a boca apenas o suficiente para que ele pudesse adentrá-la. Ela podia sentir o coração do ruivo batendo contra seu peito, estava mais acelerado que o normal.

O beijo tinha gosto de chocolate. Chocolate e vodka. Era quente e frio, inconscientemente almejado, mas isso era mais do que normal. Chanyeol exercia esse efeito. Seus beijos eram inesperados, mas nunca inconvenientes. E como Haera os conhecia de cor e secretamente os desejava em noites solitárias.

E como sempre, o partiu no momento certo, deixando a desejar. Sorriu contra os lábios úmidos da garota, notando que havia a deixado sem ar.

— Ele te beija desse jeito? — Perguntou, confiante de que a resposta seria um não. Sempre era.

— Não… — Ele sorriu de canto, ainda mais confiante. Haera riu soprado, levantando o olhar e entrando na brincadeira. — Beija muito melhor. — O sorriso de Chanyeol caiu enquanto ela ria triunfante por tê-lo pego em seu próprio joguinho besta. Ele estalou a língua, suspirando e jurando guerra à garota pela milésima vez aquela noite.  

Suas mãos quentes agarraram as coxas da garota, a levantando apenas o suficiente para a sentar na bancada. Ela engoliu seco, sabendo o que esperar do ruivo, ele era um demônio. Seu toque era brusco, mas ver aquele tipo de expressão incomum estampando o rosto dele era algo quase que eletrizante. Seus olhos avelã haviam tomado um tom mais escuro para si repentinamente e um sorriso de canto adornava os lábios que roubaram de Haera o batom carmesim.

— Ele te conhece como eu? — Sussurrou contra a pele macia. Haera fechou os olhos aos sentir os lábios do rapaz trilhando seu pescoço. Ele deixava pequenas mordidas em seu caminho até aquele único pedaço sob o lóbulo da orelha. — Ele sabe como te deixar louca? — Murmurou, chupando a pele da garota que arfou e arqueou as costas. A respiração do ruivo fazia cócegas na pele sensível e aquilo era extraordinário. Chanyeol estava mais do que confiante, suas mãos acariciavam a pele branca das coxas de Haera, deixando leves marcas vermelhas.

Haera mordeu seu lábio inferior e Chanyeol resmungou ao vê-la daquela maneira. Podia sentir-se ficando excitado com tal visão; A jovem que disparava insultos a ele estava agora tão entregue ao seu toque. O que mais um rapaz de sua idade iria querer?

Ele teria prosseguido com aquilo. Teria levado-a nas nuvens apenas para ter sua doce vingança, teria lembrado Haera do que ela tinha em casa e que ela não precisava procurar por nada fora. Mas fora interrompido e como ele quis matar Baekhyun mais do que tudo naquele momento.

— Chanyeol-ah! Odeio interromper, mas acho que você vai querer ver isso. — O ruivo resmungou profanidades antes de ajudar Haera a descer da bancada. Ela suspirou desapontada, precisava de uma distração essa noite e não teria rejeitado caso Chanyeol quisesse algo.

— O que foi? — Perguntou rispidamente. Baekhyun piscou para Haera, percebendo um chupão que se formara em seu pescoço, a jovem rapidamente o cobriu, não queria que Luhan pensasse que ela era promíscua, só estava passando por um momento que pedia um pouco de animação. — E baekhyun podia pensar o que quisesse, uma vez que ela não se importava com a presença dele.

— Acho que você vai querer ver isso. — Ele apontou para a janela onde um carro familiar estava estacionado apenas alguns metros abaixo da janela.

— Filho da puta! — Chanyeol exclamou, bagunçando seus cabelos. Haera arqueou a sobrancelha, se inclinando para checar o que o havia irritado tanto. E assim que o fez, sentiu-se nauseada e quase desmaiou. — sorte dela que Chanyeol estava ali para segurar o corpo trêmulo.

— O que aconteceu? — Luhan perguntou preocupado enquanto corria até a bancada da cozinha para trazer um copo d’água à Haera.

— Um paparazzi idiota tem perseguido ela há um tempo. — Baekhyun explicou já que Chanyeol estava ocupado demais cuidadosamente dando água à Haera que mal conseguia segurar o copo.

— Idiota? Ele é um psicopata! Ela teve que trocar de número seis vezes só neste mês! Sabe quantas matérias ele já publicou sobre ela?! — Chanyeol completou, quase vermelho como um tomate de tanta raiva. Haera suspirou, se levantando e sentando-se no sofá. — Merda, ele deve ter visto vocês dois chegando e deve estar escrevendo um artigo agora mesmo. – Resmungo, rangendo os dentes de raiva. Luhan arregalou os olhos, se sentando ao lado de Haera e tentando acalmá-la.

– O que vocês vão fazer? Se sair um artigo desse com umas fotos assim já era! É game over pra vocês dois! – Baekhyun exclamou. Sabia como era a rotina do casal e de como as aparências importam mais do que tudo.

– Não fala assim, Baek. – Chanyeol moveu sua cabeça, apontando para Haera que tremia como nunca. Baekhyun cobriu sua boca com arrependimento.

– Vamos esfregar a verdade na cara desse filho da puta. – Haera disse, ajeitando o cabelo bagunçado. – Baekhyun, tira suas calças.

– Haera, apesar de querer muito, eu acho que uma orgia não vai ajudar agora. – O rapaz murmurou, segurando com força suas genitais. Chanyeol rolou os olhos.

– Não é isso idiota. Você tem o físico de mocinha. – Baekhyun fez uma expressão ofendida e aos poucos, se sentou no sofá com uma mão no peito como se segurasse seu coração. – Vai logo merda, preciso fazer isso antes que ele poste o artigo.

– O que você quer fazer, Haera? – Chanyeol perguntou, levemente aterrorizado.

– Vamos fazer isso público antes que ele faça. – Ela sorriu, amarrando seu cabelo em um rabo de cavalo clássico enquanto Baekhyun removia suas calças e sua dignidade – pelo menos, o que restava dela,

Após colocar o par de jeans pretos e seus saltos, Haera posicionou os dois rapazes no sofá, ajustou a iluminação e entregou o celular de Chanyeol para Baekhyun. Luhan e Chanyeol se entreolharam levemente assustados. Após ter certeza de que tudo estava perfeito, ela tomou seu lugar no col do marido que não sabia o que fazer com suas mãos.

– Façam cara de felizes. – Ordenou e imediatamente um sorriso surgiu nos lábios de ambos os rapazes. – Mais feliz! – Haera exclamou e Luhan se inclinou, sorriu gentilmente enquanto Chanyeol colocou sua cabeça no vão do pescoço da jovem, suas mãos entrelaçadas com as dela, um perfeito casal.  

Baekhyun tirou uma foto especialmente fofa e entregou o celular à Haera que imediatamente deixou seu sorriso cair e se levantou, deixando o colo de Chanyeol estranhamente frio. Ela pegou o celular e entrou no Instagram do ruivo, publicando a foto sem sua permissão e com uma legenda chamativa:

ParkCY_61:  @Luhan_LH Minha esposa adorou os designs e eu adorei ainda mais  ㅋㅋㅋ

– Oh, isso foi esperto – Luhan sorriu e Haera piscou para ele enquanto Chanyeol estava mais confuso do que nunca.

– Designs? – Ele perguntou, encarando Haera que riu soprado. Luhan a olhou confuso, não entendendo o porquê dela não tê-lo contado sobre os designs.

– Luhan é designer de lingerie. – Haera finalmente explicou, assistindo Chanyeol ficar boquiaberto, todos os últimos momentos fazendo sentido em sua cabeça.

– Esse tempo todo… Você!... Ah… – Ele balbuciou, encostando no sofá e processando as informações com um sorriso mais do que teimoso nos lábios ao saber que era tudo um mal entendido. Haera ria do sofrimento alheio com uma expressão um pouco mais psicótica que o normal, fazendo Luhan desviar o olhar aterrorizado.

– E agora, o que acontece? – Baekhyun perguntou, tentando seu melhor para esconder sua samba-canção do Bob Esponja com sua camisa.

– Agora, a gente espera. – Assim que Haera terminou sua frase, o toque frenético de seu telefone a interrompeu.

 


Notas Finais


Qual será o resultado?
Como são três da manhã, não tenho tempo de revisar XD então peço perdão por possíveis erros
e agradeço do fundo do coração que eu não tenho pq sou trevosa pelos comentários no último cap
vcs são amor <3
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...