História My Escape From Hell - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook
Visualizações 9
Palavras 2.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - My Love


Fanfic / Fanfiction My Escape From Hell - Capítulo 29 - My Love

  No final da semana, tirando o fato de Jimin não ter alcançado os resultados esperados em quase nenhuma das provas, conseguindo boas notas em apenas duas, tudo parecia estar se normalizando.
  O nervosismo de Jimin pela semana de provas havia sido substituido pela frustração de não ter conseguido. Porém essa sensação não chegava a níveis alarmantes, já que Jungkook ter conseguido mais um período inteiro para que o loiro pudesse melhorar, o acalmava de forma realmente significativa e agora, tudo o que ele precisava fazer era se esforçar ainda mais para chegar ao nível esperado, não só pela diretora ou seu pai, mas também por ele mesmo.
  No sábado, eles foram todos juntos ao cinema, como haviam combinado. Se sentaram em uma das últimas fileiras e quando Jungkook teve medo de se sentar na poltrona onde muitas outras pessoas haviam sentado, o casaco de Jimin resolveu a situação, sendo colocado pelo dono sobre o local, para que assim o garoto não se preocupasse com nada e aproveitasse o filme tranquilamente.
  Durante o filme nenhum dos garotos falou muito, já que eram o tipo de pessoa que presta atenção no filme e não o que faz bagunça na sala de cinema. Na verdade, consideravam esse tipo inconveniente de pessoa, um tanto quanto insuportável.
  Ao final da sessão, foram comer alguma coisa e enquanto fazia o pedido, Jimin pode perceber pelo canto do olho a presença de Lara na lanchonete onde eles estavam. Entretanto aquilo não o incomodou muito, apesar de conseguir sentir o olhar da garota sobre ele o tempo todo. Ele ficou apenas curioso sobre aquilo, por não entender o porquê de ela sempre aparecer nos lugares onde ele está.

— O que foi, hyung? — perguntou Jungkook, quando o loiro voltou à mesa onde estavam sentados.

— Aquela garota, onde quer que eu vá, ela está também. Muito estranha.

— Ah, não liga pra isso. Esquece ela.

— Não, eu não ligo. Só fiquei curioso, mas deve ser só uma coincidência.

  Durante a semana seguinte tudo se passou de forma tranquila. Não houve nada de extraordinário, com excessão da aproximação de todos os garotos.
  Jungkook já havia ido a duas consultas com seu novo psicólogo e ainda não tinha percebido muitas diferenças em relação aos seus medos, mas conseguia se comunicar ainda melhor do que na semana anterior com os amigos de Jimin. Sem falar que no dia em que sairam, seu amigo Taehyung simpatizou muito com Hoseok. E não era para menos, já que as personalidades dos dois pareciam combinar perfeitamente, sendo assim, logo estavam conversando animadamente sobre todo tipo de assunto. Os dois pareciam ser amigos de longa data.
  Com o passar de um mês, todos já estavam muito mais próximos. Principalmente Jimin e Jungkook, que só não podiam agir como queriam na escola, mas fora dela não perdiam uma opotunidade de demonstrar o que sentiam um pelo outro. Sentimento esse que estava cada vez mais forte e profundo.

— O que você vai fazer no fim de semana? — perguntou Jimin, largando o lápis em cima da escrivaninha de Jungkook, descansando um pouco após um longo período de estudos.

  O garoto estava realmente se esforçando e apesar de ainda ter dificuldade, fez um visível progresso.

— Nada, por quê?

— É que o Hobi hyung quer fazer alguma coisa com todo mundo. Ele inclusive pediu pra chamar o Taehyung.

— Ah, eu não sei se tô muito afim de sair.

— A gente pode fazer alguma coisa em casa mesmo. Ele insistiu muito pra eu chamar vocês, por favor, vamos. — Jimin juntou as mãos, como se implorasse.

— Mas em que casa? Aqui?

— Se você não se importar, claro. Mas se não quiser, pode ser na casa de um deles. Mas acho que você também não vai se sentir muito confortável na casa deles, né?

— Eu não sei, hyung, tenho que pensar. Depois eu te dou uma resposta, tá bom?

— Tudo bem, mas não se sinta pressionado, tá? Eu sei que eu disse que ele insistiu, mas eu entendo como é difícil pra você, então não fica preocupado com isso.

— Tudo bem. Mas eu vou pensar bem, quem sabe eu não consigo? — Jungkook, deitado em sua cama, lançou um sorriso fechado para Jimin, que o retribuiu — Já terminou todos os exercícios?

— Sim, senhor.

— Senhor? — Jungkook riu.

— Sim, tenho que tratar meu professor com respeito, ué.

— Ai meu Deus. — Jungkook se levantou rindo e caminhou até o garoto — Deixa eu ver isso aí.

  Jimin passou o caderno para Jungkook, que se sentou no banco posto ao lado da cadeira do loiro e começou a corrigir os exercícios. Jimin relaxou o corpo na cadeira e esperou, ansioso pelo resultado. Queria muito ter acertado tudo, como da primeira vez em que estudaram juntos, mesmo porque aquela foi uma das poucas vezes em que o garoto conseguiu tal feito.

— E aí? — perguntou, interrompendo a correção.

— Até agora você acertou quatro e errou dois.

— Aish. — Jimin tapou o rosto com as mãos e jogou a cabeça para trás — Eu nunca vou conseguir essa merda. A gente devia parar de tentar, você só tá perdendo seu tempo.

— Ya, para com isso! Você vai conseguir, hyung. Calma, ainda temos bastante tempo e você sabe que já melhorou bastante.

— Mas eu não aguento mais essa agonia de tentar, tentar, tentar e nunca conseguir.

— Nunca conseguir? Não faço ideia do que você tá falando. Já vi você acertar tudo várias vezes.

— Não exagera, foram no máximo umas cinco vezes, em um mês e um pouco de estudos todos os dias, isso é muito pouco.

— Ainda assim, você acertou tudo nessas vezes, então não pode dizer que nunca conseguiu. Vamos fazer assim, eu vou terminar de corrigir e a gente para por aqui, você precisa descansar seu cérebro.

— Tá, tudo bem.

  Com isso, encerraram mais um dia de estudos não tão bem sucedido e que teve como resultado a frustração, de ambos os garotos. Jimin sentia-se assim por motivos óbvios e Jungkook era porque achava que não estava conseguindo ajudar o garoto. Não conseguia nem mesmo imaginar a possibilidade de que Jimin falhasse por sua causa, sem se sentir enjoado. Queria mais que tudo ajudá-lo, queria garantir que nada de ruim acontecesse com ele, queria vê-lo bem e feliz, queria protegê-lo.
  A história que Jimin lhe contou, o conturbava todos os dias e noites, desde que lhe foi contada. Imaginar como era a vida do garoto em casa, as barbaridades que o pai dele fazia, a forma como o homem tratava a família e o que ele poderia fazer caso Jimin ficasse reprovado.

— Por que você não dorme um pouco? Você parece um pouco cansado. — sugeriu Jungkook, após terminar a correção e reparar bem no rosto cansado de Jimin. O loiro realmente precisava relaxar, não só o cérebro como também seu corpo e a única forma era dormindo.

  Claro, que não adiantaria de muita coisa, já que — como foi descoberto há algum tempo — Jimin tem ansiedade, o que o impede de descansar de verdade, mesmo que durma uma noite inteira. Mas não custaria tentar, e foi o que ele fez.

— É melhor eu ir pra casa então, pra poder descansar.

— Não, hyung, dorme aqui mesmo, mais tarde te acordo.

— Tem certeza?

— Uhum, pode deitar ali na cama.

— Tá bem, obrigado.

  Jimin aceitou a sugestão e se deitou na cama de Jungkook, que fechou as cortinas do quarto, a fim de diminuir a claridade. Em seguida o moreno se sentou na beirada da cama  trazendo consigo um cobertor que pegou no armário e cobrindo Jimin.

— Dorme bem. — ele disse, antes de acariciar os cabelos loiros do garoto e depositar um beijo em sua testa.

— Você parece a minha omma, cuidando de mim assim. — Jimin implicou com o garoto, que fez cara de tacho, mas acabou rindo depois.

— Fica quieto e dorme. — Jungkook se levantou da cama e caminhou até a porta. A abriu e antes de sair disse — Até mais tarde.

  Jimin fechou seus olhos no mesmo instante em que a porta do quarto foi fechada, se forçando a esvaziar a mente e relaxar. Ele precisava mesmo dormir um pouco, já que não fazia isso bem há vários dias.
  Aproximadamente meia hora depois, conseguiu pegar no sono. O que foi uma surpresa, já que todas as noites, em sua casa, demorava muito mais do que isso para adormecer.

  Enquanto isso, na sala da mesma casa, Jungkook assistia telêvisão distraidamente, quando sentiu seu celular vibrar em seu bolso.

  Jungkook, o Jimin tá aí na sua casa?

  Era o que a mensagem, de um número totalmente desconhecido por Jungkook, dizia.

  Quem é?

  Jungkook perguntou, antes de responder qualquer outra coisa. Alguns minutos depois a resposta chegou. Era Yoongi e ele queria saber onde Jimin estava e porque não respondia suas mensagens. Jungkook o explicou que o garoto estava dormindo em seu quarto e o perguntou se era algo importante.

  Eu só queria saber se ele falou com você sobre o Hoseok querer sair com a gente.

  Jungkook confirmou e disse que daria a resposta depois. Não queria ter falado aquilo para Yoongi, pois estava com medo de o quê ele pensaria. Talvez ele pudesse achar que Jungkook não queria estar na companhia deles, mas não era isso. Ele só não estava com muita vontade de sair e tinha receio de deixar outras pessoas além de Jimin e Taehyung entrarem em sua casa, assim como tinha receio de ir à casa de outras pessoas.
  Só de pensar em entrar na casa de alguém sentia arrepios. Mesmo que já tivesse começado seu tratamento, não existem milagres e não era tão rápido assim. Não é do dia para a noite que seu problema vai desaparecer. Sendo assim, era mais que normal que o garoto ainda sentisse muitos de seus medos.
  E entrar na casa de outras pessoas era um dos maiores e mais assustadores, já que ele não fazia a menor ideia de como funcionavam as questões de higiene e organização do local. Em sua casa, tudo era limpo e organizado do seu jeito, mas na casa dos outros era do jeito deles e poderia ser tudo muito bagunçado e sujo. Era demais para ele.
  Jungkook logo tratou de afastar aqueles pensamentos e ir fazer outra coisa, antes que surtasse por antecipação.
  Ao fim da tarde ele acordou Jimin, que voltou para casa. O resto do dia se seguiu tranquilamente, ele conversou por telefone com seu amigo, Taehyung e leu um pouco, depois foi dormir.

  A semana se seguiu sem complicações ou anormalidades, tudo da forma mais pacata possível. Durante esse tempo, Jungkook foi à outra consulta com seu psicólogo e o homem o aconselhou a tentar receber as pessoas em sua casa, ou ir à casa de algum dos garotos. Ele também disse que seria uma tarefa difícil e complicada e que Jungkook provavelmente encontraria muitos obstáculos, mas aquilo o ajudaria de forma significativa.
  Sendo assim, após muito pensar e com muito esforço, Jungkook decidiu ouvir o homem e tentar aquilo.
  Os garotos então combinaram de irem todos para a casa de Jungkook no sábado, comer pizza e assistir alguns filmes.
  Na sexta-feira, enquanto estudava com Jungkook, Jimin — preocupado com como o dia seguinte se desenrolaria — fez a seguinte pergunta:

— Ya, Jungkookie, por acaso você pretende deixar que os hyungs saibam sobre o seu transtorno? Quer dizer... Pelo menos assim eles não vão fazer nada que seja ruim pra você.

— Eu não sei, hyung, tenho medo. Todas as outras pessoas pra quem já contei isso se afastaram de mim. Você e o Tae foram os únicos que permaneceram ao meu lado e eu não quero que eles se afastem logo agora que eu consigo me comunicar melhor com eles.

— Eu entendo. Mas não acho que eles fariam isso com você, eles não são como as outras pessoas. E eu digo isso porque os conheço há muito tempo e desde que comecei a estudar naquela escola, eles foram as únicas pessoas em quem eu tive certeza de poder confiar.

— Eu sei disso, mas eu ainda assim tenho medo de contar. Por favor, espera mais um pouco, eles vão saber, só não ainda.

— Tudo bem. Sem pressa, quando você estiver pronto, você conta.

— Obrigado. — Jimin arrastou a cadeira para mais perto de Jungkook e acariciou o rosto do moreno.

— Não precisa me agradecer, amor.

  Amor.

  Jimin nem mesmo percebeu o que havia dito, mas Jungkook notou. E como notou. Só de ouvir aquela simples palavra, sentiu arrepios por todo seu corpo. Entretanto, preferiu não comentar nada, para não desconcertar o garoto. Não haviam realmente motivos para constrangimento, já que aquilo era normal, certo? Era normal que Jimin o chamasse daquela forma, não era cedo demais.
  Apesar de não ter dito nada ou esboçado alguma reação àquela palavra, os questionamentos tomaram conta da cabeça de Jungkook, mas ele apenas sorriu e assentiu para Jimin que o olhava, também sorrindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...