História My everything - (Kim Taehyung) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Block B, Got7, Monsta X, NU'EST, Seventeen
Personagens Baekhyun, BamBam, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jr, Junghan "Jeonghan", Jungkook, Kim Mingyu, Mark, Personagens Originais, Ren, Seungcheol "S.Coups", Suga, U-Kwon, V, Won Ho, Youngjae, Yugyeom
Exibições 38
Palavras 2.842
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 💙

Capítulo 18 - Capítulo 18


Fanfic / Fanfiction My everything - (Kim Taehyung) - Capítulo 18 - Capítulo 18

P.o.v Naiah on

Seungcheol. Eu não aguento mais esse menino, qual é o problema dele?

Achei que Isabella precisava de um tempo sozinha então fiquei comversando com os meninos enquanto esperava ela voltar.

- Ta esquentando demais. - Yukwon reclama.

- Tira a camisa. - sugiro olhando maliciosamente para ele, apenas brincando. Automaticamente Yukwon cora enquanto meu irmão e Taehyung me olham emburrados e com os olhos arregalados.

- Ei, eu estava só brincando! Seus chatos. - dou uma piscada para Yukwon e logo rimos.

Eu realmente adorava ver meu irmão com ciúmes, era tão engraçado e fofo, eu realmente tenho muita sorte de ter meu irmão, o amo mais que tudo.

- Tae, eu sei que pedi pra você posar lá em casa hoje também, mas será que você não podia ir outro dia? - sussurro no ouvido de Taehyung.

- Você tinha pedido? - ele pergunta sorrindo e eu coro. Droga, eu não tinha chegado a pedir, apenas pensei demais nisso.

- Esquece. - falo e me afasto um pouco de Taehyung, mas logo ele se aproxima novamente e segura minha mão por baixo da mesa. Sorri com seu ato e não falei mais nada.

Avisto Isabella vindo até nossa mesa, tinha um sorriso enorme estampado em seu rosto.

- Você está bem? - pergunto quando ela senta ao nosso lado.

- Hm?

- Perguntei se você está bem.

- Ah, estou sim. - ela fala ainda sorrindo, aquilo estava estranho. Será que ela se acertou com Jungkook?

- O que aconteceu? - chego perto e sussurro em seu ouvido.

- N-nada. - ela fala nervosa

- Isabella Par... - ela aperta forte minha mão me impedindo de terminar a frase.

- Odeio quando fala meu nome inteiro.

- Então me conta o que aconteceu. - ela fica em silêncio e arregala levemente os olhos, tentando conter seu sorriso. Olho para onde ela estava olhando e pude perceber Wonho entrando no refeitório. Agora entendi.

- É sério isso?! - pergunto animada e ela apenas concorda com a cabeça.

- Ai meu Deus que lindos, que lindos!! - nessa hora eu e ela estávamos parecendo duas loucas que acabaram de ganhar na loteria, assim acabamos chamando a atenção dos meninos que nos olhavam confusos.

- Que foi? - pergunto curta e grossa.

- Eu que pergunto. - Yukwon se pronuncia.

- Isso não é da conta de vocês. - falo emburrada e volto a sorrir com Isabella.

O sinal bate e todos se levantam para voltar até suas devidas salas, Isabella vai na frente com os meninos e eu fico esperando Tae se levantar.

- Até amanhã Free Willy. - Tae fala e se vira para ir até sua sala.

- TAEHYUNG! - puxo seu braço e ele me olha assustado.

- Quero meus dois reais. - falo e ele me olha extremamante confuso.

- Dois reais? 

- Sim, dois reais. Você está me devendo. - falo arregalando levemente os olhos para ele, como pedido para que ele fingisse saber do que eu estava falando.

- A-ah os dois reais. Eu esqueci em casa. - ele fala ainda com uma expressão confusa. Olho para trás de Taehyung e vejo que meu irmão finalmente tinha ido para sua sala.

- Você é burro. - puxo Tae pela gola de sua camisa e o beijo, ele se assustou mas logo cedeu, aprofundando o beijo.

- Ainda não entendi. - ele fala e eu bato levemente com a mão em minha testa.

- Meu irmão ainda estava aqui, precisava ficar conversando com você até ele sair, pra finalmente poder fazer isso. Entendeu agora? 

- Ahhh, entendi. - ele fala sorrindo.

- Seu burro.

- Também amo você. - ele dá um beijinho em meu nariz e vai para sua sala.

Volto para a minha sala também, provavelmente uns cinco minutos atrasada, mas o professor não falou nada.

Sentei em meu lugar e fiquei em silêncio copiando a aula. Estava uma tremenda paz até que sinto alguém mexendo em meus cabelos, como vinha de trás de mim só podia ser Seungcheol. Apenas dei um tapa em sua mão e continuei a escrever, mas ele voltou a mexer em meu cabelo, dei outro tapa em sua mão e me concentrei em meu caderno novamente.

Outra vez senti os dedos de Seungcheol sobre meus fios, minha paciência acabou.

- O que você quer? - me virei para trás e perguntei irritada.

- Vai ter uma festa hoje, que tal você passar lá em casa e ir comigo? - ele só podia estar ficando louco.

- Seungcheol. Primeiramente, é o menino que passa na casa da menina para ir junto com ela até a festa, e segundamente, eu não vou em nada com você. 

- Eu passo na sua casa então.

- Não é essa a questão, eu não estou em clima pra festas Seungcheol, você está me irritando! - virei para frente novamente.

- Desculpa, ta bom então. 

Desculpa? Acho que o soco que Joshua deu em Seungcheol está começando a afetar seus miolos.

[…]

As aulas acabaram e eu voltei pra casa com meu irmão, realmente estava começando a esquentar, não via a hora de tirar aquela camisa de mangas longas, mas antes de mais nada eu e Vernon almoçamos.

Logo depois subi para meu quarto e tomei um banho bem gelado e demorado que aliviou todo o meu corpo. Vesti um vestido cavado bem confortável e me atirei em minha cama, dormindo logo em seguida.

[…] 

Acordei com meu celular tocando, mas não consegui atender a tempo. Fui ver quem era e percebi que tinha três chamadas perdidas de Taehyung, resolvi ver isso depois e desci até a cozinha para jantar. Pois é, eu durmo demais, já eram 20h.

- Oi maninho. - cumprimento Vernon que estava na cozinha servindo nossa janta.

Ele coloca os pratos na mesa e senta na minha frente, imediatamente começo a comer.

- N-naiah, o que é isso no seu braço? - Vernon pergunta me olhando com os olhos meio marejados e ao mesmo tempo mantinha uma expressão de raiva.

Droga. Sim, eu me cortei. Eu fui fraca. Quando Jeonghan morreu eu chorei, fui fraca, fiz tudo o que prometi para ele que eu não faria. Me senti um lixo. Um lixo por não poder ser forte por ele, por não ser capaz de fazer o que ele me pediu, a única coisa que ele me pediu, ele estava morrendo e mesmo assim só se preocupava com a minha felicidade.

Me senti um lixo por não conseguir cumprir minha promessa, e então me cortei, com o pensamento de que eu merecia aqueles cortes, que eu merecia sentir dor mais ainda do que eu já estava sentindo. 

Depois que fiz isso percebi que foi mais um erro. Como Jeonghan ficaria se visse isso? Me senti pior ainda e decidi que ia começar a cumprir minha promessa. Ia começar a ser forte por ele.

- Nada. - levantei imediatamente da mesa e cobri os cortes com a mão. Vernon se levantou e parou na minha frente.

- Me mostra, agora! - eu resisti mas ele puxou meu braço com força fazendo com que eu mostrasse os cortes.

Pude perceber uma lágrima escorrer do rosto de Vernon. Percebi como fui uma idiota, percebi agora que isso não doeria apenas em mim.

- Vernon... - ele solta meu braço e me olha com raiva e tristeza ao mesmo tempo. Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, meu irmão dá um tapa extremamente forte em meu rosto, tão forte que caí no chão.

- Vernon, sai daqui. - falo com toda a calma que eu tinha, toda mesma. Meu irmão me olhava apavorado, como se não acreditasse no que tinha feito, ele fica ali parado, imóvel.

- AGORA! - grito e ele sai da cozinha lentamente sem falar nada, ainda com a mesma expressão. Nesse momento eu já estava chorando o máximo que podia. 

Eu não ficaria nessa casa hoje, de jeito nenhum. Subi correndo as escadas até meu quarto, peguei minha mochila, esvaziando a mesma e colocando um pijama, roupas íntimas, objetos para higiene e uma roupa confortável para o dia a dia dentro dela.

Desci as escadas com minha mochila nas costas e passei reto por meu irmão.

- Onde você vai? - ele pergunta baixo e fungando, eu ignoro.

- NAIAH! - foi a última coisa que ele falou antes que eu batesse a porta de casa na sua cara.

Saí correndo o mais rápido que pude até a casa de Taehyung, as lágrimas não paravam de escorrer por nem um segundo. Chegando lá comecei a bater na porta sem parar até que Taehyung abrisse.

- Naiah? - ele abre a porta vestindo apenas um roupão e com os cabelos molhados.

Não falei nada, apenas o abracei e comecei a chorar mais ainda, sem se importar com nada. Ainda abraçado em mim, ele me puxa para dentro de sua casa e tranca a porta novamente.

- Eu vou me vestir e já volto aqui. - ele fala me deixando sentada no sofá e me entregando um copo com água.

Tomei toda a água e me acalmei um pouco. Cerca de uns cinco minutos depois Taehyung volta, ele estava arrumado demais para ficar apenas em casa mas eu não questionei nada.

- Agora pode me contar o que aconteceu. E começa me explicando o que é isso no seu rosto. - ele fala me olhando preocupado.

- Eu briguei com o Vernon. - falo com os olhos marejados.

- Ele bateu em você? - apenas assenti com a cabeça. - Mas por que?

- Se eu te contar, você não vai me bater, não é? - perguntei com receio.

- É claro que não meu amor. - ele fala segurando meu rosto com suas mãos.

Com muito receio, mostrei meu braço para ele. Taehyung olhava incrédulo, então tapei meu braço novamente. Meus olhos já estavam querendo marejar de novo.

- Não chora. - ele me abraça e fica passando sua mão lentamente por minhas costas.

- Você sabe que isso não vai mudar nada. Só me prometa que nunca fará novamente.

- Prometo. - falo soluçando.

- Já volto. - Tae fala quando seu celular começa a tocar.

- Sim, não se preocupe. Ela vai ficar comigo hoje e amanhã vocês se falam, vai ser melhor assim. Descansa cara. - Taehyung fala ao telefone e encerra a chamada.

- Era o meu irmão? - pergunto.

- Sim, ele estava quase tendo um ataque no telefone. Ele estava chorando. Sabe, eu sei que ele fez aquilo sem pensar, você também tem que entender ele. Seu irmão ama você, ele simplesmente entrou em pânico quando viu isso no seu braço, imagine como deve ter sido difícil pra ele.

- Eu sei. Mas eu quero um pedido de desculpas. - falo abraçando Tae.

- E você vai ter. Agora lava esse rosto, você vai em uma festa comigo.

- Festa? Olha o meu estado Tae! 

- Você vai sim, precisa se animar. A gente passa na sua casa e escala a sacada, você pega uma roupa e vamos. - ele fala e eu o olho apreensiva.

- Por favor, pelo seu TaeTae. - ele abre um enorme sorriso, sabe que isso me convence a fazer qualquer coisa.

- Aish, ta bom! Vamos logo.

Saímos de casa e fomos até a minha, chegando lá Taehyung me ajudou a escalar a sacada e eu consegui entrar em meu quarto.

Fui direto até a porta e tranquei a mesma. Abri meu guarda roupa e peguei um vestido preto e colado que valoriza bem as minhas curvas, peguei meu salto alto também preto e algumas maquiagens que eu tinha ali. Me vesti ali mesmo e fiz uma maquiagem simples e super rápida. Desci a sacada com mais dificuldade agora por causa do salto, Taehyung já me esperava dentro do carro.

[…]

- Falta muito? - pergunto pela milésima vez e Taehyung revira os olhos.

- Não. 

- E agora? - ele me olha extremamente emburrado.

- Se você continuar perguntando eu te largo aqui mesmo e vou sozinho para a festa.

- Nossa Tae. - falo manhosa e coloco a mão na coxa dele. - Você não merece meu carinho. - aperto levemente sua perna e vejo ele arregalar um pouco os olhos.

- Desculpa minha flor, mas é que eu não aguento mais você perguntando se falta muito.

- Hmm, e falta muito agora? 

- CHEGAMOS. - ele fala irritado e eu dou risada.

Tae desce do carro e abre a porta pra mim, eu me levanto e ajeito meu vestido, mas logo sinto Taehyung puxar o mesmo para baixo fazendo com que ele ficasse mais longo.

- Eu não sou freira Taehyung. - falo emburrada.

- Assim está perfeito. - ele fala sorrindo enquanto olha para o vestido.

Adentramos o enorme local, estava lotado de pessoas dançando livremente aquela música alta, muito alta. Aproveitei que Taehyung não estava olhando e ajeitei meu vestido novamente. Estava distraída, quando sinto duas mãos sobre meus olhos impedindo que eu enxergasse qualquer coisa.

- Isa? 

- Sim! O Tae chamou a gente. - Isabella fala sorridente.

- "A gente"? - pergunto confusa.

- Sim, o Yukwon, o Jae e o Joshua estão ali. - ela aponta para uma mesa e pude ver os três sentados acenando para mim.

- Vem vamos sentar ali! - ela fala me puxando e eu arrasto o Tae junto.

Sentamos e conversamos um pouco, com dificuldade por causa da música alta mas eu estava me divertindo ali.

- O dono da festa é o Hwanhee, eu vou ficar um pouco com ele, tudo bem pra vocês? - Taehyung fala levantando da mesa.

- Hwanhee, o seu primo? - Isabella pergunta e Tae concorda.

- Tudo bem, vai lá cara. - Jae fala e Taehyung sai.

- Ei Naiah, vem cá. - Isabella simplesmente me puxa para perto dela.

- Ta vendo aquele lindo vulgo maravilhoso ali? - ela aponta discretamente para um menino que estava sentado em uma mesa um pouco perto da nossa.

- Sim.

- Ele não tira os olhos de você desde que você sentou aqui.

- Ta viajando Isa, óbvio que não.

- Não to brincando. - ela fala e eu fico quieta.

Depois do que Isabella falou eu olhava algumas vezes para o menino e pude perceber que ele realmente me encarava, mas não devia ser nada. Ficamos conversando, rindo, alguns bebiam e alguns não, que no caso era eu, nunca fui de beber. 

- E o que aconteceu depois? - Isabella me contava uma história e na metade dela simplesmente parou de falar e começou a olhar para trás de mim.

- O que foi? - pergunto e ela não fala nada. Olhei para trás e percebi que o menino de antes estava atrás de mim.

- Gostaria de dançar comigo? - ele pergunta envergonhado estendendo sua mão para mim, eu olho para Isabella e a mesma fazia sinais dizendo que eu deveria aceitar.

- Claro. - seguro sua mão e vamos para o meio da pista.

- Então, qual é o seu nome? 

- Naiah, e o seu?

- Jaebum, mas me chame de JB. - ele fala sorrindo.

- Tudo bem. - falo e começamos a dançar, ele fazia algumas palhaçadas as vezes e eu ria descontroladamente, ele realmente além de lindo era uma pessoa muito legal. 

- Estou cansado. - ele fala parando de dançar.

- Eu também.

- Venha, vou te apresentar meus amigos. Mas já vou avisando que eles não são pessoas muito normais, então não se assuste. - ele fala me puxando pela mão até sua mesa.

- Estou acostumada com isso. - falo e rimos.

Chegamos em sua mesa e pude ver seis meninos sentados lá. E meu Deus, como são bonitos.

- Esse é o BamBam, o Jackson, o Youngjae, o Junior, o Yugyeom e o Mark. - ele fala enquanto aponta para os meninos.

- Eu sou a Naiah. - falo sorrindo e me curvo para eles.

- Oi Naiah, você é muito bonita! - BamBam se levanta e aperta minhas bochechas.

- E você é muito fofo! - aperto as bochechas dele também.

- Ela é legal Hyung! Vou roubar ela pra nós. - ele fala para JB e todos dão risada.

- Ela deve ter namorado BamBam, não sonhe muito alto. - JB fala.

- Eu não tenho. - falo envergonhada e todos sorriem animados.

- Então quer dizer que eu posso encher você de beijos? - Jackson levanta e se aproxima.

- JACKSON! - JB o repreende.

- Eu estava só brincando. - ele ri e senta novamente.

- Desculpe a personalidade dele Naiah, ele não sabe se controlar. - Mark fala rindo.

- Não tem problema. - pisco para Jackson.

- Você vai ficar aqui com a gente, não é? - Yugyeom pergunta.

- Eu não sei se... - paro de falar quando olho para trás e vejo Taehyung agarrado em uma menina. Ele estava praticamente encoxando ela e estava com a mão em um de seus seios. Meu sangue ferveu nesse momento. Estou vendo bem que você está com o Hwanhee Taehyung. Mas eu não posso reclamar, não namoramos nem nada. Mesmo assim, não quer dizer que eu não vou provocar.

- Você não sabe se...? - Yugyeom pergunta.

- Eu não sei se vocês me querem aqui. - faço manha.

- Queremos sim! - falam todos juntos e eu sorrio.

- Então eu fico. - olho pra trás e percebo Taehyung me olhando, ele não estava mais agarrando a menina, só estava dançando. Resolvi aproveitar que ele estava olhando pra mim e começar a provocação.

Caminhei e fingi tropeçar, o que fez com que eu me agarrasse em JB para não cair no chão. Nossos rostos estavam muito próximos e ele me olha sorrindo sem malícia alguma.



Notas Finais


só porque te bateram em mansae não precisa sair batendo nos outros vernon
vacilão
mas eu te amo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...