História My fake boyfriend - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 83
Palavras 1.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiie!
Essa é minha primeira fanfic, então me desculpem se tiver alguns (ou muitos) erros de português!
Vkook !<3
Sim, sou muito shipperzinha sim!
Espero que gostem!
\^0^/

Capítulo 1 - Namorado!!?


"Para entendemos bem o funcionamento das sinapses, é importante estudar todo o sistema nervoso." Reli essa frase pela que seria décima quinta vez tentando ignorar o barulho externo. " Esse é responsável pela maioria das funções de controle do organismo, formado por um conjunto de órgãos do corpo humano que possuem a função de captar as mensagens, estímulos do ambiente, "interpretá-los" e "arquivá-los". Consequentemente, ele elabora respostas, as quais podem ser dadas na forma de movimentos, sensações ou..." 

Chong majeun geoscheoreom. 

"O Sistema Nervoso está dividido em duas partes fundamentais: sistema nervoso central e..." 

Bang bang bang 

Ele só pode está de brincadeira, tentei respira fundo e contar até dez.  

Infelizmente não funcionou.  

Quando achei que finalmente poderia estudar em paz o infeliz aumentou o volume, ele só pode está brincando comigo. 

"Maldito vizinho!" 

Nem todas as pessoas conseguiam respeitar a lei do silêncio. Peguei um das almofadas e pressionei contra ao meu rosto. No dia seguinte teria uma prova, nem poço pensar em me sair mal nessa prova. Além de não querer repetir de período a minha bolsa não iria cobrir um período caso eu repetisse. Tenho que ter o melhor desempenho e as melhores notas para não perder a bolsa. Ouvi o barulho de algo se chocando com a minha parede. 

"Ah não, agora foi demais." Digo me levantando. "Isso já é demais." Eu não estava muito bem teria uma prova amanhã e não consegui gravar nem o começo da matéria, só estou acordado por causa de toda cafeína que eu ingeri. Abri minha porta notando que o barulho era maior ao lado de fora. 

Da kkomjjak mara da kkomjjak ma. 

Como uma pessoa pode não obedecer as leis, tem pessoas querendo dormir. Parei em frete a porta e sem pensar duas vezes bati. Ninguém atendeu, ah as coisa não vão ficar assim, como não houve resposta comecei a tocar a campainha. O filho da mãe continuou me ignorando, ah ele deve está se entretendo em sua festinha, as coisas não podem ficar assim, ou ele está me ignorando ou realmente não consegue me ouvir devido a altura do som. Deixei meu dedo direto na campainha. Depois de algum tempo ele atendeu eu retirou meu dedo da campainha. 

"Se você não percebeu estamos em uma festa, e esse som não combina muito com a música." Ele me irritou falando isso, me segurei para não jogar o livro das regras do prédio nele. 

"Caso não tenha percebido mas já passa das duas da manhã, e sua música está me perturbando". Digo me aproximando do seu rosto. "Você consegue ler? Aqui diz bem explicito que qualquer barulho depois das dez horas é extremamente proibido." Digo com a cara mais assustadora que consigo fazer. 

"Consegue compreender agora?." "Compreendo! Vou falar para a galera abaixar." Ele diz dando alguns passos para trás se afastando de mim.  

"Claro, eu tenho que decorar uma grande parte do meu livro para a minha prova de amanhã!". Sabia que provavelmente tinha alterado o som da minha voz. " Já passaram das duas, então não é para abaixar e sim desligar a merda desse som, caso você não saiba as pessoas querem dormir." 

Eu certamente tinha irritado o Sr. Posso comprar tudo com meu dinheiro. Isso me fez me sentir bem. Mas ao mesmo tempo me senti mal, eu nunca gritava com as pessoas. Vi que ele estava tentando reagir ao meu surto repentino. Eu era a pessoa mais calma desse prédio, até agora nunca tinha me desentendido com ninguém.  

"Vou ver se consigo fazer algo por você." Diz e me sinto irritado. 

"Meia hora." Digo me segurando para não entrar agora e desligar o som eu mesmo. "Você tem meia hora." Disse e voltei para meu apartamento. 

Me joguei em cima da mesa, ouvi algumas pessoas saindo do apartamento. Passaram vinte e cinco minutos e o barulho havia diminuído. " Só te restam cinco minutos." Disse a mim mesmo, voltei a minha cozinha e peguei outro copo de café, ainda tinha muita coisa para estudar.  

Passaram cinco minutos e nada mudou, ah eu iria deixar passar já que ele pelo menos tinha diminuído o som até ouvir alguém gritar: 

" Agora festa na banheira do Taehyung."  

Depois disso não me controlei, se eles queriam se molhar eles vão se molhar. Pensei em ir com um balde até a porta mais isso não seria o suficiente então lembrei que assim como o meu apartamento o dele também teria um aparelho que ligava a "irrigação" da casa caso houvesse um incêndio. 

Provavelmente se eu for lá agora ele não atenderia a porta então eu faria uma coisa que eu nunca fiz. Eu fui até minha janela e a abri, coloquei uma perna para fora e me segurei na janela enquanto me esgueirava pela marquise. Joguei meu corpo contra a parede e me lembrei de não olhar para baixo. Logo que alcancei a janela dele, me segurei no ferro enquanto abria a janela. Com um só movimento pulei para dentro do quarto. 

O quarto dele é mais arrumado que eu pensava, sempre imaginei esse lugar uma bagunça, também com a quantidade de mulheres que ele traz aqui. Fui chegando até perto da sala e pude ver várias roupas espalhadas pelo chão, corri até a cozinha sem que ninguém percebesse e procurei o alarme.  

Assim que achei reuni toda a coragem que tinha para apertar aquele botão. Isso não molharia apenas eles, molharia todo o apartamento. Quer saber que se dane. Apertei o botão e ouvi os gritos das garotas. 

Sai da cozinha e olhei para eles, todos pararam na mesma hora e me olharam. 

"Eu disse meia hora." Eu disse me defendendo apesar da vontade de rir ao vê-los molhados. Taehyung não me disse nada apenas me encarou com raiva, e essa era a minha deixa, corri até a porta indo direto para meu apartamento. 

Ao chegar no meu apartamento, não me segurei e comecei a rir. Passou um tempo e eu fui parando, sabe talvez, só talvez eu tenha exagerado um pouquinho, mas deixei para lá, eu precisava estudar.  

Nesses quatro anos que eu moro aqui nunca tinha feito nada parecido, mas se bem que ele mereceu, não só por hoje e sim por esses ano que venho sendo vizinho dele. Quando sai de casa a quatro anos atrás pensando em segui a minha vida e esquecer meus problemas com minha família pensei que estaria sozinho e sem ninguém à minha volta, mas infelizmente isso não aconteceu, dois meses depois de que me mudei Taehyung também havia se mudado. Por que? Por que ele? A pessoa que mais atrapalho e infernizou a minha infância. Estávamos destinados a ser vizinhos para sempre? 

Passavam das quatro quando terminei. Fechei meus livros e joguei-me no sofá mesmo, estava com preguiça de ir até meu quarto. Deitei e esperei até que o efeito do café passasse e eu pudesse dormir. Acabou que eu realmente dormir ali mesmo. Levantei cheio de olheiras, ainda estava com sono, olhei para o relógio ao meu lado. No visor marcava 8:30. Virei-me para dormir um pouco mais. 

Algo me assustou e eu levantei correndo. Não hoje, não posso me atrasar! A prova começa as nove e eu levava trinta minutos para chegar até a faculdade. Me vesti correndo, peguei minha mochila e fui rumo a porta tentando arrumar os fios desarrumados do meu cabelo. Abri a porta e a primeira coisa que percebi foi que senti um tremendo frio. Depois veio a voz dele. 

"Vim até aqui para devolver seu favorzinho." Ele disse normalmente levantando o balde. " Não se preocupe, você fica muito bem molhado." Ele sumiu para dentro do apartamento dele. Fechei a porta e fui logo tirando a roupa, xinguei todos os palavrões que pude. Sai colocando minha roupa, já eram oito e cinquenta. Ah não posso me atrasar! Desci a escada correndo, quase caindo nos últimos degraus. O zelador me deu bom dia mas não me questionou sobre meu atraso.  

Não tinha tempo de pegar um ônibus, o ponto ficava muito longe. Então fui a pé mesmo, rezando que a professora me deixasse entrar assim que eu chegasse. Demorei mais do que imaginei para chegar à faculdade, mas graça a Deus minha professora me deixou entrar, mas isso me custou mais dez minutos de explicações de menos dois pontos na minha nota.  

Tinha apenas vinte minutos para fazer aquela prova, isso seria impossível era muito maior que eu imaginei. Em vinte minutos não pude fazer nem o inicio da prova.  

Acabei voltando para casa mais cedo do que planejava. Estava com raiva e ódio. Subi os degraus, um por um. Sem nenhuma pressa. Só pensando no melhor jeito de me vingar. Quase escorreguei em frente a minha porta, a água ainda não tinha secado. Após ajeitar meu apartamento, fui até a porta do meu amado vizinho. Assim como ontem deixei meu dedo direto na campainha, mas ninguém veio atender dessa vez. Ele não vai escapar assim tão fácil. Voltei para meu apartamento e já fui abrindo a minha janela. Logo cheguei até o quarto dele. Estava ficando melhor em pular janelas. Percebi que os cômodos ainda estavam meio úmidos. Como isso é possível? Quando aconteceu isso no meu apartamento as minhas coisas ficaram molhadas por uma semana. Apenas ignorei, não vim até aqui para isso.  

Entrei na sala já pronto para a discusão que estaria por vir. 

"Você não pode fugir de mim. Precisamos conversar." 

Ele ficou sem reação ao me ver, aparentemente ele não estava sozinho. Senti meu rosto corar assim que escutei a mãe dele falar. 

"Esse seria ele, Tae?." Perguntou  me olhando curiosa. 

Ele? Ele quem? 

Vi Taehyung hesitar um pouco levando as mãos ao rosto mas logo confirmou. 

"Ah meu filho, estou tão feliz! Ele parece um menino tão bom." Ela logo sorriu fazendo com que eu não entendesse nada. 

" Espera, mas esse não é o Jungkook?" Perguntou o pai dele. E eu logo assenti, claro que eles me reconheceriam, eu era vizinhos deles.  

"Ah, Jungkook como você cresceu. Se tornou um menino tão lindo que nem te reconheci." Disse a mãe dele em um tom cheio de felicidade. "Você se tornou um rapaz tão bom, mas como entrou aqui? Não lembro de te ver assim que eu cheguei." 

"Eu entrei pela janela." 

"Pela janela?" Vi a mulher lançar um olhar desaprovador para Taehyung, e isso me deu vontade de rir. 

"Como você pode fazer um desfeita dessas meu filho? Logo com seu namorado!" 

" Pois é, ele fez!" Disse o acusando. Como assim namorado? Não estava entendendo mais nada. 

"Meu filho, isso lá é jeito de tratar alguém? Principalmente seu namorado!" O pai dele disse e isso me chamou a atenção. 

" Namorado? Que namorado?" Perguntei confuso, tanto o pai e a mãe de Taehyung o olharam com o cenho franzido.  

"Que isso amor, eu já disse! Aquilo ontem foi apenas uma brincadeira!" Taehyung disse me abraçando. 

Os pais dele pareciam tão felizes, antes que eu ou a mãe dele pudéssemos falar alguma coisa ele nos interrompeu. 

"Nossa olha a hora, eu sei que o kookie gostaria de fica e conversar mais um pouco com você mas ele tem uma prova agora. Ele faz faculdade de..."  

"Psicologia." Disse o olhando confuso. 

"Nossa, Tae você fez uma boa escolha!" Disse o pai dele feliz. 

"Pois é! Mas agora meu namorado tem que ir." Disse me dando um selinho, isso fez com que eu corasse. "Falo com você depois amor!"  

Ele me levou até a porta e me empurrou até lá fora. Eu estava confuso sem entender nada, mas voltei para meu apartamento esperando até que ele venha me explicar. 

 

 

  

 


Notas Finais


Então, gostaram??
Desculpa pelo título, não sou muito boa com isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...