História My favorite psychopath.. » Imagine V « - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Imagine V
Exibições 39
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Chapter Two.


Me aguarde, Kim Taehyung.

. . .

Bom pessoal, hora de vocês tomarem seus remédios — O enfermeiro chegou anotando algo. — Façam fila. 

Todo mundo levantou e começou a se formar uma grande fila, o que era um saco ficar esperando ali. Me direcionei junto de Jungkook até a fila, e meu olhar parou em Taehyung, que entrou em nossa frente e ficamos atrás dele, ele era um pouco mais alto, e tinha um cheiro tão bom.. Não me julguem por estar cheirando alguém. Suas costas eram largas, seus cabelos castanhos e levemente bagunçados, ele tinha uma cara assustadora.. mas ao mesmo tempo fofa, e parecia inocente, bom.. sempre temos um lado obscuro, não?

— Então _____, Já sabe? coloque o remédio na boca, e assim que chegar ao dormitório, esconda - o dentro do colchão. — Jungkook falou e  eu assenti.

Taehyung pegou seu remédio e colocou na boca, mas não vi sinal que tinha o engolido. Eu e Jungkook pegamos os nossos e colocamos na boca, como esse remédio era considerado " forte " Depois de toma - los, tinhamos que ir para os dormitórios.

— Até depois,  ____.. — Jungkook sussurou para mim e pegou o corredor oposto, indo para seu dormitório. 

Prossegui para o meu dormitório, como esse lugar é entediante. Nada para fazer, só tomar remédios, conviver com os gritos dos loucos do andar de cima.. Tinha a parte da visita, porém nenhum parente próximo quis chegar perto. E ainda bem, não tenho paciencia para aguentar perguntas como " ____ Porque você matou seus pais? " " Eles te amavam tanto.. " bla bla bla.

Senti uma presença atrás de mim, o meu quarto era o penultimo do corredor, meio afastado de todos e achei estranho, olhei para trás e vi Taehyung, ele andava em minha direção apenas com suas mãos dentro do bolso da calça, eu ainda me intrigava ao olha - lo, alguma coisa de muito misteriosa tinha nesse cara.. e eu queria descobrir. Ele passou por mim, seus olhos se encontraram com os meus por alguns segundos e logo voltou a olhar para frente, abriu a porta e entrou.

E eu, resolvi não ficar no corredor, antes que algum infermeiro percebesse que eu não havia tomado o remédio. Eu estava cada vez mais interessada em Kim Taehyung, não por sua beleza, mas sim pelo seu mistério. Ele era famoso no manicomio, as enfermeiras.. babavam quando ele passava, assim como as outras loucas desse hospital.

Qual seria a melhor forma de eu me aproximar dele? já sei pelo menos que ele é meu " Vizinho de Quarto " Eu poderia facilmente convencer Jungkook a nos sentarmos na mesa dele amanhã. Tirei o remédio de minha boca e coloquei no pequeno buraco que tinha no colchão, e como eu não tinha nada pra fazer.. eu resolvi dormir.

. . .

Fomos acordados bem cedo pelos enfermeiros, eles queriam que a gente aproveitasse a manhã. Dá pra acreditar? me acordaram para aproveitar o amanhã. Todos foram direcionados para o parque de lá, dei de cara com o Jungkook que me abraçou, eu não retribui, por que.. bem, não gosto de abraços.

— Já sabe a maior? — Começamos a caminhar, e ele balançou a cabeça negativamente e apontei para o Taehyung, que lia um livro encostado a árvore — Ele é meu vizinho de quarto.

— Merda. isso só vai ajudar essa sua cabecinha a tentar se aproximar dele, não é? — Eu assenti.

— Eu já me decidi, vamos sentar na mesa do Taehyung hoje. — Me apressei a ir até o banco. —

— O.. oque?!? — Ele me olhou incrédulo e sentou ao meu lado no banco — Tudo bem.. quando você coloca algo na cabeça, não há quem tire. Fica parecendo o capeta em pessoa. —

— Sabemos que eu sou um anjo.. — Balencei minhas pernas 

— Um anjo não teria matado a própria familia e ainda ter gostado.. não é mesmo? — dei de ombros. —

— Se convivesse com eles todos os dias.. iria querer mata - los também. — Respondi dando um leve soco no seu ombro.

Logo os enfermeiros nos recolheram para ir até o almoço, que seria mingau, de novo.  Procurei Taehyung com os olhos e o achei sentado numa mesa afastada, olhei para Jungkook que me olhava com uma cara tipo. " Ainda dá tempo de desistir, vamos, desista! "

Segurei firme em minha bandeija e levei até a mesa de Taehyung, depositei ela lá e sentei em sua frente, e ao meu lado, Jungkook. Ele levantou seu rosto e nos olhou, com aqueles olhos vazios..

— Saiam — Ele foi curto e grosso, e nossa.. aquela voz é de arrepiar alguém rapidinho. —

— Que eu saiba.. a mesa não tem seu nome escrito. E relaxe, só queremos conversar. — Respondi o desafiando e ele largou a colher de mingau.

— ____.. Vamos sair daqui! — Jungkook já estava quase levantando quando o segurei. —

— Não vai ser ele que vai me tirar daqui, Jungkook.. — continuei encarando aquele rosto frio. — Ou era isso que eu pensava, ele derrubou o pote de mingau todo no chão, se levantando e apoiando seus mãos sobre a mesa, o barulho do pote se chocando contra o chão atraiu os olhares  de todos sobre nós, até os enfermeiros.

— Segue o conselho do seu amigo.. e fica bem longe de mim garota.. isso, se não quiser sofrer — Se afastou e foi embora para o dormitório, eu suponho.

— Eu avisei.. — Jungkook falou e logo terminamos de comer. Eu fiquei bem incrédula, como alguém podia ser tão grosso assim..? mas não é como se isso me fizesse desistir. Deu a hora do remédio, e repetimos o progresso indo para o quarto, o de Taehyung se encontrava aberta ainda, indicando que ele não tinha chegado. Fui entrando no meu quarto, ainda olhando para o dele, esbarrei em algo duro, que me derrubou no chão.

Era ele.

O que faz na porta do meu dormitório? — Respondi grossa, ele me encarava.

— Só vim alertar, acredite, não vai querer alguém como eu por perto.. — Me prensou contra a parede, ficando bem próximo do meu rosto, e por algum motivo desconhecido, eu não parava de encarar seus lábios —

— E por que eu não iria querer ? — Perguntei curiosa, sem deixar de encarar seus lábios e seus olhos ao mesmo tempo — 

— Porque.. eu machuco as pessoas que conheço. Eu gosto de machuca - las, nesse momento, o que eu mais quero.. é esquartejar cada parte do seu corpo.. — fiquei surpresa por um momento, ele levou uma de suas mãos e colocou a mecha do meu cabelo atrás da orelha — Tenha uma boa noite, _____..

Ele se afastou e entrou no seu quarto, e eu resolvi entrar no meu. Me esquartejar é..? ele não sabe que me falando essas coisas, só me motiva a persegui-lo mais..? mordi o lábio inferior. 

Kim Taehyung.. você acaba de entrar na minha lista a quem eu vou perseguir.. até o fim.

 







Notas Finais


Eai, ta ruim? Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...