História My favorite psychopath.. » Imagine V « - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Imagine V
Exibições 45
Palavras 1.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Chapter Three


Kim Taehyung.. você acaba de entrar na minha lista a quem eu vou perseguir.. até o fim.

 . . .

— Ele te disse isso?? E quando você disse próximos.. próximos quanto? — Jungkook me olhava de um jeito meio preocupado. Estavamos agora novamente no Parque de lá, sentados no mesmo banco.

— A ponto de quase nos beijarmos — Dei de ombros e vi Jungkook fazer uma careta e ficar meio emburrado, mas logo desfarçou. 

— Eu disse que ele é perigo ____, por favor não se aproxime mais dele. — Ele olhava para baixo. — 

— Todos somos.. — Respondi me levantando do banco, e Jungkook fez o mesmo, olhei para Taehyung que permanecia encostado na mesma árvore de antes, lendo algum livro. —  Olhando de longe, parece nem que é violento.

Quando me dei conta, estava sendo arrastada pelo Jungkook para a cantina, eu acho. Esqueci de mencionar, mas Jungkook também era bem famoso entre as garotas daqui, se olhares fossem metralhadoras.. eu já estaria morta. Mas bem, nunca entendi por que Jungkook nunca deu atenção a nenhuma delas. Logo o restante dos pacientes entraram na cantina, inclusive, Taehyung. Eu já disse que ele ficava sexy demais em roupas brancas?

— _____? Ta ai? — Jungkook estralava os dedos na minha frente e acordei, pegando a tijela de mingau ( sim, mingau qq) e sentando novamente na mesa do Taehyung.

— Esquartejar? esse é o seu pecado para estar aqui? — Vi ele dar um longo suspiro e comecei a comer.

— Você não me deixa em paz hein.. — Ele voltou a comer o mingau, sem nos olhar.

— Desculpa, mas ela também é uma Stalker — Jungkook sussurou, saboreando seu mingau e parece que Taehyung escutou perfeitamente — 

— Eu disse pra ficar longe de mim.. por que não me escuta? — Ele me encarou, levei uma das mãos até meu rosto e apoei meu cotovelo na mesa —

— Você.. é interessante.. — Dei de ombros e ele revirou os olhos — Gosto de um perigo.

O enfermeiro nos chamou para tomar os malditos remédios e novamente, fomos voltando para o dormitório. Essa vida é chata, é entediante. Quando estava adentrando meu quarto, senti meu ombro ser puxado e dei de cara com Jimin, um dos enfermeiros daqui.

— ______? Sua tia Karen, está aqui para vê - la!  — Fiquei surpresa, Jimin me conduziu até uma sala, por " segurança " Jimin amarrou minhas mãos.

— O que faz aqui? — Perguntei, realmente estava interessada. —

— Eu vim.. para te ver _____.. — Ela olhou para baixo meio nervosa. — Bom.. Eu não tenho raiva de você pelo que fez aos seus pais.. saiba que.. estou de braços abertos para você querida. — Ela deu um sorriso " Gentil ", mas sabemos que era o mais falso.

— Não, você está mais do que feliz por eu ter os matado, porque nenhum dos meus pais quis dividir a herança com você, pois você é uma drogada que só pensa em dinheiro e por isso deixaram só no meu nome. — finalizei

Ela me olhou com raiva e me deu um tapa forte na cara, eu sorri.

— Não aguentou a verdade titia? Sinceramente, tentando dar o golpe em mim tentando ser a tia boazinha? poupe - me — Ela ia me agredir novamente mas Jimin segurou sua mão.

— Desculpe, mas não vou permitir que bata na minha paciente de novo — Jimin a olhava sério, e esse olhar a intimidou. 

— Eu.. vou pegar essa herança custe o que custar — Eu bufei.

— Primeiro.. veremos se não vai amanhacer morta no lixão. Cuidado tia, se eu sair daqui.. você sera meu novo brinquedinho de tortura — Eu sorri maldosa e ela foi embora. — Obrigada Jimin.

Ele deu um lindo sorriso, uau.. sua fama aqui também não era mentira, senti o mesmo me abraçar e fiquei surpresa, e retribui. O cara empediu de um levar outro tapa né? só posso agradecer assim.

— Sempre que precisar.. eu estarei aqui — Ele deu uma piscadela e me guiou até o corredor, ele foi embora e eu dei de cara com Taehyung, encostado na parede em frente ao meu quarto.

— O que faz aqui? — Perguntei e sua atenção foi voltada a mim. — Não me diga.. que estava me esperando? — 

— Não seje ridícula, eu só.. vim tomar um ar, isso me acalma. Menos a porra dos gritos desses caras, isso me deixa louco. — Eu ri.

— Eu estava com minha tia.. — Fui cortada por ele.

— Não perguntei onde estava. — ele disse grosso. —

— Nossa.. boa noite então — Me fingir de ofendida e me direcionei para o meu quarto, ou melhor, tentei. Ele segurou em meu pulso com aquela forte mão. —

— Você estava com sua tia.. — Ele falou, e eu ri. então ele era curioso também hein.. —

Contei praticamente tudo para ele e ele apenas olhava para o chão, parecia pensativo com algo.

— Tá explicado a marca do tapa no seu rosto.. — Ele me olhou e eu assenti.

— ______? Você já chegou a amar alguém de verdade? — Ele me olhou e eu fiquei mais curiosa ainda.

— Não.. e você, já? — Ele ficou calado por alguns segundos. —

— Sim, e eu matei ela. — Ele se direcionou ao seu quarto me deixando confusa — 

— Caralho, eu preciso muito saber do seu passado.. — Eu sussurrei para mim mesma e entrei no quarto.

. . .

Jungkook não havia aparecido naquela manhã, achei estranho. Afinal, ele chegava antes de todo mundo. Dei de ombros e procurei por Taehyung. Achei ele naquela mesma árvore e tentei me aproximar, mas fui barrada por Jimin, olhei para o Taehyung que também nos olhava.

— Se não se importar, _____.. Almoça comigo hoje? — Ele olhava para baixo e seu rosto estava levemente ruborizado. ( corado/vermelho.)

— Ah.. Claro.. — Concordei sem pensar, Taehyung voltou seu olhar para o livro e fui guida pelo Jimin para a cantina, só que ele pagou comida de verdade para mim. De verdade. Eu devorava aquela comida, porque né, nunca se sabe se vamos ter outra oportunidade assim. E ele ria de mim.

— Rindo de que? — Arqueei a sombrancelha e ele parou de rir. —

— Desculpa, mas.. parece que nunca viu comida na vida — Dei de ombros e voltei a comer — ______, Serei direto com você..

Não consegui prestar atenção no resto, olhei para Taehyung que estava sentado a mesa, e uma garota sentou ao seu lado, quase o agarrando. Por um momento senti um incomodo, e imaginei ela morrendo sendo sufocada pelas minhas mãos, e ele estava conversando normalmente com ela.. não a expulsou.

Eu fiquei puta.

— ______? — Jimin estralou os dedos na minha cara e eu acordei, ele olhou na direção que eu estava olhando e depois me olhou — gosta dele? — neguei com a cabeça.

— Bom.. sabemos que psicopatas não tem sentimentos. — Eu falei realmente pensando nisso, e Jimin ficou quieto por alguns segundos — Queria me dizer o que mesmo?

— Bem.. eu queria te levar a um lugar, não é um encontro, relaxe.. mas.. é só um lugar.. — Ele se embaraçava para dizer.

— Tudo bem, já não aguento mais aqui mesmo. — Dei de ombros e ele sorriu.

— Até sexta então.. — ele saiu e deu o horário dos remédios, procurei Jungkook mas ele não se encontrava ali, bem estranho.. saí mas cedo que todos dali e fui para o meu corredor, e novamente.. Taehyung se encontrava ali, com aquela garota.

Por algum motivo, eu a queria morta.

Eu não entendo isso.

Fechei a cara, eles notaram minha presença e me olharam, A garota parecia ter entendido o recado, minha cara dizia claramente. " Sai daqui, antes que eu te mate e suma com seu corpo. " E saiu embora

— Porque essa cara? — Taehyung me encarava e eu nada disse, voltando para o meu quarto. " Eu estava o evitando? Por quê? " — Estou falando com você.. — Ele me puxou bruscamente para fora.

— Não é da sua conta. — Respondi grossa, ele arqueou a sombrancelha mas logo soltou um sorriso, que aparentava ser ironico. — Não me diga.. que estava com ciumes? você estava fuzilando ela com o olhar.. — tentei negar mais por um momento, não tive falar. Ele se aproximou de mim, quase colando nossos corpos e por algum motivo, o meu coração deu um pulo. Mas que merda está acontecendo? Sua boca se aproximou de minha orelha.

— Mas é claro que não.. afinal, psicopatas não tem sentimentos.. não é? isso é impossivel. — Ele se afastou dando uma piscadela e voltou para seu quarto. E eu.. paralisei. 

Mas que merda está acontecendo comigo? 












Notas Finais


Ta ruim? Devo realmente continuar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...