História My favorite psychopath.. » Imagine V « - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Imagine V
Exibições 44
Palavras 1.805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Chapter Four


Mas que merda está acontecendo comigo? 

. . .

Resolvi ir para o meu quarto, tentei de todas as formas dormir mas não consegui, eu não parava de pensar em suas palavras.

" Não me diga que está com ciumes.. você estava fuzilando ela com olhar. "

" Mas é claro que não.. afinal, psicopatas não tem sentimentos.. não é? isso é impossivel. "

Me levantei sem paciencia e sai do quarto, alguns dos pacientes podiam sair, só em casos bem graves em que não se comportassem a porta seria trancada automaticamente.

— Você fudeu com meu psicologico Taehyung, mais do que já é. Obrigada. — Revirei os olhos.

Como eu queria socar aquele lindo e fofo rosto.

Até sangrar muito.

De repente ouço um barulho vindo dos corredores e me escondo, a pessoa que se aproximava parecia desnorteada, estava tropeçando muito em todo lugar, até que essa pessoa se aproxima.

Era o Jungkook.

— Obrigada pelo susto Jungkook, e por ter fudido meu coração de susto agora. — Olhei para ele, ele estava bem estranho.. estava caindo e dizia nada com nada.

— ______..? Eu.. eu..Eu te amo — Ele falava coisa com coisa —

— hã? Jungkook, onde você estava? e andou roubando as bebidas do guarda de novo? — Ele estava prestes a cair de novo e eu o segurei.

— Eles.. descobriram.. que eu não tomava os remédios ______, é.. q-questão de tempo até te descobrirem.. — Ele ria

— Te encheram de remédios.. — Passei o braço dele pelo meu pescoço — Vou te levar para o seu dormitório — Eu andei com ele até seu dormitório, ele não parava de dizer que estava vendo unicornios e que a gente iria se casar, wow, esse não é meu Jungkook. 

Chegamos na porta de seu dormitório e eu o ajudei a se deitar, já ia embora quando ele segurou meu pulso, por um tempo ficamos em silêncio.

— Você.. gosta daquele idiota do Taehyung..? — Jungkook finalmente se pronunciou

— Não.. eu e você sabemos muito bem.. que psicopatas não podem amar. — Tentei ir embora mas ele me segurou firme.

— E se você for.. diferente? Porque.. não casa comigo..? eu seria muito melhor para você.. — 

— Jungkook você está bem drogado.. boa noite — Me soltei e fechei a porta de seu quarto.

Seria possível, uma psicopata, assim como ele, poder amar alguém? Bom.. Taehyung amou tanto alguém.. eu acho, que acabou a matando. E mesmo que eu acabe conseguindo sentir algo por ele, eu duvido que ele sentiria o mesmo. Não, eu não posso amar alguém. Nunca em toda  minha vida senti afeto, amor ou carinho por alguém. A ùnica coisa que já me fez sorrir.. foi ver a cara de desespero do meu irmão enquanto eu o esfaqueava.

Mas que merda realmente está acontecendo comigo?

Não é hora de pensar nisso, eu tenho coisas mais sérias para pensar.. por exemplo, o Jungkook foi drogado, descobriram ele de algum jeito. E não vai demorar para talvez eles me descobrirem também. Quando me dei conta, já havia chegado na porta do meu quarto, suspirei e me deitei, finalmente, conseguindo dormir.


. . .

Acordei cedo, como sempre. Fiz minhas higienes, e logo fomos todos mandados para o parque, e fiquei aliviada ao ver Jungkook ali, ele me abraçou mas dessa vez se afastou rápido, e seu rosto estava beeem.. ruborizado.

— O-olha, qualquer coisa estranha que eu tenha te digo de madrugada.. p-por favor, esqueça — Ele estava um pimentão.

— Oh.. de você se declarando a noite inteira para mim? — Provoquei, seus olhos se arregalaram e ele ficou duro que nem pedra. — Estou brincando.. — Ele sorriu, ouvi ele dar um suspiro aliviado.

— Obrigado por ter me ajudado.. — Ele sussurou e eu assenti.

Andamos até o mesmo banco, não me atrevi a olhar Taehyung nem por um segundo, não queria vê-lo agora, esse garoto fudeu com meu psicologico, que ódio. Eu me sentei e Jungkook ao meu lado, tivemos assuntos aleatórios, até dar a hora do almoço. Soube que Jimin só estaria de volta a noite e fiquei um pouco aliviada. Ele é até bonitão e tals, mas né.. Segui Jungkook até a cantina de lá e ele estranhou por eu nao ter sentado na mesa do Taehyung, me atrevi a olhar uma vez para lá e novamente estava aquela garota.

Lugar de puta é no puteiro, não em manicomio.

Balancei tais pensamentos os afastando, Meu olhar se encontrou com o de Taehyung e ele começou a rir para a garota, parece até que gostava de me provocar, de me ver confusa daquele jeito. Dei de ombros e voltei minha atenção para Jungkook, que estava quieto até demais.

— O que aconteceu enquanto estive fora? — Jungkook perguntou, brincando com seu mingau —

— Jimin me chamou para sair sexta, estou indo pela comida. E porque não aguento mais esse lugar. E só.. — Jungkook quase quebrou a colher e suspirou.

— Só? E porque não estamos na mesa do Taehyung, já enjoou dele? — Assenti e ele deu uma risada estranha — estava comendo ele com os olhos até agora pouco..

— Cala boca.. — Eu disse e ele ficou quieto, deu a hora dos remédios e Jungkook deu um jeito de sumir com ele. Acabei evitando Taehyung o dia todo e ele nem se importava. Mas o pior é que nossos quartos são vizinhos. Me apressei em ir para o meu corredor, olhando para trás para ter certeza que Taehyung não estava logo atrás, mas acabei esbarrando em algo duro. 

— Ai.. — Disse massageando a cabeça e olhei para o ser a minha frente, era Jimin.

— Me desculpa.. — eu assenti. — ____ eu vim.. para.. — Na mesma hora Taehyung chegou com sua coléga — Te buscar.. encontro.. digo, saida.. — Ele se embolava todo

Quer jogar esse jogo de provocar? pois saiba que eu também sei jogar.

— Oh, é claro.. nosso encontro. Mas.. não tenho nenhuma roupa para sair.. sabe.. — Fiquei encarando Taehyung, que não tinha nenhuma expressão em seu rosto.

No fundo.. eu queria que ele sentisse algo em relação a isso.

— Já providenciei.. vamos? — Eu assenti e ele me guiou, Vi Taehyung dar de ombros e ir com sua coléga até seu quarto.

Decidi esquecer Taehyung por essa noite e tentar aproveitar. Jimin me levou até uma sala e meu deu um vestido vermelho e bonito, enquanto foi se arrumar na outra sala. Vesti o vestido vermelho, que ficava bem apertado e demonstrava um pouco meu decote.

Ele tem um bom gosto Hein..

Meus cabelos eram lisos e por sorte, não era complicados de arrumar. Os deixei soltos mesmo, batia até minha cintura meus cabelos, e eu não preciso de maquiagem.

Eu tenho beleza natural, meu amor.

A porta foi aberta, revelando um Jimin muito bonito também, usava um all star, uma calça jeans e um blusa um pouco transparente, wow, dava para ver seu abs.

Multiplica Deus.

Ele deu um daqueles lindo sorrisos gentis.

— Está bonita. — Eu assenti e disse o mesmo para ele, seu gosto para roupas femininas era beem provocante hein.. Ele pegou minha mão e saimos da sala, senti que estava sendo observada mas divia ser o Jimin mesmo.

Ele abriu a porta do seu carro preto para mim e eu entrei, era bem confortável, digamos. Ele entrou no banco do motorista e deu partida, perguntei milhares de vezes a onde iríamos, e ele não quis dizer, alegando ser " surpresa. " resolvi aquietar e olhei pela janela, a quanto tempo eu não via essa paisagem hein..

Logo paramos em frente a um belo restaurante, ele abriu a porta para mim e me ajudou a sair do carro, entrelacei meu braço no dele e observei o lugar, era bem chique. Fomos até o moço que via as reservas.

— Reservas em nome do enfermeiro Jimin, por favor. — O homem checou e nos deixou entrar.

Sentamos em uma mesa um pouco afastada das outras, tudo era muito chique e bonito. Senti falta disso tudo. Jimin pediu uma das comidas mais caras e eu com certeza não reclamei.

— Então.. não tem medo de mim? — Perguntei, brincando com o palito de dente. Ele me encarou e logo abriu um grande sorriso — Pelo fato de eu ter assassinado minha familia inteira.

— Não.. eu não tenho. Gosto muito de você _____ e sei que tem um pensa ai dentro, que é boa. — Dei de ombros, cada um pensa o que quer.

Durante esse tempo, batemos uns papos legais e conheci bastante sobre Jimin, ele era impressionate e divertido. menos nas partes das piadas, 100 or. A comida logo chegou e começamos a comer, alguma vez ou outra ele tentava pegar em minha mão mas eu a tirava sempre, não gosto de contato. Terminamos de comer e ele pagou a conta, ele me deu um sorvete e um urso de pelucia. Voltamos para o carro, ficamos em silencio, só escutando a música que era tocada no rádio. " Exo - monster. " Paramos em frente ao manicomio e Jimin veio se aproximando.

Mas que raios ele vai fazer?

Ele chegou proximo o suficiente e aproximou sua boca de meu pescoço, dando um chupão forte no local, soltei um gemido baixo e o empurrei.

Se eu tivesse algo afiado.. eu mataria ele ali mesmo.

Sai do carro as pressas assim como ele, ele me guiou para dentro, pedindo desculpas. Mas se bem que.. esse chupão me deixou excitada.. mordi o labio inferior e fui para salinha, me troquei e voltei para o corredor do meu dormitório, dando de cara com um Taehyung com uma cara nada boa.

— O que faz acordado até agora? é 2:00 da manhã — Ele se aproximou

— E o que você fazia, a essa hora? — Dei de ombros.

— Eu estava saindo com o Jimin, oras. — 

— E quem disse que podia sair com ele? —  O que? ele pode sair pegando as tias, e eu os gato non? 

— Que eu saiba, a vida é minha e eu saio com quem eu quiser..— Tentei empurrar ele, mas logo ele levantou a mecha do cabelo, mostrando o chupão

— Mas que merda.. — ele olhou para o chupão, agora ele estava mesmo furioso, me prensou com tudo na parede e segurou meus pulsos com força, gemi de dor. — Você não pode deixar ninguém te machucar ou te marcar.. que não seje eu. — Ele atacou meus lábios furiosamente,e eu correspondia sem pensar, suas mãos foram para minha cintura a segurando firmemente, ele pediu passagem com a lingua e eu cedi, uma de suas mãos foram até minha bunda e apertou com força, me fazendo gemer entre o beijo e ele mordeu meus lábios deixando sangrar um pouco, ele chupou esse sangue e se afastou de mim.

— Tenha uma boa noite _____.. — Ele entrou em seu dormitorio. —

— Que filho da puta.. — Sussurei ofegante, não acreditando no que tinha acontecido e entrei em meu quarto — Porra de garoto bipolar..

De algum jeito, esse beijo mexeu comigo.














Notas Finais


Devo continuar mesmo? ;-; n acho que esteja bom


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...