História My favorite writer - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Ryeowook, Lee Sungmin
Tags Kyumin, Sichul, Yewook
Exibições 29
Palavras 2.675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura. ^^

Capítulo 4 - Conhecendo novas pessoas.


Fanfic / Fanfiction My favorite writer - Capítulo 4 - Conhecendo novas pessoas.

Conhecendo novas pessoas:

 

Naquela manhã, Kyuhyun acordara com uma dor de cabeça terrível, ao se levantar do sofá percebeu que aquele não era a única parte de seu corpo que doía, suas costas também reclamavam, graças à posição nada confortável em que e adormecera na noite anterior.

Levantou-se devagar para não piorar as dores que sentia e xingou baixo, se esticando um pouco para ver se aliviava a tensão exercida em suas costas, quando se sentiu um pouco melhor, saiu a procura de um remédio para dores em sua casa, acabando por o achar em uma caixinha de primeiros socorros que mantinha no banheiro. Após o ingerir sem água mesmo, já que não queria ir até a cozinha para pegar a bebida, lavou seu rosto e se olhou no espelho vendo a precária situação em que se encontrava.

—Aish, estou parecendo um zumbi. — Reclamava enquanto ia até seu quarto se vestir e tentar dar um jeito em sua aparência, que não estava uma das melhores.

Ao chegar ao cômodo, se trocou rapidamente para não perder tempo e passou um creme e outros produtos em seu rosto para melhorar a aparência deste, já que não poderia aparecer em sua primeira reunião daquela maneira.

Tomou um café simples e rápido, tentou organizar as coisas em sua casa antes de sair, algo que não teve muito sucesso, já que nunca foi muito bom em organização, mas fazia o possível para seu apartamento não virar uma completa desordem.

Pegou as plantas que começara a cultivar e as regou, as pondo depois em um local onde pudessem receber luz solar, mas sem que essas se ferissem caso o Sol ficasse muito quente naquele dia. Quando sua tarefa estava concluída, ficou a observá-las, gostava da paz que estas o traziam, desde quando era pequeno, as plantas sempre o tranquilizava.

Lembrou-se de sua infância, onde sua mãe tinha um enorme jardim ao fundo da casa, no qual cultivava diversos tipos de plantas e sempre levava seu filho para o meio deste para que conhecesse cada uma dessas plantas e que brincasse ao ar livre.

Ter aquelas recordações o fez sorrir, definitivamente sentia falta daquela época onde suas únicas preocupações eram brincar e tentar não levar bronca de sua mãe por ter se machucado em meio a uma brincadeira e outra, realmente, naqueles tempos o mundo não parecia tão cruel como realmente é.

Foi trazido de volta a realidade quando um pequeno passarinho pousou no parapeito de sua janela e começou a assobiar, sorriu para o pequeno animal e voltou ao interior de seu lar para terminar de se arrumar e ir a seu trabalho.

 

***

 

Pegou o que precisava e logo seguiu o caminho já conhecido até a empresa, tentando ser o mais rápido possível, não queria de modo algum chegar atrasado justo nos primeiros dias de trabalho.

Chegando à empresa imediatamente foi ao piso onde seria realizada a reunião naquele dia, encontrando seu chefe o aguardando de forma impaciente.

—Pensei que não chegaria mais Cho.

--Me desculpe senhor Kim.

—Já falei para não me chamar de senhor. Enfim, apenas me siga, a reunião já irá começar, os únicos que estavam faltando eram você e Sungmin.

Suspirou baixinho de alívio, pelo menos não era ele quem tinha chegado por último.

Andaram por aquele extenso corredor cheio de quadros e com uma decoração elegante, ao chegarem ao fim deste a porta da última sala dali foi aberta, revelando uma grande Sala, que já estava ocupada por algumas pessoas, estas se organizavam ao redor de uma mesa redonda, que continha cerca de seis cadeiras.

Ao entrarem no recinto, foram logo notados por uma dupla que não fizera cerimônias ao o olhar como se perguntassem que ele era.

—Bom dia pessoal. — Heechul chamou a atenção de todos ao se pronunciar. — Quero lhes apresentar nosso novo editor vindo de Busan, Cho Kyuhyun.

Ao termino da fala do outro, Kyuhyun se curvou em comprimento a todos os presentes.

—Olá, espero que cuidem de mim.

Viu o mais baixo da dupla que lhe encarava quando entrou abrir um sorriso e se pronunciar em seguida.

—Oh, ele é o editor do Sungmin hyung?

—Sim Wokkie, ele é o editor do Sungmin. Alias, tenho que fazer as devidas apresentações, Kyuhyun, este é Ryeowook, um dos mais renomados mangakás e o moço que mais parece um gótico rebelde sentado ao seu lado é Yesung, seu editor.

Viu o primeiro lhe lançar um sorriso amigável enquanto o moreno que possuía olhos menores do que o normal apenas acenar, logo percebeu que este além de ter um estilo diferente era mais fechado em relação a socializar com as demais pessoas.

—Prazer em conhecê-los. — Acenou para estes em resposta aos cumprimentos dirigidos a si.

Em seguida foi apresentado ao outros membros da equipe, que o recepcionaram de forma amigável, tranquilizando momentaneamente o medo de não ser aceito em seu novo ambiente de trabalho.

 

***

 

Nesse momento, certo loiro cruzava de forma apressado a entrada daquela mesma empresa, segurando sua pasta com força contra seu corpo, como se sua vida dependesse disso.

“Por favor, que a reunião ainda não tenha começado”, implorava em pensamentos ao aguardar a chegada do elevador que o levaria ate o seu tão esperado compromisso.

Ao se passar alguns instantes este finalmente chegou e assim adentrou no cubículo metálico, pedindo de forma incessante para que desse tempo de chegar sem atrasos, para não levar uma bela bronca de seu chefe.

Passando-se poucos minutos, mas para ele pareceram eternidades, desembarcou no hall do andar que desejava e apressadamente se dirigiu para a última sala daquele local, onde sabia que seria realizado o encontro dos membros da equipe daquela empresa.

Chegando finalmente onde desejava, abriu a porta sem nenhuma delicadeza, chamando a atenção de quem ali estava estes que o encaravam de forma interrogatória.

—Me desculpem, devia ter tomado mais cuidado ao abrir a porta.

Desculpou-se e de forma tímida e seguiu até a cadeira ao lado de seu novo editor, onde se sentou e junto com os outros, aguardou Heechul dar inicio a discussão.

—Pois bem, estamos aqui para discutir sobre os futuros projetos que serão publicados por nossa editora. Eu pedi para que cada autor trouxesse o rascunho do primeiro capítulo de seu novo titulo, para que os analisássemos. Acredito que todos cumpriram o que pedi certo?

Os autores presentes apenas fizeram um aceno positivo a aquilo que foi perguntado.

—Então peço que cada um faça a apresentação do que decidiu escrever.

Ryeowook logo se dirigiu ate a ponta da mesa de forma confiante, ficando de frente para todos que estavam sentados e começou a apresentar sobre o que se tratava seu novo trabalho.

—O meu novo mangá tratará de uma garota que tem o poder de despertar os sentimentos das pessoas umas pelas outras das flores, por exemplo, se ela percebe que duas pessoas estão destinadas a ficar juntas, o que percebe através de sua visão especial, ela faz flores especiais para aquele casal e quando estas são entregues para ambos, imediatamente elas se apaixonam. O problema é que o garoto que aparentemente é a alma gêmea de sua prima, que ela considera como uma irmã, já que foram criadas juntas, é justamente o garoto pelo qual ela é apaixonada á anos e a história vai ser desenvolvida mostrando as aventuras dela em unir as pessoas que são dadas em missão para si e ter que lidar com essa paixão que guarda há anos, mas que precisa abrir mão para dar à prima a felicidade.

Com o fim de seu discurso, todos os aplaudem e o parabenizam pela história que desenvolveu.

Mas alguns autores fazem suas apresentações, alguns melhores que outros, mas que cada um de sua maneira chama a atenção com seus projetos, até que finalmente chega à vez do último se apresentar.

Sungmin se levanta e se posiciona de forma um tanto insegura a frente de todos, estes que o observam e analisam, apenas aumentando o nervosismo que já está presente em seu interior.
Ele respira fundo tentando se conter antes de começar.

—Então, meu novo projeto mesmo tendo enfoque principal o romance, também terá outros pontos como abordagem. A história se trata da história de amor entre dois jovens que tem tudo para dar certo, porém a moça não pode ter filhos, o que se tornou um empecilho para que os dois possam ficar juntos, já que seu amado pertence a uma família muito rica que gerencia uma das maiores empresas do país, na qual uma das tradições que prevalece é a de que o comando desta seja passado de pai para filho, este que tem que de ser legitimo, porém, pelo amor de ambos ser forte, eles conseguem se casar, mas agora a personagem tem que conviver com a rejeição da família de seu marido, com sua insegurança ao surgir uma mulher disposta a dar um filho legitimo a seu marido e sua vontade de ser mãe que não cessa. Minha história vai ter como pilares a questão do amor e os conflitos internos pelos quais a protagonista irá passar.

Todos se levantam para aplaudi-lo, comemorando aquele projeto que com certeza irá resultar em uma ótima história de se ler.

Depois de discutirem mais algumas questões, a reunião é encerrada e todos são liberados.

 

***

 

Quando Sungmin esta se dirigindo a saída, para ir a sua casa é chamado por Heechul até sua sala, interrompendo seus planos.

-Fiquei verdadeiramente impressionado com o roteiro que conseguiu elaborar para este mangá, Sungmin.

—Obrigado Heechul-ssi, eu queria trazer uma história que fugisse dos padrões das histórias de romance que costumamos publicar.

—E conseguiu isto de forma impressionante dongsaeng, isto posso te garantir.

—Obrigada por ter gostado da ideia hyung.

Ao notar certa desanimação no tom de voz que o outro usa consigo mesmo estando a elogiar de forma eufórica um roteiro, o que era raro de se acontecer, já que a maioria das histórias que surgiam para ele eram muito clichês, ele desvia a atenção da grande janela de sua sala, onde antes observava a vista que esta oferecia e focou suas atenções no menor que está de cabeça baixa no meio de sua espaçosa sala.

—O que aconteceu, Sungmin?

O outro lhe olha receoso antes de responder.

—Apesar de saber o que irá acontecer durante o desenvolvimento da história, eu não estou conseguindo desenvolver algumas cenas, em especial as de romance...

Responde em um tom baixo e com evidente receio, fazendo o outro ter de se esforçar para poder ouvi-lo.

—Oh, Sungmin... — Diz em um tom compreensivo. — Sei pelo que esta passando, muitos autores acabam tendo bloqueios em certas partes de suas histórias, isto é algo natural. Com esforço e paciência você vai conseguir contornar essa situação.

—Eu sei disto, porém, eu já tentei de tudo o que acreditava que daria certo, e nada surtiu efeito.

—Hm, já pensou em falar com Kyuhyun? Ele é seu editor, vai conseguir lhe ajudar.

—Certo, irei falar com ele e obrigada por gostar do meu trabalho Heechul-ssi.

Acena em despedida e segue para casa, no caminho entra em contato com seu editor para marcarem uma conversa, pois algumas coisas precisavam ser discutidas e assim se se põem a esperar.

 

***

 

Nosso Cho seguia tranquilamente para sua casa, agradecendo em pensamento por ter dado tudo certo em sua primeira reunião, quando sente o aparelho celular que carregava em seu bolso vibrar de forma insistente, o forçando a dedicar uma atenção ao aparelho.

Quando olhou, viu que era uma mensagem de Sungmin, solicitando que passasse em seu apartamento, pois precisavam conversar sobre o mangá que este esta a escrever.

“Ué, será que aconteceu alguma coisa? Ele estava tão seguro durante a apresentação...”, pensa enquanto muda sua rota para seguir ao apartamento do loiro.

Mas antes de seguir o caminho que o levaria a este, passa em uma cafeteria e compra um cappuccino, já que provavelmente aquela discussão demoraria e para isso precisaria de cafeína em seu sangue.

Depois de fazer a compra e beber o liquido que almejava finalmente pega a rota que iria ate o autor por qual agora era responsável.

Quando se encontrava a frente do lar deste, tocou a campainha aguardando para ser atendido. Não tardou ao loirinho de óculos de armação grossa que ficavam desajeitados em seu rosto abrisse a porta e o recepcionasse.

Cumprimentou de volta e adentrou o pequeno espaço assim que foi convidado, se acomodou no estofado do sofá daquela sala que já lhe era familiar, aguardando o outro falar do problema que estava enfrentando com sua história e que precisava de sua ajuda, mas sua atenção foi roubada pela pequena bola de pelos cinza que ali vivia. O gato estava parado a seus pés, sentado no chão a o observar e depois de ficar naquela posição por mais um tempinho começou a se esfregar em sua perna e ronronar, pedindo carinho, o que não foi negado por si, que começou a acariciar-lhe, ficaram assim ate o dono do bichano se sentar no sofá que ficava a sua frente e começar a relatar o que estava acontecendo.

—Bom, lhe chamei aqui, pois estou enfrentando um bloqueio com a minha história.

—Bloqueio? Mas você parecia tão seguro e com tudo planejado quando estava apresentando seu roteiro hoje manhã...

—Sim, realmente eu tenho tudo planejado, mas estou tendo problemas em desenvolver as cenas de romance e estas são um dos pontos chave da história, então preciso de ajuda urgente.

—Hm, primeiro você precisa manter a calma para conseguir dissolver esse seu bloqueio.

—Mas eu tenho prazos a cumprir. — Fala de forma desesperada.

—Não interessa, você ficar desesperado e se forçando não vai resultar em nada, então se acalme que vamos achar uma solução para isso, ok?

—Certo... – Mesmo estando incerto sobre aquele conselho, tenta se acalmar. — Então, o que vamos fazer?    

—Agora temos que pensar, você disse que estava com bloqueio em cenas românticas, certo? — Viu o outro afirmar em sinal positivo. — Que tal você sair e assim começar a observar o comportamento das pessoas em certos lugares e usar isso na história?

—É que não gosto muito de sair e não sei me socializar muito bem... – Comenta se remexendo desconfortavelmente em seu lugar.

—Então façamos assim, já que sou seu editor, irei com você a estes lugares e te ajudarei a espairecer a mente, assim sua inspiração irá voltar o que acha?

O menor fica surpreso com a proposta que o outro lhe fez, tanto que chega a arregalar os olhos, aquele comportamento não é muito comum entre os editores que já conheceu.

Kyuhyun dá risada do espanto tão evidente do mais velho.

—Não precisa ficar com esta cara, eu gosto de manter uma convivência próxima e até amizade com os autores que auxílio, então acredito que assim será mais fácil de te ajudar e também me distrair da seriedade do trabalho, as duas partes saem ganhando, o que me diz?

—Acho uma ótima ideia, mas peço que tenha um pouco de paciência comigo, pois não levo nenhum jeito com isso de sair para socializar. — Suas bochechas acabam adquirindo um leve tom de rosa com ao final de sua frase.

—Claro, também não sou o exemplo de pessoa que super socializa quando sai de casa. – Com aquela frase consegue passar confiança ao outro.

—Então tudo bem, quando vamos começar?

—Que tal amanhã? Irei pensar em um lugar que possamos ir.

—Certo. — Confirma com um sorriso no rosto.

—Tudo bem, agora vou indo, até amanhã.

Levanta-se para ir em direção a porta que dá saída ao corredor, mas é impedido ao sentir um puxão na manga de sua blusa, ao se virar encontra Sungmin o segurando enquanto demonstra estar envergonhado.

—Obrigado mesmo por estar me ajudando desta forma.

—De nada, mas não precisa agradecer, vai ser divertido lhe ajudar.

Vira-se e dá um último carinho no gato que esta apoiada no braço do sofá e saí porta a fora, podendo finalmente ir para sua residência.

 

Talvez ajudar na confecção daquele mangá não fosse tão tranquilo quanto pensava que seria, mas talvez, só talvez, aquilo lhe trouxesse coisas boas.  


Notas Finais


Olá minhas jujubas?
O que acharam do cap?
Alguém tem consegue adivinhar qual será o primeiro lugar onde eles vão?
Deixem suas opiniões, adoro ler os comentários <3
Byebye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...