História My Feelings - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Doutor Estranho, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Homem-Formiga, O Incrível Hulk, Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Darcy Lewis, Dr. Bruce Banner (Hulk), Fandral, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Heimdall, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Jane Foster, Janet Van Dyne (Vespa), Lady Sif, Laura Barton, Loki, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Peter Parker, Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang, Sharon Carter (Agente 13), Stephen Vincent Strange / Doutor Estranho, Steve Rogers, Thor, Visão
Exibições 5
Palavras 1.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Uma Rosa Preta


#Loki's P.O.V.

"Está tudo bem."

"Eu vou ficar bem."

"Vou voltar pra você. Eu prometo!"

Essas frases ecoavam pela minha cabeça, corroendo quais quer que fossem os vestígios de sanidade que eu obtivera depois que a conheci. Ela mudou totalmente a pessoa que eu era, transformando-me em algo bom. Ela me salvara e eu não fizera o mesmo.

E aqui estou. Acabando com a mobília do meu quarto. Descontando nela toda a minha raiva por não ter feito nada para salvá-la quando pude.

-Senhor? - um dos guardas chamou, abrindo a porta após bater na mesma.

-Sim? - respondi e, é claro, criei uma ilusão de um quarto bem arrumado e de um Rei em ótimas condições. Totalmente o contrário do que realmente se tratava.

-Voltaram com boas notícias de Jötunheim. Está tudo calmo mais uma vez. Prometeram não atacar novamente. - o guarda informou.

-Obrigado. Pode se retirar. - disse ao guarda que fez o que pedi.

Depois de tomar um banho, me vestir adequadamente para sair de meus aposentos e mandar serviçais meus arrumarem meu quarto, me retirei e vou até Heimdall.

-Heimdall.

-Senhor. - nos cumprimentamos e ele voltou a observar as estrelas.

-Como está meu irmão e os outros? - perguntei como de costume.

-Todos bem. Nada fora do normal. - responde-me.

-Ah...

Ficamos um tempo só observando as estrelas até que Heimdall se pronunciou novamente.

-Meu senhor, seu irmão pede para que abra Bifrost.

-Abra, então.

Para Thor estar fazendo um pedido destes depois de um ano, deve ser algo sério.Após alguns segundos, Thor aparece.

-Olá irmão. Quanto tempo, não? - nos cumprimentamos.

-Digo o mesmo, Loki. Está bem, pelo que vejo. - deduziu.

-Disse bem. Pelo que vê. - disse olhando para as estrelas. - Mas, bem, o que houve?

-Nada de importante. Apenas vim fazer uma visita e um convite. - ele disse sorrindo.

-Convite?

#Janne's P.O.V.

-Tudo bem, Janne? - Darcy perguntou.

-Ahn? Ah, tudo sim. Estava viajando em meus pensamentos. - respondi.

-Normal. - Ian comentou.

-Crianças, deixem ela. Ela mal acaba de ser pedida em casamento e vocês querem que ela esteja como? - Eryck disse "brigando" com o casal.

Desde que tudo aquilo aconteceu, Darcy e Ian começaram a namorar, eu e Thor continuamos juntos como sempre e Eryck dava aulas em uma Universidade de Londres. Tudo estava as mil maravilhas. Á uma semana mais ou menos, Thor me pediu em casamento.

-Tá, né... - Darcy disse rindo. Ela será minha madrinha de casamento junto com Pepper e Natasha, que acabaram virando amigas de Thor e até mesmo minhas depois do ocorrido no Brasil. Eryck me levará ao altar. Os padrinhos vão ser Ian, Barton e... Loki.

#Loki's P.O.V.

-Sabe, depois de tudo isso, eu pensei que nada iria me surpreender. Principalmente isso! - disse e nós dois demos risada. Estávamos à andar por Asgard. - Mas você sempre consegue me surpreender. O casamento vai ser aqui, em Asgard, ou lá, em Midgard? - perguntei.

-Não sabemos ao certo. Estamos decidindo ainda. Mas então, aceita ou não? - meu irmão perguntou.

-Claro! Por que não? - rimos novamente.

1 mês depois...

Na Terra de novo... Pensei nunca mais ter que voltar aqui.

O casamento de meu irmão foi praticamente as pressas sem motivo aparente. Faltavam apenas algumas horas para a cerimônia começar e todos tinha chegado à igreja. Quando uma música começou, a noiva entrou. E, sinceramente, estava linda. Por um momento me imaginei no lugar de Thor e Lia no lugar de Janne... A cerimônia seguiu sem novidades. Tudo certo e estávamos festejar.

-Linda festa, Janne. - Pepper comentou.

-Verdade. - Natasha concordou.

-Obrigada. - agradeceu.

-Mas, Loki, como que anda o espaço? - perguntou Darcy.

-Bem, Darcy. Ainda temos alguns ataques, mas nada que não seja facilmente resolvido. - lhe respondi.

-Ataques, irmão? De onde vieram? - Thor me perguntou.

-Os últimos foram de Jotünhen ao nosso arsenal de grandes armas, mas isso os guardas e alguns guerreiros deteram rapidamente. Agora os ataques maiores não foram nem um pouco preocupantes. - expliquei-lhe.

-Então, que tal um brinde ao novo casal e a "paz dos mundos"? - Stark propôs e todos aceitamos rindo.

Horas depois...

-Agradeço por ter aceitado ser padrinho de meu casamento, Loki. - meu irmão disse enquanto nos encaminhavamos para uma área mais descampada para que Heimdall abrisse a Bifrost.

-Por nada irmão. Eu que lhe agradeço pelo convite. - disse. - Mas se tiver algo grave acontecendo, chame-me que virei logo. Bifrost estará aberta sempre para você.

-Mais uma vez, obrigado. - disse sorrindo e se afastou um pouco.

-Heimdall, quando quiser. - disse e logo aquela luz colorida me envolveu. Segundos depois, lá estava eu, em Asgard.

-Obrigado Heimdall. - disse, me retirando da sala do portal. Parei e me virei para Heimdall. - Erh... Heimdall?

-Sim, majestade. - disse, se virando para mim.

-Deixe o portal a disposição de Thor, sim?

-Como desejar, Senhor. - disse e eu agradeci, logo me retirando do local e pegando um cavalo que me levaria ao palácio.

Cheguei no mesmo e me dirigi aos meus aposentos que estavam arrumados, mas algo me chamou atenção. Uma rosa preta em cima da mesinha que se encontrava no meio do quarto. E junto com ela, um bilhete.

Me aproximei, pegando o papel.

"Com amor,

Lia."

(...)

Mas o que?! Como?!

Minha cabeça começou a girar e eu comecei a cambalear até sentar em minha cama. Li e reli o pedaço de papel em minha mão. Não podia ser ela, mas a caligrafia era dela. A assinatura era dela. Mas como?! Levantei e peguei a rosa. "Por que preta?", pensei. Nada fazia sentido!

Me levantei de minha cama, botei uma capa para andar na chuva - já que começara a chover e eu nem percebera - e saí de meu quarto com a rosa na mão e o papel guardado no bolso. Peguei um cavalo e comecei a andar pelas ruas de Asgard.

Minha cabeça girava, meus pensamentos estavam a mil e eu nem reparei quando uma mulher cruzou a frente de meu cavalo.

Puxei as rédeas do cavalo, que empinou e a moça acabou caíndo no chão. Quando o cavalo se acalmou, eu desci do mesmo e fui ajudá-la. Ela, assim como eu, estava com uma capa preta e um vestido de mesma cor. Reclamava de dor no tornozelo.

-Perdoe-me. - eu tentava seriamente me redimir pelo ocorrido.

-Está tudo bem. Vai ficar tudo bem. - sua voz e suas palavras me fizeram tremer inteiro e travar. Não consegui respirar.

-Venha comigo para o castelo. Cuidarei desse machucado. - propus.

-Não precisa. - ela dizia e eu ainda não conseguia ver seu rosto.

-Por favor. Eu insisto. - disse e ela aceitou.

A botei em cima do cavalo e eu fui andando ao lado do mesmo, o puxando pelas rédeas para guiá-lo. Pouco tempo depois, chegamos ao castelo.

-Venha. - estiquei os braços, a pegando pela cintura e botando no chão antes de carregá-la no colo até a sala de cura.

-Obrigada. - agradeceu enquanto eu a botava sentada em uma das macas e puxava uma cadeira para que pudesse sentar e analisar o tornozelo da moça a minha frente.

Infelizmente, Ágda - uma das curandeiras - estava atendendo outros feridos.

-Não sei como agradecê-lo. - continuou moça.

-Diga-me seu nome. - disse ainda olhando o tornozelo da mesma enquanto o enfaixava. Reparei que ela abaixou o capuz e me deixou ver seu rosto... E infelizmente não era quem eu pensava.

-Keira.- sorri para ela que fez o mesmo para mim. Confesso que fiquei desapontado ao ver que aquela moça era muito diferente de Lia, apenas sua voz era parecida. - Bem, meu pé já esta enfaixado e logo melhorará. Agradeço pela ajuda, mas gostaria de ir para minha casa, se possível.

-Ah, claro. Pedirei a algum guarda que lhe acompanhe. - respondi-lhe. Depois de fazer o que disse e acompanha-la até a entrada do castelo, me dirigi ao meu cavalo e peguei a rosa que guardei em uma bolsa que leváva nele. Voltei ao meu quarto, tirei minhas roupas, tomei um banho e logo estava deitado apenas de calças e com a rosa nas mãos, analisando-a.

Apesar de preta, era delicada e me lembrava mesmo Lia. Peguei o papel e reli o conteúdo, ainda estasiado pelas palavras contidas ali.

Com o tempo, o sono foi me consumindo, até eu apagar e dormir tranquilamente. Coisa essa que eu não fazia a um ano...

#Narrador's P.O.V.

Enquanto o homem de cabelos pretos e olhos verdes azulados dormia, alguém o observava.

Sentada no pequeno muro que separava a varanda de uma altura incrível, se encontrava uma moça de longos cabelos castanhos claros que chegavam a sua cintura e olhos quase amarelos de tão claro que era o castanho dos mesmos. Com seu longo vestido preto e um sorriso nos lábios, a mulher se aproximou do homem, abaixou-se e sussurrou no ouvido do mesmo.

-Bons Sonhos, Meu Amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...