História My First Love - Capítulo 69


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Chris Argent, Isaac Lahey, Lydia Martin, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Scott McCall
Tags Allison, Amor, Lydia, Scallison, Scott, Stiles, Stydia, Teen Wolf
Visualizações 79
Palavras 1.087
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii meus amores.. Desculpe a demora, mas vou sumir por um tempinho kkk.. Estou com um trabalho enooorme para fazer, mas prometo escrever a fic quando tiver um tempo nas aulas e tals... Não sei quando irei atualizar novamente. Espero que entendam e boa leitura...

Capítulo 69 - Conversando com Baby


Fanfic / Fanfiction My First Love - Capítulo 69 - Conversando com Baby

        Scott voltou com o chocolate em mãos e rapidamente abri. Comi um pedaço e logo o bebê ficou ainda mais agitado.

        -Falei que ele gosta de chocolate. – Sorri para Scott. – Parece a mamãe.

        -Você sempre gostou de chocolate. – Assinto. – Mamãe vai te viciar em chocolate.

        -Amor. – Dou um tapinha em seu ombro. – Coloca a mão. – Pego a mão de Scott e o bebê mexe ainda mais.

        -É desconfortável? – Ele pergunta.

        -Um pouco. – Sorrio para ele. – É legal que ele já se mexa.

        Scott alisava minha barriga com um sorriso imenso no rosto e eu não estava diferente. Cada chocolate que eu comia, o bebê se mexia ainda mais.

        -Bebê. – Scott estava deitado com o rosto na minha barriga. – Você já reconhece a voz do papai? – Coloca a mão na barriga e sente o pequeno ser mexer.

        -Parece que sim. – Sorrio para ele. – Mexeu assim que você falou.

        -Papai quer ver você logo. Será que é uma menininha ou um meninão? – Pergunta para o bebê.

        -Amor, nós sabemos que você quer um menino. – Acaricio seu cabelo. – Quem sabe não é um menino mesmo.

        -Não é que eu prefira, mas eu gostaria muito. – Me responde sorrindo.

        -Filhinho, você vai ajudar a mamãe e o papai a escolher seu nome. – Digo olhando para a barriga e Scott me olha curioso.

        -Como assim?

        -Vamos falar os dois nomes se for menino e os dois nomes se for menina. – Ele assente. – O nome que ele chutar mais, vai ser o escolhido.

        -Melhor do que deixar para nós. – Ele riu e se sentou, sem tirar a mãos da minha pequena barriga. – Você fala os nomes femininos e eu os masculinos.

        -Pode começar. – Sorrio para ele.

        -Filhote, você gosta de Jamie? – Scott pergunta revirando os olhos e o bebê se acalmou. – Acho que não. – Me deu um sorriso vitorioso. – E Tyler? – O bebê se mexeu só um pouquinho. – Tyler McCall Argent.

        -Agora, se você for uma menininha linda, a mamãe quer saber se você quer se chamar Emma. – Digo e o bebê se mexeu bem pouquinho. – E o que acha de Crystal? – O bebê se agitou. – Crystal é lindo.

        -Eu adorei os nomes. – Scott me dá um selinho. – Acho melhor a senhorita se vestir, já que ficou com essas tetas de fora. – Diz rindo. – Está esfriando e escurecendo.

        -Eu não tenho teta, não sou vaca. – Reclamo me levantando. – Eu tenho peitos.

        -E que peitos maravilhosos e grandes. – Scott se deita e olha detalhadamente para meu corpo.

        -McCall. – O repreendo e ele sossega. Coloco meu pijama de frio e me deito ao seu lado. – Podemos pedir algo para comer?

        -O motorista me deu um monte de números para ligarmos. – Scott diz e sorrio. – O que meus amores querem?

        -Qualquer coisa. – Sorrio para ele. – Pizza.

        -Tudo bem. – Se levantou e voltou alguns minutos depois. – Não vai demorar muito.

        Scott e eu ficamos deitados juntinhos na cama. Sua mão estava em minha barriga por dentro da blusa, fazendo um leve carinho e o bebê mexia um pouco. Estava adorando ter esses momentos.

        -Amor, vai lá atender. – Quase o empurro da cama quando a campainha toca.

        Scott vai até a porta e logo volta com a caixa nas mãos e um refrigerante. Depois volta com dois pratos e dois copos.

        -Vamos comer na cama. – Sorri malicioso e nego com a cabeça.

        Comemos e bebemos enquanto ele dava beijos em minha barriga e algumas mordidas. Toda vez que ele mordia, o bebê se mexia com mais força, o que me fazia sentir um desconforto maior.

        -Amor, não morde. – Peço quando comemos metade da pizza. – O bebê não gosta quando você morde.

        -Amanhã é dia de voltarmos pra Beacon Hills. – Ele fala e faço um biquinho. – Também não quero, mas precisamos. – Beija meu bico.

        -Podemos trazer o Tyler ou a Crystal aqui quando pudermos. – Sugiro enquanto arrumamos tudo e levamos para a cozinha.

        -Gostei da ideia. – Me abraça por trás enquanto voltamos para o quarto. – Poderemos dizer que foi aqui que se mexeu pela primeira vez.

        -E você não vai trocar de carro. – Sorrio divertida e ele parece não entender. – Foi feito no seu carro, já que nesse dia esquecemos a camisinha.

        -Não precisava lembrar. – Ele diz rindo e se deita na cama. Logo me deito e nos aconchegamos. – Mas foi feito com muito prazer. – Sua voz sai safada e sinto um duplo sentido na sua fala. – Nós amamos tanto esse pequeno ser. – Acaricia minha barriga por cima da blusa. – Tão pequeno e já traz tantas felicidades.

        -É um pedacinho nosso, um fruto do amor verdadeiro e que trouxe mudanças para nossa vida. – Coloco minha mão por cima da dele e entrelaço. – Antes eu não pensava em casar ou ser mãe, só queria namorar muito. – Sinto uma respiração pesada batendo em meu ouvido. – Agora eu não me vejo sem te chamar de marido, pai do meu filho, a barriga grande, o quartinho do bebê. Depois que nascer eu quero cuidar, amamentar, ser uma mãe babona e estar sempre que preciso. Antes éramos dois, agora somos três.

        -Depois que nascer, podemos pensar na possibilidade de ter mais um. – Scott sugere e nego.

        -Amor, nosso filho nem nasceu ainda e você já quer mais. – Me viro para ele, que me olha sorrindo. – Deixa para pensarmos nisso depois que nascer, estiver crescido e nossas condições melhorarem.

        -Amor, nossas condições estão boas, estou recebendo até mais. – Tenta me convencer.

        -Amor, quando nosso filho estiver em uma idade considerável, nós conversamos sobre isso. – Dou um selinho nele. – Por enquanto, vamos pensar só nesse e fim.

        -Mas Alli... – Corto sua fala.

        -Sem mas. – Digo e ele fica emburrado. – Eu sei que você quer mais, porém, nós nem tivemos um e falta seis meses para nascer.

        -Depois que nascer, nós podemos.

        -Scott, depois que nascer nosso tempo será só para o bebê. – Explico. – Vai ser cansativo para nós e você vai perceber que pensar em ter outro quando esse bebê nascer não vai ser bom.

        -Eu ainda vou te convencer. – Me roubou um selinho.

        -Não vai nada. – Sorrio para ele. – Esse aqui já está bom demais por enquanto e outro não está nos planos.

        -Não está nos seus planos, mas está nos meus. – Ele fala e nego com a cabeça. – Temos que aproveitar enquanto somos jovens.

        -Amor, ainda temos muito tempo para termos mais.

        -Eu não quero esperar. – Fala manhoso e me viro de costas para ele, ficando de conchinha.

        -Boa noite. – Me ajeito e ele também. Scott me dá um beijo no pescoço.

        -Boa noite meus bebês. – Sorrio com isso antes de apagar com o cansaço.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...