História My gift from stars - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Bangtanboys, Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jin, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Lemon, Shoujo, Yaoi
Exibições 252
Palavras 1.412
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


A parte em itálico são lembranças.
Boa leitura !

Capítulo 9 - Setimo presente


Fanfic / Fanfiction My gift from stars - Capítulo 9 - Setimo presente

 

Jungkook estava agarrado em mim de uma forma tão firme que se tornava difícil me mexer.

Ele parecia como uma criança assustada deitado com o rosto em meu peito, os braços me apertando fortemente, as pernas entrelaçadas as minhas, mas das suas ainda sobravam mais para baixo, a diferença de altura estava bem nítida ali. Ele não falava nada, não se mexia, e apenas respirava, desajeitadamente eu conseguia ver que seus olhos estavam abertos. Eu movo os dedos por entre seus fios macios em uma caricia afim de conforta-lo seja lá o que ele pensava.

“Mil e uma coisas passam pela minha cabeça.

Eu deveria contar a verdade? Jungkook poderia te um lapso de raiva, raiva por saber que de ter vindo de um gato isso o fazia menos favorecido que as outras pessoas sendo que a vontade de viver dele era tão grande quanto de qualquer outro. Poderia entrar em algum tipo de problema psicológico, algumas pessoas podem ter muitas reações químicas liberadas no cérebro com uma notícia que vai contra qualquer desejo visceral delas, seja a notícia de uma morte, traição, ou sei la mais o que. Meus olhos oscilavam entre suas duas íris, e minha voz parecia estar morta, eu não tinha coragem alguma de proferir qualquer coisa que fosse.

—Por favor... – Ele pede, segurando em minha mão por cima da mesa como se me transmitisse algum conforto pelo toque, eu olho nossas mãos brevemente, e sem coragem alguma de olha-lo suspiro, começando a contar baixinho do dia que o Jin me chamou para conversar, do dia que ele sumiu do apartamento e eu surtei, das minhas pesquisas, meus medos e finalmente, de toda nossa tarde na biblioteca e tudo que eu tinha descoberto. Ele não solta minha mão, mas seu olhar decaí para a mesa e eles não pareciam presar atenção no que de fato olhava, eu daria tudo pra saber o que se passava na mente dele.

Eu não sabia se deveria dizer algo, se devia chama-lo ou dizer palavras de concorto, essas coisas deixariam claro que eu estaria desistindo e me despedindo por não saber a hora certa de dizer Adeus, e eu não quero me despedir e desistir dele. O ar parece ficar mais pesado e meu coração dói, isso não deveria ficar assim... A gente escolhe como contar nossas histórias de vida, e eu não quero deixar que minha história de vida pertença ao gênero tragédia ou drama, mas sim ao gênero comédia, aventura, festa, romance talvez.... E antes que eu visse eu já tinha dado a volta na mesa e estava sentado ao seu lado, o abraçando desajeitadamente e o apertando.

Ele ainda estava inerte encarando o mesmo ponto de antes e a preocupação faz meus olhos marejarem, ele não estava reagindo.

—Eu não vou desistir de você. – Digo e me impressiono ao ver que minha voz saíra firme, muito firme. Isso parece surtir efeito pois ele vira o rosto em minha direção.

—Podemos ir para casa? ”

E agora estamos aqui, mal chegamos no quarto e ele me agarrou e me puxou contra a cama e desde então não trocamos nenhuma palavra, eu não sabia se deveria dizer alguma coisa ou apenas ficar em silencio, eu deveria dar tempo para ele pensar, certo? Receber uma notícia dessas não iria levantar o astral de ninguém, meu medo era o astral dele não levantar nunca mais... Continuo a passar a mão pelos cabelos sedosos, calmamente, brincando em enrolar algumas mechinhas curtas em meus dedos, era até mesmo um tiquinho engraçado a forma como um homem daquele tamanho se agarrava em mim buscando por conforto, e eu não podia mentir, meu amago estava inflando com aquela aproximação intima, o que me fazia ter vontade de sorrir, sorrir principalmente porque o primeiro contato realmente intimo que estamos tendo esta bem longe de ser sexo, aqui não estamos trocando luxuria ou tesão, estamos trocando sentimentos silenciosos e mostrando um ao outro que nos apoiamos, que estamos juntos.

Resvalo a ponta de meu nariz entre as madeixas pretas, Jungkook era lindo com aqueles cabelos pretos, a pele branquinha e os olhos azuis clarinhos, o corpo invejável, a altura, o sorriso, a voz, a risada, só de lembrar dela um riso contido me escapa fazendo meu peito tremer e Jeon ergue a cabeça para me olhar me fazendo voltar a realidade e logo sua risada se torna distante em minha mente.

—Desculpe... – Murmuro tão baixinho que duvido ele ter escutado, me encarava tão profundamente que minha respiração estava parando aos poucos, e novamente o oxigênio estava denso. A expressão dele era indecifrável, parecia não ter raiva, nem decepção e muito menos desespero, eu não conseguia imaginar o que se passava por aquela mente misteriosa.

Me surpreendo quando repentinamente ele pressiona os lábios aos meus, meus olhos estavam arregalados e eu estava imóvel, Jeon Jungkook de olhos fechados e expressão serena afunda os dedos nos fios de minha nuca e esse ato me arranca um arrepio notável já que meu corpo treme, ele move o maxilar fazendo seus lábios encaixarem com os meus e uma corrente extasiante se espalha por mim.

Aquela sensação era incrível, era como se Jeon injetasse em mim algum entorpecente através de sua boca, meus olhos se fecham involuntariamente e meu corpo inteirinho amolece e parece ser isso que ele estava esperando pois em um movimento rápido se deita por cima de mim e aperta os dedos longos em meus fios me impedindo de afastar nossas bocas e me fazendo arrepiar outra vez, sua língua úmida toca ligeiramente por entre meus lábios e eu cedo facilmente mas ele não me invade com ela, ao contrário disso ele pende a cabeça para o lado deslizando os carnudos sobre os meus que agora o correspondia de prontidão, o calor de Jungkook sobre mim era deliciosamente reconfortante, ele me beijava de um jeito que parecia me dominar cada vez mais aos poucos com toda aquela intensidade. Ainda me sentia hesitante sobre onde depositar minhas mãos, eu não sabia até onde ele deixaria eu toca-lo, conhecendo bem Jungkook como eu conheço era esperado que ele repentinamente começasse a rir e zoar minha cara por estar cedendo tão fácil daquela forma, mas não é isso que acontece, ele desce a mão livre até minha cintura e aperta por cima de minha blusa, e puta merda aquilo estava tão gostoso.

Envolvo meus braços em seu corpo forte e pressiono os dedos em suas costas esguias, sentindo os músculos firmes abaixo da blusa fina enquanto sinto-o morder meu inferior e arrastar por entre os dentes, aquela sensação fora tão prazerosa que eu me remexo afim de pressionar mais meu corpo contra ele que parece entender soltando mais o peso sobre mim e finalmente desliza a língua por sobre a minha, esse contato molhado e lento me faz soltar um som baixinho semelhante a um gemido, e ele aprofunda ainda mais o osculo, provando de meus lábios como se fossem de gosto incrível, já sabia como deveriam estão inchados por culpa das mordidas e sugadas que Jeon me dava com vontade, e eu estava completamente a mercê dele... O corpo quente em cima do meu, os dedos firmes prendendo meus cabelos, os lábios espertos me provando com tanto desejo e vontade que eu não me lembro a última vez que alguém tinha me beijado assim. Quando aos poucos ele separa nossos lábios ainda os deixa se roçando um ao outro, nossos hálitos e respirações se misturando, um pouco ofegantes. Abro meus olhos devagarinho e posso ver que ele já me fitava com algum tipo de brilho nos olhos, minha boca ainda formigava com a sensação de seu beijo e eu me sentia extasiado, não era como um beijo humano, era como ser enfeitiçado direto para uma armadilha cativante. Só percebo que eu amassava sua blusa entre meus dedos quando ele se move minimamente e eu a solto assim como ele aos meus fios.

Jungkook deita novamente ao meu lado, me puxando contra seu corpo e me envolvendo nos braços de um jeito confortável e protetor, para em seguida começar os carinhos em meu cabelo. Fecho os olhos e só então me dou conta do quanto estava cansado, é como se ele tivesse sugado toda minha energia apenas com aquele beijo e isso era surreal demais, e não deixava de ser viciante. Me permito relaxar e ser embalado pelo sono repentino e forte, adormecendo nos braços de Jeon enquanto um sorriso adornava meus lábios úmidos.

 

 


Notas Finais


Soltei a bomba e sai correndo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...