História My "Girl" - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias IKON
Personagens Jinhwan, Junhoe
Tags Crossdressing, Fluffy, Junhwan
Exibições 225
Palavras 2.677
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Já quero começar me desculpando pela sinopse bosta hauhaau
Anyway, essa fanfic só está sendo postada porquê um serzinho ficou no meu pé.
Eu realmente não ia postá-la, não achei que ninguém fosse gostar.
Mas, desde que eu escrevo para vocês, estou postando-a como teste. Se der resultados, deixo-a aqui, caso contrário, irei apagá-la.
Anyway²
Bora pra fic, me digam o que acharam depois!
-Relevem os erros geueheu-

Capítulo 1 - Kim Jinhwan & Jinny






"Você precisa me dizer o que há de errado, Jinny. Eu não aguento mais isso."

Kim Jinhwan sempre fora considerado normal, um garoto como qualquer outro.
Durante toda sua infância e adolescência, não havia uma pista sequer que levasse ao que o rapaz, atualmente com seus vinte e quatro anos, havia tornado-se.
A família envergonhava-se do trabalho, mas um resto de descência faziam-os não expulsá-lo dali.
Quem diabos iria querer um filho que, além de trabalhar numa boate, o fazia vestido como uma mulher?.
Jinhwan não se importava com os pensamentos de sua família, sentia-se bem vestido daquele modo.
Gostava de ser homem, mas nunca entendera por que a maioria das roupas bonitas ficavam para as garotas.
Então criara Jinny, sua versão feminina; a garota que podia usar todas as roupas que ele, como homem, não "podia".
Gostava de Jinny, apesar de as vezes entrar em conflito com a mesma, os outros homens gostavam mais dela do que de Jinhwan.
E, vez ou outra, sentia que deveria apenas sumir com Jinny para arranjar um homem que olhasse para ele e sorrisse do mesmo modo que sorriam para ela.
A pessoa que mais fazia-o sentir que não queria mais Jinny junto consigo era Koo Junhoe.
Um garoto um tanto quanto mais alto que si, porém mais novo e absurdamente charmoso.
Ele era o único que já havia provado dos lábios de Jinny mais de uma vez.
E o que mais gerava conflitos entre a moça e Jinhwan.
Especialmente quando ele sorria e dizia-lhe um "Até amanhã" para depois apertar sua cintura e beijá-lo novamente; fazia Jinhwan sentir como se Jinny não precisasse mais existir.
Era sufocante pois tinha certeza que Jinny levaria Junhoe consigo quando fosse embora.
O mais novo claramente não gostava de homens.


         ••


Então, ainda saindo com aquele rapaz?-Eunbi perguntou-o, enquanto ajudava-o com a peruca.
Você quer dizer que Jinny ainda está saindo com ele, não é?-Bufou, revoltado.
Eu sinto muito que não possa sair com ele como Jinhwan, mas algumas pessoas apenas não sabem o quão divertido é estar dos dois lados-A morena riu, divertida-Você sabe que é irresístivel como os dois, unnie-Apertou de leve as bochechas rosadas pelo blush recém colocado e sorriu para o mais velho, quem revirou os olhos.
Eunbi afastou-se para terminar sua própria maquiagem, enquanto Jinhwan apenas olhava para seu reflexo no espelho.
Não conseguia decidir se ser Jinny era bom ou ruim.
Bem, tinha certeza que estar com Junhoe era como o paraíso.
Mas queria estar com ele sendo Jinhwan e não escondido abaixo daquelas maquiagens, perucas e vestidos.
Saiu de seus devaneios quando o celular vibrou sobre a mesa.

"Koo Junhoe, 09:00 pm.
Acha que pode fugir do trabalho hoje? Reservei um quarto para nós.
Você sabe que eu não gosto muito de esperar."

Seu coração acelerou e as mãos ficaram trêmulas de súbito.
Junhoe queria algo que Jinny não poderia dá-lo.
Ela era apenas uma casca, um hobbie de Jinhwan que fugira um pouco do controle.
Fazia um mês que conhecera o mais novo e, até então, ele estava de acordo com esperar o "momento certo".
Por que tornara-se afoito do dia para noite?.

"Jinny, 09:10pm.
Eu não desisto fácil do meu trabalho, querido.
Vai ter que se contentar em me ver em cima do palco."

"Koo Junhoe, 09:10 pm.
Não brinque assim comigo, Jinny. Arranje apenas alguns minutos.
Eu estarei aí em vinte minutos, lembre-se do que eu lhe disse."

O loiro engoliu em seco, como desviaria dessa situação?.
Não queria mais fazer parte daquele teatro, estava saindo mais machucado que o esperado.


          ••


Junhoe estava lá, observando-o e provocando-o silênciosamente.
O moreno queria ganhar o que Jinny vinha lhe prometendo desde que "aquilo" começara.
Entretanto, Jinhwan estava mais do que disposto a sair daquela situação sem que o mais velho tivesse o que veio "buscar".
Quando a primeira apresentação acabou, o loiro desceu rápidamente do palco praguejando alto quando aqueles dedos agarraram-se em seu braço.
Não vai me cumprimentar?-Junhoe virou-o de frente para si, encarando-o com aquele olhar extremamente sedutor.
Você fez isso assim que chegou aqui, esqueceu?-Arqueeou uma sobrancelha, sorrindo de canto.
Por dentro estava em total pânico, rezando para que qualquer deus disponível ajudasse-o.
Você me faz esquecer de muitas coisas-Sussurrou próximo a orelha, arrepiando o menor-Ainda temos meia hora antes da próxima apresentação, venha comigo-Quando sentiu os dedos entrelaçando-se aos seus, não pode dizer nada e apenas foi arrastado para uma parte mais "reservada" do local.
Junhoe não deixou-o dizer mais nada, beijou-o profundamente, apertando sua cintura e colando os corpos.
Aquela situação era a mais perigosa para o loiro, não podia se deixar levar.
Hey, escute, eu preciso me trocar-Falou entre o beijo, tentando se separar.
Nós nos vemos apenas nos fins de semana, pode me dar um desconto? São apenas alguns minutos-Olhou-o nos olhos, sorrindo.
Toda a coragem de Jinhwan para rejeitá-lo simplesmente desaparecera; dando chance para Koo beijá-lo outra vez.
Os beijos começaram a descer, indo para o pescoço de pele branquinha absurdamente desejável para o mais novo.
As mãos começaram a passear pelo corpo, da cintura seguiram para os "seios".
Junhoe, eu preciso mesmo ir-Afastou o outro mais uma vez; sentia-se absurdamente mal quando ele tocava-lhe o corpo numa parte que pertencia apenas a Jinny.
Ah, vamos lá Jinny! Se o medo é perder dinheiro, eu te pago-Aquele fora o estopim para o mais velho.
Mesmo com a música alta no lugar, os mais próximos dali ouviram o tapa ecoar.
O que você está achando que eu sou!? Uma prostituta!?-Junhoe passava a mão na bochecha, olhando-o incrédulo.
Jinny... Eu... Me-Foi cortado pelo loiro, que cansado daquilo, apenas abaixou o tom e disse:- Não, Junhoe. Apenas saia daqui e me deixe trabalhar.


        ••


Naquela noite Jinhwan chegara mais cedo em casa, estava farto de tudo aquilo. Estava farto de Jinny.
Quando a criou, ela deveria ser algo para deixá-lo feliz.
Entretanto, estava causando-o um sofrimento que nem pensara ser possível sentir.
Seu celular vibrava a todo segundo, trazendo novas mensagens de Junhoe.
Retirou o chip do aparelho e manteve-o longe de si; queria chorar em paz.
Estava cansado até de ouvir aquele nome ressoando em sua mente.
Talvez Jinny não precisasse mesmo existir mais.
Haviam vagas para garçons no bar da boate, o salário era um tanto menor, mas não parecia uma má ideia.
Não lhe custaria nada tentar...


         ••


Eu vou chamar a polícia se continuar a me perseguir-Jinhwan ainda estava vestido como Jinny, tivera que trabalhar até tarde e não pudera nem mesmo se vestir, caso contrário perderia o último metrô e ficaria preso por ali até o amanhecer.
Junhoe andava atrás do mais velho, tentando achar uma maneira de recuperar a relação dos dois.
Jinny, por que aceitou minhas desculpas se ia agir assim?-O maior questionava.
Não era o que você queria?-Virou-se para Koo, encarando-o irritado-Foi você mesmo quem disse que conseguia tudo o que desejava. Eu te dei o que você queria, não? Pediu desculpas e eu as aceitei, agora me deixe em paz!-Bradou, cedendo a raiva.
Não é o que eu queria-Junhoe se aproximou, fazendo Jinhwan dar um passo para trás-Jinny, de que diabos adiantam essas desculpas quando você nem mesmo olha na minha direção? Eu não preciso das desculpas, eu preciso de você!-O mais velho tentou conter a surpresa, abaixando a cabeça.
Não conte mentiras, criança-Pediu, sentindo um nó formar-se na garganta.
Eu não estou contando-lhe mentira alguma, eu quero te tornar a minha garota-Segurou o rosto do loiro delicadamente.
Isso não é algo que você possa fazer-Murmurou, desviando o olhar.
Você precisa me dizer o que há de errado, Jinny. Eu não aguento mais isso-O mais novo começava a desesperar-se com todo o silêncio-É algo que eu posso te ajudar? Por favor, me diga!-Jinhwan olhou-o nos olhos e então sorriu.
Apenas se você fosse algum tipo de deus-Gargalhou, soltando-se do mais novo.
Deu-lhe as costas se deixando chorar silênciosamente.
Procure outra pessoa, Junhoe. Eu não trabalho como babá-Acenou sem se virar e continuou andando calmamente.
Deixara o maior completamente perplexo para trás, apenas ouvindo o som dos saltos distanciando-se.


       ••


Jinhwan não estava com o menor ânimo para vestir-se.
Ainda usava suas roupas, nem mesmo a maquiagem estava feita.
Ei, eu te disse para se vestir, não?-Eunbi sentou-se ao seu lado, com a peruca em mãos-Não me diga que ainda esta chateado?-O mais velho apenas suspirou levantando-se para trocar de roupas.
Se eu fosse igual a você, Eunbi-Começou, sendo impedido pela moça.
Deixe disso, oppa!-Abraçou pelos ombros, sorrindo para ele-Aquele cara só tem a perder! Acharemos um bem mais gostoso para você, eu garanto-Jinhwan riu fraco, incrédulo com a animação da mais nova.
Mas agora vista-se, Jinny não vai ficar pronta sozinha!-Soltou-o, indo ajudar as outras dançarinas.
Do lado de fora do camarim, Junhoe encarava os próprios pés, tentando entender se havia, de fato, ouvido certo.
Jinny estava conversando com outra garota, mas por que ela chamava-o de oppa?.
Aquilo não fazia o menor sentido.
Jinhwan estava prendendo seu seios falsos no sutiã quando a porta abriu-se num baque alto.
Os olhos do loiro arregalaram-se ao vê-lo ali.
O que diabos está havendo aqui!?-Junhoe práticamente berrara, encarando o loiro.
Este que usava apenas uma saia preta, as mãos trêmulas soltaram as alças do sutiã, fazendo o enchimento cair no chão deixando exposto o corpo claramente masculino.
O que você faz aqui? Este lugar é restrito para funcionários-Eunbi mostrou sua autoridade como gerente do local, colocando-se a frente de Jinhwan.
Não tenho assuntos a tratar contigo, dê-me licença por favor-Pediu o maior, ainda olhando Jinhwan nos olhos.
O loiro se recompôs, assumindo uma postura séria.
Não tem assunto com ninguém aqui-Disse-lhe, fazendo com que Junhoe ficasse ainda mais bravo.
Eu tenho assuntos com você e iremos resolvê-los-Empurrou Eunbi e puxou o loiro pelo braço, tirando-o dali.
Antes que fosse arrancado da sala, Jinhwan deu um sinal para que Eunbi não chamasse os seguranças; não queria chamar atenção de ninguém.
Diga logo o que você quer-Não fez questão de mudar sua voz, tampouco de demonstrar algum interesse no que o mais novo diria-o.
O que está acontecendo, Jinny? Por que não me contou sobre isso!?-Junhoe segurava-o pelos ombros, balançando-o enquanto falava.
Não há nada acontecendo e eu não tinha nada para contar-lhe-Bufou, tentando fazer o outro desistir daquela conversa.
Foi divertido me enganar!?-Jinhwan ficara em completo silêncio, enfurecendo o maior ainda mais-Abra essa boca! Diga!-O rapaz chacoalhava-o tanto, que o fizera acertar a cabeça com força na parede.
O que uma criança mimada como você poderia entender!?-Empurrou-o-Não precisa trabalhar para sobreviver, ninguém nunca negou-o nada! Não sabe como é para mim, então apenas cale essa boca e me escute!-Berrou-Eu estive em crise todo esse tempo, eu não queria te enganar! Mas o que eu faria se você gostasse apenas de garotas!? Foi tão ruim assim que eu aproveitasse o que me foi dado!? Eu mal sei o que é ser feliz!-Junhoe saiu do transe que estava e riu sarcástico.
Não sabe o que é ser feliz porquê não merece ser!-Jinhwan mordeu os lábios, lembrando-se de seu pai. Junhoe estava negando-o do mesmo modo que ele fizera-Sabe, eu odeio pessoas como você!-O maior virou-lhe as costas saindo dali.
Jinhwan não deixou-se chorar, apenas voltara para dentro do camarim e vestira-se.
Oppa-Eunbi tocou seu ombro e ele sorriu para ela.
Me ajuda com a peruca?-Sua voz saía tão baixa que ninguém pensaria que era ele quem sempre trazia alegria para aquele lugar.


       ••


2 meses depois-

Eunbi, você acha que posso ficar como garçom hoje?-Quando a moça virou-se, arregalou os olhos.
Jinhwan estava com os cabelos bagunçados, as roupas um tanto rasgadas e o rosto cheio de hematomas e cortes.
Meu Deus, oppa, o que houve?-Colocou as mãos sobre a boca, assustada com o que poderia ter acontecido.

"Correndo pela noite escura, tudo o que o loiro esperava era que não alcançassem-o.
Um grupo de jovens queriam puni-lo por gostarem de Jinny e acharem-o impuro por ser um homem vestido de mulher enganando-os por todo aquele tempo.
Jinhwan nunca havia sentido um desespero tão grande; estava há poucod metros da boate quando algo enroscou-se em suas pernas, levando-o ao chão.
O menor fez o possível para levantar-se, mas um dos jovens pôs o pé sobre suas costas, mantendo-o no chão.
Jinny foi uma garota má-Ouviu um deles dizer antes que começassem a espancá-lo."

Eunbi ajudou-o com os curativos mais básicos e deu-lhe um uniforme para que o mais velho pudesse trabalhar em paz.
Servir mesas era definitivamente melhor do que dançar a noite toda.
A maior dificuldade ali era decifrar os pedidos ditos com fala embolada por causa do álcool.
O senhor já sabe o que vai pedir?-Parou em frente a mesa, encarando o bloquinho de papel enquanto esperava pela resposta.
O que fizeram com você?-Ao ouvir aquela voz, Jinhwan migrou os olhos do papel para o cliente ali.
Junhoe.
Pensei que odiasse pessoas como eu-Riu, amargo-Te conto apenas porque não quero ter mais nenhum assunto contigo-Mantinha o tom frio e encarava-o com desprezo.
Tentanto enganar o coração.
Alguns garotos descobriram que Jinny na realidade é um homem e não ficaram felizes, satisfeito? Quero continuar com meu trabalho-Junhoe encarou-o incrédulo, ver aquele rosto machucado doía-lhe no peito e deixava-o com vontade de proteger aquela pessoa.
Sabia que havia errado com ele, mas estava disposto a consertar aquilo.
Estou apenas esperando uma pessoa, não farei meu pedido agora-Falou, deixando de encarar o menor.
Jinhwan saiu dali sentindo as lágrimas já caindo.
Teve que se recompor rápido, pois já o chamavam novamente.
Seria uma noite absurdamente longa.


        ••


Você precisa me dizer onde Jinny está!-Junhoe berrava com Eunbi, quem mantinha-se firme em conservar o desejo do mais velho.
A identidade dele não seria revelada a ninguém.
Por favor, eu não sei mais onde procurá-lo! Nem sei como fazê-lo!-Estava sem forças; lembrava-se de quando estava cansado demais e Jinny fazia-lhe o melhor cafuné do mundo.
Era como se tudo sobre ele estivesse ainda mais vivo em sua memória.
Se ele quiser vê-lo, irá até você. Pare de perguntar sobre Jinny, ela não existe mais-Disse a moça, com a voz firme.
Você não está entendendo! Eu preciso, não, eu necessito vê-lo-Eunbi não se comovia com as palavras do maior.
Eu já lhe disse, se Jinhwan qui-Parou a frase quando notou a expressando do outro, havia dito o nome do mais velho.
Muito, muito obrigado!-Junhoe saiu as pressas dali.
Você não precisa se desculpar, Eunbi, eu sei o quão insistente ele é-Jinhwan saiu do camarim, sorrindo para a morena.


      ••


Naquela mesma noite e por um acaso extremo.
Junhoe encontrara Jinhwan sentado no banco da estação, o carro do mais novo havia quebrado então apenas sobrava-lhe a opção de ir de metrô.
Quando o loiro o viu, apenas lançou-lhe um sorriso minimo. Não estava exatamente feliz em vê-lo, mas já que não poderia evitar, apenas seria gentil.
O-olá-Junhoe sentou ao seu lado, parecendo acanhado.
Achei que odiasse o metrô-Comentou o mais velho.
E odeio, mas meu carro quebrou ent-Parou quando ouviu a risada do outro.
Sempre falando demais-Jinhwan estava um pouco bêbado e sorria como bobo olhando os trens indo e vindo-Sabe, Junhoe, eu até que gosto de você, mas você tem que parar de me perseguir. Jinny não existe mais não há nada aqui para ti-Encarou-o, sorrindo de lado.
E se eu não estiver procurando por Jinny?-O maior perguntou.
O que?-Soltou o mais velho, completamente incrédulo.
E se eu estiver procurando por Jinhwan?-O loiro começara a chorar mais rápido do que o esperado, dando vários tapas no braço do outro.
Cale essa boca! Não vai mentir para mim assim, criança-Soluçava alto; era o que queria há meses.
Não é mentira, Jin... Jinhwan-Sorriu, levando a mão a bochecha do mais velho, acariciando-a.
Jinhwan olhava-o completamente perplexo; seu nome sempre fora assim tão bonito?.
Junhoe, se você for me beijar, continue aqui quando eu abrir os olhos-Pediu, fazendo o outro rir.
As mãos de Junhoe desceram para a cintura do mais velho e ele puxou-o para mais perto, beijando-o.
Finalmente beijando Kim Jinhwan, exatamente como loiro havia sonhado por tanto tempo.


Notas Finais


Bem, eu não posso dizer que estou completamente feliz com essa OS
Mas desde que vocês tenham gostado, eu já fico feliz <3
Bixa, eu postei, agora chega de flodar meu celular com as mensagens, tá?
Obrigada por lerem, espero que tenham gostado e comentem se puderem :33
Bye bye ~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...