História My Half Brother - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance Drama
Exibições 67
Palavras 779
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura <3

Capítulo 32 - Isso não pode estar acontecendo


Fanfic / Fanfiction My Half Brother - Capítulo 32 - Isso não pode estar acontecendo

P.O.V Julie 

- Ok,Acho melhor você se sentar - falei já decidida, eu vou contar. 

Joyce me olhou por alguns e se sentou em uma poltrona do lado da cama.

- E então...?  - ela me olhou atenta

Respirei fundo 

- Eu estou namorando o Gabriel. 

Ela encolheu os lábios para dentro da boca como se estivesse se segurando pra não falar nada e eu continuei.

- Desde que o Jack se foi, eu não consegui mais ter contatos com outras pessoas, nem socialmente nem fisicamente. Eu achei que iria morrer sozinha, eu imaginava todas as noites eu morta e apenas você e o Charlie no meu funeral, e você não sabe o quanto isso era terrível. 

Falei com pausas e meus olhos já estavam marejados, os dela também, respirei fundo novamente e ''engoli o choro''

- Sempre fiz papel de garota rebelde, ''emo o gótica das trevas'' que só pensa em morte e solidão mas eu era apenas uma menina fraca e sozinha que não tinha amor ou amigos. Tudo começou a mudar quando eu conheci a Luanny indo para Washington, isso mudou minha vida, ela é minha melhor amiga, acredita nisso? Sua filha, Julie Meyer tem uma melhor amiga. 

Joyce já estava chorando, ela sorriu.

- Dai eu conheci o Marko que é uma historia longa mas vamos pular para o Gabriel. - falei e ri limpando um lágrima que temia cair - Tudo mudou depois que tive a "overdose", eu percebi o que realmente sentia pelo Gabriel, era amor, e não amor de "irmãos" era algo diferente, algo que nunca senti. E eu cansei de negar meus sentimentos e eu me entreguei pra ele, e acredite eu não me arrependi. 

Joyce não falava nada

- Eu o amo, eu o amo como nunca amei ninguém, apenas o Jack. E eu não quero perde-lo, eu não suportaria.

Abaixei a cabeça e suspirei 

- Você não vai perde-lo Julie - ela falou e pegou em minha mão - Vocês vão ficar juntos com o Charlie querendo ou não. 

Eu sorri levantando minha cabeça

- Eu só quero te ver feliz, não importa com quem seja. - ela acariciou meu Rosto e limpou as lagrimas que descia pelo meu rosto - Se ele te faz feliz, é com ele que você vai ficar. 

Meu sorriso era um sorriso de orelha a orelha, um sorriso verdadeiro, um sorriso sincero.

- Mãe, eu te amo tanto - falei e lhe abracei.

- Eu também te amo, não importa quantas vezes você fale que me odeia, eu sempre vou te amar Julie. 

Eu sorri 

- Pode me explicar então, por que pediu para vim para Londres? Era saudade mesmo?

- Não bem isso.. - falei e ela riu - É outra historia longa.

- temos tempo !

Eu ri e comecei a contar tudo para ela, com os máximos detalhes. 

P.O.V Gabriel 
             Dia seguinte: 

Depois da Julie ter desligado ontem sem me dar nenhuma explicação e não ter atendido minhas 13 ligações, eu fui dormi.

Acordei e peguei meu celular para ver as horas, tinha 1 mensagem da Julie, abri e li 

" Bom dia amor, tem como você me encontrar no aeroporto ? Não vejo a hora de te ver novamente ! "

Lhe enviei um mensagem com uma interrogação e em poucos minutos ela mandou uma foto dela e da mãe dela no avião, um sorriso brotou em meu rosto e desci no mesmo momento tropeçando em mim mesmo e desesperado, cheguei na cozinha e vi o Charlie, a Lívia e os pais da Jennifer lá, estavam chorando e nem viram eu chegar.

- Mãe? - lhe chamei tentando entender o que estava acontecendo ali.

A mãe da Jennifer me abraçou ao me ver, retribui mesmo não entendendo nada.

- Sinto muito. - ela falou chorando em meu ombro.

- O que aconteceu? - desfiz o abraço devagar e gentilmente

- Filho....- minha mãe falou e respirou fundo.

- Fala mãe, o que aconteceu? 

Ela me olhou como se estivesse sentindo dor.

- A Jennifer sofreu um acidente.

Por enquanto nada me afetou, até que eu lembrei do meu filho.

- O John está bem? - engoli seco. - Mãe, meu filho está bem? 

Eu já estava entrando em desespero, ao descobrirmos que seria um menino já escolhi o nome,''Jonathan'', é o nome do meu avó que foi um pai pra mim. Eu já estava espantando meu medo de ter um filho, já estava "me acostumando", isso não pode estar acontecendo.

- Infelizmente ela perdeu o bebê - ela falou e se aninhou no peitoral do Charlie começando a chorar 

Meu olhos estavam marejados, isso literalmente não pode estar acontecendo.


Notas Finais


Não esqueçam de dizer o que achou do capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...