História My hate, my love, my man •『Yaoi|Lemon』 - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Comedia, Fluffly, Lemon, Mpreg, Yaoi
Visualizações 400
Palavras 566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


HOLA, HOLA BB'S

SIM, EU FINALMENTE SAI DO HIATUS :V

Pois bem, eu estou me sentindo muitoooooooo melhor. Não estou tendo tantas crises de ansiedade e/ou depressão :3 estou sendo apenas... Eu :v

Enfim, eu tenho muito a explicar não é? Então, irei explicar, se quiser ir lendo o capítulo pode pular aqui tanto faz...

Então, mil desculpas por ter entrado em hiatus mas eu precisava! Sem querer ser rude mas... Eu não estou escrevendo por vocês — não totalmente, ok? — isso aqui é apenas um hobby. Eu poderia facilmente continuar a viver sem isso. Mas eu preciso me expressar de alguma forma e bem, essa é a melhor forma. Escrever é minha paixão, o que eu mais amo fazer!

Então... Mal explicar mas foda-se mermão :v

— Capítulo não-tão-engraçado.

— Bad na certa.

— Capítulo curto.

— Pão eh top

[capítulo não revisado]

3bjo :3

Capítulo 9 - Confused


Fanfic / Fanfiction My hate, my love, my man •『Yaoi|Lemon』 - Capítulo 9 - Confused

Kim Matsuo Pov's


Sabe o que é a pior coisa do universo? Começar sentir algo por alguém. Sério, é um sensação horrível, você sente coisas que fazem o peito apertar, coisas ruins — ao meu ver.


Mas não é possível eu estar sentindo isso.


Vejam bem, eu mal o conheço e, mesmo não querendo, me sinto péssimo. Eu sou um babaca mesmo.


Quando ele me abraça ou toca — o que acontece constantemente já que ele é uma pessoa "meiga" — sinto como se algo queimasse meu peito. Isso é derrame, né? Não pode ser sentimento.


Izumi está me deixando assim, confuso. Mais confuso do que todas as vezes que eu achava que estava gostando de algum garoto, quando eu abraçava meus pais, amigos ou até "namorados" — é, meu negócio sempre foi com homem mesmo. É algo simplesmente... Confuso. Sim, bastante confuso.


Desde que a "quase-foda" no meu sofá nos trocamos poucas palavras. Apenas o necessário. Em dois dias. Mas eu me pergunto;


Por que ele não me deixou prosseguir?


Não é querendo me gabar, mas muitos pediriam — e pedem — para passar a noite comigo. Mas ele não, ele parecia estar envergonhado, parecia... Tão inocente em meus braços.


Eu amava aquela sensação.


Várias possibilidades passaram pela minha mente, mas uma era predominante; ele ainda era virgem. E só de pensar que isso é verdade e, principalmente, que eu poderia tirar essa inocência me deixava extasiado. Mas será que eu o merecia?


Como é possível sentir essas coisas por alguém que eu conheço a tão pouco tempo? Sinceramente, não faço a mínima ideia. E o mais importante; eu o merecia?


Pelo que conversei com ele — e também pelas coisas que perguntei para Emi — ele parecia ser tão doce. Mesmo xingando todo mundo, sendo irônico e fazendo piadas e trocadilhos de duplo-sentido. Doce.


E só a possibilidade de pensar que alguém poderia tocá-lo me deixava extremamente desconfortável, isso é ridículo. Eu sei. Mas quem sou eu para me auto-entender não é mesmo?


Pensar que em alguns dias iremos para a escola — lugar infernal — me deixava tenso. Aquele lugar é cheio de abutres prontos para darem o bote em qualquer tipo de carne nova.


Eu não iria deixar isso acontecer. Com certeza não.


Já era tarde, deviam ser 22 horas mais ou menos. Em meio à milhares de pensamentos eu decidi sair.


Precisava me perder no álcool da bebida e na fumaça de alguns cigarros.


[ • • • ]


Izumi Pov's


E lá estava eu, agindo como um adolescente idiota. Sou mesmo eaí? Me processa otária. Mas... Não sei, é esquisito, estranho, confuso.


Cada parte do meu corpo dizia que eu deveria ir falar com Matsuo, mas... Uma pequena, bem pequena parte dizia; “Não faça isso, você vai apenas se magoar”. E eu quase tinha certeza que essa pequena parte ganharia, eu não consigo. Eu não quero me magoar. Eu mal o conheço.


Não quero criar expectativas e depois me foder — Lispector, Izumi.


Mas é óbvio que isso não aconteceria, ou aconteceria? Ai que confusão!

Sério, minha capacidade de complicar as coisas me assusta. Muito mesmo, eu quase não falei com Matsuo esses dois dias. E sempre que falavamos algo era ele que puxava assunto, eu sei que estava — estou — sendo idiota... Mas eu não consigo.


Eu sou a confusão.


A aberração.


Apenas um esquisitão.


Vivendo nessa ilusão.


Notas Finais


Nosa, pisquei acabou... Mas é um capítulo importante, acreditem :v

Entãooooooooooo eu meio que vou me organizar aqui, primeiramente só irei postar 1 capítulo por semana. Não quero algo lixoso e curto (¿que nem esse?) espero que compreendam!

Então é isso :v

Ps: Alguém shippa Drarry?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...