História My heart is broken (repostando) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Evanescence, Slipknot
Personagens Amy Lee, Corey Taylor, Joey Jordison, Personagens Originais, Sid Wilson
Tags Slipknot Evanescence Romance Joey Amy Lee
Exibições 49
Palavras 1.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia! Demorei mas voltei. Quero agradecer aos comentários e as novas leitoras, sejam bem vindas <3
Gostaria de ver as leitoras antigas aqui também, então se está por aqui como fantasminha apareça!!!
Boa leitura.

Capítulo 8 - Auto-defesa


Fanfic / Fanfiction My heart is broken (repostando) - Capítulo 8 - Auto-defesa

 

Amy

Desliguei o telefone confusa, achando que poderia se tratar de um trote ou algum engano. Por um momento achei que fosse ele ali, do outro lado da linha. Não sabia se era porque eu ainda tinha esperanças ou porque ultimamente minha sanidade não estava muito bem, mas a calmaria da ligação me remetera a ele. Voltei para a sala e sentei novamente ao lado de  John, estava pensativa e  não continuei prestando atenção no filme. Fiquei pensando sobre a ligação muda, se havia sido ele quem ligara. Não , não foi e eu prometi para mim mesma que não ia mais pensar nisso. Nem nele.

– Amy? Amy, você tá bem? – John me perguntou, pausando o filme e me olhando.

– Ham? Ah sim, estou... eu só estou um cansada –  respondi, o que não deixava de ser mentira. Há dias eu não dormia bem.

– O que aconteceu ? – Will perguntou, voltando da cozinha com sua bacia de pipoca na mão.

– Nada não, é que a amy deu uma paralizada aqui mas voltou –  Rocky respondeu, comendo seu ultimo pedaço de pizza –  Porra dude, enchi.

– Caralho, sério mesmo? Essa é novidade –  Ben zombou de Rocky e todos nós rimos.

John colocou o filme novamente e eu me aninhei ao seu lado, afim de ficar mais confortável. Me peguei relembrando alguns momentos da minha amizade com John que já durava há anos. Sempre fomos muitos amigos, desde o primário andávamos lado a lado e agora ainda mais. Em algumas partes do filme, eu e Ben escondíamos nosso rosto como grandes covardes  que somos, é claro e John ria. Estava quase pegando no sono quando senti John acariciar minha mão e beijar meu cabelo. Eu tremi. Fazia tempo que eu não recebia qualquer tipo de afeto e isso só me fazia lembrar mais dele e o quanto eu sentia falta de seu afeto.  John parecia confundir as coisas, e isso me deixava constrangida. Éramos amigos, nada mais que isso. Tentei achar uma maneira de me desvenciliar sem ofendê-lo  até que por sorte o filme acabou, e todos se levantaram.

–  Valeu pela noite Amy, agora eu vou indo nessa  –  John disse, levantando-se e espreguiçando.

– Tudo bem , eu adorei também. Tirando a parte que Rocky comeu toda a pizza sozinho – Acusei Rocky, que deu de ombros.

– Carona com o titio John, quem vai nessa? – Will e Ben correram, seguido por Rocky para o carro de John.

– Eu mereço! – John sorriu e me encarou por longos instantes, fazendo-me corar e olhar para o chão. Geralmente, rolava um clima estranho entre nós –  Bom então, boa noite –  se despediu, me beijando na bochecha.

– Boa noite John, até amanha no ensaio? – perguntei, vendo-o se afastar. Ele apenas acenou pro alto e entrou no carro.

Fechei a porta me sentindo um pouco mais leve, devido a noite divertida que me distraíra. Não estava cem por cento curada ainda, e talvez nunca me sentisse mais. Mas as vezes eu me permitia socializar com meus amigos e tentar ser uma garota normal novamente. As partes do dia as quais eu pensava nele, eram representadas pela dor e pelo desamparo. Procurava não pensar nele, mas isso me era impossível. Tudo lembrava dele, cada canto daquela casa e daquela cidade havia um pouco dele. Era preciso viver sem ele, mas todos os dias eu acordava me perguntando como seu seria capaz de fazer isso. Foi quando eu tive uma idéia maluca e doentia, que ia contra todos os meus princípios.

Fui até o telefone e liguei para a operadora local, pedindo que me informasse o último numero que havia ligado naquela tarde. Caso fosse ele mesmo que teria ligado, eu poderia conseguir falar com ele pelo menos mais uma vez, talvez a última. A atendente foi ágil e após minha confirmação de dados, ela me informou o número e eu anotei com as mãos tão trêmulas que o nome saira quase ilegível. Quando ela informou de onde era a chamada, meu coração acelerou. Era de um hotel em Los Angeles. 

Ele havia me ligado.

Num gesto totalmente automático, encerrei a chamada e liguei para o tal numero, tremendo e o errando por algumas vezes. Disquei novamente e  para a minha decepção, o número só chamava. Continuei ali boa parte da noite, tentando ligar até que um fio de esperança surgiu novamente dentro de mim. Eu conseguiria falar com ele pelo menos por uma ultima vez? Não hesitei. Eu precisava ouvir sua voz. Já havia decorado o número de tanto discá-lo.

Eu precisava ouvir sua voz , só mais uma vez.
 

Joey 

Eu estava com ódio da Amy, e de seu novo namorado. Eu queria chorar, quebrar tudo a minha volta, mas seria hipocrisia da minha parte. Eu a abandonei, eu escolhi deixá-la para trás e sendo assim, eu não possuía mais direito sobre ela e sua felicidade. Isso me rasgava por dentro, mas o que eu podia fazer? Resolvi sair pra beber, talvez encontrar com os caras em um pub perto do hotel. Sai do hotel e caminhei em direção contrária, até chegar na calçada do pub. Era uma noite calorosa em L.A, e havia muitas pessoas na rua. Tentei achar algum rosto que me distraísse mas em todos eles, eu só via o rosto dela. Como eu iria lidar?

****

– Olha só, nosso pequeno notável! – Paul levantou seu copo, me recepcionando.

– Até que enfim, Joey o "terror da mulherada"  – James bêbado riu, me entregando um copo com conhaque.

– Pois é resolvi aparecer, mas não se acostumem –  respondi me sentando na mesa e dando um gole no copo.

– Cadê o Corey? liguei pra ele e aquele viado disse qua já estava vindo –  Chris perguntou.

– Ficou lá com a cara quebrada, maldito – resmunguei irritado.

– Como assim , o que eu perdi? –  Shawn me perguntou sem entender enquanto os caras se aproximavam, para me ouvir.

– Uma longa história – dei de ombros.

– Já sei. Você fez o que estava querendo fazer  á algum tempo. Digo isso pelo seu olho que está inchado– James comentou, apontando para o meu rosto.

– Todo mundo aqui está de prova que aquele escroto mereceu, certo? Agora não tô afim de falar disso, vim aqui pra me distrair –  respondi, finalizando meu conhaque.

– Opa, então espere ai que já volto –  James saiu.

Ficamos ali conversando sobre a banda, nossos planos e alguns assuntos aleatórios até que vi James aparecer com uma mulher morena, pela boate. Ele a puxava pela mão até chegarem na nossa mesa.

– Toma aqui uma distração pra você anão, essa é por minha conta –  James disse soltando da mão da morena, que veio em minha direção.

Fiquei olhando-a por alguns instantes sem reação, era de fato uma bela mulher e uma profissional em bom estado. Alta, morena, bem vestida e dona de belas curvas. Me perguntei se eu deveria tocá-la visto que há anos eu não tocava em outra a não ser Amy. E nem queria. Mas me lembrei do telefonema e que ela já estava vivendo sua vida, então tirei da minha mente qualquer pensamento, qualquer peso e decidi que partir dali eu iria viver a minha vida também. 

– Até que enfim fez uma pra Deus ver, poste – agradeci me levantando e pegando na mão da morena.

– Porra, eu também quero uma –  Sid pediu, olhando para James.

– Fica a vontade, ali tem um monte meu caro –  James respondeu e todos riram.

Sai dali puxado pela morena que me levou boate a dentro até que chegamos em um quarto, onde ainda podia-se ouvir a música de fundo abafada pelo cômodo. Eu queria, eu estava disposto a me distrair e entrar de cabeça na minha nova nova vida. Sem Amy, sem porra nenhuma. Só  a banda, o dinheiro, a fama e suas consequências. Entramos em um quarto e a morena logo veio para cima de mim, começou a me beijar e pude sentir seu gosto de Martíni, que exalava de sua boca . Ela me jogou numa poltrona fazendo com que eu ficasse sentado a sua mercê, tirou a minha calça e começou um oral até que saciavél. Tombei minha cabeça para trás enquanto a mulher me saciava, senti meu prazer tomando cada parte do meu corpo e me deixei levar. Joguei ela na cama e logo partir para parte mais interessante. Coloquei uma camisinha e penetrei ela, que gemia meu nome conforme eu acelerava meu ritmo. Peguei a morena pela cintura e me encaixei entre suas coxas que era grossas e fartas, por sinal. Enquanto eu a penetrava tentava não pensar em como era com Amy e tentava não imaginar ela ali,tão perfeita, tão deliciosa e tão minha.

De repente senti ódio por lembrar dela e comecei a penetrar a vadia com mais força e velocidade enquanto ela gritava, não sei se por prazer ou por dor. Não ligava até porque esse era o trabalho dela. Sabia que era errado tratar uma mulher como objeto, mas eu não lme importava mais. Ao meu ver naquele instante todas eram iguais.Me fodi por essa porra que chamam de amor e jurei que seria a primeira e última vez. A partir de hoje eu só quero fama e satisfação.

Depois de três estocadas fortes, gozei dentro da vadia que caiu ofegante do meu lado.

– Nossa...você é muito bom nisso.

– Você ainda não viu nada –  respondi me levantando e colocando minha calça.

Terminei de me vestir  rapidamente e sai sem olhar pra trás. Não queria parecer um monstro nem nada mas quanto menos eu me importasse, melhor. Era minha auto-defesa agora. 


Notas Finais


Amy voltando a deprê e Joey modo revoltado, eai o que acharam? Comentem aí embaixo e me faça feliz!
Um beijo e até o próximo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...