História My Heart Stays With You - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Henry Lau, Kim Jongwoon, Kim Youngwoon, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk"
Tags Eunhae, Haehyuk
Exibições 81
Palavras 5.204
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Errata: eu percebi que no capítulo anterior eu coloquei a idade do Donghae errado. São 12 anos de diferença entre eles, portanto, Donghae completou 39 anos no reencontro de 10 anos, não 38 (No trecho "Se eu estiver certo, Donghae vai completar trinta e oito anos este ano"). E Hyukjae tinha 27 mesmo. Erro bobo, mas que percebi só agora. Mil desculpas, gente. T-T

xxx

Enfim, voltei! Prometi não demorar 4 meses, e olha eu aqui 4 meses depois. T-T
Mas, é o final oficial da fanfic e, por incrível que pareça, aniversário de um ano de (re)postagem! <3 Eu espero que gostem tanto quanto eu, parte da demora foi esse bloqueio para com o final, eu não sabia bem como fazê-lo ficar como eu queria e enfim consegui. ;~;
Boa leitura e muito obrigada por sua paciência. <3

Capítulo 11 - XI - Rush Over Me (Bônus)


Antes de te conhecer, eu estava perdido. Agora que você está parado aqui, eu não quero que você vá. Porque eu sei que seu amor me mantém vivo” (Backstreet Boys – Rush Over Me)

 

Os anos passaram como num piscar de olhos.

 

Cresci tanto ao longo deles, foram tantos altos e baixos, como numa montanha russa desgovernada e em alta velocidade. Mas eu não trocaria isso por nada. Cada momento que passei e ainda passarei com quem eu amo eu guardarei em meu coração por toda a minha vida, não importa o que aconteça.

 

Ao me olhar no espelho todos os dias eu vejo como meu rosto mudou, e em meus olhos, o quanto sofri cada dia por cada coisa que fiz. Não sou nenhum santo, mas ao mesmo tempo, paguei por erros dos outros no passado. Ainda assim, não troco nada do que fiz, porque hoje eu sou um novo homem. Já não tenho mais vinte e poucos anos e cresci de todas as maneiras possíveis. E, tudo isso, graças ao meu grande amor.

 

Depois de tanto tempo, eu finalmente posso acordar todos os dias ao lado de quem eu mais amo e não trocaria por nada. Acordo vendo o sorriso mais belo de todos, vejo a pessoa mais bela do mundo todo. Mesmo que tenhamos tido nossos problemas, estamos juntos após batalharmos contra o mundo por nosso amor, o mais belo e sincero amor.

 

O meu coração pertence a ele e a mais ninguém.

 

Como na primeira vez desde que ficamos juntos novamente, é hora de a vida voltar ao normal: rotina de acordar cedo, ajeitar tudo e então sair de casa. A preguiça dominou meu corpo, porém arrumei forças para me levantar. De qualquer forma eu estou pronto mais uma vez, e agora tudo outra vez. Uma nova vida, um novo caminho.

 

Com o olhar animado da pequena Eunsung sobre mim, tomei coragem para mais um dia, um novo dia na minha nova vida. O som do apito ecoou pela quadra e o silêncio se fez presente. Os olhares curiosos dos alunos se voltaram para mim. Sempre curiosos e querendo saber de tudo nos mínimos detalhes.

 

Anos atrás eu me sentiria nervoso ou até mesmo irritado com isso, mas com os anos eu aprendi a lidar com isso de uma maneira bem legal. E, principalmente com todos olhares sobre mim. Com tudo o que passei, nada mais me intimida ou me assusta. Principalmente um bando de crianças fofas de doze anos de idade.

 

- Alunos, bem-vindos ao primeiro dia de aula comigo. Sou Aiden Lee e serei professor de vocês a partir de agora.

 

Pude ver o olhar surpreso das pequenas crianças sobre mim, animadas para o que poderia acontecer daqui para frente. Meu sotaque carregado me entrega e diz que sou mesmo um estrangeiro, porém isso não pareceu assustar ninguém. Ao começar a aula, todos pareciam animados e até mesmo felizes comigo ali.

 

Foi como se eu voltasse doze anos no passado: embora com uma diferença de idade, me lembrei de quando cheguei na escola de Hyukjae. Lembrei-me de quando meu mundo virou de cabeça para baixo. Quando me apaixonei por um menino de dezesseis anos e seu jeito bobo de ser, que mal disfarçava o quanto gostava de mim. Foi tudo tão belo e incrível, mesmo com todos os riscos possíveis.

 

Isso ainda me ronda a memória. Ele e eu sempre tão juntos e tão separados, tão intensos e proibidos. Certo e errado, opostos por completo. E ainda assim, nos completamos como paz e amor. Um belo quebra cabeças formado de nossos corações e boas lembranças. Saber que o tormento já passou me faz feliz, me deixa feliz. A cada dia que passa desde que nos reencontramos tenho mais certeza de que ele e eu fomos feitos uma para o outro.

 

Hyukjae é o grande amor da minha vida e eu o amor mais que tudo.

 

O dia passou mais rápido do que eu imaginei. Às 18h de um dia longo e com várias tarefas e burocracias do primeiro dia de trabalho, eu finalmente saía do colégio, acompanhado da minha pequena bebê. Ela sorria o tempo todo e comentava o quanto os colegas tinham gostado de mim e até algumas meninas haviam se apaixonado por mim. Aquilo me animou e relaxou bastante.

 

Durante todo o caminho para casa nós fomos conversando sobre de tudo um pouco, mas principalmente sobre o nosso amor em comum: meu namorado, pai dela, o cara mais legal do mundo. Hyukjae tem se mantido bem ocupado ultimamente, o seu escritório cresceu bastante e ele atende pessoas do país todo. Isso me deixa completamente orgulhoso dele, pois sei o quanto ele se dedicou para isso dar certo e chegar onde chegou.

 

Mas, hoje, é diferente. Hoje, é meu aniversário, e ele estará aqui comigo.

 

Ao chegarmos em casa, porém, tudo escuro. Seria possível ele não ter chegado ainda? Senti meu coração se apertar com aquilo, pois ele tinha me prometido. A pequena saíra correndo para o seu quarto enquanto eu pensava em tudo. Que será que ouve? Suspirei alto quando de repente pude ouvir Eunsung rir manhosa e, antes que eu pudesse perguntar, Hyukjae apareceu com um lindo buquê de rosas nas mãos, acendendo a luz e mostrando toda a decoração do apartamento, que ele mesmo fizera. Na mesa, um bolo e outras comidas mais.

 

Senti meus olhos marejados com tudo aquilo, então o abracei da forma mais carinhosa possível. Eu te amo, meu amor, lhe disse, apaixonado por ele e por tudo aquilo. Ele sempre fora maravilhoso, mas a cada dia se supera, e eu amo isso nele. Eunsung também demonstrava todo seu amor por mim, e isso me deixa ainda mais derretido por ela. Quem diria que aquele lindo bebê cresceria bem e saudável? Jamais imaginei vê-la novamente, e agora sou pai dela.

 

- Vem, vamos comer?

 

Hyukjae pedira pizza e fez o bolo de chocolate, ideia da pequena. Passamos alguns bons momentos ali juntos, nos divertindo e conversando. Ainda assim, senti que meu amor está um pouco longe. Um olhar distante, mordendo os lábios o tempo todo e visivelmente nervoso, como se algo estivesse errado. Mas ainda não poderíamos conversar por causa da bebê. De qualquer forma, isso há de passar.

 

Após cantarmos os parabéns – por insistência de ambos, lógico – e comermos o bolo, ouvi a campainha tocar. Fui atender e, para minha surpresa, minha sogra estava ali. Há quanto tempo não a vejo! A abraço forte e a chamo para entrar, logo vendo meus amores a cumprimentando. Continua bela e jovem, mesmo com tanto stress e tudo mais. Nos abraçamos como há muito tempo não fazíamos.

 

- Feliz aniversário, Hae-ah! – Ela me desejou ao entrar e ao se sentar no sofá, ganhando um sorriso meu em troca. – Queria poder ficar mais, mas tenho um compromisso importante com alguém muito importante hoje.

- Obrigado, senhora Lee. O que irá fazer hoje? – Perguntei curioso, a vendo rir pouco depois, mesmo tentando se manter séria.

 

Quando dei por mim, Eunsung tinha uma mochila costas e uma pelúcia nos braços. Aqui, meu compromisso de hoje, ela ria, beijando a menina várias vezes. Logo, Hyukjae abraçava a sua mãe e a agradecia por estar com a menina e leva-la para passear. Deu-lhe um pedaço do bolo e, poucos minutos depois, estávamos sozinhos. Sua mãe e a pequena haviam saído prontamente – normalmente há bagunça quando se trata da pequena, mas foi mais rápido desta vez.

 

Fiquei quieto. Eu sabia que ele tramava alguma coisa, mas não sabia o que. Espere aqui, amor, me beijou no rosto e se afastou. Aproveitei para me ajeitar no sofá e ali fiquei, sorrindo até mesmo sem motivo. Saber que finalmente estou em paz e com uma família que me ama, é simplesmente incrível. Mas fico a pensar porque Eunsung teve de sair assim às pressas, sendo que sempre nos amamos mesmo com ela perto – felizmente, ela nunca ouviu nada de nós.

 

Poucos minutos de silêncio depois, pude ouvir o que parecia ser uma bela música, mas longe de mim. Sutilmente, Hyukjae pousou as mãos em meus ombros, beijando meu rosto em seguida. Serviu-me uma taça de vinho e me chamou para irmos até o quarto. Segurei em sua mão e o segui. Bem-vindo ao quarto do amor, ri baixo, sem esperar algo de lá, mas ficando de boca aberta com o modo como tudo estava perfeitamente arrumado para nós dois. Seu rosto ficou prontamente vermelho, e eu apenas o beijei em resposta.

 

Velas em algumas partes do quarto, pétalas de rosas por ali e, principalmente, pela cama, arrumada minimamente para tal surpresa. Abracei-o novamente, buscando seus lábios para um beijo demorado e apaixonado. Seus lábios junto aos meus me deixara ainda mais leve e envolvido em seu amor. Ao final, um olhar sincero, um eu te amo que era dito até em silêncio, o que sempre me deixou ainda mais louco por ele.

 

- Amor, por que não vai tomar um banho e relaxar? Ainda tenho algumas coisas para arrumar antes de a gente conversar, que tal?

 

Acatei sua ideia e então deixei a taça em cima de algum móvel, seguindo para o banheiro e indo tomar um bom banho. Tirei minhas roupas, não demorando a entrar no box, deixando a água quente cair sobre o meu corpo. Nunca me senti tão bem como hoje. Uma sensação boa me tomou a alma, me fazendo sorrir mais uma vez. Me senti amado mais uma vez, como sempre me senti.

 

Cada segundo perto dele é sempre amável. Tê-lo comigo desde que nos reencontramos tem sido mágico. Lembro-me bem daquele dia. Trabalhando como personal, ajudando um cliente em seus exercícios diários no calçadão da praia. Eu já sabia que algo estaria para acontecer, senti dentro de mim que esse dia seria diferente. Mas não soube responder até sair de casa.

 

Então, nos esbarramos. Ele caiu e eu me desesperei. Foi tudo tão rápido que eu mal pude perceber o que estava acontecendo. Em meio ao desespero para o ajudar, enfim caí em mim e o reparei. Tão lindo, tão único e tão diferente. Meu amor, na minha frente, comigo mais uma vez. Senti meu coração e o mundo pararem por um instante. Foi como se voltássemos dez anos no tempo, como se nada tivesse acontecido.

 

Mas durou tão pouco. A realidade deu-nos um tapa e ele precisava voltar para o até então seu noivo. Aquilo me doeu de certa maneira, mesmo que ele estivesse certo. Ele não tinha culpa, ficou anos e anos sem alguém, eu não o culpo e nunca o culparei por isso. Ele seguiu em frente mesmo não querendo e foi forte por todos esses anos sem mim. E é por isso que eu o amo tanto. A sua força é algo belo e admirável. Mesmo com tantos obstáculos, conseguiu ser a pessoa incrível que é hoje, a pessoa que mais me inspira e que me dá forças para continuar a seguir com meus sonhos.

 

De qualquer forma, eu e ele ficamos um tempo sem nos ver por puro medo e orgulho da minha parte. Eu sabia que ele queria me ver, eu também, o queria muito. Porém, travei naqueles cinco minutos na praia. Lembrar-me de que ele estava noivo me impediu de ir procura-lo e conversar, me deixando preso a algo que parecia ser mais falso que dia trinta de fevereiro. Me doía cada instante, mas eu não soube como continuar ou procurar por ele.

 

Mas o destino nos uniu novamente e então eu pude amá-lo novamente.

 

Desde então eu fiz o possível para mantê-lo comigo e perto de mim. Conseguimos nos unir e nunca mais nos separar. Nos encaixamos e então nada mais nos separa. Nosso relacionamento ficou forte, a ponto de nada mais nos chatear. Nada de ex namoradas, nada de ódio ou de remorso, nada de decisões erradas ou medo. Apenas nós dois. E pensar nisso me dá um belo de um alívio, nós sofremos demais com todo aquele escândalo. Felizmente não sei o que aconteceu a ex dele quando fui preso ou depois – e nem quero saber o que aconteceu com aquela doida.

 

Depois do banho, vesti-me prontamente com uma roupa mais confortável e voltei para o quarto. Hyukjae estava na janela, admirando a bela vista da cidade. O abracei carinhosamente por trás, beijando seu rosto algumas vezes, logo o vendo se aninhar em meus braços, virando-se para mim e voltando a me olhar. Pude notar que ele queria algo, e que seria algo bom para ambos. Ficamos em silêncio por alguns instantes, até ele retomar sua coragem.

 

- Amor, eu preciso te falar uma coisa. E é algo importante para nós dois, sei que é algo que precisamos, e precisamos há muito tempo.

 

O admirei, curioso, enquanto era levado para o centro do quarto todo florido ainda. Ele enrolava, ensaiava algo e queria se livrar de tal nervosismo logo. Não consegui pensar em nada, então não podia imaginar nada. Hyukjae me segurou ambas as mãos e guiou seu olhar ao meu. Nos beijamos como da primeira vez em que nos beijamos quando mais jovens, e isso fez meu coração disparar num minuto.

 

Então eu me toquei de algo sério viria dele. Ele sempre fora tão direto comigo, e então ele ficou tímido. Enlacei nossos dedos com carinho, lhe dando a confiança necessária para continuar a falar. Sempre gostei de o incentivar com tudo, e desta vez não foi diferente. A curiosidade está me matando por dentro, mesmo eu já tendo alguma noção do que viria dele a partir deste momento.

 

- Donghae, eu te amo. Você é meu tudo e eu esperei por você por mais de dez anos. Eu desejei, sonhei e esperei por você por cada segundo desses dez anos longe.

 

Ao ouvi-lo falar, comecei a chorar. Não teve como, uma vez que tudo o que ele dissera era tão lindo que me fizera derreter. Deu-me um lenço e sequei as lágrimas, que caíam insistentemente por meu rosto. Ele me envolveu em seus braços e me deixou mais calmo em instantes. Como ele consegue? Anos atrás era eu quem fazia isso. Como os tempos mudam.

 

Aos poucos o nervosismo dele foi sumindo. Os dedos enlaçados, pude sentir o quanto ele me ama e como estamos tão bem juntos. Tudo o que aconteceu aqui foi como uma montanha russa desgovernada que enfim chegara ao fim de seu percurso. Agora estávamos numa bela roda gigante, curtindo nossos belos momentos de forma doce e calma, como deveria ter sido desde o início – mas que agora será até o fim de nossas vidas.

 

- Você tem sido incrível nesses dois anos juntos, e eu nem precisava disso tudo para ter a certeza de que você é o grande amor da minha vida. Eu nunca precisei desse tempo para saber que é com você que eu quero ficar o resto da minha vida.

 

Hyukjae sorria como nunca sorrira antes. Beijou-me mais uma vez antes de tirar uma caixinha do bolso do terno e se ajoelhar, revelando o anel de noivado em seguida. Senti meus olhos marejados ao vê-lo segurar minha mão e a beijar, rindo baixo provavelmente do meu rosto corado como um tomate. Mas não me importei. Acariciei seu rosto tão belo – e agora úmido pelas lágrimas – e já soube a minha resposta antes mesmo da pergunta. Me senti como quando nos encontrávamos às escondidas, porém agora pronto para me mostrar ao mundo junto dele para todo o sempre.

 

O choro livre a partir de agora, nada mais poderia ser mais lindo do que ele assim comigo, me fazendo o homem mais feliz do mundo ao seu lado, não se importando mais com os problemas da vida. Não há mais nada em nosso caminho a não ser felicidade e muito amor. E, finalmente, ouvi a pergunta que há anos eu espero ouvir. Que eu nunca tivera coragem de fazer, mas que finalmente partiu de um de nós.

 

Meu coração se derreteu ao finalmente ouvir sua voz mais uma vez.

 

- Aiden Lee, meu eterno Donghae, seja meu. Aceita se casar comigo?

 

• • •

 

As mãos dele deslizaram por meu corpo de forma intensa como em todas as vezes.

 

Os beijos sempre tão deliciosos e os toques tão sutis por minha pele sempre me fazendo gemer por estar sensível vieram à tona. Mais uma vez nos amamos, com direito a tudo o que o merecíamos. Depois de alguns meses, finalmente livres para tudo o que sempre sonhamos juntos. Estarmos unidos me fez ver o quanto eu desejei por ele e por seu amor, seus toques e palavras enquanto estávamos longe.

 

Minha vida agora é um paraíso total.

 

- Dong... Donghae...

 

Deixei seu nome sair num gemido manhoso ao senti-lo me tocar em meu ponto mais sensível, me masturbando lentamente, apenas para me provocar. Donghae tornou a me beijar enquanto me tocava, aumentando o ritmo de sua mão aos poucos, me deixando louco com aquilo. O som do mar ao fundo só nos deixou ainda mais vontade para continuar nosso pequeno ato de amor num quarto de hotel após nosso lindíssimo casamento numa praia deserta e apenas com nossos familiares.

 

Cada passo nosso até o altar foi incrível. Cada troca de olhar e carinho, nosso primeiro beijo como um casal antes e nosso primeiro beijo depois dos problemas. Tudo isso resultando em nós dois nos amando como nunca. Poder senti-lo me amando com tanto prazer é delicioso para dizer o mínimo. Mesmo no começo, ele já me deixa sensível e querendo foder a noite com toda com ele. O abracei durante o ato e o puxei para mais perto, querendo mais ainda do seu contato.

 

- Hyuk-ah, está com pressa? – O ouvi rir malicioso e, quase que bruscamente, mudar as posições, me deixando por cima dele. – Ainda precisa vir aqui e ser um bom garoto como sempre, se esqueceu?

- Claro que não, meu querido professor. – Ri junto dele, me ajeitando por cima dele, então me curvando e fazendo o que tinha de fazer.

 

Tratei de começar a chupa-lo devagar, do jeitinho que ele sempre gostou. Podia ver a satisfação em seu olhar, algo que sempre me animava a continuar e a lhe dar ainda mais prazer. Meu amor por ele sempre foi enorme, e em momentos assim eu sempre tinha a certeza de que era retribuído.

 

Enfim fechei os olhos, fazendo os movimentos de vai e vem com a boca, envolvendo minha boca na ereção dele com vontade, o ouvindo gemer alto e rouco. Poder saber que estava o levando à loucura sempre me deixou louco também. É uma sincronia incrível e deliciosa, que eu não trocaria por nada no mundo.

 

Donghae abria um pouco mais as pernas e eu podia vê-lo se entregar ao meu oral de forma deliciosa. A vista do pôr do sol ao fundo, na janela em cima da cama, apenas deixava tudo ainda mais incrível e delicioso. Mas nada poderia substituir o som dos gemidos dele tão intensos e delicioso, me mostrando o quanto ele queria aquilo e queria continuar.

 

- Hyuk. Colo. Vem.

 

Ouvir meu amado ditar as suas vontades me fez aumentar a vontade de me entregar a ele ainda mais. Enfim me posicionei em seu colo, podendo ser deliciosamente invadido por ele aos poucos, enquanto o abraço e deixo meu olhar voltado ao seu, mordendo meu lábio inferior e gemendo baixo. Sempre o mesmo ritual, da dor ao prazer, tudo ao lado dele sempre tão incrível e delicioso.

 

Eu o amo com todas as forças dentro de mim.

 

Pouco a pouco eu comecei a rebolar em seu colo, gemendo rouco enquanto ele ainda me toca, de forma rápida e gostosa. Sentir e ouvir nossos corpos se chocando me fazia gemer alto, sem me importar se mais alguém além dele iria nos ouvir. Já tem algum tempo desde a última vez, então poder descarregar nossos prazeres é delicioso demais para ser discreto.

 

Fico a pensar o quanto amo esses momentos junto a ele. Do começo ao fim, por menor que seja o contato, tem sempre muito amor envolvido. Talvez por isso eu tenha esperado por tanto tempo para reencontra-lo. Talvez por isso eu nunca tenha perdido a fé de tê-lo comigo mesmo com as dificuldades presentes. Quando eu estava mal, ele sempre esteve lá comigo e para mim, cuidando de tudo e sendo incrível.

 

Eu tive poucas certezas na vida, mas Donghae é a principal delas.

 

Não muito depois, ele me deixou de quatro para si. Pude senti-lo ainda mais conectado a mim, me deixando ainda mais sensível. Suas investidas tão gostosas me deixam louco, me obrigando a rebolar contra o seu corpo, fazendo a cama ranger e o som dos nossos corpos se chocando ainda mais alto. Não que eu me importasse com isso, claro. Sua invasão deliciosa me deixou sensível como sempre, no entanto, entregue a ele como sempre fizera.

 

Logo eu podia sentir meu ponto mais sensível ser atingido com força, me fazendo pedir por mais e mais. Donghae trouxe sua mão até minha ereção, me tocando de forma prazerosa, me deixando ainda mais entregue a si. Não demoro por me desfazer, sujando toda a sua mão. Em sincronia, meu amado também se entregava, podendo deixar seu gemido longo e rouco ecoar no quarto junto do meu.

 

Donghae é um cara maravilhoso, não?

 

Deitados, finalmente, pude abraça-lo e lhe admirar com sempre o fiz. Como é lindo o meu amor. Os mesmos olhos castanhos de sempre, os mesmos cuidados, tudo. Seu cuidado sempre tão detalhado comigo me fez com que me apaixonasse mais ainda por si, deixando-me ainda mais com vontade de ficar consigo para sempre. Voltei a abraça-lo, com carinho, me aninhando em seus braços e sendo abrigado em seu amor.

 

- Como está o meu marido maravilhoso? – O ouvi perguntar, sorrindo apaixonado. – Nossa primeira transa depois de casados. Não é incrível?

 

Decidimos nos casar um ano depois de noivados. É dia quinze de outubro de novo, e é aniversário dele mais uma vez. Apesar disso, a nossa diferença de idade não nos assusta mais, eu sequer me lembro que existe isso entre nós. Nosso casamento foi na praia, perto de onde nos reencontramos depois de dez anos – muito embora a gente quisesse fazer isso em nosso país natal – o que ainda é impossível para nós, mas podemos superar.

 

Estar com ele neste dia é incrível. É o terceiro aniversário dele que estamos juntos, o terceiro de muitos em que posso fazê-lo feliz. Embora eu quisesse me casar o mais breve possível, fiz de tudo para que fosse o mais perfeito. E eis que marquei para o aniversário dele, exatamente um ano depois do pedido de noivado. Quase ousei me casar com outro nesta mesma data, mas não deu certo. E então decidimos ficar juntos neste mesmo dia.

 

Que coisa a vida, não?

 

- Estou ótimo, com meu marido incrível. – Beijo seu rosto pouco depois, ganhando um carinho em seguida. – Eu te amo tanto, Hae-ah.

 

Seu sorriso se iluminou e me iluminou de forma deliciosa. Mas por mais que eu quisesse, o cansaço me dominou a ponto de me deixar sonolento. Pude ouvir sua risada gostosa e um pode dormir, meu amor, então acabei me entregando. Nunca me entendi por ser assim, porém nunca reclamei também. Estando com ele ali, nada me importa.

 

De repente, eu vi a luz.

 

O sol batia na cama e eu então acordei depois de simplesmente ter desmaiado na cama depois de ontem à noite. Preguiçoso, movi-me para o lado, à procura de meu marido. Espaço vazio e frio. Como assim? Enfim me sentei na cama e passei a observar o cômodo. Realmente, estou sozinho. Mas pude ouvir a água do chuveiro caindo e, então, decidi por seguir até lá.

 

Vi meu esposo tomar seu banho, concentrado, sem me notar ali com ele nos primeiros instantes. Sorri comigo mesmo e então tive uma ideia marota. Tirei as roupas e então segui, lentamente, até o box. O abracei por trás e beijei sua nuca, vendo o susto que ele levara por não ter me visto, porém, rindo em seguida.

 

- Bom dia, meu amor. – O ouvi sua voz doce finalmente, enquanto o vejo se virar para mim, roubando um selinho breve. – Acho que te cansei bem ontem.

- E como. – Ri junto dele, o abraçando apaixonado. – Ei, vamos andar na praia depois?

 

Donghae concordou com a ideia e, com muita insistência, ficou comigo para terminarmos o banho juntos. Trocamos algumas carícias mais e enfim saímos dali, indo nos vestir sem demora. Eu mal posso acreditar que me casei, e estar com o homem da minha vida é a melhor sensação de todas. Vê-lo sorrindo por estar comigo me enche o coração de felicidade e me dá esperanças de que tudo será como hoje: perfeito.

 

Após decidirmos por comer alguma coisa, enfim fomos até a praia. Linda, quase deserta, apenas nós dois caminhando pela beira do mar. De mãos dadas, eu podia ver a aliança no dedo dele, mostrando ao mundo que ele tinha alguém só dele. Com nossos nomes gravados dentro das alianças, nos casamos na mais bela cerimônia de todas.

 

A noite não poderia ter sido melhor. Eu, ele, minha filha e minha omma – appa não quis comparecer e, mesmo estando triste, eu o compreendo – unidos para selar esse casamento que há muitos anos eu desejei. Estar no Havaí junto deles foi um dos melhores momentos da minha vida. Mas nada se comparou a ver Donghae seguindo até mim, sorridente, com um belo buquê de rosas nas mãos.

 

Cada olhar e palavra dita foi completamente sincero. Eu não poderia estar mais feliz do que estou agora. Relembrar a cerimônia me dá arrepios, mas de felicidade. Estar com o meu amor finalmente ao meu lado me mostra o quanto o amor pode curar alguém, pode aproximar e jamais afastar, sempre destruir barreiras.

 

Com ele eu sou mais forte e me sinto mais vivo a cada dia.

 

O último foi o mais incrível da minha vida. Desde que ele aceitou se casar comigo, eu me senti mais leve. Talvez por eu ter esperado tanto tempo por isso me deixou bem melhor e mais calmo, mais completo e feliz comigo mesmo. Foi como se os anos sem ele não tivessem existido, e que ele sempre esteve aqui ao meu lado. Como se morássemos aqui desde o início, e que o passado jamais tivesse retornado.

 

Bem, na verdade tive algumas notícias de meus amigos, e até mesmo de Hyoyeon – ela não está mais presa em regime fechado, mas ainda paga pelo que fez. Ela nunca tentou vir atrás de mim ou de nossa filha, e isso me deixa chateado de certa forma, uma vez que a menina tem mãe e, em alguns momentos de sua vida, perguntou por ela – chateando-se ao ouvir que eu também não sabia nada dela.

 

Mas isso é o de menos. O que importa agora é que ele é o segundo pai dela, e a segunda pessoa favorita dela em todo o mundo. Isso me deixa com ciúmes, não nego, mas ainda assim é maravilhoso ver a interação deles. Eu sempre me lembro da primeira vez em que eles se encontraram, no parque, com ela no carrinho e ele fardado. Foi lindo, muito embora tenha durado poucos instantes.

 

No entanto, por mais que isso tenha sido doloroso, eu sempre me senti bem com ela perto de mim. Minha família parcialmente montada e unida, sempre nós dois nos ajudando e nos amando mesmo nos piores momentos. Eunsung é uma joia preciosa, bem como Donghae é para mim. Tê-los comigo é o mais importante agora e eu não troco por nada no mundo.

 

Quando percebi, já era final de tarde. Estávamos sentados de frente para o mar, observando o fim do dia chegar. Passamos o dia a conversar, de besteiras à planos para o futuro. Sempre de mãos dadas e muito amor entre nós. E toda a vez que olho para ele, eu me sinto incrivelmente bem. Donghae ainda é o professor de educação física que conheci com dezesseis anos, ele não mudou nada desde aquela época, mesmo fisicamente.

 

Deitados na areia, eu mirei em seus olhos e vi, através deles, o quanto o nosso amor ainda é intenso. Senti sua mão em meu rosto e o acariciou lentamente, sorrindo sincero, como sempre fazia em nossos momentos às escondidas. Como quando ainda éramos mais novos, precisando manter a relação de professor x aluno.

 

- Hyuk-ah, você ainda é um menino grande para mim, sabia? – O ouvi comentar de repente, rindo bobo de si mesmo. – Ainda te vejo como um adolescente, algumas vezes.

- E eu ainda o vejo como meu professor. – Ri, roubando-lhe um selinho. – Você ainda me ensina tantas coisas.

 

Sorrisos trocados, nos beijamos mais uma vez. Os lábios dele sempre tão doces e chamativos, me deixando incrivelmente louco e com vontade de mais. Nos envolvemos num abraço sincero e cheio de amor, ao mesmo tempo que o beijo tomava o mesmo rumo. Eu mal pude acreditar o quanto esperei por ele e que agora ele é meu, finalmente. Poder olhar em seus olhos todos os dias, pelo resto de minha vida, é tudo o que eu mais desejei.

 

Donghae diz eu te amo até sem dizer nada.

 

- Amor, eu quero lhe dizer uma coisa importante que descobri recentemente.

 

Seu olhar ficou sério de repente. Sentamo-nos na areia e fiquei a observá-lo, enquanto tirava um papel do bolso da bermuda. Vi seus olhos ficarem marejados enquanto me entregava aquilo, então soube da importância que aquilo tinha para ele. Peguei o e-mail impresso e, sem demora comecei a ler. No começo tudo bem, até que cheguei ao assunto principal da carta.

 

Caro casal Lee,

É com enorme prazer que aprovamos o cadastro de ambos para que entrem na fila de espera para a adoção de uma criança à sua escolha. Concluímos que Aiden Lee é capaz de criar um filho, pois sua ficha criminal não interfere na adoção, visto que o mesmo já cumpriu sua pena em seu país de origem. (...)

 

Meu coração disparou na hora e eu comecei a chorar junto dele. Ter mais um filho sempre foi uma de minhas vontades, mas principalmente ter um filho com Donghae. Agora que poderemos ser pais juntos, minha vida enfim pode seguir tranquila e completa. Nossa família agora está mais completa do que nunca, e saber que isso está acontecendo é a melhor notícia de todos os tempos.

 

- Eu te amo, meu amor! – Lhe disse em meio às lágrimas, enfim me entregando à emoção de poder ser pai mais uma vez, e ao lado de quem realmente amo.

 

Abracei meu esposo e lhe enchi de beijos, como nunca antes. A sua risada gostosa me preencheu e transbordou o coração como sempre fizera. Eu nunca poderia imaginar que ele mudaria a minha vida, e que mudaria a esse nível. Tem coisas que eu jamais pensei que iria acontecer comigo quando eu tinha dezesseis anos. Mas, sinceramente, eu não mudaria quase nada. O que eu passei com ele, eu jamais trocaria por outra coisa. O sofrimento que passei, estão sendo compensados e serão até o fim de minha vida.

 

Eu entreguei meu coração à Donghae e ele me deu o seu, para todo o sempre.


Notas Finais


Bom, e aqui estamos. O que acharam? Eu pensei muito mesmo em como fazer esse final, e o trecho narrado pelo Donghae foi um pouco difícil, eu não sabia bem como o faria e até onde ele iria, se seria o capítulo todo ou não - mas decidi por fazer só uma parte, mesmo. De qualquer forma, é o meu amor essa fanfic e eu nunca vou me esquecer dos bons momentos dela, de cada capítulo e seus momentos incríveis que tive ao escrevê-los.

Muito obrigada por acompanharem essa fanfic e por terem esperado por mim. Uma pena ser o final da história, mas espero reencontrar todos numa próxima história.
Até logo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...