História My High School Boyfriend - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Adolescente, Amor, Basquete, Boyfriend, Bts, Chimchim, Comedia, Comico, Coréia, Ginastas, High School, Hobi, Hope, Hoseok, Jeon, Jhope, J-hope, Jimin, Jin, Jung, Jungkook, Kim, Kook, Kookie, Korea, Lideres De Torcida, Min, Nam, Namjoon, Park, Rap Monster, Romance, Shoujo, Suga, Tae, Taehyung, Taetae, Yoongi
Exibições 275
Palavras 3.016
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 6 - Competição aquática.


Fanfic / Fanfiction My High School Boyfriend - Capítulo 6 - Competição aquática.

Eu ainda estava confusa com tudo que havia acontecido, mas talvez eu devesse aproveitar o beijo de Yoongi, afinal, ele beijava bem, sabia conduzir uma garota e atuar de forma que ninguém percebesse que aquilo não passava de mais um plano idiota. 


Idiota, mas eu estava adorando. 


Não pelo fato de ver o Hoseok com aquela carinha de cachorro que foi abandonado, mas em poder beijar o Yoongi a hora que eu quisesse – engano meu – porque beijá-lo é realmente muito bom! Eu poderia passar o resto do capítulo falando o quanto é bom. 


Ele tem as mãos firmes e essas prenderam a minha cintura de forma possessiva, enquanto sua língua quente explorava cada parte da minha boca e ainda entrelaçava-se com a minha de forma doce e delicada, porém sem deixar aquilo ser um beijo tedioso e eu quase protestei quando So Won me puxou pelo braço, me fazendo soltar o meu suposto namorado e me olhar com um sorriso enorme no rosto. 


– Você foi demais! – disse, animada e batendo palmas – E ainda teve esse beijo no final para completar... 


Vi um sorriso um tanto malicioso crescer nos lábios de So Won e soltei uma risada escandalosa. 


Imaginei que todos estavam pensando o mesmo que ela, afinal, aquilo havia sido um beijo um tanto quente para se dar na frente de tantas pessoas que até então achavam que Min Yoongi e Jung Sora estavam solteiros e da noite para o dia... rola beijo na quadra do colégio. 


Fiquei um tanto curiosa para saber os pensamentos de cada um, mas nada era realmente claro. Estamos falando de adolescentes e acredito que a única coisa que pensaram foi: "O que será que eles fazem entre quatro paredes?". 


O pior de querer saber é saber! 


– Hmmm... – Kim veio em minha direção, sorrindo da mesma forma que So Won – O que será que os dois pombinhos fazem entre quadro paredes? 


– Se beijam assim em público, imagina quando estão sozinhos! – So Won atiçou. 


Eu tive vontade de morrer naquele momento, que um meteoro caísse bem na minha cabeça e acabasse com o meu sofrimento, mas nada aconteceu, eu continuei ali parada, olhando para cada uma delas, tentando formular alguma resposta, quase fazendo com que saísse fumaça da minha cabeça.


– I-isso é meio pessoal... – sorri totalmente sem graça. 


– Ahhh... – Kim soltou um som de desapontamento. 


Me permiti sorrir um pouco e logo pensei em mil maneiras de sair logo dali, mas era claro que se eu fugisse iria ser impedida pela barreira da discórdia e puxada pela corda da vergonha para responder mais perguntas constrangedoras vindas das líderes de torcidas que eu não sabia se estavam animadas por conta da vitória ou por conta do beijo. 


Ser líder de torcida lhe dava alguns privilégios, porém o de ser conhecida por toda a escola poderia ser também nomeado como "maldição" já que eu estava sendo pressionada por todos da escola, curiosos de plantão e cia, para dizer como foi que eu e Min Yoongi começamos a namorar se dias atrás ele estava beijando a ruiva da turma três, enquanto eu estava secando Jung Hoseok suado. 

Eu não sabia que era perceptível o fato de sempre estar olhando o corpo do deus grego, do meu futuro marido/boy mais que magia, enquanto ele treinava, mas eu não me deixei abalar! Dei um sorriso de canto e encarei o chão por alguns segundos, antes de responder que estava levemente envergonhada com todas aquelas perguntas desnecessárias. 


Depois de um tempo desviando de pessoas curiosas, – lê-se "intrometidas" – consegui chegar ao vestiário para trocar de roupa e o meu desespero de ir para a casa era tão grande que eu fiz questão de deixar para tomar banho em na mesma e não na escola, caso contrário eu poderia ser atacada por colunistas do jornalzinho do bairro querendo saber mais informações sobre o hálito do meu "namorado". 


– Que lastima! – resmunguei, enquanto jogava todos os meus pertences dentro da minha bolsa e colocava a alça da mesma por cima do ombro. 


– Lastima? Você devia estar feliz por nosso sucesso, fomos incríveis! – uma das garotas que também se trocava falou, intrometendo-se em meus pensamentos altos com um sorriso de satisfação no rosto. 


– Eu estou feliz, não estava falando disso...


Aposto que deixei transparecer uma pontinha de tristeza que havia em minha voz, deixando claro que naquele momento felicidade tinha de sobra, porém ela estava dividindo um sobradinho – que eu chamo de coração – com a tristeza por ver Hoseok daquela forma. 


Peguei minhas coisas e as levei para fora, na esperança de ir para casa e me jogar na cama, pronta para passar uma noite inteira com pensamentos de arrependimento por ter feito aquilo e mesmo parecendo uma idiota por me sentir daquela forma, mesmo depois de ser rejeitada, eu sabia que não conseguiria ser diferente, eu era o tipo de trouxa que sabia que estava sendo trouxa, mas não parava de ser, nem ao menos tentava e o fato disso estar acontecendo talvez seja um castigo por anos e anos cobiçando o corpo de Hoseok depois dos treinos, quando eu deveria estar me preparando para alguma prova, teste ou aula importante. 


O destino estava me castigando por Hoseok ser bonito. 


Nesse instante eu pensei em todas as possibilidades em tê-lo ao meu lado e acabei percebendo que eu poderia virar algum tipo de canibal, pois acho o corpo dele delicioso, a pele macia e sinto uma vontade inegável de mordê-lo até arrancar um pedaço para guardar em um potinho em conserva.


– Nossa, que beijo foi aquele?! – senti as mãos leves e muito bem conhecidas por mim – Aposto que isso não passa de uma brincadeira sua! 


Virei-me e encontrei a minha melhor amiga com um sorriso estampado no rosto, enquanto chamava o seu namorado com os dedos finos e delicados.  


– Não há brincadeira nenhuma. – afirmei veemente. 


– Não? – ela me olhou, enquanto Namjoon a abraçava de lado. 


Observei os olhares divertido dos dois e percebi uma coisa que já deveria ter notado em meu rosto: eu não sei mentir e quando tento fazer tal coisa fica visível. 


E não, não é algo que se note por me conhecer por tanto tempo que já houvesse percebido isso, mas é algo visível até para pessoas que eu nunca vi na minha vida, pois fico idêntica a uma louca, desesperada, olhando de um lado para o outro, suando frio, com as pernas bambas... Era quase uma fobia. 


Medo de mentir, se é que isso existe realmente. 


– Pare de mentir! – Namjoon soltou uma risada e eu senti vontade de acabar com a vidinha preciosa dele naquele mesmo instante. 


– O que vocês querem que eu diga? – perguntei um tanto inquieta. 


– Queremos que nos conte o que há com você e com Yoongi, já que ele é... meio gay... 


Olha, eu já havia escutado muitas coisas sobre Min Yoongi, inclusive que ele tinha mania de falar sozinho, mas nunca que ele parecia gay e isso então significava de alguma forma que eles estavam desconfiados que o nosso namoro repentino era falso por conta da possível homossexualidade de Min Yoongi, o que não era um problema, porém passava a ser quando aquilo era calúnia. 


– Ele não é gay, eu saberia se o meu namorado fosse gay. – dei um breve sorriso para disfarçar o meu nervosismo. 


– Na verdade o mais estranho de tudo isso é que você nunca me disse que sentia algum tipo de atração por ele. – Yoon-He suspirou, cruzando os braços e me olhando de forma intimidadora. 


– Aigoo, eu não falei por conta da vergonha. 


– Você não tem um pingo de vergonha nessa sua cara! – Namjoon afirmou com certeza emanando de sua voz. 


– Há uma primeira vez pra tudo. 


Troquei olhares desesperados com Yoon-He, na esperança de fazê-la comprar a minha ideia de ser uma nova Sora totalmente envergonhada em falar de seu "amor não correspondido" até então, que logo se transformou em um namoro, onde eu descobri que Min Yoongi era totalmente apaixonado por mim e que faria de tudo para me ter em seus braços. 


A verdade é que eu não sabia se precisava sustentar a mentira até para o casal que era nosso amigo, mas para me precaver, eu resolvi inventar uma história de que o garoto pálido era realmente muito tímido para falar com garotas e se confessar, quando vi Namjoon cair numa gargalhada escandalosa, fazendo os meus olhos se abrirem mais que o normal. 


Min Yoongi não era nem de longe tímido e eu não era o tipo de garota que ficava corada a cada toque ou olhares lascivos dos meninos com hormônios à flor da pele.


– Você está mesmo dizendo que aquele retardado é tímido? – fiquei observando o garoto à minha frente rindo de forma desajeitada – Min Yoongi é o cara mais atirado de todo o ensino médio! Você acredita que o pervertido colocou uma câmera no vestiário feminino? 


Em um súbito, eu me joguei na frente de Kim Namjoon, colando minha mão nos lábios do mesmo, o impedindo de continuar qualquer coisa que ele pretendesse dizer. 


Ninguém ali poderia saber daquela câmera ou eu possivelmente seria pega por arruinar o cabelo de Haeun, uma doida, metida à patricinha, uma completa mesquinha... Okay, vou parar de ofendê-la, por mais que seja tentador. 


– Não fale isso alto! – falei com os dentes cerrados. 


– Aigoo! Por que não? 


Por que não, Sora? Quer mesmo se entregar assim de mão beijada? Eu precisava me virar para inventar uma desculpa e me safar dessa encrenca. 


– Porque eu pensei que Min Yoongi era o seu amigo. – comecei e logo percebi que a expressão de divertimento do garoto havia mudado, ele estava completamente pensativo – Se alguém escutar, ele pode ser suspenso ou até mesmo expulso da escola. 


O vi desviar o olhar, estava arrependido por ter falado aquilo alto e quase ter prejudicado o seu amigo, mas logo olhou para mim novamente e sorriu, mostrando suas adoráveis covinhas, o que – no momento – eram as únicas coisas adoráveis nele. 


– Vocês estão estranhos! – Yoon-He constatou – Que câmera é essa? 


– NENHUMA! – Namjoon e eu falamos em uníssono. 


Eu estava entrando em um estado de pânico irreversível caso eu não me acalmasse imediatamente. Era um pouco desesperador ter tantas coisas para desabafar com a minha melhor amiga e não poder dizer nenhuma delas, pois eu havia me metido em uma completa enrascada, de onde ninguém podia me ajudar a sair, porém todos podiam me afundar mais no poço que eu estava chamando de Desastre da Minha Vida Pessoal. 


Havia uma certo receio até na minha voz e isso me deixava um tanto aflita por não conseguir esconder que estava preocupada com o meu futuro na escola. Eu não havia pensado nas consequências e isso era ruim. Eu poderia ser expulsa, decapitada e veria Haeun rindo da minha desgraça, enquanto eu chorava lágrimas de sangue por ser tão idiota. 


Olhei para o lado e vi o animado Yoongi se aproximar, acompanhado de seu suposto amigo Hoseok, que não estava tão animado assim. Na verdade, Hobi parecia bem triste perante sua vitória no regional, o que deveria ser motivo de festa pelo resto do ano. 


– Que tal uma comemoração na lanchonete perto da minha casa? – Yoongi passou o braço por meu ombro e eu lhe entreguei um sorriso forçado – Lá tem a melhor pizza de todo o bairro e olha, eu vou pagar! 


– Comida grátis? – Namjoon deu batidinhas nas costas do amigo – Tô dentro! 


– Se o Nam vai, eu vou! – Yoon-He abraçou o braço de seu namorado e por um momento eu jurei que fosse vomitar com aquela cena (por mais que eu quisesse poder fazer o mesmo com Jung Hoseok).


– Então você quer que eu vá com vocês? – Hoseok cruzou os braços – Min Yoongi, não somos amigos, você nem sequer fala comigo quando não estamos em jogos ou treinando. 


– Por isso mesmo eu estou te chamando, quero que você se torne o meu amigo, afinal, você fez com que essa vitória fosse possível, meu amigo! – sorriu, mas ninguém notou que o mesmo era irônico. 


– Vamos então? – puxei a mão de Yoon-He e deixei os meninos nos seguindo, enquanto eles cochichavam alguma coisa e as vezes davam gargalhadas. 


A lanchonete não era muito movimentada, mesmo assim nós decidimos ficar em uma mesa bem escondida para que tivéssemos liberdade para rir e parecer um bando de animais sem que ninguém reclamasse. Sentei ao lado de Yoongi, de frente para Hoseok, Yoon-He e Namjoon, enquanto eles escolhiam o sabor da pizza e eu tentava decifrar o olhar divertido de Yoongi direcionado à Hoseok, que estava sério e tentava se concentrar no cardápio. 


– Yoongi, o que vamos pedir? – tentei puxar assunto com o garoto ao meu lado para acabar com aquele clima estranho. 


– Eu gosto de pizza de calabresa, bem picante. – ele afirmou. 


– Ah, sim... – Hoseok se pronunciou com um certo tom de ironia em sua voz – Sabia que coisas apimentadas não nos deixam com um hálito bom? Vai beijá-la depois de comer calabresa... Talvez, né? Afinal, você pensa muito na sua namorada. 


Fiquei tentando entender o que havia acontecido ali, Hoseok havia acabado de debochar de Yoongi, sem nenhum medo de morrer, enquanto o restante das pessoas presentes ficaram olhando para a cena que os dois estavam fazendo, alfinetando-se por baixo dos panos, deixando claro que estavam em uma guerra de hormônios. 


– Ela gosta do meu gosto quente. – ele piscou e eu pude sentir minhas bochechas corarem e minha saliva prender-se em minha garganta, fazendo-me engasgar. 


– A Sora gosta de caras carinhosos e não de idiotas como você. – Hoseok levantou suas sobrancelhas e endireitou sua postura. 


– E como você sabe disso? Por acaso a conhece tão bem quanto eu? 


– Sim, eu conheço! 


– Então quer dizer que anda abanando o rabinho para a minha namorada! – Yoongi sorriu sarcástico e apoiou o queixo em suas mãos na mesa.  


– Não, mas se for preciso...


Fiquei intercalando os olhares entre os dois por um longo tempo, enquanto Namjoon e Yoon-He pareciam se divertir com a discussão boba dos dois, o que era quase que inevitável, já que eu sabia que Yoongi estava apenas atuando e indo muito bem, pois Hoseok estava mordendo a isca e se contorcendo de raiva à cada segundo. 


Então foi aí que eu me perguntei se ele estava fazendo por algum motivo específico, mas ele havia me dito que só me via como amiga, eu estava afundada na zona da amizade e é muito difícil sair desse poço quando uma de suas concorrentes é Haeun, mesmo sem cabelo, ela era linda e conseguia ser charmosa, coisa que eu não chegava nem perto de ser. 


– Chega! – ordenei, vendo os dois meninos pararem de discutir e prestar a atenção em mim, que bufei, literalmente cansada de toda aquela briga boba – Vamos pedir logo... me deu até sede agora. 


– Eu entendo, amor, em dias de jogos importantes eu posso chegar a beber um litro de água sem pausas. – Yoongi vangloriou-se, exibindo um ar de superioridade ao arrebitar o nariz e dar um sorriso se canto.


– Engraçado... – Hoseok soltou uma risada nenhum pouco engraçada – Eu posso beber até dois litros. 


Arregalei os olhos e me senti frustrada, o plano não era fazê-los agir como duas crianças, competindo por coisas tão bobas, enquanto eu ficava os olhando, com fome e a minha barriga roncando, mesmo com minhas tentativas falhas de apertá-la levemente as vezes, na esperança de que parasse de fazer barulhos constrangedores.


Eu já estava ali sentada sentindo a minha bunda ficar quadrada, imaginando a deliciosa pizza sendo degustada por mim, enquanto eu fechava os olhos e via o paraíso, afinal, esses tipos de momentos nos remetem à isso.


– Eu consigo beber três. – Yoongi rebateu. 


– Quatro! 


– Seis! 


– Aposto que não! – Hoseok o desafiou e eu pensei na furada que estávamos nos metendo. 


Apostas são o tipo de coisas que não se fazem, ainda mais quando as pessoas envolvidas demonstram ao máximo que não se gostam, que não conseguem ser ao menos "legais" na opinião do outro, o que me deixar bastante constrangida por estar ali no meio, enquanto toda as bombas são jogadas e onde cair muitos serão seriamente feridos.


– Aposto que sim! – Yoongi o observou com um certo olhar divertido. 


– Apostado então! – disse e logo levantou uma das mãos, chamando o que parecia ser a garçonete, que se aproximou com um caderninho e uma caneta – nos traga 12 litros de água, eu pago!


Vi a garçonete arregalar os olhos e anotar o pedido com um certo receio, ela estava visivelmente incrédula, porém mesmo assim foi buscar as águas e demorou quase 15 minutos para colocar as seis garrafas de dois litros em cima da mesa, onde os garotos se preparavam para a competição de quem conseguia beber mais água. 


Se eu achei estranho? Óbvio que sim, mas eu já não conseguia esconder que estava achando aquilo muito engraçado, os dois desafiando um ao outro apenas com olhares, enquanto tiravam as tampinhas das garrafas e se preparavam para virá-las em suas bocas. 


– Você está preparado, papel ambulante? – Hoseok implicou, com um apelido que eu pessoalmente achei bem esquisito. 

– Estou! 


E lá foram os dois, virando a primeira garrafa e despejando o conteúdo em suas bocas, enquanto engoliam rapidamente e as vezes até se afogavam por estar fazendo tudo à base de desespero, pois os dois não estavam apostando dinheiro, mas sim a dignidade e os seus egos masculinos frágeis e que podiam ser facilmente feridos. 


– Pensem pelo lado bom... – Namjoon disse, enquanto observava os dois competindo – Eles com certeza não passarão de três litros e isso é ótimo, pois se chegassem à dez, poderiam morrer... 


– Sério? – Yoon-He levou as mãos até a boca em surpresa, sendo acompanhada por mim no mesmo movimento. 


– Sim, isso é cientificamente comprovado. – Namjoon afirmou com firmeza. 


Dito e feito. Os meninos não conseguiram terminar a primeira garrafa e já estavam no banheiro esperando que toda a água que beberam saísse e fosse encontrar com os seus amigos peixes no oceano depois de descer pela descarga. 


O lado bom já havia sido notado e quando eu fui ver o lado ruim me deparei com a mesa cheia de garrafas de água, sem nenhuma pizza e com a minha barriga fazendo sons extremamente altos.













Notas Finais


Espero que tenham gostado, NOS VEMOS NOS COMENTÁRIOS! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...