História My Hope - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Grey's Anatomy
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camren, Norminah
Visualizações 167
Palavras 1.448
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - I'm Falling In Love


Lauren's point of view

Depois de passarmos no apartamento de Camila nós fomos ao mercado para comprar os ingredientes para a lasanha e depois fomos para a minha casa.

Camila estava me ajudando a preparar todo para o almoço.

-Eu posso fazer as coisas sozinha, você deveria descansar um pouco. - Ela falou pela milésima vez.

-Camila, não se preocupe, eu estou bem. - Eu falei. - Quando tudo estiver pronto eu irei descansar. 

-Você é teimosa demais. - Ela disse. 

-Deixa de reclamar e me passa a massa para eu poder cobrir essa ultima camada. - Eu disse e ela me deu o pacote da massa. - Se quiser tomar um banho ou se quiser arrumar algo, pode ir. 

-Eu gostaria de tomar um banho. - Ela falou enquanto eu cobria as ultimas partes da lasanha. 

-Bom, há um quarto ao lado do meu, você pode ficar nele. - Falei finalizando a lasanha. - Só irei colocar a lasanha no forno e já te levo lá. 

-Tá bom. 

Ela caminhou para a sala e eu liguei o forno colocando a lasanha dentro logo em seguida. 

-Vem comigo, vou te mostrar o quarto. - Eu disse após sair da cozinha.

-Ok. - Ela pegou sua bolsa e me seguiu até o andar de cima.

-Esse quarto é o meu, você pode ficar naquele ali. - Falei apontando para a porta ao lado. - Ali tem um banheiro, mas no quarto tem um banheiro também. Tem toalhas limpas na cômoda.

-Obrigada. - Ela disse.

-Eu que agradeço por ter vindo comigo. - Eu disse. - Vou tomar banho, nos encontramos lá embaixo.

Entrei no meu quarto e fui até meu closet para pegar uma roupa. Escolhi uma calça com um pano grosso e uma blusa com mangas longas.

Entrei no banheiro e me pus debaixo do chuveiro.

Eu estava cansada, porém feliz,estranhamente feliz.

Camila trouxe-me uma felicidade imensa em apenas poucos atos.

A disposição dela em ficar comigo nesse momento era praticamente inacreditável.

Eu estava realmente gostando dela e eu precisava desse tempo a sós com ela para eu poder demonstrar esse sentimento da forma menos embaraçosa possível.

Tomei meu banho, vesti minha roupa e desci. Camila já estava na sala.

Ela estava sentada no sofá mexendo em seu celular.

-Eu esqueci de avisar a Dinah que eu fui embora mais cedo. - Comentei 

-Ela acabou de perguntar aonde eu estava e se eu havia te visto. - Ela disse se virando em minha direção.

-O que você disse? - Perguntei andando em direção a cozinha.

-Eu disse que eu estava com você em sua casa. - Falou.

-Ela deve ter colocado malícia nisso. - Falei.

-Com toda certeza. - Falou vindo em minha direção.

-Você acha que a lasanha já está boa? - Ela perguntou.

-Eu acho que não, mas eu vou dar uma olhada.

Me abaixei abrindo o forno para olha a lasanha.

-Ainda não está boa, já já fica. - Eu disse e ela assentiu sorrindo.

Camila se encostou na bancada, cruzou os braços e ficou me olhando.

Eu me encostei na pia ficando de frente para ela.

-O que foi? - Perguntei sorrindo meio sem graça com o olhar dela sobre mim.

-Você é linda. - Falou.

Eu abaixei meu olhar para meus pés e sorri.

-Você também. - Direcionei meu olhar para ela novamente.

Eu me desencostei da pia e fui andando até ela parando em sua frente.

Olhei bem em seus olhos cor de chocolate e senti um arrepio se espalhar pelo meu corpo quando ela tocou minha cintura com as duas mãos.

-Seus olhos... - Ela falou com a voz falha. - Às vezes eu me perco neles.

-E isso é bom? - Perguntei dando um passo pra frente ficando com o corpo bem próximo do dela.

-É maravilhoso. - Falou. - É uma sensação única.

Ela sorriu.

-Sinto que devo mergulhar neles. - Falou. - Eu poderia me afogar neles.

-Não me diga essas coisas. - Falei.

-Por que não? - Questionou.

-Porque eu sou complicada. - Eu disse. 

-Eu terei o maior prazer em tentar te descomplicar. - Ela falou com seus lábios próximos aos meus.

-Pense bem, eu sou como um labirinto, se entrar será difícil escapar. - Eu disse e ela fechou os olhos.

-Eu não tenho intenção nenhuma de escapar.  - Ela disse e eu fechei os olhos.

Coloquei minha mão em sua nuca e iniciei um beijo lento.

Naquele momento, eu tive a leve sensação de que estava sonhando. Estávamos nos beijando, e esse beijo não foi igual aos outros, havia algo de diferente nele, como se fossemos amantes há muito tempo, não havia palavras o bastante para descrever como aquele beijo era.

O aroma da lasanha no ar

Eu não tinha ações, apenas sentia seus lábios carnudos e macios nos meus, sua língua na minha, seu toque firme em minha cintura.  

Eu estava me apaixonando. 

A falta de ar se fez presente e nós afastamos nossos lábios. Camila mantinha suas mãos em minha cintura, sua testa estava colada na minha, nossas respirações alteradas e um silêncio tranquilizador no local.

-Lauren... - Ela disse. - Eu...

-Shh... - Eu disse com meus olhos ainda fechados.

Retirei minha mão de sua nuca e rodeei seu corpo com meus braços a envolvendo num abraço.

Ela retribuiu o abraço colocando sua cabeça na curva de meu pescoço.

-Laur...

-Hum.

-Está sentindo esse cheiro? - Perguntou retirando sua cabeça de meu pescoço.

-A lasanha. - Eu me afastei dela e desliguei o forno rapidamente.  - A lasanha ia queimar por sua causa. - Falei rindo.

-Mas eu não fiz nada. - Ela disse rindo junto comigo. 

-Fica me distraindo. - Falei e ela sorriu.

Retirei o pirex do forno e coloquei sobre a mesa já arrumada. 

-Eu tenho uma coisa especial para nós bebermos. - Falei. - Sente-se. 

Ela se sentou na mesa e eu fui até a cozinha. Peguei um vinho e duas taças, e voltei.

-Já que amanhã não vamos trabalhar, eu pensei em tomarmos um bom vinho. 

-Eu sou incapaz de negar. - Falou. - Amo vinho.

Abri o vinho e coloquei o liquido nas duas taças oferecendo-lhe uma. 

-Então não negue. - Ela pegou a taça em minha mão e sorriu gentilmente. 

Sentei-me em uma cadeira à sua frente e observei suas ações por alguns segundos.

Ela fechou os olhos sorrindo e quando os abriu novamente, me olhou. 

-Eu estou feliz por estar aqui com você. - Ela disse. 

-Eu também. - Falei. 

O almoço foi divertido, nós conversamos sobre muitas coisas. Família, amigos, infância, o que mais sentíamos falta. Conversamos sobre tudo.

-Você sente falta de seus pais? - Ela perguntou-me quando já estávamos na sala de estar. 

Eu abaixei o olhar para a taça de vinho em minha mão. Havíamos bebido mais do que duas taças. 

Camila estava sentada no sofá, ao meu lado.

-Desculpa, eu não quis... - Ela começou mas eu a interrompi.

-Está tudo bem. - Falei e respirei fundo buscando forças para responder sua pergunta. - Não há como não sentir saudades, eu tinha uma relação muito boa com eles desde criança, por isso quando eu soube da morte dos dois foi tão devastador para mim. Mas aí, três meses e meio depois, apareceu você, que me conquistou desde o primeiro dia. - Sua expressão saiu de séria para um sorriso torto em seus lábios. - Você me fez esquecer de tudo desde o primeiro dia. Aquela noite em que eu te conheci foi a primeira noite que eu dormi tranquila depois de tanto tempo sem conseguir dormir. - Falei. - Você foi o real motivo para eu  ter voltado a trabalhar no hospital, você é o que me dá motivações para acordar cedo todos os dias desde aquela noite, você é o motivo para eu querer respirar. - Vi uma lágrima escapar de seus lindos olhos cor de chocolate e me aproximei de seu rosto para deixar um beijo no mesmo. - Eu sei que está muito cedo, que eu posso estar tirando conclusões precipitadas sobre meus sentimentos por você mas eu sinto que devo fazer isso, porque eu realmente tenho certeza de que estou me apaixonando por você e isso, sem dúvidas, é a coisa mais pura que eu já senti em toda minha vida.

-Isso tudo não é precipitado, e se for, vamos ser precipitadas juntas, pois eu sei que eu estou apaixonada por você e não há sensação melhor em todo o mundo. - Falou. - Eu achei que me mudar para cá seria a pior decisão da minha vida, mas vejo que foi de longe a melhor coisa que eu fiz.

Eu estava entregue. Havia pouco tempo, mas eu nunca estive tão certa em minha vida sobre alguém.

Eu já pertencia a ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...