História My Husband - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Cl, Hyun A, Irene, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Jikook, Jinkook, Kookmin, Sugamin, Sugamon, Taegi, Taekook, Vhope, Vkook, Vrene, Yoonmin
Exibições 197
Palavras 3.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLA PESSOAS! VOLTEI!

Mais um capítulo c:

Boa leitura!!

Capítulo 10 - Meu merecimento


 

 Todos estavam se arrumando, correndo para lá e para cá, eu apenas ria daquela situação e Yoongi ao meu lado ria junto.

 Era a formatura de Jungkook e Taehyung, era engraçado ver todos desesperados para fazer uma boa celebração. Via pessoas que conhecia quando estudava, as mesmas que me julgaram por quase dois anos pela minha sexualidade, bem, julgaram eu e Yoongi.

Como o comum, fomos acabados excluídos e Yoongi quase perdeu a vaga no time de basquete da escola, mas, por sorte, ficou devido a ser o melhor do time. Porém, por outro lado, mais precisamente o meu, perdi chance de entrar em grupos como o de música e o de dança, os novos grupos que surgiram na escola. Yoongi não fora muito descriminado devido a ser frio e estressado, mas eu, sofri muito preconceito e fui excluído, como se não fosse uma novidade.

Mas aquilo tudo já havia passado, do nosso grupo se amigos, todos já estavam formados, menos Taehyung e Jeongguk, eles sempre foram os mais novos, então sabíamos que isso ia acontecer.

Todos estavam lá, com exceção de Jin, ele estava resolvendo alguns assuntos, mas prometeu que apareceria. Hoseok estava todo emocionado ao ver o namorado e o melhor amigo formarem-se, ele estava mais dramático do que sempre fora.

 Yoongi começou a rir alto, uma garota que corria para lá e para cá teve um tombo feio, mas acho que apenas Yoongi viu, afinal, apenas ele estava rindo. Hoseok foi ver a cena, mas não expressou nada.

 — E então, Jung, está feliz? — Yoongi parou de rir e encarou Hoseok que apenas revidou o olhar.

— Estou. 

— Parece uma criança que acabou de ganhar doce. — debochou.

— Ah, você também ficou assim na formatura do Jimin, cabelo de alface. — retrucou e Yoongi emburrou-se, odiava ser chamado daquele jeito.

— Que seja, J-Horse. — o encarei pelo novo apelido e não resisti, comecei a rir do novo apelido.

 Hoseok encarou-me incrédulo. Aquele xingamento tinha sido engraçado até demais que ri por um longo período. Yoongi me olhava assustado.

Quando parei de rir, olhei em volta e avistei Namjoon, Hyuna e Chaelin entrando no local. Não demorou muito para que eles viessem em nossa direção.

CL cumprimentou todos junto de Namjoon e Hyuna, o olhar de Yoongi não estava muito bom, ele expressava mais seriedade, mas sorriu ao ver a irmã. Procurei por Jin, faltava alguns minutos para que a cerimônia começasse e não seria muito bom se ele faltasse.

— Namjoon, cadê seu irmão? — a voz de Hoseok foi minha salvação, ele perguntara o que eu queria saber.

— O Seok? Ele disse que talvez não compareça, ele está fazendo uma entrevista para tentar entrar em um time de basquete. — falou rodeado os braços em Hyuna que apenas sorria e deixava seus cabelos negros bem ressaltados.

— Unnie, quero conversar com você. — CL pronunciou-se falando com Hyuna, dava para saber pelo tratamento. — Vamos ali. — fez um sinal e Hyuna assentiu. Ambas saíram dali.

 Yoongi estava usando um óculos preto e uma roupa comum, mas formal. Hoseok não estava diferente, mas não usava óculos e sua franja não estava cobrindo sua testa. Namjoon usava uma roupa mais formal e tinha seu cabelo loiro bem penteado.
     

 

Um tempo após, foi possível ouvir a voz do diretor, os pais dos alunos estavam em suas devidas cadeiras, era possível ver a mãe de Jeongguk e a família de Taehyung. Sentei ao lado se Hoseok e Yoongi, já os outros sentaram separadamente.

Faltava pouco para os alunos entrarem, por sorte, a turma de Jeongguk e Taehyung era a segunda, o tempo já começava a esfriar e isso me preocupava.

Tudo ocorreu bem, depois do discurso do diretor e da formatura das turmas, as pessoas já estavam indo embora com seus filhos, não tive muito tempo para parabenizar Jeongguk devido ao tumulto. Quando estava indo embora com Yoongi, notei um carro familiar em frente à escola.

— Esse não é o carro do Jin?— Yoongi  pronunciou enquanto apontava para o carro.

— É sim. — falei ao analisar o carro. — Fico feliz dele ter vindo.

 Yoongi iria falar algo, mas Hoseok chegou correndo e o atrapalhou. Hoseok dizia que iam tirar uma foto da formatura e faltava apenas nós dois. Seguimos ele, chegando no local onde ocorreria a foto, estavam todos lá. A família de Jeongguk e Taehyung falavam com alguns dos outros pais.

 — Jimin! — ouvi um grito e rapidamente virei para onde vinha aquele berro. — Venha falar com seu melhor amigo! — Jungkook chegou me abraçando, o abracei de volta.

— Jeongguk, meus parabéns! Agora é um homem! — o bajulei.

— Ah, hyung, eu ainda não completei a maior idade, deixa de bobeira! — deu um soco no meu braço e apenas ri. — A família do Tae vai fazer um jantar em comemoração a minha formatura e a dele, estão chamando vocês dois para comparecerem! 

 — O quê acha, Yoongi? — perguntei olhando para o mesm

— Uma boa, faz tempo que não vejo a dona Kim. — pronunciou-se com um sorriso calmo no rosto.

— Pessoal! — Hoseok gritou. — Vamos tirar uma foto de todos juntos! — fez reverência com a mão para que fossemos lá.

Já estava tudo preparado. Hoseok posicionou a câmera. A primeira foto foi com a família de Taehyung e a segunda com a de Jungkook. A terceira foi com as mulheres que haviam ido — Hyuna, Chaelin e a irmã de Taehyung. — foi engraçado, todas estavam fazendo poses engraçadas enquanto zoavam os formados. Já a quarta envolveram todos os homens, Namjoon fora um pouco engraçado pegando Jungkook no colo, mas depois da foto tirada, ambos caíram no chão. A quinta foto já era todos juntos, todos os amigos, na verdade, e pra completar: Jin chegou correndo, não entendi muito, afinal, o carro dele já estava lá.

A foto foi tirada umas sete vezes porque dizia não estar bom, quando já estavam todos cansados, a última foi a escolhida.

 


    〜•〜

 

  Estava terminando de fechar o estabelecimento naquela noite fria de inverno. Irene e Wendy me ajudaram a limpar aquele local, era muito para mim. Irene cantava estressada enquanto tentava achar a chave e Wendy apenas ria do desespero dela. 

— Finalmente! — comemorou assim que conseguiu rodar a chave certa, trancando o local. — Jimin!

— Sim, noona? — perguntei, pude ver do lado se Irene que Wendy estava caindo de sono.

— Posso te acompanhar até sua casa? — arqueei uma sobrancelha tentando entender. — Minha casa é  o mesmo caminho que a sua e também não quero carregar uma sonolenta pela rua!

Pegaríamos um táxi, mas aquela hora da noite não passava nenhum então apenas concordei. Irene e Wendy moravam juntas, então as duas sempre iam embora juntas.

Começamos a andar, minha moradia não era tão longe, mas também não era perto. No meio do caminho, Wendy pediu para que eu a carregasse nas costas e apenas concordei, em alguns passos a mesma dormiu em minhas costas.

— Ela dormiu? — assenti. — Coitada, ela trabalhou muito hoje e deve estar cansada! — fez um bico fofo e apenas soltei uma risada. — Você conhece o Taehyung, certo?

— Sim, conheço, ele é namorado do meu melhor amigo, ou ex. — me senti mal ao pronunciar o "ex".

 — Então, ele é da mesma faculdade que eu. — revirei os olhos e Irene me olhou indignada. — Que foi?

— É a milésima vez que me diz isso! — fiz um drama.

— Eu sei, eu sei. — usou um tom calmo. Parei de andar para ajeitar Wendy nas minhas costas e ajeitar suas pernas que estavam na minha cintura. — Eu estou tentando chamar ele pra sair faz dias! Ele sabe que eu trabalho na boate e parece me ignorar sempre que tento chegar perto dele. Isso não se faz! — choramingou. — Mas tem um lado bom! 

 — Qual? 

— Eu consegui marcar um encontro com ele! Vamos no cinema amanhã, pedi um dia de folga pro Mark e ele me liberou! — falou feliz. Apenas sorri em consideração e paramos de andar. — Chegamos. — olhei e vi um apartamento comum, não de classe baixa e nem de classe alta. 

— Vocês moram aqui?

 — Sim. Eu, Wendy e Seulgi. Seulgi é a irmã da Wendy. — explicou e me mantive calado. — Deixa que eu levo ela.

 Neguei. Insisti para que levasse Wendy para dentro da casa e depois de tanto insistir, Irene concordou.

Quando sai do prédio, respirei fundo e voltei a caminhar em direção ao apartamento que morava. Durante a caminhada, comecei a pensar sobre como minha vida tinha mudado em quatro anos, quatro anos que fui feliz verdadeiramente, mas que sentia que essa felicidade era pouca. Em menos de um ano as agressões de Yoongi começaram; eu estava destinado a tentar cursar uma faculdade; eu tinha começado a trabalhar em um bordel que a qualquer momento poderia ser destruído pela polícia coreana; eu tinha ficado noivo; eu tinha traído meu namorado;. Era muita coisa acontecendo em menos de um ano, mas a minha preocupação era: que Yoongi descobrisse a verdade.

 Cogitava em contar tudo para ele, contar o que tinha acontecido comigo e com Hoseok, mas eu tinha mais medo do que ele poderia fazer. Yoongi é muito ciumento e agressivo, se ele já me machucava só de respirar perto de Hoseok — que, por Deus, ele já havia parado. —, meu medo era de ele fazer algo muito, muito pior se descobrisse.

 Cheguei em casa rápido, já estava dentro do apartamento apagado. Retirei meus agasalhos, mas tinha uma luz vindo da cozinha acessa. Não hesitei, entrei no cômodo e vi Yoongi dormindo sobre o computador e com uma xícara de café ao seu lado. Tentei não fazer muito barulho, mas fora em vão quando derrubei um talher no chão que causou um barulho alto.

— Jiminnie? — sua voz rouca ecoou pela sala, olhei em seus olhos e pude vê-los com fundas olheiras e cansaço.

— Yoongi-ah. — me aproximei dele e o ajudei a levantar, fechei a tela do notebook . — Vamos pro quarto dormir.

— Mas eu preciso terminar iss- — não completou a frase, ele pigarreou alto. Estava manhoso, Yoongi sempre ficara assim quando com sono.

— Yoongi! Se continuar assim ficará doente! — briguei com o mesmo que logo calou-se.

O ajudei ir até o quarto e deitar na cama com ele. Antes que pudesse me deitar ao seu lado, fui puxado pelo mesmo e cai em cima dele. Yoongi abraçou-me com força e beijou minha bochecha. Apenas me acostumei com seu ato e fechei os olhos na tentativa de adormecer. Estava quase pegando no sono quando ouvi um sussurro seu:

 — Eu te amo, Jimin-ah.

 

    〜•〜

 

Acordei no outro dia com o despertador de Yoongi. Na verdade, nem era outro dia, era mesmo. Pensei em voltar a dormir, mas ouvi meu telefone apitar e o peguei. Nele tinha duas mensagens: uma de Hoseok e outra de Mark.

 Abri a de Mark primeiro, nela dizia que tinha a boate não abriria hoje. Fiquei feliz, teria um dia de folga. Pensei umas vezes antes de abrir a de Hoseok, mas mesmo assim abri.

Hobi:
 Precisamos conversar, me encontre no café que íamos ao meio dia.

 Quando vi a hora, faltava apenas uma hora para o encontro. Pensei em não ir, mas tinha que tirar umas conclusões. Vi que Yoongi ainda dormia ao meu lado, deixei o telefone de lado e foquei em seu rosto, avaliando sua beleza

Os cabelos loiros caiam por sua testa, já estavam começando a desbotar e a cor preta na raiz ficava visível. Seus olhos descansados ainda possuíam olheiras, mas não tão fundas como antes. Sua boca rosada destacava-se devido a pele branca. Suas maçãs  estavam rosadas, olhei para seus olhinhos fechados.

— Vai continuar me olhando pra sempre? — me assustei ao ouvir sua voz, vi seus olhos abrirem e um sorriso de canto surgir em sua boca.

— Meu Deus! Desde quando está acordado? — perguntei me recuperando do susto, sentia meu rosto queimar, com certeza estava corado.

— Desde que o despertador tocou. — sentou na cama e espreguiçou-se, coçou a nuca enquanto bocejava. — Bom dia. — olhou para meu rosto e sorriu. — Está com a cara inchada!

— Você também! — revidei.

 — Vai fazer algo hoje ou irá trabalhar? 

— O chefe deu dia de folga. — falei e ele aumentou o sorriso. — Eu tenho que sair daqui a pouco para resolver.

  — E eu trabalho de faculdade para fazer. — completou, ambos caímos na gargalhada. Yoongi parecia estar em um ótimo dia para estar com um ótimo humor.

— Eu queria passar o dia com você, faz tempo que não saímos juntos. — choraminguei.

— Sobre isso, sabe aqueles passes pro SPA que eu ganhei? — assenti. — Então, estava programado para alguns dias depois do Natal, mas mudaram para o começo de janeiro.

— Isso é bom? — questionei.

— Em parte sim, vamos ter mais tempo para nos organizarmos. 

— Em que mês estamos mesmo? — perguntei, eu realmente tinha esquecido em que mês estávamos.

— Caralho, Jimin! — exclamou. — Até esqueceu o mês que estamos! — apenas assenti e ele bufou. — Final de novembro, Minnie.

 — Final de novembro? — arregalei os olhos, apenas então percebi.

 A neve estava caindo como o previsto, mas caindo pouco ainda. As ruas estavam começando a serem enfeitadas com vermelho e verde, cores do Natal, os estabelecimentos estavam fechando para as férias e as escolas estavam entrando nas férias; os dias estavam frios; as lojas estavam movimentadas provavelmente para os presentes.

Eu estava tão confuso ultimamente com o que estava acontecendo que nem vi a data, mês que estávamos. Só que algo brotou em minha mente: O quê eu daria para Yoongi de Natal? A época natalina estava chegando e eu precisava o presentear com algo.

Notei que ainda usava a roupa da noite anterior e Yoongi também. Levantei para ir no banheiro, mas fui chamado por Yoongi.

   — Jimin, quero te mostrar uma coisa. — virei para ele e voltei para a cama. O vi mexer em algo na mesinha do lado da cama e me entregar um MP3 junto de fone de ouvido. — Apenas ouça.

Botei os fones e apertei o play do MP3. Comecei a ouvir uma batida de música e logo após a voz de Suga, ele estava cantando. Não sabia como tinha conseguido, mas continuei a ouvir e prestar atenção na letra.

A letra falava de sentimentos fortes e o principal: o Amor. A letra era tocante e expressava muito os sentimentos. Dizia algo profundo e tocante junto de uma batida viciante. Eu sabia que Suga escrevia letras lindas e às vezes as cantava, mas não sabia que ele tinha gravado uma música. Quando a música acabou, apenas olhei para ele surpreso.

— Feliz aniversário atrasado! — sorriu de canto.

— Como conseguiu? — perguntei ignorando sua fala anterior. — Como conseguiu gravar?

— Eu tenho meus contatos. — piscou um olho.

— Suga, isso é incrível! Meu Deus — estava surpreso e não acreditando naquilo. —, eu sei que você escreve bem, mas não que s-

Shhh, — fui interrompido. — Jimin, eu quero que entenda, essa música foi feita para você, apenas para você! Nela está tudo o quê eu sinto por você! Nela está meu amor! — senti meus olhos arderem. — Eu te amo muito, e não é pra pouco. Desde da nossa época de escola em que eu apenas te via de longe, que eu te admirava e pude saber que estava apaixonado por você! — segurou minha mão. — Você é o amor da minha vida e o qual eu pretendo casar e construir uma família. Eu quero viver a todo tempo ao seu lado, Jiminnie, me desculpe por ser um arrogante, grosso, rabugento e idiota com você! Eu estava descontrolado por um ciúmes de merda, me perdoe. — já podia sentir as lágrimas, eu estava chorando. — Estamos juntos a quatro anos e quero que venha mais e mais quatro anos para gente.— beijou as costas da minha mão.
— Eu não estou conseguindo me expressar direito, mas quero que saiba que eu te amo muito! 

Não estava acreditando no que eu via. Yoongi estava declarando-se para mim e eu me sentia culpado e com um peso na consciência. Eu tinha que falar a maldita verdade para ele, e foi. Eu respirei fundo, sorri. Estava disposto a contar tudo.

— Suga, eu também te amo! — sorri fraco. — Eu quero ter uma vida com você, mas preciso te contar algo.

— Conte, Minnie. — ele sorria.

Não pude falar, o telefone dele tocou. Ele não queria atender, mas teve. Disse que era importante. Estava pasmo, a culpa caia sobre mim e o peso da consciência também. Eu tinha que contar a verdade para ele, tinha que contar por mais que não quisesse. Yoongi merecia toda a verdade.

 Levantei-me da cama, fui para o banheiro fazer o quê tinha que fazer e tomar um bom banho. Arrumei-me e sai de casa para ir de encontro com Hoseok, estava quase na hora. Peguei um táxi e no meio do caminha eu pensava, estava confuso com tudo que acontecia e decidido: contar tudo à Yoongi.

Os flocos se neve já caiam e deixavam as ruas escorregadias e as calçadas cheias de neve. O clima frio já predominava, por sorte estava com um casaco que me protegia daquele clima gélido de novembro. 

Cheguei no local de encontro e vi Hoseok sentado na mesa já tomando um café. Fui ao seu encontro e sentei na cadeira sem ao menos cumprimentá-o.

   — Jimin? — olhou-me surpreso.

— Seja breve. — me ajeitei na cadeira e o encarei, o mesmo suspirou, baixou o olhar e depois me olhou.

 — Jungkook te contou sobre o quê aconteceu aquele noite? — ele tinha um tom calmo e preocupado, um tom aconchegante.

— Sim, tudo o que foi preciso. — respondi.

 — Jimin, quero que entenda o meu la-

— Hoseok, você me usou! — aumentei meu tom de voz, estava ficando irritado e triste ao mesmo tempo. — Você se aproveitou! Eu estava bêbado e você não!

— Jimin, me desculpe! Me perdoa, por favor! — começou a olhar-me com um olhar de dar pena.

 — Me diz o por quê. — abaixei um pouco o tom de voz. Ele ajeitou-se na cadeira, respirou fundo e me encarou.

— Jimin, você não vai entender. — revirei os olhos, preparei para me levantar quando ele segurou em meu pulso. — E-Eu....

 — Você..? — fiz tom para que continuasse.

— Olha, deixa eu falar, não me atrapalha. — falou e eu assenti, antes que continuasse, pedi um café com leite que foi entregue logo. Bebi um pouco e ele continuou  . — Jimin, eu te conheço faz tempo, somos amigos a quase dez anos ou mais, e eu... — suspirou e bebeu o resto do café.

— Desembucha. — fui grosso e isso me incomodava um pouco. Olhei novamente em seus olhos na esperança de que ele continuasse.

Eu gosto de você. — falou calmamente. Arregalei os olhos surpreso.

Fiquei calado encarando Hoseok. Nunca passara na minha cabeça que Hoseok pudesse gostar de mim mais do que amizade, sempre via ele e Taehyung tão felizes com o namoro que nunca passou na minha cabeça. 

— M-Mas você e o Tae... — parecia que tinha entrado em choque. Praguejei-me por gaguejar.

— Eu também gosto do Taehyung, eu quero voltar com ele, mas tinha qu-

— Você não pode gostar de duas pessoas ao mesmo tempo! — estava inconformado e confuso, estava o encarando incrédulo. Me sentia ingênuo.

— Minnie, por favor, deixa eu explicar! — bateu a mão na mesa chamando a atenção de quem estava em volta. — Olha, eu s-

   — Cala a boca! — gritei. Levantei-me e terminei de beber o café que tinha pedido, tirei o dinheiro do mesmo e botei na mesa. — Não olha mais pra mim, Hoseok! 

Não demorou muito para que eu já estivesse saindo às pressas dali. Estava com uma dor de cabeça enorme devido ao fato que acontecera. Hoseok era meu melhor amigo e uma das pessoas que eu mais confiava, realmente, eu não aceitava o fato que a nossa amizade de anos acabara ali e daquele jeito. Eu apenas reparei que estava chorando quando um vendo frio bateu em meu rosto e olhei-me na vitrine se uma loja. 

Respirei fundo, ajeitei meu cabelo e o pensamento de contar a verdade para Yoongi voltara. Eu tinha que contar, não poderia viver na culpa para sempre. Voltei a andar e acabei por pegar o metrô para uma estação perto do apartamento. O metrô estava cheio e enfeitado com decorativos de natal, Seul ficava linda naquela época do ano.

Quando cheguei em casa, não tinha barulho e até pensei que Yoongi tivesse saído. Tirei as roupas de frio e as coloquei nas costas da cadeira da sala. Queria tomar um banho quente e relaxar e, claro, usar o meu precioso maço.

Assim que entrei no quarto para pegar as roupas e a toalha, vi Yoongi sentado na cama enquanto fitava o chão. Não me importei muito, foquei em apenas pegar as roupas, mas fui surpreendido quando ele levantou-se e aproximou de mim. Antes mesmo que pudesse saber o quê acontecia, um tapa foi desferido em meu todos, um tapa forte que quase me fez cair.

Já pude sentir a ardência, olhei Yoongi, tentei decifrar o que foi aquilo e o porquê.

— Suga hyung, por quê? — por impulso, botei a mão onde o tapa foi dado e continuei o encarando.

— Como você pode, Jimin? — seus olhos lacrimejavam muito, seu rosto estava vermelho e os olhos inchados como se tivesse chorado por horas. — Eu confiei em você! Eu estava começando a lidar com a porra dos meus ciúmes e você faz isso comigo! — o tom de voz foi aumentado, ele levantou a mão novamente e eu recuei, mas não deu muito tempo. Outro tapa foi dado em meu rosto. — Você me traiu, Jimin! E com o Hoseok! Com o Jung Hoseok! — gritou mais. Podia ver a mágoa e o ódio em seus olhos. — Eu estava tomando remédios para controlar minha raiva e estava tentando controlar meus ciúmes porque eu confiava em você! Eu confiava

Meu rosto ardia e as lágrimas caiam sem parar. Ele estava me batendo novamente e o seu foco era o rosto — como sempre —. Mais tapas foram dados e como extras vieram socos. Me mantinha em pé enquanto ele fazia tudo aquilo comigo, palavras de ódio eram cuspidas por ele. Eu merecia aquilo.

Não aguentei ficar muito tempo em pé, cai no chão e assim pode ver um pouco de sangue sair pela minha boca, mas não era tanto. Tapei meu rosto com as mãos pelo medo de ele continuar, mas nada, nada. Não tinha mais ninguém naquele quarto, apenas eu. Estava envergonhado e por isso continuei no chão por um tempo.

Levantei depois de um longo tempo, estava tonto e meu rosto ainda doía. Andei até o banheiro do quarto para ver me estado e foi deplorável.

Como o esperado, meu rosto estava um pouco inchado e com marcas. Minha boca sangrava e um dos meus olhos encontravam-se roxos. Marcas vermelhas fortes na bochecha e na testa. 

O quê foi que eu fiz? — sussurrei para eu mesmo enquanto passava um papel úmido nos machucados.
 
   


Notas Finais


Eu achei essa capítulo meio blé
Nem é pela história(clichê) e sim pela minha escrita. Eu reescrivi, reli e não acho que está bom, acho que minha escrita mudou e ficou pior!
Eu não gosto de escrever em primeira pessoa. Na verdade, eu até gosto, mas prefiro escrever em terceira pessoa :u

Desculpem a demora.

Vocês viram o comeback? Claro, né! Eu achei que o comeback está lindo e sexy (:v)

Comentem! Opinem! Digam o quê acharam sobre o cap! Façam uma autora feiz!

Twitter: @LiaWegmannn

BEJÃO <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...