História My Ideal - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~MS2

Postado
Categorias Originais
Tags Colegial, Drama, Revelaçoes, Romance, Yaoi
Exibições 21
Palavras 804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá!
Espero que estejam gostando.
Leiam as notas finais!

~Boa Leitura! ♥~



~ Narrador: Personagem;
~ Desculpem os erros ortográficos;
~ Skruhii & MS2.

Capítulo 6 - Chapter 6 - The bathroom


Fanfic / Fanfiction My Ideal - Capítulo 6 - Chapter 6 - The bathroom

 

João

Por dentro eu estava completamente furioso. Eu estava sentado ao lado de Lívia, a menina loira completamente irritante. Ela falava em como as coisas estavam sendo para ela e confesso ter ouvido um: "Não paro de pensar em você". E não pude deixar de revirar os olhos nessa hora. Sério? Não paro de pensar em você? Lívia faz um favor? Volta a ser uma adolescente porque, parece uma criança. A gente nem chegou a sair e não para de pensar em mim? Muito fácil.

Enquanto tentava encontrar qualquer ponto de escape daquela conversa vi Zandro virar o rosto e respirar fundo. Ele se levantou e falou algo depois saiu a passos quase que não possíveis de se acompanhar e foi em alguma direção. A minha salvação!

Me virei para Lívia e a mesma me encarava com uma expressão confusa.

- Vou ao banheiro. - falei me levantando 

Antes que pudesse falar qualquer coisa, segui os passos de Zandro e depois de alguns minutos entrei no banheiro. Fechei delicadamente a porta atrás de mim e girei a chave.

Corri meus olhos pelo banheiro e vi que estava vazio. Não pude deixar de escapar um sorriso malicioso nos meus lábios. Afinal apenas uma cabine estava fechada e eu já tinha em mente quem era.

Ouvi pequenos resmungos como se alguém estivesse chorando. Eu não me importava com seus sentimentos, pois para mim provocá-lo era excitante e um passa tempo mas, apesar de tudo ele era meu melhor amigo e eu me importava se ele não estava bem. Me aproximei da única cabine fechada e dei leves batidas, que soaram pelo banheiro.

- Esta tudo bem baby? - perguntei com um tom leve de preocupação - Você saiu de repente. Fiquei preocupado.

- C-calma... Eu apenas estou... - ele parou de falar e voltou desesperado em seguida - Ahn.. Ah, não preciso dizer o que é...

- Okay. - eu ri involuntariamente - Vou fingir que fiquei ofendido com isso!

Como era um mau ator. Era óbvio que estava mentindo. E queria muito saber o porquê e se ele não iria me falar por bem, vou fazê-lo falar por mal.

Me direcionei até a cabine ao lado dessa, e pulei a parede que me separava dele me chocando com suas largas costas. Dei um sorriso torto para o mesmo.

Ele estava com os olhos arregalados e até um pouco vermelhos. Eu pisquei o olho para ele que logo depois que percebeu sua situação me recebeu com um soco no braço carregado com uma certa força. Soltei um gemido falso de dor o encarando.

- Você é fortinho baby. Isso machuca. - disse massageando o local do soco - Mas, eu sei machucar mais.

- Como eu odeio você, seu coisa;. Me deu um susto. - falou irritado, destrancando a cabine

Era nítido em seu olhar que havia chorado. Seus olhos estavam vermelhos acompanhando suas bochechas levemente coradas. E ele dava algumas fungadas e não porque estava resfriado, longe disso.

Antes do mesmo se dirigir a porta de saída, agarrei firmemente seu pulso.

- Você não vai sair, eu tranquei a porta. - sussurrei o provocando - Não seja um baby cruel.

Puxei o mesmo o chocando em um ato rápido contra a parede. Nessa posição atual era uma das mais provocativas que eu poderia ter imaginado em tornar realidade em relação a ele.

Eu segurava seus pulsos enquanto o mesmo estava com as costas pressionadas pela parede. Uma perna minha se encontrava em meio as suas. Nossos corpos estavam quase colados.

- Você é um baby muito cruel, e um baby cruel assim merece ser punido. - falei em um tom brincalhão porém, arrastado

Vi a respiração do mesmo começar a ficar descompassada e só piorou quando encontrei meus lábios em seu pescoço.

Não pude deixar de sentir o seu gosto, que por sinal era maravilhosamente tentador. Vi ele morder o lábio inferior segurando qualquer tipo de som que pudesse ecoar. Que baby esperto. Mas, eu sou mais.

Na provocativa de realmente deixar uma marca, mordi seu pescoço naquela região deixando um pequeno mais evidente chupão. Quando retirei meus lábios dali não pude deixar de esboçar um sorriso ao ver a vermelhidão no local. Com certeza ficaria uma marca.

Ele me olhava com a respiração ainda mais acelerada e agora a vermelhidão era nítida em seu rosto.

Eu me aproximei e posicionei meus lábios em seu ouvido vendo o mesmo estremecer.

- Não me provoque baby. - sussurrei roucamente - Eu vou punir o meu baby quando eu quiser, e a hora que eu quiser.

Soltei lentamente seus pulsos e fui em direção a porta de saída do banheiro. Deixando o mesmo para trás e imóvel. Um sorriso brincalhão surgiu pelo canto dos meus lábios. Essa feira literária promete. Eu ri com o meu breve pensamento.


Notas Finais


Hey, minhas ideias!
O que acharam?
Na próxima semana, os capítulo prometem, estamos ansiosas por isso ♥


~ Beijinhos de Pudim
~Skruhii & MS2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...