História My immortal angel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Exibições 12
Palavras 2.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Mistério, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ja postei a historia em outro site de fanfics mas acabei excluindo a conta.

Capítulo 1 - Her gosht in the fog


MY IMMORTAL ANGEL. Her gosht in the fog

 

 

 

Dizem que quando você morre o "filme" da sua vida passa por seus olhos e depois são coletados. Dizem que eles não podem ter emoções ou sentimentos pois atrapalharia seu papel, mas como alguém assim pode julgar os feitos de um humano sem entender o que seria amor ou ódio? Ou ainda, sem conhecer o pavor de sua vulnerabilidade diante do único fim conhecido, a morte? Dizem que se perde as memórias depois da morte dando a possibilidade para reencarnar e recomeçar, mesmo aqueles que estão em penitência. Podem ter zombado do poder absoluto e escolhido e escolhido seu destino com a mesma frieza descrita para demônios. Mesmo assim são incapazes de se desfazerem de seus sentimentos, mesmo esquecendo-se da sua vida mortal ainda seguem, de certa forma, sendo humanos. Mesmo sendo mais sensíveis a sua dor e a dos outros, então acho mesmo que essa é a pior punição possível, ver a dor da alma que tem que colher e encarar todas as outras que este deixará para trás, consequentemente lembrando-se de sua própria e sabendo toda a dor que causou mesmo sem se lembrar do porquê. Durante aquele periudo precisava seguir e julgar a alma de uma garota de aproximadamente vinte anos, de sua maneira graciosa. Servia de médica na Vila em que morava, já tinha reparado nela em diversas circunstâncias em que tinha ido até a Vila, não imaginava que alguém tão cheio de vida podia morrer tão cedo. Seria um acidente, uma doença ou outra coisa? Seja como for gostaria de evitar, mesmo que não pudesse, sabia que em pouco tempo ninguém se lembraria dela. Não estavam mais na época em que quem morria de fome virava personagem de poesia. Definitivamente não eram as preferidas deste mas não se importava de ler. Tinha mais uma semana para decidir o que fazer. -uma alma só pode ser salva se for definitiva para o futuro- disse para si mesmo enquanto observava sua alma trabalhando sem preocupações -não terá diferença alguma se viver ou morrer, não para o mundo, e para o pessoal desta vila, pode ser definitivo. - ficou em pé no telhado e sumiu em fumaça- bem, não sou eu quem decide. Naquela noite estava próximo a um bar olhando a lista, que apesar de curta, parecia interminável. Qualquer um que o visse podia notar que estava com alguma dor. Mesmo que seu coração já fosse vidro quebrado era capaz de quebra-se ainda mais em estilhaços cada vez menores até se transformar em pó capaz de entrar na corrente sanguínea e matá-lo aos poucos. Tentou parar por um segundo é tirar seus pensamentos de assuntos como morte, mesmo que fosse impossível. Dia a dia, noite a noite. Aquele era seu trabalho. Tentava olhar, ou melhor, procurar um lado bom, desistiu de novo naquela noite. Seu pensamento parou de viajar quando reparou no homem de capuz que entrava no estabelecimento sem dar a menor atenção para ele. A música silenciou e ouviu os tiros e pedidos de aldeões assustados, quinze Almas se perdiam naquela noite. Entrou e viu os estragos feitos, só um sobrevivente, a garçonete que rezava atrás do balcão. Quis gritar para ela sair daquele canto mesmo que fosse inútil, o telhado caiu e não teve como resistir pelo menos foi uma morte sem dor, no final de seu registro havia uma voz, talvez a dela, mesmo que ele duvidasse, dizia algo como: obrigada por essas pessoas. Foi para ele ou parte da oração? A única coisa que podia fazer por aquelas pessoas, claro quer era errado para os criados naquela fé mas...- não quero que continuem por aqui.- com ajuda da death scythe puxou a madeira que queimava ainda na lareira. Em minutos toda a construção estava em chamas. Acenou para as sombras e espíritos que se misturavam-se a escuridão.

Os moradores ainda acordados tiveram como controlar o fogo, mas não com tempo de recuperar os que queimaram. Pessoas de vilas são bem supersticiosas, em sua fé tudo foi feito por algum anjo ou demônio, incluindo aquele incêndio. Ele pode entender o que aconteceria e uma das rasões para não interferir no mundo dos humanos por seu ato tinha condenado uma vida inocente.

Três dias depois foi a cerimonia religiosa para os vitimas do suposto demônio. -porque tive de ser tão idiota?- nas escada com as maga do casaco arregaçadas e sangue pingando e tingindo o mármore da escada, escorria de um corte profundo feito recentemente.

-dizem que sentimentos ruins criam demônios- ele se virou para traz para ver a medica traz dele, sentou-se ao seu lado e começou a passar uma pasta no corte.- perdeu alguém importante?

-perdi

- bom,- ela acabou o curativo- agora segure o coração e siga.

-qual dos pedaços? Segurar qual dos pedaços?

- o que lhe diz para seguir em frente.-tirou uma mecha de cabelo dos olhos.- a proposito, seus olhos são bonitos, nunca vi nem sequer parecidos.

- de onde venho todos tem olhos assim.

Ela sorriu e foi em bora, olhou o braço de novo ´´alguém assim não deveria morrer tão cedo´´, arrancou as ataduras e cravou a lamina mas fundo, soltou uma ou duas palavras de maldição antes de tirá-la e jogá-la o mais longe que pode. Já estava a beira da loucura, fazer o que? Se esta preso a mais de cem anos na mesma existência claro que ela se tornara monótona claro que eventualmente o enlouquecera e dependendo do jeito com que se lide com isso pode se tornar um pouco doente. Era só fazer uma escolha e poderia sair mas nunca seria capaz de fazê-la, o tempo passava rápido e nem sabia mais sua idade ou a idade em que morreu, também não queria mais ser chamado pelo nome, passou a ser algo tão distante, não falo de quilômetros.

Vagou pelos bosques próximos por bastante tempo, descobriu que uma exótica fruta roxa é saborosa e que flores que abrem após meia-noite tem aroma muito melhor do que outras. No dia ficou no galho alto de uma arvore alta.

 

´´a lua pendura-se como um retrato cruel

o vento sussurra o convite das arvores enquanto esta tragedia começa

com um coração de vidro destruído e o pesadelo da meia noite esmagando os sonhos´´

"The Moon, she hangs like a cruel portrait soft winds whisper the bidding of trees

as this tragedy starts with a shattered glass heart and the Midnightmare trampling of dreams´´

 

Era naquela noite e naquele lugar, estava esperando com curiosidade para ver o que aconteceria, teve que enxugar uma lagrima, estava chorando, era possível ceifeiros terem sentimentos como esse? Existem rumores de que eram incapazes de sentir qualquer coisa, pelo visto não era exatamente verdade assim como não era mentira.

 

´´mas sem lagrimas, medo e dor talvez acompanhem a morte.

Mas é o desejo que traz sua certeza assim como vimos.´´

´´But on, no tears please Fear and pain may accompany Death

But it is desire that shepherds it's certainty as We shall see…"

 

claro que podia estar triste, quem nunca chorou na vida? Quem não sentiu dor ou medo? A diferença é que umas levam bem e outras realmente sentem. Se quiser uma verdade, não existe aquela fantasia de morte sem dor que as pessoas tanto falam nos romances também não é o fim como vários acham, acontece que pode escolher o que quer ver e o que vai ser. Sabe, muitas das verdades as quais nos apegamos dependem muito do nosso ponto de vista, mas no fim todas tem um base igual.

 

´´ela era a divindade das criaturas

que beijam em espelhos frios

uma rainha da neve muito além das comparações.´´

´´She was divinity's creature

That kissed in cold mirrors

A Queen of Snow Far beyond compare´´

 

desviou o olhar quado viu a alma que devia pegar entrando em seu campo de visão, parecia uma rainha caminhando com imponência. Podia ser que realmente tivesse mais algum papel, a luz noturna dava um toque angelical quase que divino em sua aparência.

 

´´lábios concordam por simetria. Procurei por ela em todos os lugares

olhos escuros licorosos, um pesadelo arabe´´

´´Lips attuned to symmetry Sought Her everywhere

Dark liquored eyes An Arabian nightmare...´´

 

não sei quando mas ele pulou para um galho mais baixo a aparência da mulher era atordoante, o problema foi quando reparou, mesmo que conseguisse salvá-la não poderia fazer mais nada e ela não poderia mais velo pois estariam em mundos separados de novo.

´´Ela brilhou em aquarelas

Da minha pequena vida como pérola

Até aqueles que não a podiam ter

A deixaram livre deste mundo´´

´´She shone on watercolours

Of my pondlife as pearl

Until those who couldn't have Her

Cut Her free of this World´´

 

seu futuro estava decidido, estaria acabado em poucos minutos estaria acabado, seria assassinato, as paginas em branco começara a serem escritas.

 

´´ Aquela véspera fatal quando?

As árvores exalavam a pôr do sol e cânfora

Seus lampiões perseguiram fantasmas e atiraram

Um raio de luz inquiridor, como as sombras que eles lançaram Sobre minha amada fugindo sob a luz da lua´´

´´That fateful Eve when..

The trees stank of sunset and camphor

Their lanterns chased phantoms and threw

An inquisitive glance, like the shadows they cast On my love picking through by the light of the moon´´

porque está cantando? Mas eu a achei apropriada para o momento mesmo que não fosse exatamente verdade todas as palavras desta letra, realmente parecia apropriado pois era só no que consegui pensar.

 

´´Colocando razão de lado

Ou para a morte como seu caminho

Eles rastejaram através dos bosques hipnotizados

Pela Lei de tafetá

Do quadril dela que oscilava

Por tudo eles procuraram

Exceto uma névoa crescente

(Uma benção mortal para esconder)

Seu fantasma no nevoeiro´´

´´Putting reason to flight

Or to death as their way

They crept through woods mesmerized

By the taffeta Ley

Of Her hips that held sway

Over all they surveyed

Save a mist on the rise

(A deadly blessing to hide)

Her ghost in the fog ´´

 

a nevoa estava muito espessa, mas como ele era da noite um de seus moradores já estava acostumado, os que a seguiam e espreitavam rastejavam por ali.

 

´´ Eles estupraram e deixaram...

(Cinco homens de Deus!)

... Seu fantasma no nevoeiro ´´

´´They raped left...

(Five men of God)

... Her ghost in the fog´´

 

depois de se obrigar a assistir a cena da morte da jovem deu um jeito para que a nevoa envolvesse os homens deixando-os extremamente confusos, la dentro eles se mataram mutuamente como loucos, isto é verdade, a presença de um ceifador pode enlouquecer mentes fracas.

 

´´ A alvorada a descobriu alí

Debaixo do olhar do Cedro

O vestido de seda rasgado, seu cabelo desgrenhado

Derramou-se para o vestido, sua beleza despida

Estava coberta de gelo, eu sabia que ela estava perdida

Eu lamentei até as lágrimas se tornarem uma oração´´

´´Dawn discovered Her there

Beneath the Cedar's stare

Silk dress torn, Her raven hair

Flown to gown Her beauty bared

Was starred with frost, I knew Her lost

I wept 'til tears crept back to prayer´´

 

ele chegou perto para poder tocar na pele macia e gelada, podia levar almas e mexer com as lembranças, mas nunca poderia trazer uma alma de volta, a não ser. Não conseguia ver os registros, sera que era algo a mais do que uma humana?

 

´´ Ela tinha me jurado votos em sangue fragrante

"Nunca nos separaremos

A menos que o céu invejoso tenha roubado nossos corações"´´

´´She'd sworn Me vows in fragrant blood

"Never to part

Lest jealous Heaven stole our hearts´´

´´Então eu gritei:

"Volte para mim!

Eu nasci apaixonado por ti

Então porque o destino deveria ficar entre nós?"´´

´´Then this I screamed:

"Come back to Me

I was born in love with thee

So why should fate stand inbetween?"´´

 

disse que poderia ficar com a alma se prometesse que cuidaria de sua filha que ainda era uma bebe, de longe, sem outra opção ele aceitou. Sua historia, tinha se apaixonado por um demônio e teve uma filha, seu nome não disse mas eu sei, é parecido com o meu.

 

´´E enquanto eu mergulhei nas curvas gentis dela

Com sonhos não ditos e palavras finais

Eu enxerguei um brilho pisado na terra

A chave da torre do sino da Igreja...´´

´´And as I drowned Her gentle curves

With dreams unsaid and final words

I espied a gleam trodden to earth

The Church bell tower key...´´

 

sabia que era errado, quase doente, muito além disto. Era por que tabu estava sem defesas ali em sua frente em pele pálida tudo que desejou mas nunca teve vontade ou que sempre teve vontade mas nunca desejou. Fosse como fosse, ele fez, no final estava chorando com as mãos tapadas de sangue, não podia explicar o que tinha feito. Por que tinha feito. Só uma coisa a fazer agora, dar adeus para toda aquela vida e, por mais uma vez tentar renascer, deixar o nome de lado. Os sinos anunciam o fim trágico daquela mulher. Soube que a pequena ficara com seus parentes ingleses, que a mulher morta no fim era nobre.

 

´´ À propósito,a aldeia lamentou por ela

Por ela ter sido uma bruxa

Seus homens haviam desejado tentar

E eu quebrei sob Cristo procurando sinais culpados

Minha alma torturada no gelo´´

´´The village mourned her by the by

For She'd been a witch

their Men had longed to try

And I broke under Christ seeking guilty signs

My tortured soul on ice´´

 

quando entregou a alma pediu um tempo.

- pode dar um tempo, mas sabe que sua penitencia esta no inicio.

- eu sei.

-podemos deixar que fique com a foice, nada mais, se quiser brincar de humano saiba que não é nada agradável.

-compreendo.

-ainda mais para você, um ceifador lendário, com uma vida eterna.

Com um ultimo adeus agora vivia num inferno humano, viu de longe a pequena crescer como uma nobre bem dotada.

 

´´Uma rainha da neve

Muito além de comparações

Lábios concordando em simetria

Procurei por ela em todos os lugares

Olhos transparentes

Um pesadelo árabe...´´

´´A Queen of snow

Far beyond compare

Lips attuned to symmetry

Sought Her everywhere

Trappistine eyes

An Arabian nightmare...´´

 

claro que podia notar que não era como s outros, tinha alguma coisa diferente. Logo se casou.

 

´´Ela foi dotada por Ersulie

De uma pele branca como leite

Minha porcelana Yin

Um gracioso Anjo do Pecado´´

´´She was Ersulie possessed

Of a milky white skin

My porcelain Yin

A graceful Angel of Sin´´

 

só então pode ver o que quis dizer com ´´brincar de humano´´ ela morreu com o nascimento processe do segundo filho vincent, eu soube por que era doloroso brincar de ser o que não se é, ele também

 

´´E então por ela...

A brisa exalou o pôr do sol e cânfora

Meu lampião perseguiu seu fantasma e explodiu

A Capela deles em chamas e todos trancados lá dentro por uma dor

Melhor reservada para o julgamento que a Bíblia deles construíu...´´

´´And so for Her...

The breeze stank of sunset and camphor

My lantern chased Her phantom and blew

Their Chapel ablaze and all locked in to a pain

Best reserved for judgement that their bible construed...´´

da segunda vez foi mais cruel, a segunda geração do demônio queimou e o garotinho foi pego. Ele seguiu. Sei que pode parecer loucura mas um demônio mostrou que se importa, resgatou o garoto da mesa de sacrifício e se fez vingar incendiando tudo. Mas e o outro que gritava, em sua mente? E o outro? Estava morto na lapide nos fundos da casa com o nome, Ciel. Mas ele não estava ali chorando pelos pais? E o outro ciel? Pelo que soube nunca houve gemeos.

 

´´ Colocando razão de lado

Ou para a chama sem vergonha

Eu enxuguei as lágrimas

Hipnotizado

Pela Lei de tafetá

Do quadril dela que oscilava

Sobre todos aqueles à distância

Exceto uma névoa crescente

Uma benção final para esconder

Seu fantasma no nevoeiro

´´Putting reason to flight

Or to flame unashamed

I swept form cries

Mesmerized

By the taffeta Ley

Or Her hips that held sway

Over all those at bay

Save a mist on the rise

A final blessing to hide

Her ghost in the fog

 

sempre vai ser um mistério quem, de fato, é o demônio, acho que os dois. Ele tão confuso quanto eu agora. quem chamou o demônio? Talvez tenha vindo por vontade própria, então faz sentido, verdadeiros demônios vive na mente de inocentes.

 

´´E eu abracei

Onde amantes apodrecem...

Seu fantasma no nevoeiro

Seu fantasma no nevoeiro

´´And I embraced

Where lovers rot...

Her ghost in the fog

Her ghost in the fog´´

 

claro que humanos não podem evitar seu fim, nem eu nem ninguém, por isso entendi a promessa e também prometi.

 

Uma escolha pode te transformar definir ou destruir. Tome cuido com a historia de agora.  


Notas Finais


se tem algum erro de escrita oe esqueci de alguma coisa me avisem ok.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...