História "My imperius boss" 2° Temporada(Imagine Jay Park) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias GRAY, Jay Park, Kim Hyun-Jung "Hoody", LOCO, Simon D., Zico
Personagens GRAY, Jay Park, LOCO, Personagens Originais, Simon Dominic, Zico
Tags ~motijae, Aomg, Bias, Imagine Jay Park, Jay Park, Você
Visualizações 953
Palavras 1.880
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura...

Capítulo 17 - "Ela foi mimha primeira"


Fanfic / Fanfiction "My imperius boss" 2° Temporada(Imagine Jay Park) - Capítulo 17 - "Ela foi mimha primeira"

Jay P.O.V

Ayato entrou com tudo no meu quarto e foi até o closet, pegou umas roupas e jogou em cima de mim.

- O que você quer?!

- Cara! Anda, vai se vestir! Achamos a (S/n).

- Hm...

- Levanta logo!

- Não quero! E quem é você para falar assim comigo?! Seu fedelho!

- Sou o cara que comeu sua esposa! E se ficar aí ,vou comer de novo - ele saiu do quarto e eu fiquei pensando.

Me levantei e fui trocar de roupa. Desci as escadas e ele estava sentando no sofá.

- O que foi?- perguntou.

- Você não vai? - perguntei.

- Vou...estou esperando o delegado, ele disse que ia vir pra cá.

- Tá...você já viu os bebês?

- Não..

- Vai lá! - ele se levantou é subiu as escadas.

Subi atrás dele e ele estava com o DongYul no colo.

- Já sabe diferenciar?

- Sim, no começa era difícil, tanto que eles tinham pulseiras com os nomes - falei.

- Quem é ele?

- DongYul..

- Ah sim...eu já tinha conhecido você, né?- DongYul sorriu pra ele.

- Já volto! - sai do quarto e fui pro meu. Peguei meu celular e liguei pro delegado.

Ligação on.

- Boa tarde senhor Jay Park.

- Boa noite, liguei para saber se tem notícias?

- Sim temos. Ela está morando em uma casa de praia. É um pouco longe daqui. Resolvemos que vamos a noite.

- O Ayato disse da ligação dela?

- Sim, mas é estranho tudo isso. Esse cara apareceu antes e quando surgir novamente ela some. Como estava a relação de vocês?

- Normal,na verdade, estávamos bem - deitei na cama. Sentir seu cheiro, que mesmo lavando as roupas de cama, ainda tinha seu perfume.

- E tudo muito estranho, mas vamos resolver isso hoje a noite!

- Tudo bem, obrigado...

Ligação off.

Fiquei fitando o teto, só vinha a (S/n) na minha cabeça. Era realmente estranho para mim saber que eu não conseguiria viver mas sem ela. É como se ela disse um carregador, e eu o celular que precisa desse carregador ou não liga mais.

- Aish...- me levantei e não sabia o que fazer.

- Ei! - Ayato invadiu meu quarto.

- Oh seu desgraçado! Para de invadir meu quarto como se aqui fosse o puteiro! - o empurrei pra fora.

- Calma - riu.

- Vai se fuder!

- Quero apenas conversa!

- Sobre o que?!

- A nossa esposa!

- Nossa? Vai tomar no seu cú, filho da...

- Respeita minha senhora!

- O que quer?

- Conversar...sua ajumma disse que você estava entrando em depressão.

- Não é da sua conta!

- Ok! - ele saiu do quarto.

(...)

09:50 pm.

Delegado : - Podemos ir?

Loco : - Acho que sim.

Jay : - Quem vai?

Delegado : - Não podemos levar muitas pessoas, pois podem atrapalhar.

Jay : - Eu!

Aya : - Vou junto!

Gray : - Podemos ficar...aqui... esperando...sem fazer nada!

Jay : - Sinto muito!

Peguei minha blusa de frio, a chave e sai de casa, fui na garagem e entrei no carro.

- Vamos?- Ayato entrou no carro.

- Não vai bagunçar meu carro fedelho!

- Tá!

Liguei o carro e seguimos o carro dos policiais.

- Uma calcinha...- pegou uma calcinha da (S/n).

- Já deve ter a sua! - peguei.

- Não!

- Problema é seu! - ri.

- Porque não gosta quando ela está comigo?

- Porque eu te odeio!

- Porque?- revirei os olhos.

- Não sei...talvez porque ela goste de você.

- Não confia no seu taco?

- Sim, mas vai sabe, mulheres são imprevisíveis.

- É, tem razão. Posso te falar uma coisa?

- Hm?

- Ela foi minha primeira...- o olhei - sério.

- Era virgem? E conseguiu transar com ela?!

- Haha...olhe pra mim...sou lindo.

- Hahahahah! Prefiro eu! Coitada...teve que transar com um fedelho como você! - comecei a rir

- Eu que sim pena dela por ter transado com um ogro como você.

- Ogro? Você conseguiu a satisfazer?

- Sim! Tanto que a mesma gemeu meu nome!

- A cala a boca! Você está falando da minha esposa! Seu filho da mãe. Fedelho desgraçado...

- Haha, ficou bravo?

- Não é só você que consegue satisfazer a (S/n)...

- Parabéns fedelho..- sorri forçado - você sabe fazer algo de bom!

- Acho que chegamos....

Os policiais pararam em frente a uma casa bem grande. Parei o carro ao lado do deles.

(S/n) P.O.V

- Como os quíntuplos devem esta em Yato...?- peguei fazendo carinho no mesmo que dormia ao meu lado.

Ouvi barulhos na parte de baixo da casa e resolvi ser o que era. Desci as escadas e dei de cara com uns policiais, na mesma hora o Chang apareceu e os policiais apontaram as armas para ele.

- Calma! - falei...- ele não me machucou!

- Saía daí! - um dos homens falou.

- Não machuquem ele! - falei...

- Coloque as mãos na cabeça!- falou, e assim o Chang fez. Eles se aproximaram e o deitaram no chão.

Um policial me tirou de dentro da casa. Vi o Ayato parado e corri até ele, o abracei com força.

- Ayato...- ele me ergueu no ar.

- Noona...como você está? Ele te fez algo?

- Não! Ele não fez nada...

- Ele te sequestrou!

- Mas ele não me machucou... Aya cadê o Jay?

- Está no carro...- olhei e vi ele dentro do carro.

- Não deixem que faça nada com o Chang, ele é uma pessoa doente...ele tem esquizofrenia...

- Tudo bem...agora vá lá.

Jay saiu do carro e ficou parado no mesmo lugar. Corri até ele e o abracei, mas ele não me correspondeu.

- Meu amor...- segurei seu rosto e o beijei, no começo ele parecia não querer, mas depois ele correspondeu - te amo tanto...- deu um selinho.

- Promete nunca me deixa?- me abraçou - eu não sei o que é viver sem você!- falou de um modo frio.

O beijei novamente, ele apertou minha cintura, e juntou nossos corpos.

- Esse cão, é seu?

- Sim! - peguei o mesmo.

- Desde quando?

- Eu ganhei.

- Vai levar um presente que aquele maluco de deu?! - assim que os policiais saíram com o Chang, o Jay se afastou de mim e foi até ele.

- Não Jay Park! - entrei na frente dele - não...- ele me olhou sem entender.

- Sorte...porque eu iria te matar!

- Você que estava na minha lista ! - entrou no carro.

- Vamos...- entrei no carro na parte de trás.

Ayato sentou no banco do passageiro e o Jay no do motorista, coloquei o Yato no colo e coloquei o sinto.

- Não vão brigar?- perguntei.

- Não...- Ayato olhou pra trás.

- Quer nos ver brigando por você?- Jay perguntou ligando o carro.

- Somos melhores amigos agora - Ayato falou.

- Somos nada!

(...)

Deixamos o Ayato na casa dele e fomos embora pra casa..

- Ele não te fez nada mesmo?

- Não...Como ficou sem mim?- sorri.

- Estava preocupado...

- Sério meu amor?- ele riu de lado.

- Porque não?

- Porque sim?

- Fica quieta que é melhor.

Chegamos em casa e eu subi pra ver os bebês, que pra mim eles estão maiores.

- Bebês...a mamãe voltou! - falei.

Peguei cada um deles e depois brinquei um pouco, alimentei e depois coloquei todo mundo pra dormir.

- Oi ajumma! - ela me abraçou e perguntou se eu estava bem.

- O Jay estava muito mal...não saia do quarto, não comia direito, só saia para ver os bebês.

- Tadinho...ele ficou com um pouco de raiva por eu ter falado que não o queria mas.

- Ele te ama muito...agora eu vou dormir - saiu da cozinha.

Subi as escadas e fui pro quarto. Ele saiu do banheiro, enrolado na toalha. Tirei a blusa e fui até ele.

- Está magro...- o beijei.

- Sua culpa...- me ergueu, encalei minhas pernas em sua cintura.

Ele me jogou na cama e puxou minha calça, meu corpo gritava por ele.

Ele abriu minhas pernas e me puxou, deitou sobre meu corpo e começamos a nos beijar, passou sua mão por meu corpo, passou as pontas dos dedos na parte inferior da minha coxa, arrepiando meu corpo inteiro.

- Saudades dos seus toques....- falei o beijando.

Ele tirou meu sutiã e abocanhou um e depois o outro.

- Aah...

Tocou as pontas dos dedos na minha intimidade coberta pela calcinha preta, ele puxou pro lado e colocou a cabecinha, tirou e pincelou meu clitóris.

- Ande logo! - passei as unhas em suas costas.

Ele beijou meu pescoço e mordi.

Segurou minha cintura, e entrou lentamente, arfou no meu ouvido.

- Jagiya...- me beijou.

Ele se movia lentamente, enquanto isso ele dava seladas em meu pescoço, colo e peitos.

- Aah Jay...- agarrei seus cabelos e o beijei.

Ele aumentou a velocidade, me fazendo gemer mais alto.

- Ooh...- gemeu - cavalga em mim! - saiu de dentro de mim e deitou, me levantei e fiquei em pé na cama, e comecei a sensualizar pra ele, o mesmo colocou as mãos atrás da cabeça e ficou me olhando - vem logo - passou a mão na minha perna.

- Espera! - falei.

- Deixa eu sentir seu gosto...- me olhou com desejo. Coloquei uma perna a cada lado de sua cabeça, ele apertou minha perna.

Sentei em seu rosto e ele começou a me chupar.

- Aaah! - gemi jogando a cabeça pra trás.

Ele agarrou minha coxas e me penetrou com a língua.

- Aaah Jay ! - fechei os olhos sentindo sua língua sugar meu clitóris.

Me levantei, pois estava sentindo a aproximação do meu ápice, ele resmungou em reprovação.

- Espera! - falei ofegante.

- O que foi?- riu.

- Quero assim...- sentei novamente e ele sugou meu clitóris - Aah Jay...porra espera! - puxei o ar tentando manter minha respiração.

Deitei sobre seu corpo e abocanhei seu pênis ereto. Comecei a chupa-lo, enquanto ele penetrava sua língua macia em mim.

- Oooh (S/n)...porra! - ele apertou minhas coxas - Aaah...- gozamos juntos.

Sai de cima do seu corpo e deitei ao seu lado.

(...)

- Aish....- peguei meu celular.

Ainda estávamos no mesmo lugar, nem mesmo saímos.

- Amor...- me chamou.

Eu estava com os pés pra cabeceira e a cabeça pra ponta da cama, a ele ao contrário.

- Hm?- ele se levantou e ficou em cima de mim.

Senti sua cabecinha na minha entrada. Sorri e mordi seu lábio.

- Ah...- ele entrou rápido. Começou a se mover rápido. Abri mas minhas pernas e ele acabou tocando meu ponto sensível - Aah Jay...- mordi meus lábios.

- Ooh...- arfou.

Ele beijou meu peito, depois deu uma chupada.

- Aah - arqueei as costas da cama.

Ele já estava ficando cansado, seus cabelos estavam grudando na testa, que estava suada. Ele me puxou sem sair de dentro de mim, deitou e eu fiquei sentada em seu pênis.

- Cavalga...- bateu na minha coxa - Aah...- colocou a cabeça pro lado, aproveitei e mordi seu pescoço, passei a língua e um selinho.

- Aaah...- comecei a cavalgar rápido nele.

Um de suas mãos estava apoiada na cama, enquanto a outra massageava meu peito. Lambeu meu mamilo.

- Aaah...

Mas algumas cavalgadas e eu gozei primeiro, logo em seguida ele gozou.

Deitei e ele ficou sentado me olhando.

- Vai pra faculdade?

- Vou sim...- bocejei.

Ele se levantou e foi no banheiro, voltou e subiu na cama, me deu um selinho e deitou.

- Ninguém chorou até agora....- só foi ele falar que a Yumi começou a chorar.

- Jay...- fiz bico e ele beijou.

- Deixa que eu vou....


Notas Finais


😘 até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...