História My kallis - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Exibições 196
Palavras 4.946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


lá vem eu de novo,então eu sumi,literalmente sumi do spirit,apaguei meu nome do mapa,deletei TODAS as minhas fanfics,e eu tinha meus motivos,realmente não estava bem pra escrever estava estressada com alguns problemas pessoais e eu ainda estou um pouco,mas agora entrei de ferias FINALMENTE e vou poder dedicar meu tempo as minhas estórias que cá entre nos eu amo escrever e isso faz meu cérebro desligar do mundo real e viajar em um mundinho de fantasia com romances épicos,um lugar onde tudo é possível,isso é uma historia minha,sempre vou procurar libertar o máximo a criatividade e criar as coisas mais improváveis e diferentes.
eu já tinha os capítulos de My Kallis escritos,vulgo 1,2,3,mas resolvi repostar,um porque o 3 foi um capítulo que não me agradou,outra porque eu sumi muito tempo e fiquei com medo alheio da rejeição de vcs caso eu voltasse de onde parou,então resolvi postar tudo de novo,e mudar um pouco o rumo da historia,esse capítulo não vai ter muita diferença do primeiro Prólogo,mas do terceiro pra lá tudo vai mudar e o improvável acontecerá,espero que não me matem pela decisão de começar do 0,mas eu realmente não tenho a capacidade de continuar sem reposta,porque meu cérebro é bugado....eu sei eu não sou normal Migaasss vou calar a boquinha..


Bora Ler

Capítulo 1 - Prólogo


 

 

 

"O Amor é o Ridículo Da Vida a Gente Procura Nele Uma Pureza Impossível,

Uma Pureza Que Está Sempre Se Pondo.

A Vida Veio e Me Levou Com Ela,Sorte é Se Abandonar e Aceitar Essa Vaga

Ideia De Paraíso Que Nos Persegue,o Bonito é Breve,Como Borboletas Que 

Vivem Vinte Quatro Horas,Morrer Não doí" 

 

Kallis P.O.V  (kallis: preciosa (o) )

 

 

O palácio dos Jeon podia ser considerado algo de outro mundo,era simplesmente incrível,vários estábulos,jardins,quartos desnecessários decorados apenas por capricho ,senzalas lotadas de escravos e escravas,o rio que cortava as terras férteis dos arredores do palácio deixado tudo mais vivo e bonito,por mais que o castelo fosse um lugar de mortes frequentes.

os Jeon sempre foram os mais ricos em números e em quantidade de escravos,os números para os Jeon's eram somente números,e eles tinham o infinito.

 

Mas de acordo com JungKook morar em um lugar tão grande era entediante,Na visão do príncipe não avia nada a se fazer,apenas implicar com os escravos e "pegar" uma ou outra de vez em quando,Sempre que andava a cavalo próximo a senzala todos já sabiam o que ele queria ali uma negra bonita para se divertir a noite,mas havia cansado queria algo diferente um novo brinquedo para  se distrair,seus desejos não se baseavam em meretrizes,não gostava de pagar para ter uma puta por uma noite,em sua percepção ele era bom demais para pagar a uma mulher,onde já se viu,era o príncipe,nenhuma mulher deveria cobrar para está em seu leito,pós está lá já era uma honra.

 

O príncipe era o que os escravos mais temiam,o garoto era uma peste,em seus olhos negros e profundos só se via maldade e insanidade uma insanidade profunda e selvagem um espírito indomável e cruel,mas Jeon não era louco sabia muito bem as consequência de levar um escravo ao tronco e chicoteia-lo ate a quase morte,poderiam perder mercadoria mas o príncipe não ligava haviam tantos escravos quem liga se um deles morrer?,eram só negrinhos sem alma.

Seu pai não se importava com suas ações porque assim como o filho Kwan também era uma peste,o rei poderia ter tudo menos compaixão pelos escravos,as vezes chegavam a se perguntar se ele tinha um coração,Mas em toda família tem um que salva,Lee era diferente a rainha era o que os escravos chamavam de Sinhá Soet*,a chamavam por esse apelido carinhoso e a rainha adorava,A matriarca da família Jeon era uma pessoa dócil amável,e detestava as barbáries que seu filho cometia,Sempre convencia o marido para repreender JungKook ,e acabava conseguindo a voz doce e melodiosa de Lee era capaz de derreter o coração do rei,por mais que o coração dele fosse um iceberg.

JungKook estava com seu pai em uma reunião do conselho,detestava as longas e tediosas reuniões mas como era o herdeiro tinha que comparecer naquela sala que continha uma mesa enorme de madeira com um mapa do reino esculpido e pintado a mão,os grandes lideres estavam reunidos colocando as ideias sobre a mesa para melhorar o país,eram compartilhados dados secretos economia,salários,ate mesmo alianças com reinos rivais para tentar ter a aclamada paz,Mas Jeon mau prestava  atenção nas palavras ditas por seu pai ou por qualquer outro ali,estava ocupado demais observando um rapaz que se sentava ao lado do coronel Kim e escrevia tudo de importante atentamente,o garoto molhava a pena na tinta rapidamente e escrevia mais rápido ainda tentando não perder nada,o garoto tinha uma caligrafia nobre e invejável.Jeon estava curioso sobre o rapaz.

O príncipe nunca aprendeu a ter travas na língua então simplesmente falou.

 

_Coronel Kim,quem é o rapaz?_todos fizeram silencio e encararam JungKook que continuou a falar deixando de lado a reunião_seu filho?

 

Jeon sabia que o garoto não era filho do coronel pelo que sabia o Kim tinha apenas dois filhos Tália e TaeHyung,que consequentemente era seu amigo de infancia,assim como o príncipe Tae era um devasso mas preferia gastar seu dinheiro com as flores de Liz do que pegar uma escrava a qual ele julgava como imunda,as vezes Kim era mais racista que Jeon,o rapaz nunca se deitaria com uma escravinha nojenta.

 

_Não meu príncipe esse é um de meus escravos_Ao ouvir aquilo a boca de Jeon se entreabriu e fechou varias vezes,mas não conseguirá dizer nada,estava atônito ,o garoto não parecia um escravo vestia roupas nobres e caras sabia escrever,tinha uma pele branca sem nenhuma imperfeição que aparentava ser macia e frágil,como porcelana intocada,como queria toca-lo e deixar a pele alva avermelhada.

 

O príncipe não encontrou as palavras certas então fechou a boca deixando os mais velhos continuarem a tediosa reunião  do conselho,E o escravo continuava a escrever atentamente tudo que os grandes lideres diziam.

Um escravo de luxo,isso que veio a cabeça de JungKook ,escravos de luxo eram prendados,sabiam comer a mesa ler escrever tocar piano entre vários outros instrumentos,mas nunca tinha visto um como aquele,O escravo tinha uma mão gordinha e pequena,mas acima de tudo leve levava a pena a tinta e retornava ao papel  escrevendo levemente e deixando as anotações com aquela caligrafia...maldita caligrafia chegava a ser melhor do que a do próprio príncipe,aquele escravinho era um toque de salão,criado para deixar os sarais mais belos com uma musica agradável.

O príncipe nunca pensou em ver um escravo em uma dessas reuniões,talvez o coronel fosse louco em trazer um escravo imundo para sua sala de reuniões,trazer uma maldita  mercadoria para se sentar a mesa junto com a família real,isso só podia ser um afronta.

 

_O coronel confia nesse escravinho,aqui estão vários segredos de nosso governo,e o senhor confia em uma mercadoria?_O jeito desconfiado e rude de Jeon era um de seus grandes defeitos,nunca confiou nem em Margarida ,sua omma negra que mais cuidava de si que a própria mãe que sempre tinha afazeres,quanto mais em um escravo de outro,ainda mais um escravo que sabia ler e escrever um escravo espertinho com aparecia de um homem de terras,aquele rostinho dócil do escravinho poderia enganar qualquer um.

 

_Jimin é de minha confiança majestade_JungKook sorriu sádico,todos ali o encaravam querendo saber o porque do príncipe ter tanto interesse no escravo branco,O rei já estava irritado com as intervenções de JungKook só queria mandar o filho calar a maldita boca,mas sabia que o garoto era mimado e inconsequente e que aquelas perguntas eram um pedido disfarçado,ele sempre perguntava quando queria algo, o rei sabia que seu filho sempre quis chicotear a pele alva e ver o escravo sangrar no tronco,então resolveu que sua voz seria presente na conversa inconveniente do príncipe.

 

_coronel Kim_chamou o rei tendo a atenção de todos para si,os presentes não esperavam que o rei interferisse mas realmente se Kwna não interferisse JungKook iria encher-lhes a paciência o resto da reunião_o escravo,está a venda?

 

JungKook sorriu,ele não sabia porque mas queria muito aquele escravo.

 

Jimin arregalou minimamente os olhos mas continuou a encarar a folha,ele era sim um escravo de luxo mas realmente fora criado como um príncipe,sua dona se encantou por ele quando nasceu a pele branca a chamou a atenção e a mulher nunca pode ter um filho então adotou o escravo para mimar e tratar como seu próprio,Jimin nunca esteve em uma senzala ou em um plantio de cana,o corpo frágil e pequeno não suportava muito sol suava facilmente e cansava com uma velocidade incrível,não era para trabalho pesado,sempre teve os outros escravos implicando com si,por conta de sua cor ou de sua diferença entre eles,o que fazia os outros o odiarem,Jimin foi vendido quando sua Omma branca faleceu,o garoto não ficou no mercado por muito tempo logo passou para os Kim,Jimin fazia de tudo falava 3 línguas diferente,lia escrevia,tocava piano entre vários outros instrumentos musicais e cantava super bem era um prodígio que adora aprender,uma pessoa doce e pura de corpo e alma.

 

_depende quanto quer pagar?_O coronel sorriu,o escravo engoliu o seco,havia ouvido muitos boatos sobre JungKook  um garoto devasso e insensível,sabia o que o garoto fazia aos escravos e as barbáries que aprontava ate com meretrizes do bordel de Liz,ele definitivamente não queria pertencer aos Jeon,não que tivesse alguma escolha sobre isso,mas realmente não gostaria de passar para a mão do dono dos piores boatos da cidade.

 

_quanto quer por ele?_a voz suave do príncipe se fez presente novamente,ele parecia tão calmo apresentando uma face serena,mas por dentro estava afobado e pagaria qualquer preso por uma mercadoria tão valiosa_seu escravo seu preço

 

_vamos terminar a reunião por aqui_Kwan se pronunciou dando fim a 3 tediosas horas de reunião_saíam,JungKook faça um bom acordo filho

O rei saiu junto a todos os outros membros do conselho deixando apenas Jeon o coronel e o escravo branco que JungKook tinha tanto interesse Jeon não tinha experiencia em bons acordos só jogava dinheiro fora,dinheiro ele tinha de sobra então porque quebrar a cabeça com acordos,somando números e mais números,nunca foi bom em contas.

_5000 mil de ouros_pronunciou o coronel com um sorriso no rosto,sabia que o príncipe queria seu escravo,mesmo que vender Jimin não estivesse em seus planos ele precisava de dinheiro,na verdade não precisava,só queria mais do que já tinha e não é todo dia que  tem o príncipe fazendo acordos com sigo.

_mas um escravo vale 100_o prícipe olhou incrédulo como um escravo imundo poderia valer tanto,desviou o olhar para Jimin que apenas matinha a cabeça baixa encarando as folhas,parecia com medo...aquela carinha inocente e amedrontada era um atrativo....um grande atrativo para o maior.

_se não aceita,temos que ir,vamos Jimin_o homem levantou-se da cadeira juntamente ao escravo branco que segura as anotações e a pena em suas mãos.

 

_espera!_levantou-se,encarou Jimin mais uma vez e chegou a uma conclusão,teria aquele escravo de pele branca,nunca havia tido um daquele antes,queria marca-lo com ferro quente e ouvir o chicote estalar nas costas alvas do pequeno,o escravo que tinha um olhar tão puro,queria corromper esse olhar inocente e bater nesse rostinho provocante deixar as marcas de seus dedos ali.


Os olhos amendoados de Jimin transmitiam o pavor que sentia ,ele via Jeon como os boatos descreviam um pervertido sexual,rezava internamente para o príncipe não gostar de garotos,e realmente JungKook nunca havia tentado nada com um garoto.

_eu pago,só me de o escravo

 

Kim sorriu virtuoso e andou ate Jeon estendendo a mão em busca de seu pagamento,o maior pós a mão no bolso retirando todo dinheiro presente ali cerca de 5,500.

 

_fique com o troco_Jeon sorriu sádico encarando a figura amedrontada no canto da sala,Jimin sentia suas mãos suarem e seu peito doer,estava sendo passado pra frente novamente,vendido como um cão sarnento,uma mera mercadoria,uma vida sem valor.

 

O coronel andou mais um pouco se aproximando do príncipe,que se encontrava de pé encarando seu mais novo escravinho,pegou de leve o braço de Jeon se aproximando de seu ouvidos.

 

_se suas intenções são pervertidas,saiba que eu nunca toquei no escravo,ele é virgem Jeon,faça bom proveito majestade_se afastou o Kim,todos sabiam dos boatos e alguns eram falsos,como os que diziam que Jeon dormia com garotos,mas alguns acreditavam,e talvez esse boato se tornasse verdade,O coronel foi saindo porta a fora deixando JungKook sozinho com seu mais novo escravo branco e precioso como nenhum outro ali.

 

Não que JungKook se importasse com o garoto,ele era só mais um escravo,mas era diferente seria fácil vê-lo sofrer,era notável que o garoto não suportaria as horas de sol trabalhando na lavoura de algodão,café,ou na de cana,não suportaria muitas chicotadas,muito menos as maldades a mais de JungKook,Jimin não duraria muito,Nas mãos selvagens de JungKook,a rosa não viveria muito nas mãos da fera.

 

O menor estava no canto da sala contra a parede segurando suas folhas e pena em mãos,o escravo estava amedrontado sempre foi um garoto medroso o motivo não lhe vem ao caso agora,o que importa e que se sentia uma mercadoria,uma mercadoria com o pior dono que se pode ter.
JungKook não avia pensado em abusar do escravo,não sexualmente,mas quando ouviu as palavras do coronel pensou novamente....

 

Como seria foder um homem?


 

Jeon não sabia mas talvez descobrisse com seu novo escravinho,mais um brinquedo,seria divertido usa-lo de todas as maneiras possíveis,não conseguia tirar as cenas pervertidas de sua cabeça,tocar as coxas grossas que não passaram despercebidas  apertar a bunda farta entre os dedos,JungKook sorriu completamente sádico quando notou seus pensamentos pecaminosos.

 

_primeira coisa,vá a senzala,não quero você vestido assim,você é só um escravo imundo,troque essas roupas vista-se como os outros_o tom de voz do príncipe era assustador aos ouvidos do escravo que ouvia tudo atentamente,nem parecia um rapaz de 18 anos falando parecia o próprio capeta ali,só a voz do mais velho fazia o menor tremer e se pressionar contra a parede como se fosse se fundir a ela.

 

_s-sim senhor_assentiu o menor de forma calma e submissa,Jimin já avia apanhado demais não queria os chicotes em suas costas,encontrar o tronco não seria nada divertido,apesar de já ter apanhado nunca esteve no tronco,os antigos donos sabiam que talvez não aguentasse era frágil demais,caro demais para ser jogado fora,mas Jeon não ligava uma hora ou outra levaria o garoto para o açoite.

 

_segundo,trabalhará no castelo,não nas lavouras,quero você por perto,quando eu chamar quero que venha_o príncipe caminhava em direção ao baixinho com o sorriso sádico de sempre,queria ver de perto os traços do menor que em grande maioria do tempo permanecia de cabeça baixa.

 

Segurou o rosto do escravo com força fazendo o mesmo gemer de dor e encara-lo deixando as folhas e a pena encontrarem o chão,aquele gemido mexeu com a cabeça do maior que abriu um sorriso psicótico enquanto encarava a pele branca e os traços finos do menor,estava admirado com tanta beleza,seria mas bonito se não fosse um maldito escravo,pelo menos Jeon pensava assim,os traços do escravo branco eram realmente bem desenhados o vendo assim jurava que não era um escravo e sim um rapaz da nobreza.

 

_terceiro nunca minta para mim ou arrancarei o seu couro a chicotadas_Jimin engoliu o seco sentindo-se  encurralado,havia chegado ao inferno,assentiu ainda tendo seu rosto envolvido pela mão gelada do outro que pareciam neve grudada em seu rosto,chegou a se perguntar se Jeon estava mesmo vivo,por sua temperatura era extremamente baixa.

 

_você é virgem escravo?

 

Aquilo pegou o garoto de surpresa,porque JungKook queria essa informação,o menor ficou aflito o que seu novo "dono" desejava com sigo,sim dono entre aspas tecnicamente ele era do rei não de Jeon,teve seu rosto apertado com mais intensidade um claro aviso para falar logo,engoliu o seco e entreabriu os lábios carnudos.

 

_s-s-si-sim m-ma-majestade_o constrangimento era gritante,fazendo suas bochechas ficarem ruborizadas,mesmo com os dedos longos e gelados de Jeon em seu rosto ainda sentia suas bochechas queimarem,nunca havia gaguejado tanto em sua vida,nunca lhe faltavam palavras mas com uma simples pergunta JungKook conseguiu fazer seu grande vocabulário sumir.

 

_de tudo?_outra pergunta inconveniente

 

_s-si-sim senhor....

 

_isso te torna menos imundo,talvez não,vá se troque,quero você vestido como o escravo imundo que é_o escravo branco assentiu tendo seu rosto solto.

 

Praticamente correu em direção as portas,saindo pela casa sem fazer a menor ideia de para onde ia,não conhecia o castelo dos Jeon não sabia onde ficava a senzala então como poderia encontrar um lugar se sequer sabia onde era,corria pela casa completamente confuso,sentiu seu corpo se chocar com outro encontrando o chão logo em seguida,encarou a pessoa em baixo de si vendo uma jovem escrava devia ter uns 15 anos,tão linda,traços finos lábios carnudos,uma pele escura e olhos que lhe chamaram a atenção,lindos olhos pretos.

 

_d-de-desculpa s-senhor eu não queria....desculpa por favor me perdoe_a garota se levantou assustada pensando que seria punida,no castelo dos Jeon's qualquer erro era punido com o açoite,aqui errar não era humano,era coisa de escravo burro,erros não eram admissíveis.

 

_não sou senhor,sou escravo assim como você menina_Jimin levantou-se do chão encarando a figura bonita a sua frente,os olhos da garota transmitiam alegria apesar da tristeza que passava aqui_qual seu nome?

 

_Madlem_sorriu_o senhor não parece um escravo,parece um rapaz da nobreza,posso saber seu nome?

 

_Jimin,prazer madlem_estendeu a mão para a escrava que logo apertou sentindo a pele macia de Jimin_poderia me mostrar a senzala preciso trocar essas roupas ordens do.....qual o nome dele?

 

_JungKook,mas chamar o senhorzinho assim é pedir para apanhar,aqui existem regras Jimin,é melhor se acostumar com elas se não quiser visitar o tronco_a garota falava daquilo com normalidade seu sotaque engraçado fazia Jimin sorrir madlem era uma obra prima,nunca viu mais bela_vamos vou te mostrar a senzala

_Madlem menina_uma outra mulher entrou na sala essa parecia mais velha_desculpe senhor se Mad está a lhe incomodar

 

_tudo bem só quero saber onde fica a senzala,e não sou senhor de ninguém aqui_a mulher fez uma expressão confusa porque um homem daquele estaria procurando a senzala_sou escravo como vocês_Jimin explicou vendo a expressão confusa da moça se transformar em um sorriso doce.

 

_sou Margarida,Madlem mostre a senzala para o menino tenho trabalho a fazer na cozinha_a mulher parecia ter mais autoridade sobre os escravos talvez fosse uma escrava importante,Jimin não sabia.

 

Foi guiado por Mad ate a senzala onde foi bruscamente encarado por todos os negros ali,que estranhavam o fato de um branco entrando naquele lugar imundo e desumano,onde eram tratados com severidade e brutalidade muitos estavam nas lavouras esse horário então a senzala não estava tão cheia apenas alguns escravos que o encaravam,alguns com desgosto outros com um sorriso. Jimin trocou as roupas e se sentou em um canto da senzala ao lado de Mad a garota contava piadas e fazia Jimin sorrir,ela era engraçada uma menina divertida.

Jeon avia subido ao quarto tomado um banho e se deitado,estava novamente entediado,o almoço estava próximo então decidiu descer para pedir algo especial a Margarida,chegou a cozinha com aquele olhar frio que sempre tinha,a escrava retirou os olhos do fogão olhando para o príncipe que a encarava sem expressão.

 

_Margarida quero que faça torta de limão para sobremesa_a negra assentiu_onde está o escravo branco?
pensou em voz alta.

 

_na senzala,senhor o que quer com um escravo daquele? é mais que óbvio que não aguentaria um dia de baixo de sol nas plantações...A não ser que queria ele pra..._falou,Margarida era a única escrava que conversava com Jeon,não era de igual para igual mas ele tinha um fio de respeito pela negra que praticamente o criou,sua mãe era ótima mas sempre estava ocupada com afazeres do reino ou algo assim.

 

_eu quero ele exatamente do jeito que pensa,traga-o pra cá,mande tomar um banho e depois subir para meus aposentos_Jeon sabia que seu pai não estava em casa,provavelmente teria ido com o coronel Kim ate sua fazenda,sua mãe estava na casa dos Jung passando o dia com uma amiga e com o energúmeno do Jung Hoseok por perto,como odiava Hoseok,não havia ninguém na casa com poder para manda-lo parar de fazer o que queria,só não podia deixar o boato se consolidar,ninguém poderia saber que está com um escravo em sua cama,ainda mais um homem.

Se virou e saiu indo de encontro ao quarto novamente,Margarida praticamente correu a senzala JungKook era impaciente e mimado sabe-se lá o que podia fazer se demorasse para chamar o escravo branco,entrou naquele lugar imundo avistando-o de longe,Jimin suava o lugar era abafado e quente com o sol lá fora então,tudo fervia.

 

_ei menino_a escrava chamou a atenção de Jimin,mas Madlem também a encarou_vem comigo

 

Mad permaneceu sentada enquanto Margarida pegava o menor pelo braço,ela sabia o que Jeon queria com o branquinho então preferiu não fazer nada se dissesse algo poderia apavorar Jimin,que apenas "seguiu" Margarida,chegando dentro do palácio recebeu roupas e um lugar para se banhar,o fez em uma grande velocidade aquele foi o banho mais rápido que já tomará,assim que saiu do comodo deu de cara com Margarida o esperando o levou ate em frente a escada e largou seu braço.

 

_é só subir,o primeiro quarto,ande logo ele é impaciente_se virou,mas parou logo em seguida se virando para o garoto inocente que não fazia ideia do porque estava subindo aquelas escadas em encontro ao quarto de Jeon....pobre garoto_não grite muito alto

 

avisou Margarida fazendo Jimin arregalar os olhos e piscar algumas vezes fitando o nada,engoliu  o seco e continuou a subir dando de cara com uma porta de madeira antiga muito bonita,empurrou a porta de leve esquecendo-se de bater,não costumava bater antes de entrar,e não é agora que ganharia esse costume.

 

_senhor?_chamou Jimin ainda com o corpo ao lado de fora do quarto,avistava Jeon deitado na cama fitando o teto com uma expressão calma,tudo parecia calmo demais.

 

_não sabe bater escravo atrevido,entre_bufou Jeon raivoso como sempre,não era novidade o garoto mudava de humor mais que do nada
Jimin adentrou o quarto olhando em volta observando a decoração bonita e bem aninhada,um piano de calda no canto do quarto dois guarda-roupas,Jeon era exagerado e isso ninguém podia negar.

 

_quantos anos tem Jimin?_perguntou ainda fitando o teto

 

_16...

 

JungKook levantou-se da cama andando ate Jimin,realmente o coronel falando que o garoto era virgem lhe deu muita vontade de faze-lo conhecer o mundo devasso,ele tinha que aprender que estava no inferno,e Jeon JungKook era o capeta em pessoa.

Andou ate o garoto pegando seu rosto com os dedos longos e gelados,Jimin engoliu o pouco de saliva que tinha na boca e fitou os olhos escuros de Jeon,o maior largou seu rosto logo segurando a cintura do escravo que ainda não entendia o porque de está ali mas logo entenderia JungKook puxou o menor para perto fazendo o corpo dele colar ao do garoto,arregalou os olhos quando sentiu as mãos de Jeon deslizarem ate suas nádegas apertando-as com vontade e força desnecessária.

 

_ME SOLTA!!!_o menor deixou o rosto confuso de lado assim que notou as intenções de seu senhor ,gritou mesmo com os avisos de Margarida para não fazer barulho,era em vão gritar mas realmente não deixaria JungKook o tocar dessa maneira,era maluquice,como o príncipe poderia ser tão atrevido e devasso a esse ponto,ele era homem...haviam tantas mulheres ali...porque vir logo em si para satisfazer seus desejos carnais_ME SOLTA!!!

 

_QUIETO ESCRAVO IMUNDO!!!_Jeon segurava Jimin com toda força que tinha mais o baixinho ainda lutava a pele de seus braços já estavam vermelhas com os apertos do maior que chegavam a machucar bastante.

 

_IMUNDO AQUI É VOCÊ ,SEU DEVASSO!!!_Jeon não imaginava que o garoto frágil e quieto fosse extremamente abusado,esse escravo precisaria ser domado.

 

_O QUE DISSE ESCRAVO IMUNDO!!?_largou Jimin o segurando por apenas um dos braços o menor engoliu o seco e arregalou os olhos refletindo que acará de dizer aquilo a um príncipe...um príncipe com a péssima fama de matar por nada.

 

Logo foi acertado com um tapa do lado esquerdo do rosto deixando a marca perfeita dos dedos de Jeon que puxou o escravo de contra a si novamente,não desistiria tão facilmente de ter o garoto em sua cama,Jimin tentava o empurrar,com os braços no peito de seu senhor tentando afasta-lo de todas as maneiras,seu pescoço logo foi mordido fazendo o menor gemer de dor por conta dos chupões fortes que deixariam um roxo mais tarde.

 

_ME LARGA DESGRAÇADO!!!ME SOLTA!!!_o escravo se debatei com todas as forças presentes em seu corpo,xingar Jeon é uma coisa que ninguém faria,não em sua frente,mas o escravo parecia não temer nada.

 

Conseguiu empurrar Jeon para longe e em um reflexo acertou o rosto do príncipe que ficou perplexo,seu rosto nunca foi tocado nem por seus pais imagina por um escravo,a raiva tomou conta do maior que acertou outro tapa no rosto do escravo que gemeu de dor e levou a mão ate a face sentindo uma ardencia intensa,os gemidos fininhos de Jimin estavam enlouquecendo JungKook,malditos gemidos.

 

_você vai pagar por isso escravo imundo_pegou o rosto ainda ardido de Jimin com as mãos gélidas_SOME DAQUI!!! SOME!

 

Gritou soltando o menor que correu escada a baixo tropeçando em seus próprios pés,correu pela casa logo adentrando a cozinha,não sabia como sair do castelo era enorme e ele ainda estava confuso,apenas se sentou em um dos cantinhos escondidos da cozinha,se encolhendo e deixando-se chorar,sabia que seu senhor uma hora ou outra tentaria de novo ate conseguir o que queria,sabia também que apanharia se continuasse negando,mas estava decidido preferia morrer do que entregar-se a quele crápula.apenas ficou ali por horas e horas ate a noite chegar,o frio estava absurdo seu corpo tremia as roupas finas que usava não adiantavam em nada ele apenas tremia e choramingava baixinho tentando não chamar atenção,mas não funcionou muito bem.

 

_então está ai seu imundo_Ouviu a voz assustadora de Jeon na calada da noite,o maior deixou o lampião sobre a mesa e se ajoelhou ao lado do escravo que tremia de frio.


Pegou a coxa do menor fazendo-o se assustar e pressionar-se contra parede como se fosse se fundir a ela.

 

_shh se gritar eu arranco seu couro estamos entendidos_deslizou a mão pela coxa farta do menor que só ficava parado segurando-se para não gritar,sabia que a esse horário rei e a rainha estavam dormindo e se acordasse os pais de Jeon apanharia.

 

Se sentou ao lado do menor que agora tremia de frio e medo,não tinha como correr já que a casa estava tão escura e provavelmente tropeçaria nos moveis,gritar era pedir para ser açoitado,e seu senhor não o foderia na cozinha com risco de alguém vê-lo ,então apenas ficou em silencio deixando o maior abusar da coxa alheia apertando a carne farta e macia entre os dedos.teve sua cintura agarrada e logo seu corpo foi praticamente jogado para cima do corpo de JungKook ,ótimo estava sobre o corpo do crápula

sentindo a ereção do maior tocar suas nádegas se remexeu um pouco tentando sair do colo de Jeon mais foi brutalmente segurado.

_se fugir de mim eu juro que peço para te amarrarem na minha cama_Jeon pronunciava enquanto apertando a cintura do menor fazendo-o mesmos se mexer sobre si,a contra gosto.

_m-me solte por favor_implorou o menor em um sussurro breve,não costumava explodir como fez no quarto mas sentir o membro de Jeon toca-lo era assustador,não queria aquilo o tocando de modo algum.

 

_onde está a sua marra escravo?_debochou forçando o menor a mexer a cintura,Jeon queria mais contato queria mais que tudo ter aquele escravo na cama.

 

_me larga crápula!_estapeou o peito do maior tendo seus pulsos agarrados ainda trocavam sussurros Jimin só queria correr

 

Empurrou Jeon contra parede fazendo o garoto o soltar,levantou-se rapidamente pegando o lampião sobre a mesa e correndo pela casa sem saber ao menos para onde ia,depois de correr muito finalmente encontrou a porta de saída,saiu correndo pela grama em frente ao castelo e logo ouviu os cachorros latindo,ótimo agora tinha um príncipe bravo e três cachorros o perseguindo,na vida de Jimin tudo que esta pior pode piorar ele correu dando de cara com um guarda armado que apontou o revolver em sua direção o menor parou e respirou um pouco deixando o ar voltar aos pulmões,teve seus cabelos agarrados com força pelo homem um gemido de dor saiu de seus lábios.

 

_quem é você garoto?_o jovem guarda perguntou,afundando os dedos no cabelo macio e o puxando com força.

 

_é um escravo da casa_Margarida parecia sempre está no lugar certo na hora certa.

 

O homem soltou Jimin que logo foi conduzido ate a senzala onde todos dormiam juntos,se ajeitou em um cantinho e adormeceu,amanhã seria um dia cheio.
sentiu seu rosto ser estapeado de leve e logo acordou abrindo os olhos e avistando a figura de Madlem a sua frente com os olhos bem perto dos seus.

 

_vamos temos que preparar o café junto com Margarida_Jimin assentiu e se levantou.

 

Suas costas doíam tinha dormindo pouco e ainda por cima de mau jeito,estavam andando calmamente pela grama observando as cerejeiras sabia que Jeon o veria hoje e talvez tentasse algo obsceno novamente.

_ele fez com você ?_Mad quebrou o silencio olhando os chupões no pescoço do branquinho,eram marcas roxas que estavam presentes em quase todo pescoço.

_não,eu nunca deixaria_respondeu Jimin ainda fitando as cerejeiras passou a mão sobre os chupões,só queria sua pele livre de roxos,livre daqueles roxos.

_é verdade que fala outro idioma?_a garota era extremamente curiosa,tinha sonhos altos,como fugir do castelo ter sua própria casa e família,era só isso que ela queria, uma menina que sonhava,Madlem nunca foi pé no chão sempre estava voando no mundo dos sonhos.

_sim_sorriu Jimin

_fale algo pra mim?_pediu novamente Jimin finalmente fitou a garota

_vous êtes belle_pronunciou o frances perfeitamente sorrindo para Mad que ficou confusa

_o que disse?_curiosa que só ela

_que você é linda Madlem_o escravo corou fortemente vendo a expressão fofa da garota.

 

Seguiram ate a casa logo entrado indo em encontro a cozinha,Margarida já avia preparado quase tudo,só restava servir,Jimin pegou o bully e Mad a torta de laranja e eles foram juntos para a mesa de jantar enquanto conversavam e riam,assim que entraram os risos morreram.
Jeon estava sentado em uma das cadeiras lendo um livro qualquer,aquilo estava errado um porque o príncipe nunca acordava cedo outra ele detestava ler.

_me sirva Jimin_não tirou os olhos do livro.

 

Jimin encarou Mad que fez uma expressão estranha,o garoto viu o maior estender a xicara ,Jimin se aproximou deixando o liquido preto cair dentro do recipiente pintado com flores amarelas,com Margaridas.

_sabe Jimin,hoje eu vou te foder você querendo ou não escravo insolente_Jimin se perdeu nas palavras do patrão deixando o liquido quente cair sobre Jeon,Havia realmente viajado ao ouvir aquilo,as cenas horrendas dele sendo abusado por JungKook vieram a mente só de pensar era horrível.

Deixou o livro cair e se levantou Mad se segurou para não rir e Jimin se segurou para não correr,já que a fama de matar os escravos por nada era grande nesse castelo,Jeon não fez expressão alguma que não fosse de ódio,o café nem estava tão quente.

 

_*enfer_pronunciou Jimin vendo o que tinha acabado de fazer a roupa branca de Jeon estava com uma macha enorme de café

 

_guardas!!!!_Jeon gritou e um dos homens apareceu na porta mais que do nada,pareciam cães treinados que aparecem ao chamado do dono_levem esse escravo para o tronco,AGORA!






Continua?


Notas Finais


Soet* doce em africano

infer* inferno em frances

eu realmente estou em duvida se vcs querem que eu continue...sei lá,eu gosto da fic mas conto muito com o apoio de quem lê,o que é um altor sem ninguém pra ler suas obras?,bem pretendo postar outra fic ainda hoje,vou postar um capítulo por semana de cada fanfic,porque senão eu me perco e ai fodeu....espero que tenham gostado e que não me matem por sumir tanto tempo...só queria pedir a vcs minhas singelas desculpas..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...