História My Killer - JIKOOK - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Assassinato, Bts, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 43
Palavras 1.485
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Antes de tacarem pedra em mim, eu tenho boas explicações por ter sumido blz? Resumindo:
A porra da tela do meu celular quebrou, como? eu tava de boas no ponto de onibus com o celular na mão e pah era 7:30 da manhã e eu tava morrendo, eu parecia aqueles zumbi de The Walking Dead. Ai do nada PAH meu celular caiu no chão pensei: ah deu nada fui ver MEU DEUS DO CÉU, eu chorei muito;-; sabe como é ruim escrever com uma tela quebrada? É horrivel! blz, ai eu ia escrever com o celular da minha vó, mas o celular dela é muito ruim pra escrever. Ai meu pai ia me dar um notebook de aniversario, (meu aniver foi sexta só pra falar msm) ai eu esperei quase 2 semanas pra essa desgraça vir ai eu fui escrever, olha só que novidade bloqueio criativo, mas ai eu consegui ter uma ideia e espero que gostem pq eu sofri muito ta? :') vcs nem sentiram falta de mim né? Eu sei 😒

Capítulo 4 - Capitulo 3


 Jimin estava correndo pelos corredores da faculdade, estava se xingando mentalmente por estar atrasado, “Não devia ter dormido tanto”- pensou.

  Quando chegou em frente a porta de madeira cor preta, suspirou. Mesmo por ter dormido tanto estava cansado, seus músculos doíam e qualquer momento poderia cair naquele chão frio e ficar lá sem reclamar. Colocou a mão na maçaneta e a girou e empurrou, mesmo que abrir uma simples porta só levaria alguns segundos, para Jimin era uma eternidade. O baixinho estava nervoso, até parecia uma garotinha do ensino médio no primeiro dia de aula, isso ele nunca aceitaria. Abriu a porta e levou os olhos até o professor que estava escrevendo na lousa, não queria olhar para as pessoas daquele lugar, pediu desculpas pelo atraso e foi-se sentar na última cadeira da 5ª fileira. Regulou a respiração e encostou a cabeça na janela, tendo a visão da linda paisagem de um campo de flores avermelhadas. Pensou em ir ali no intervalo. Pegou seus materiais para a devida matéria e os colocou na mesa, anotou tudo que estava na lousa e voltou a encostar a cabeça na janela, sentindo o vento frio de fora bater em seu rosto. Sem perceber o sono o atingiu, fechou os olhos e em minutos adormeceu naquela posição não muito confortável.

(...)

 

- Hey garoto, acorde – falou o garoto de cabelos vermelhados que nem fogo.

- Hmm...? – resmungou o de cabelos pretos que nem uma noite estrelada.

- Você dormiu todas as três aulas seguidas.

-Ah, tudo bem – falou o de cabelos pretos.

-Nome.

-Oi? – perguntou confuso.

 

-Seu nome. – o avermelhado falou como se fosse obvio.

-Jimin, Park Jimin. – estendeu a mão para os de cabelos de fogo.

-Kim Taehyung – apertou a mão do mesmo. – Novato? – perguntou.

-Sim, curso de psiquiatria.

-Interessante. Também faço esse curso.

- TAEHYUNG! – uma terceira voz chamou, quem o chamou, pelo tom de voz era urgente.

-O que foi Yumi? – o de cabelos de fogo perguntou calmo.

-Hoseok. – a menina nem precisava falar o que aconteceu; isso acontecia frequentemente.

-Droga! – o avermelhado sussurrou. – Te vejo por ai, Park Jimin.

- Igualmente, Kim Taehyung – deu um pequeno sorriso.

O avermelhado saiu da sala de aula em passos largos e rápidos para ver o que seu irmão idiota tenha feito dessa vez. Provavelmente mais uma briga como das outras vezes que teve que o salvar das encrencas do irmão e depois cuidar dos seus ferimentos, e claro, o xingar de todos os palavrões existentes. Kim Taehyung era famoso naquela faculdade, por seu irmão  Jung idiota Hoseok ter brigas frequentemente e já ter matado um dos alunos de lá a socos, não só ´por isso, claro, seu dinheiro e fama fazia que pessoas interesseiras se aproximassem de si, mas o Kim não era burro e se afastava de pessoas assim. Taehyung ou Tae como seu irmão o chama, é muito reservado e quieto. Não que ele não tenha amigos, ele tem Jeon Jungkook, mas o acastanhado é pior que seu irmão. E frequentemente some da cidade e volta depois de 2 dias, provavelmente para correr e se drogar. O Kim nem fala mais nada, Jeon sempre foi assim desde o ensino médio, era uma decepção para quem o “conhecia” desde de pequeno, Jeon era um menino querido, gentil com todos, mas mudou. Ninguém conhece ele como o Kim conhece e Jeon Jungkook não é o que pensam, ele é muito pior.

 

Falando em Jungkook, onde ele está?

 

(...)

 

Jimin ainda tinha 45 minutos até o sinal bater para voltar as aulas, resolveu em ir a aquele campo de flores de hoje mais cedo que o viu pela janela.

Sentou-se no meio das flores vermelhas cruzando as pernas na famosa posição “borboleta” e juntar suas pequenas mãos, entrelaçando os dedos gordinhos na frente do corpo e apoiando-as nas pernas. Olhou para frente tendo a bela visão do sol iluminando as flores avermelhadas e seu rosto.

Aquele lugar era tão belo, tão calmo...

Deixou uma de suas mãos apoiando-se atrás das costas, fechando os olhos e sentindo o vento tocar seu rosto e corpo dando um arrepio a si.

Sentiu algo estranho nas mãos, abriu os olhos e levou a visão a sua mão com o liquido vermelho escorrendo por ela.

 

Sangue!?

 

Assustado, quase paralisado no lugar olhou para trás tendo a visão do homem de cabelos castanhos escuros, olhos quase pretos que parecia olhar através de sua alma, pele branca como se estivesse morto, e não menos importante, um sorriso assustador nos lábios avermelhados. Jimin não percebeu por alguns segundos, mas o acastanhado estava com alguns respingos de sangue no rosto pálido sem nenhum defeito, sua camiseta estava com uma enorme mancha avermelhada de sangue do peito ao ombro e as mãos encharcadas do liquido vermelho e não menos importante, uma faca enorme bem afiada na mão direita.

Olhou para o lado esquerdo do acastanhado tendo visão do corpo de um homem aparentemente ter 23 anos de idade caído no chão em cima de sua própria poça de sangue, o de cabelos pretos não queria ter visto isso, queria apagar essa imagem de seu cérebro, arrancar seus olhos, mas não dava. Ouviu o homem falar, e se virou para ele tendo a visão de seu rosto centímetros de si.

 

Era o mesmo homem da lanchonete.

 

Queria gritar, sair correndo, estava com medo, muito medo.

 

(...)

 

E bateu o sinal para ir embora, aquela cena ainda não saia de sua cabeça, isso foi horrível.

Arrumou seus materiais e jogou a mochila nas costas e saiu andando, já no corredor teve a visão do Kim conversando com 2 meninas aparentemente mais novas que o próprio. Ia passar por eles sem ser percebido até ouvir a voz do Kim.

 

-Desculpe meninas, mas eu tenho que falar com meu amigo aqui, tchau.

Olhou para o Kim surpreso.

-Cara, você me salvou só de aparecer, eu não aguentava mais aquelas vadias. – falou o avermelhado colocando o braço ao redor do pescoço do menor.

Jimin deu uma risada fraca.

-Que bom Taehyungie Oppa. – debochou o Park por ter escutado as meninas chamar Taehyung assim.

-Puta que pariu Jimin, para com isso. As vozes dessas meninas tão enjoadas e finas que acho que até a voz de um esquilo é menos enjoativa.

O Park não aguentou e começou a gargalhar junto do Kim.

-Coitadas Taehyung.

O Kim não respondeu, só deu um sorriso debochado e começaram a caminhar para a saída junto do menor.

Já a fora o de cabelos avermelhados se despediu e saiu caminhando pelo lado oposto do Park.

Jimin só deu seus 3 primeiros passos e ouviu aquela voz o chamar.

Jungkook estava indo em sua direção em passos largos e apressados.

- Vou ir com você, eu vou pela mesma direção e é perigoso andar sozinho Mochi – sorriu sínico. – Vamos?

O Park assentiu, e começaram a caminhar. Jimin estava olhando para baixo perdido em seus pensamentos e Jeon o olhando com um olhar de predador.

 

Fashback On

 

O acastanhado estava a centímetros de si olhando profundamente em seus olhos como visse todos seus pensamentos, lembranças, segredos e pecados já cometidos, Jimin se sentia um livro aberto.

 

-Deveria ter mais atenção, Mochi. Ele poderia ter te abusado ou ter te matado garoto – o acastanhado tinha um sorriso divertido e assustador nos lábios – Sou Jeon Jungkook. – E  segundos depois mudou para uma expressão séria.

-Não conte nada do que aconteceu aqui, hm?

-M – Mas... – tentou falar mas nada saia.

-Faz isso para o Oppa não é, Jimin? – Como esse desconhecido sabe seu nome?

-T- Tudo bem. – Os olhos do garoto percorreram ao rosto do acastanhado, ele era tão bonito...

- Bom garoto. – O acastanhado não perdeu tempo e levou os lábios vermelhos até aos cheinhos de Jimin. Agarrou a cintura do mesmo e o fez sentar em seu colo, apertou mais um pouco a cintura do garoto e invadiu a calça do menor. Colocou a mão esquerda em uma das nádegas do menor e apertou forte que com certeza ia deixar marcas, fazendo o de cabelos pretos gemer em sua boca. Invadiu a boca de Park com sua língua o puxando para si, chupava a língua o menor, mordia os lábios do mesmo, sugava.

Jimin se sentia quente, por que estava beijando um completo desconhecido? Nem ele sabia responder.

Jeon afastou os lábios, estavam ofegantes e os lábios estavam inchados e mais avermelhados que o normal.

-Vai ser boazinho com o Oppa certo?

-S- Sim.

-Ótimo.

aNT

Fashback Off

 

Jimin se sentia envergonhado com aquilo, isso nunca aconteceu com ele, por que agora!? Aish.

 

-Está entregue. – falou o maior fazendo o Park sair de seus pensamentos.

-A-ah, obrigado.

Foi até a porta pegou as chaves da casa que estava em seu bolso e abriu a porta, se virou e teve a visão de Jeon o encarando, entrou na casa fechou a porta e deslizou sobre ela e fechou os olhos cansado.

 

“Oh Meu Deus.”

 


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...