História My Kitty Chat Noir - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Miraculous Ladybug
Visualizações 303
Palavras 3.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus milhinhos \o

Muito obrigado a todos que comentaram no ultimo capitulo e muito obrigado pelos 429 favoritos <3

Boa leitura! \o

Capítulo 28 - A garota por trás da mascara.


Fanfic / Fanfiction My Kitty Chat Noir - Capítulo 28 - A garota por trás da mascara.

- Adrien -

Depois que pedi ajuda a Alya, contei para ela que eu havia ido à casa da Mari, mas ela não quis me ver. Alya disse que ia à casa dela e iria tentar convence-la , eu concordei e fiquei sentado junto com Nino em um banco qualquer do parque.

- Acha que a Alya vai conseguir convencer a Mari? – Eu perguntei a Nino com a cabeça baixa.

- Eu espero que sim, cara. – Ele disse colocando a mão em meu ombro. – Vocês se amam, devem ficar juntos. – Eu olhei para Nino e sorrir.

Ficamos no parque por mais de vinte minutos e nada da Alya, eu já estava ficando impaciente.

- A Alya está demorando muito, o que será que esta acontecendo? – Eu disse me levantando do banco.

- Cara, ela vai tentar fazer a Marinette a vim falar com você, acha que vai ser fácil? A Mari tá com raiva de você, não vai ser tão fácil convence-la. – Eu suspirei e voltei a me sentar no banco.

 

- Marinette -

 

- Marinette, você precisa comer alguma coisa. – Tikki disse enquanto flutuava sobre o meu rosto.

- Eu estou sem fome, Tikki.

- Mesmo assim você tem que comer. Você não come nada desde ontem, e esta com febre, se aparecer um akuma como vai fazer? – Ela disse cruzando os bracinhos. – Marinette, se você precisar se transformar, a transformação vai durar pouco tempo. Mesmo eu estando com energia você não vai conseguir ficar transformada por muito tempo, a transformação também precisa da sua energia, se você estiver fraca ela não vai durar nem uma hora. – Ela disse pousando perto do meu rosto e me abraçando. –Por favor, coma alguma coisa, Marinette.

- Esta bem, Tikki. – Eu disse me sentando na cama. Quando eu ia descer as escadas comecei a sentir uma forte tontura e voltei para a cama. – Tikki, você pode pegar um biscoito pra mim?

- Sim. Fique deitada. – Ela disse indo ate onde o prato de biscoito estava. – Viu só?! Você esta fraca. – Quando ela pegou o biscoito ouvimos batidas no alçapão. Tikki largou o biscoito no prato e se escondeu.

- Mari, sou eu, Alya. Posso entrar?

- Pode. – Alya abriu o alçapão e veio ate minha cama.

- Sua mãe disse que você estava com febre, já esta melhor?

- Sim. – Eu disse sorrindo e Alya colocou a mão na minha testa.

- Mas você ainda esta com febre. – Ela disse me olhando assustada.

- Logo vai passar, eu já tomei remédio e dormir um pouco.

- Esta bem então, mas se estiver se sentindo mal me fale que eu vou chamar a sua mãe.

- Não precisa, eu estou bem, é só a febre mesmo. – Eu disse sorrindo. - Alya, você não ia sair com o Nino? Por que esta aqui?

- Antes de sairmos o Nino recebeu uma ligação e... – Ela deu uma pausa e olhou para o chão.

- E...?

- E a ligação era do Adrien. – Ela me olhou e sorriu fraco.

- Eu não quero falar sobre o Adrien. – Eu disse me deitando na cama.

- Mari, ele descobriu que foi você quem o deu o cachecol de presente de aniversario. – Quando eu ouvi aquilo me sentei na cama e olhei para Alya.

- Como ele descobriu? E ele esta triste por saber que o presente não é do pai dele? Essa não Alya... Ele deve esta sofrendo. Foi por isso que ele veio aqui. – Eu fui falando tudo muito rápido e Alya ficou me olhando rindo. – Por que esta rindo.

- É que você falou tudo muito rápido. E, Mari, mesmo estando com raiva dele você ainda se preocupou em saber se ele estava sofrendo, ou não, por ter descoberto que o presente não era do pai dele. – Ela disse rindo.

- Eu posso estar com raiva dele, mas... Eu ainda o amo. – Eu disse triste.

- Eu sei, Mari, e é por isso que eu estou aqui. O Adrien ligou para o Nino, por que queria minha ajuda pra falar com você. Ele disse que veio aqui, mas que você não quis falar com ele. Mari, ele esta arrependido por ter te evitado, e disse que queria te pedir desculpas. O Adrien te ama, por favor, vá ate o parque, ele esta lá, quer conversar com você. Eu sei que você esta com raiva dele por ele ter te evitado, mas olha, eu aposto que o amor que você sente por ele é mais forte do que a raiva que você esta sentindo dele nesse momento, não é? – Eu confirmei com a cabeça sorrindo. – Então, Mari, vamos ate o parque, converse com ele, façam as pazes. – Alya disse colocando a mão em meu ombro. Eu fiquei em silencio por alguns segundos enquanto pensava, eu olhei para Alya, e disse:

- Esta bem. – Eu sorri e Alya me abraçou.

- Ótimo, então levante dessa cama, vá trocar de roupa e escovar os dentes. Você esta com bafo matinal, não escovou os dentes depois que acordou? – Ela disse rindo.

- Me desculpe, dona Alya, mas é que quando eu acordei não estava me sentindo bem, então não escovei os dentes. – Eu disse enquanto Alya e eu descíamos as escadas.

Depois que tomei um banho e escovei os dentes, coloquei uma roupa quente, estava frio e eu ainda estava com um pouco de febre, peguei minha bolsa e disfarçadamente, coloquei Tikki dentro, Alya ainda estava no quarto me esperando, então tive que colocar Tikki na minha bolsa sem que ela notasse. Enquanto eu estava me arrumando senti tonturas algumas vezes, mas consegui disfarçar para Alya não notar nada. Quando eu desci as escadas vi minha mãe na cozinha, ela estava preparando o almoço.

- Filha, que bom que levantou. Esta melhor? – Ela veio ate mim me dando um beijo.  – Ainda esta com febre, Marinette. – Ela disse me olhando preocupada. –  Você esta indo onde? Acho melhor não sair nesse frio.

- Eu estou indo oa parque conversar com o Adrien, prometo que vai ser rápido.

- Por que não fala para ele vir aqui? Alya pode ir lá chama-lo e você fica esperando aqui.

- Mamãe, me deixa ir. Por favor, eu prometo que vai ser rápido. – Ela me olhou e suspirou.

- Trinta minutos, Marinette. – Eu sorri e a abracei. – Não passe disso, qualquer coisa você volta pra casa.

- Esta bem. – Eu disse sorrindo e indo para a porta.

- O almoço esta quase pronto, traga seus amigos para almoçarem aqui. – Ela disse sorrindo.

- Esta bem. – Eu abri a porta e Alya e eu descemos seguindo para o parque.

 

- Adrien -

 

Depois que eu me sentei no banco, Nino e eu começamos a conversa sobre coisas aleatórias. Eu acabei contando para ele sobre hoje de manha, quando enfrentei meu pai me recusando a ir para a sessão de fotos para pode vir conversar com a Mari, ele ficou me olhando assustado e depois começou a rir falando que era o meu fã. Depois de um tempo conversando Nino recebeu uma mensagem de Alya, falando que ela estava vindo com a Mari, eu me levantei do banco e comecei a olhar para todos os lados para ver se a via, logo a vi entrando no parque com Alya.

- Cara, eu vou ficar com a Alya na padaria dos pais da Marinette, pra deixar vocês mais à vontade. – Ele disse sorrindo e foi ate a Alya que ficou esperando por ele na entrada do parque, enquanto isso, Mari vinha em minha direção.

- Oi. – Ela disse sorrindo.

- Oi. – Eu disse retribuindo o sorriso. Ela ficou me olhando um pouco tímida, e também fiquei a olhando, ela estava com as bochechas um pouco vermelhas, e ela parecia um pouco cansada e abatida. – Você esta bem?  - Eu disse com os olhos semicerrados e colocando a mão em sua bochecha, assim que coloquei, eu senti que o rosto dela estava bem quente. – Mari, você esta quente, está tudo bem.

- Sim, só estou com um pouco de febre. –  Ela disse tirando a minha mão do seu rosto. Ela devia esta com febre por minha causa. Eu senti o meu coração se apertar, eu sentia vontade de abraça-la e pedir desculpas, eu estava me sentido horrível por vê-la daquela jeito.

- Eu sinto muito, Mari. – Eu disse olhando para ela. – Isso é tudo minha culpa. Eu não devia ter feito aquilo com você, me perdoa. - Ela ficou me olhando e depois abaixou a cabeça. Nesse momento pude ver um homem alto, com roupas pretas, ele estava usando uma cartola, e em sua mão tinha uma espécie de varinha, que quando apontava para as pessoas elas viravam coelhos, ou então desapareciam.

- Adrien, eu... – Eu olhei para a Mari, eu precisava fazer alguma coisa, precisava me transformar.

- Marinette. – Ela levantou a cabeça e me olhou. – Eu preciso ir.

- O que?! Mas, eu pensei que...

- Eu sinto muito. Eu falo com você depois. – Eu disse segurando o rosto dela. – Va para casa. – Eu disse isso e sai correndo.

 

- Marinette -

 

Depois que o Adrien correu, eu fiquei parada um tempo no lugar onde eu estava. Não estava entendendo o porquê de ele ter me deixado ali daquele jeito. Eu comecei a sentir um aperto no coração e meus olhos começaram a arder, logo eu já estava chorando. Eu não acredito que confiei no Adrien mais uma vez, ele só quer brincar comigo.

Eu me virei para ir embora para minha casa, quando eu estava próxima a saída do parque, comecei a ouvir gritos. Era um akuma. Eu corri para um lugar escondido e abrir minha bolsa, Tikki saiu e me olhou.

- Marinette... Por que esta chorando?

- Adrien. – Eu disse olhando para baixo.

- O que aconteceu?

- Não importa agora. Tem um akuma atacando a cidade, tenho que me transformar.

- Um Akuma?! – Tikki disse me olhando assustada. – Marinette, isso não é bom, você não comeu nada. Devia ter comido quando eu mandei. Agora tem um Akuma, você não vai conseguir lutar direito e ainda vai ter pouco tempo de transformação.

- Eu sei, Tikki.

- Marintte, você precisa dizer ao Chat que não esta bem, vai precisar da ajuda dele. Prometa pra mim que vai fazer o que eu estou mandando. – Ela disse me olhando seria.

- Eu prometo, Tikki. – Ela me olhou e sorriu. – Tikki, transformar. – Logo eu já estava em um telhando próximo onde o Akuma estava.

- My Lady. – Eu olhei para o lado e vi Chat.

- Esta aqui tem muito tempo, gatinho?

- Não muito. Mas já descobri o que esse Akuma faz. – Ele disse sorrindo. – Ele é um magico. A varinha dele transforma as pessoas em coelhos, pombos e outros animais, ate agora só foram animais pequenos, e ele também pode fazer as pessoas desaparecerem.

- Não parece ser tão forte. – Eu disse olhando para o Akuma.

- Também acho.

- Sabe onde o Akuma esta?

- Deve esta na varinha. - Ele disse apontando para a varinha.

- Chat.

- Sim, My Lady.

- Vou precisar da sua ajuda. Eu não estou me sentindo muito bem hoje, poderia me dar mais cobertura do que o normal? – Eu disse rindo.

- Claro, My Lady. – Ele disse se curvando. – será que eu posso saber o que você esta sentindo?

- Estou com um pouco de febre.  – Eu disse e ele ficou me olhando de um jeito estranho.

- Estava chorando, My Lady?

- Não, Chat. – Eu disse e virei o rosto olhando onde o Akuma estava. - Agora vamos logo acabar com esse Akuma, minha transformação não vai durar muito tempo.

- Adrien -

Quando Ladybug me disse que estava com febre, eu me lembrei de Mari, ela também estava com febre. Então eu olhei para os olhos de Ladybug e vi que eles estavam bem vermelhos, parecia que ela estava chorando.

- Estava chorando, My Lady? – Eu perguntei a encarando.

- Não, Chat. – Ela virou o rosto e ficou olhando onde o Akuma estava. - Agora vamos logo acabar com esse Akuma, minha transformação não vai durar muito tempo. – Ela jogou seu ioiô e desceu para perto do Akuma. Aquilo estava muito estranho. Eu decidi pensar nisso depois, Ladybug precisava da minha ajuda. Eu estiquei meu bastão e fui para o lado dela.

- Chat Noir, também veio brincar? – O homem akumatizado disse me olhando.

- Se você chama a surra que eu vou lhe dar de brincadeira, então sim, eu vim brincar. – Eu disse sorrindo, girando o meu bastão e logo em seguida apontando para o Akuma. – Mas me diga, senhor fada madrinha, qual o seu nome? – Ele me olhou com uma carranca.

- Eu sou um magico, seu gato idiota! – Ele disse gritando. – Meu nome é Master of Magic. – Quando ele disse seu nome eu comecei a rir, Ladybug e o akumatizado ficaram me olhando.

- Master of Magic?! É sério isso? – Eu continuava rindo. – será que Hawk Moth assistia “A caverna do Dragão?” – Eu disse olhando para Ladybug. – Ele precisa ser mais original.

- Mas o nome do mestre não era Mestre dos Mágicos, era Mestre dos Magos. – Ladybug disse com uma das mãos nos queixo.

- Vai ver ele não queria deixar muito na cara que ele copiou o nome de um desenho.

- Pode ser.

- Calem a boca! – Master of Magic disse gritando. Eu e Ldybug paramos de conversar e olhamos para ele. – Eu ainda estou aqui.

- Estamos vendo, meu caro. Você e magico, não invisível. – Eu disse rindo.

- Eu posso ser os dois. – Ele me olhou com um sorriso diabólico no rosto. Nesse momento Master of Magic ficou invisível e começou a nos atacar. Ladybug e eu conseguimos desviar de vários ataques, mas alguns ele conseguiu nos acertar.

- My Lady, temos que dar um jeito dele voltar a ficar visível. – Eu disse desviando de mais um ataque.

- Chat, eu não posso usar o Luck Charm agora. Precisamos de um plano. - Nesse momento eu vi que perto de onde estávamos lutando tinha uma loja de tintas.

- My Lady, eu tenho um plano. – Eu disse pegando ela pela cintura e correndo com ela enquanto falava em seu ouvido. – Ali a direita tem uma loja de tintas, vá ate lá, pegue algumas e jogue nele, eu vou o distraindo enquanto isso. – Eu parei de correr e coloquei Ladybug no chão, depois fiquei parado esperando o Akuma, enquanto isso Ladybug foi para a loja. Nesse momento ouvi Master of Magic se aproximar de mim, eu me defendi com o meu bastão e começamos a lutar.

- Marinette -

Enquanto Chat lutava com Master of Magic, eu entrei na loja e peguei duas latas de tintas, eu precisava ser rápida e jogar logo as tintas nele, eu estava começando a ficar fraca, só enquanto lutava senti tontura mais de quatro vezes, e em todas elas Chat me ajudou. Meu brinco já tinha apitado três vezes, logo minha transformação acabaria.

Eu fui correndo ate onde Chat estava lutando com o Akuma, assim que cheguei Chat me viu e fez sinal para que eu esperasse, Chat veio correndo em minha direção e fez sinal para que eu jogasse a tinta, assim eu fiz, e acertei em cheio Master of Magic.

- Bom trabalho. – Ele disse voltando a ficar visível. Eu corri e fui para o lado de Chat. – Agora quando eu bater em vocês, poderão ver o meu sorriso. – Ele disse sorrindo.

- Se é maluco, cara. – Chat disse e foi para cima dele o atacando. Eu fiquei parada olhando, as tonturas estavam ficando mais fortes e eu estava com muita dor de cabeça. Eu precisava pegar aquela varinha logo.

- Luck Charm. – Eu disse jogando o meu ioiô para cima. – Um kit de magicas? O que eu vou fazer com isso? – Eu disse enquanto abria o kit. Dentro dele tinha uma varinha igual a que Master of Magic usava. Eu olhei para os lados e logo tive um plano.  – Chat. – Chat veio ate mim. – Leve Master of Magic para aquela arvore e depois use o cataclysm. – Nesse momento eu senti uma tontura forte e Chat me segurou.

- My Lady, você esta bem? – Ele disse me olhando preocupado.

- Sim. – Eu disse me levantando de seus braços. – Chat, faz logo o que eu pedi para acabarmos logo com essa luta. – Ele concordou com a cabeça e foi fazer o que eu tinha pedido.

 

- Adrien -

 

Eu levei Master of Magic para perto da arvore e usei meu cataclysm nas raízes da arvore e ela começou a cair enquanto se desintegrava. Master of Magic apontou sua varinha para a arvore que estava prestes a cair, Ladybug pulou e chutou sua varinha. Master of Magic se assustou e olhou para o lado, ele correu ate onde estava a varinha e Ladybug foi para o outro lado, ele pegou a varinha e apontou para Ladybug.

- Parece que você falhou em pegar minha varinha. – Ele disse rindo enquanto  levantava sua varinha. – Explosão.  – Ele disse apontando para Ladybug.

- Ladybug! – Eu gritei me preparando para correr, mas não aconteceu nada.

- Você esta com a varinha errada Master of Magic. – Ela disse rindo e mostrando a varinha para ele. Ela se preparou para quebrar a varinha e então ouvimos algumas risadas vindo de Master of Magic.

- Acha mesmo que preciso da varinha para usar meus poderes? – Nesse momento ele aponta o dedo para Ladybug. – Explosão. – Viárias bombas saíram dos dedos dele, Ladybug começou a desviar enquanto quebrava a varinha. Quando a borboleta saiu ela pegou seu ioiô, eu corri para ajuda-la mais uma das bombas acabou a acertando.

- Ladybug! – Eu disse indo correndo para perto dela. Ela estava caída no chão e muito machucada. Ladybug pegou seu ioiô e purificou a borboleta, logo o Akumatizado voltou ao normal. Eu me abaixei e a coloquei em meu colo. – Ladybug.

- Chat. – Ela disse me olhando.

- My Lady, fique acordada, eu vou te tirar daqui.

- Pegue a varinha e o kit de magicas, vou fazer as coisas voltarem ao normal. – Eu concordei com a cabeça e fui correndo pegar a varinha, logo a frente  vi o kit de magicas perto das latas de tinta que Ladybug havia usado, peguei o kit e o levei para Ladybug bem rápido.

- Aqui. – Eu a entreguei e ela jogou para cima.

- Miraculous Ladybug! – Logo tudo começou a voltar ao normal e nossos ferimentos também foram curados. Eu olhei para Ladybug e ela estava com os olhos fechados.

- My Lady. – Eu disse a balançando devagar. Foi então que ouvi seus brincos apitarem, eu olhei e só tinha uma pintinha. – Droga! Eu tenho que te tirar daqui. – Eu a peguei em meus braços e subi com ela com a ajuda do meu bastão para um prédio próximo.

Quando cheguei em cima do prédio deitei-a  no chão e coloquei sua cabeça em meu colo. O que devo fazer? Sua transformação esta acabando. Eu coloquei minha mão em seu rosto, ela estava queimando em febre e sua respiração estava pesada.

- My Lady, acorde, sua transformação ira acabar. – Nesse momento comecei a ver um brilho vindo do corpo de My Lady, ela estava começando a se destransformar. Eu fiquei olhando para ela, logo saberia quem era a menina por trás da mascara.

 Eu olhei suas pernas onde já haviam voltado ao normal, suas roupas pareciam com as de Marinette. Eu continuei olhando ate que a transformação se desfez por completo, quando vi quem era, meu coração começou a bater mais forte. – Marinette.


Notas Finais


Eu fiz um grupo no whatsapp para dar noticias da FIC, dizer quando não poderei postar e quando postarei capítulos novos. Então, quem quiser participar do grupo, é só me adicionar e me chamar que vou adiciona-lo ao grupo. Vou deixa meu numero aqui em baixo.

Caso queiram me add no whatsapp para conversarmos...

Meu numero: 3.1.9.8.5.1.1.3.7.2.3. (coloquem sem os pontos kkkkk...)

Minha pagina: https://www.facebook.com/priworksestudio/?ref=bookmarks
Me segue no Tumblr: priscilatp.tumblr.com
Me segue no Twitter: @Priscila_tp
Me segue no Instagram: priscila__tp

Bjs e ate amanha \o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...