História My letters to you - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Exibições 78
Palavras 1.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi lindos e maravilhosos desses site, tudo bem com vocês? eu to ótima
SEGUINTE: ME DESCULPAS PELA DEMORA, SINTO MUITO MESMO, já tinha avisado que ia demorar, mas foi mais do que havia esperado,todas as minhas fics estão desse jeito, então sinto muito
COMECEI UMA NOVA FIC COM O SHAWN MENDES, quem se interessar o link vai estar nas notas finais
Agora é serio, muito obrigada por todos os incríveis comentários nos últimos capítulos, sério, quando eu acho que vocês chegaram no limite de serem os melhores do mundo, vocês vão lá e se superam <3
Bem vindo aos novos leitores, não sejam tímidos <3
Chega de enrolação e boa leitura ;)
Ps: Desculpas qualquer erro, revisei o capitulo, mas pode ser que ainda exista
Ps 2: Leiam as notas finais <3 (vou indicar alguns fics de uma amiga minha)

Capítulo 6 - Fifth letter


Droga, como era sua risada? Eu havia me lembrado dela horas atrás na primeira carta, quando ela conta que sua gargalhada é estranha e escandalosa, então como agora eu não podia se quer me lembrar do som? Pus minha mão sobre minha cabeça a pressionando, como se me lembrasse de repente. Mas não aconteceu.

A raiva me consumiu, estava com raiva de mim mesmo, que havia esquecido rápido demais, eu não queria me esquecer de sua risada, de sua voz, eu não queria me esquecer de Violet. Em um ato desesperado peguei a próxima carta, para que eu pudesse ter mais Violet, para que eu não me esquecesse mais. Eu não podia esquecer.

 

“Hey Calum,

Eu obviamente não consegui falar com você após o incidente da farmácia. Eu seria maluca, doida se eu falasse. Aquilo havia sido tão constrangedor e embaraçoso, que só de pensar eu rosto queimava de vergonha. Não conseguiria olhar para você e não pensar no ocorrido.

Não sei se você percebeu, mas eu estava te evitando de todas as formas possíveis, tanto no colégio, como na rua. Basicamente eu estava fugindo de você.

Nas aulas de matemática eu era a primeira a chegar e a última a sair, para jamais passar pela sua carteira, enquanto você estivesse nela. Quando você me olhava e sorria, eu desviava o olhar de tanta vergonha que eu sentia, além de que eu sempre achar que você estava debochando de mim, como se me olhasse e risse da minha cara.

Para piorar a situação todas naquela semana resolveram ser legais comigo. Eu já havia me mudado a mais de um mês, então as atenções já não eram mais sobre mim, mas naquela semana todos sorriam para mim, todos foram simpáticos e legais, e aquilo era terrível. Eu me sentia exposta, como um animal na jaula de um zoológico, como se todos soubessem o que havia acontecido naquela tarde quente (maldita tarde), eu não acreditara que você havia contado aquilo para todos.

Tive a certeza que você havia contado sobre o incidente dos absorventes, quando Judy Moss (Eleanor a chama de cachorra safada, por que quando ela sai com os caras, seja uma vez ou dez vezes, ela faz coisas indecentes, sua boca fica mais tempo em outras partes do corpo, do que na própria boca do cara) veio me elogiar, mais especificamente veio dizer como minha calça era bonita e que eu havia ficado muito bem nela. Algo estava errado. Judy Moss se quer me dava um “bom dia” e então, de repente elogia minha calça?  Droga! Você havia contado para ela, era a única explicação plausível.

Não sei se você já assistiu ao filme ‘Carrie – a estranha’, se não vou fazer um resumo rápido: Carrie fica menstruada na frente das colegas, que a zoam por isso, por que ela basicamente não sabia o que era menstruarão, então elas enchem o saco da menina o filme todo, pegam no pé dela e etc. No final (para piorar ainda mais), eles fazem uma brincadeira idiota com ela, fingindo que ela ganhou a eleição para a rainha do baile, e quando a coitada vai receber a coroa, um balde de sangue de porco (SIM, SANGUE DE PORCO, por ficar com nojo). Aí ela mata todo mundo, por que tem poderes de telecinese (mover os objetos com a mente, tipo os jedis). Eu não queria me tornar uma Carrie, eu obviamente não mataria ninguém, mas e se todo mundo começasse a jogar absorvente em mim?

Eu não fui para a aula de matemática naquele dia, não ia conseguir me concentrar em nada e ainda passaria por você, então me dei ao luxo de matar aquela aula. Eu fui para o banheiro e fiquei dentro de uma das cabines, lendo o que as pessoas escreviam, e acabei te xingando, mas eu apaguei. Eu sabia que teria de sair antes da próxima aula, por que Eleanor não sabia que eu estava ali, então ela logo piraria e me procuraria por toda a escola até me encontrar, o que não seria nada legal, já que a nossa professora de inglês, senhora Lancy, descobriria que eu matei sua aula dentro do banheiro. Então faltando cinco minutos para a troca das aulas, eu saí de lá.

Naquele dia a sorte não estava d meu lado ou era alguma pegadinha do universo contra mim, já que quando eu saí do banheiro você estava passando, não dava para fugir de você

-Oi Violet – você disse sorrindo

Eu continuei firme e agarrei minha mochila com ainda mais força, te encarando

-Qual é o seu problema? – Eu disse irritada

Você parou, provavelmente assustado pela minha fala, e me encarou de olhos arregalados

-Do que você está falando? – Você disse franzindo a testa

-Por que contou para a cachorra safada sobre o que aconteceu no dia em que eu te pedi carona para ir até a farmácia?

-Cachorra safada? Do que você está falando Violet?

Suspirei sem paciência

-Judy Moss, por que contou a ela sobre o incidente da calça manchada?

Você me encarou tentando absorver o que eu havia acabado de falar

-Eu não contei – Você disse sem se quer piscar

-Não? – Falei surpresa

-Não – Você repetiu – Não contei para ninguém, nem para os meninos, quanto mais para Judy– Você disse com tanta convicção que eu acreditei de primeira

-Então por que ela veio falar das minhas calças?

-O que ela disse sobre suas calças? – Você perguntou

-Disse que elas eram bonitas, e que eu ficava bem nelas

Você revirou os olhos

-Vai ver Violet, ela realmente tenha achado suas calças bonitas – você falou dando os ombros

-É, talvez seja isso mesmo – falei, mas aquilo ainda era estranho

-Acho que você me deve um pedido de desculpas – Você disse com um sorriso presunçoso nos lábios, na qual eu jamais vou me esquecer

-Tá, desculpas Calum

Continuei meu caminho até a sala de aula, tendo a impressão de que você me encarava ainda, provavelmente analisando meus jeans.

Sua, Violet.

Ps: Esse ps vem depois por que escrevi ele dias após essa carta, mas o acontecimento foi no dia do nosso dialogo, porém não citei antes por que era algo avulso. Ok estou enrolando. Nesse mesmo dia ouvi você tocando baixo, eu estava varrendo as folhas do quintal quando ouvi o som saindo do seu quarto, eu sabia que era você, por que sua mãe havia comentando com a minha que você tocava um instrumento. Como eu sabia que era um baixo? Eu simplesmente sou apaixonada por baixos e baixistas, eu já tentei tocar, mas não deu certo, então me limitei a apenas admirar quem consegue. Meu baixista favorito da vida é de longe Dougie Poynter, da banda McFly, na verdade McFly está no meu top 5 de bandas favoritas, não sei se você já parou para ouvi-la, mas se não por favor ouça, acho que você vai curtir muito. Se você tocar McFly em algum show é capaz de do Dougie ser substituído por você, como baixista favorito.

Agora sim, sua Violet. ”

Por mais incrível que pareça eu me lembrava daquele dia por que foi a primeira vez que vi Violet nervosa, o que era algo estranho já que na maioria das vezes ela era simpática e dócil. Também me lembrava, pois, nesse dia comecei a compor, eu raramente escrevia, mas naquele dia a inspiração havia vindo.

Agradeci baixo por me lembrar do seu tom de voz, da sua entonação no dia em que conversamos sobre isso. Eu não havia me esquecido totalmente dela. Será que um dia eu me esquecia por completo?


Notas Finais


ENTÃO AMIGOS, AGORA EU TO DE FÉRIAS E TO QUERENDO SOLTAR UMA SURPRESA PARA VOCÊS ENTÃO AGUARDEM!
OUTRA COISA: alguém aqui é fã de mcfly? Eu realmente curto a banda e quis colocar ela para vê se alguém se interessava, vou deixar aqui em baixo o link da fic da miri, uma amiga minha que escreve fics sobre eles (se alguém gosta/ conhecer conte pfvr) <3
Por favor comentem o que acharam, eu levo muito opinião de vocês a serio por que ai eu sei se eu estou acertando ou não
-Queria me sentir mais próximas de vocês, então comentem de quais fandons vocês fazem parte <3
-Qualquer coisa falem comigo pelo Twitter (vamos conversar amiguinhos :3) : https://twitter.com/wh0horan_
Os links das minhas outras fics:
* Incredible places ( fic nova com o Shawn): https://spiritfanfics.com/historia/incredible-places-7034718
* Transylvania (fic com a McFly): https://spiritfanfics.com/historia/transylvania-7085945
* Dear Brother : https://spiritfanfics.com/historia/dear-brother-3850895
* Into you : https://spiritfanfics.com/historia/into-you-6168780
Beijos até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...