História My light, my hope (J-Hope) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Imagine, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rapmonster, Sobrenatural, Suga, Taehyung, Você
Exibições 125
Palavras 2.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! 💕💕
Tá mega tarde eu sei! Mas pelo menos consegui atualizar! kkk
O bloqueio está acabando comigo, mas acho que esse capítulo não está ruim... Eu acho que ficou até legal! ^^
Perdoem qualquer erro! Estou morrendo de sono, depois eu prometo que reviso melhor! ^^

Boa leitura! 💕

Capítulo 21 - Se comportem!


Fanfic / Fanfiction My light, my hope (J-Hope) - Capítulo 21 - Se comportem!

(S/N) On

Morte nos reuniu na sala. Ela disse que tinha algo importante para nos dizer e que era de extrema urgência.

— Como todos vocês sabem, os guardiões foram sequestrados por Riki. Então obviamente não conseguirão ser treinados por eles até o próximo eclipse... — comenta Morte se sentando no sofá.

— Não deveríamos focar em achar um meio de salvá-los? — pergunta Namjoon desconfiado.

— Eu ainda vou chegar lá, aguarde um pouco, por favor. — diz ela suspirando e olhando para sua foice. — Eis aqui minha proposta... Eu irei continuar o que eles começaram... Eu irei treina-los.

— Por que você simplesmente não vai busca-los? — questiona Jin.

— Mas tem uma série de razões pela qual não posso ir resgata-los... Primeiramente porque não sei onde estão presos... Não sei onde Riki se esconde... E também porque eu não sei localizar ninguém a não ser que o individuo esteja à beira da morte... — diz olhando para Jin com indiferença.

— E também... Por que... Os guardiões da Luz e das Sombras tem um poder capaz até de ser superior ao meu. — diz um pouco mais baixo. Olhou para o chão, meio contrariada com o que acabou de revelar.

— Espera aí um instante... Quer dizer que a Luz e as Sombras podem ser mais poderosas que você? — Questiona Hoseok.

Ela me lança um olhar estranho, rapidamente abaixo minha cabeça para evitar contato visual. Não estou a fim de brigar, no momento precisamos dela, melhor não irrita-la.

— Praticamente... É melhor se prevenir... Mesmo que eu enfrentasse Riki as chances de ganhar seriam pequenas, ele tem um exército de vampiros, não conseguiria matar todos eles de uma vez só.

— Até agora nenhum deles demonstrou grande coisa... — murmura Suga cruzando os braços e fazendo bico. Morte o encara por um momento.

— Como é? — pergunta Morte.

— Até agora nenhum guardião ou escolhido desses dois tipos realmente lançaram algum poder digno de toda essa reputação. — exclama Suga olhando-me de lado.

— Ah é mesmo? Tudo bem...  — murmura ela... Ela Olha para mim, e em seguida me lança um sorriso suspeito. Ela se levanta do sofá e vai a minha direção. — (s/n), por favor, ataque esse rapaz... — diz pra mim, mandando eu me aproximar de Suga.

— É o que? — brada Suga surpreso.

— Ué... Você não disse que nenhum deles é forte? Então não precisa ter medo dela... (S/N)... — diz pra Suga enquanto dá leves batidinhas nas minhas costas.

— Que isso... Claro que não... Essa aí vai me matar certeza... — diz aflito se escondendo atrás de Jimin e apontando em minha direção.

— Então não questione minhas explicações... Ou eu mesma ataco você na próxima vez. — diz Morte ríspida.

— Senhora... E enquanto ao escolhido das Sombras... Os guardiões disseram que nós iríamos ter que tentar encontra-lo depois que nos transformássemos em guardiões puros. — comenta Jimin arqueando a sobrancelha.

— Ah... Bem... E-eu... Eu vou procura-lo... Assim vocês podem treinar sem problemas... — responde olhando pra suas mãos... Parecia preocupada... Será que ela realmente vai procurar o escolhido das Trevas?

— Mas, então como vamos salvá-los? — pergunta Jungkook.

— Primeiro precisamos que todos estejam em bom estado pra batalhar contra Riki... Tenho que treina-los antes de qualquer coisa... Assim que estiverem preparados fisicamente e psicologicamente para uma batalha, iremos à busca dos guardiões.

— O que faz pensar que eles estarão vivos até nos estivermos prontos? — pergunto curiosa.

— Provavelmente Riki não ira mata-los... Ele só os prendeu para não ter tantas pessoas procurando seu herdeiro.  Os sequestrou para que não tivesse problemas pra enfrentar.

— Como sabe de tudo isso? — pergunta Hoseok se aproximando dela.

Todos nós olhamos desconfiados para ela, que percebeu imediatamente e prontamente se defendeu.

— Eu apenas estou fazendo uma suposição... Parem de ser desconfiados sobre tudo! — diz irritada e andando em direção à porta.

— Ainda são 3 da manhã. Voltem a dormir... Eu volto daqui a algumas horas pra começarmos. — diz enquanto se aproxima da saída.

Quando Hoseok ia segui-la, ela se vira e faz um gesto de “pare” para Hoseok fazendo-o o mesmo ficar onde estava.

— Você fique aqui protegendo os escolhidos... Como não tem mais nenhum escudo os protegendo, você terá que fazer a ronda à noite inteira. Se alguém aparecer... Qualquer um... Você me chame imediatamente. — diz enquanto balança sua foice.

— Certo.

Morte encarou Hoseok por um momento e logo após virou-se pra mim. Estreitou seus olhos e sussurrou.

— Se comportem! — em seguida abriu a porta e entrou em um portal bem do lado de fora da saída, desaparecendo logo depois.

— Podemos confiar nela? — pergunta Suga olhando freneticamente pra a porta.

— Vocês não tem muita escolha...  — comenta Hoseok enquanto me olha intensamente.

Vejo que o mesmo me fitava sem cessar então resolvo fazer o mesmo também. Os escolhidos vão saindo da sala resmungando, estavam preocupados com seus guardiões; e aos poucos o silêncio vai se formando no cômodo tornando nossa troca de olhares um tanto quanto constrangedora.

— Vai lá, vai... — diz fazendo gestos com a mão pra eu acompanhar os rapazes.

Viro de costas e vou em direção ao corredor, mas quando resolvo dar uma ultima olhada pelos meus ombros não vejo mais Hoseok na sala.

Dou de ombros e corro para acompanhar os rapazes até o dormitório.

 

(...)

 

Apesar de minha imensa preocupação com Akira, rapidamente peguei no sono. Quando deitei na cama, adormeci... Mas de repente acordei.

Olhei pela janela e vi que ainda estava escuro; então resolvi tentar dormir outra vez... Ajeitei-me na cama e tentei dormir novamente.

Até que senti algo se mexendo bem atrás de mim; senti alguém me abraçar forte por trás e se aconchegar em meus cabelos...  Pela força do abraço deduzi ser Namjoon. 

Virei um pouco à cabeça pra ter certeza, e acabei vendo Hoseok; cheirando meus cabelos e tentando puxar meu travesseiro pra poder ficar mais confortável. 

— (S/N)... Me dá mais espaço... Eu estou imprensado na parede aqui... —sussurra quase como um gemido enquanto vai se remexendo pra tentar ter mais espaço. Quase que caio se não fossem as grades de proteção que estavam na lateral da minha cama.

— O que está fazendo aqui, doido? — sussurrei. Ele pega o cobertor e coloca em cima de nós dois, coloca sua perna sobre mim e sinto suas mãos se entrelaçando a frente do meu corpo e me apertando um pouco mais.

— Shii... — sussurra bem perto da minha orelha. —... Fique calma... Eu só estou fazendo o que Morte me mandou... Cuidar de vocês. —murmura cheirando novamente meus cabelos.

—Acho que ela quis dizer lá fora, não aqui dentro e muito menos perto de mim... — sussurro; não pude conter um sorriso quando ouvi Hoseok soltando uma risadinha.

— Como eu digo é bom quebrar as regras de vez em quando...

— É sério Hoseok... Não vai ser nada legal se algum deles acordar, e pegar você aqui na minha cama. — sussurro enquanto olho ele pelos ombros.

— Hm... — ele se levanta um pouco, eu pensava que ele iria embora, mas eu estava enganada.

Hoseok se posicionou em cima de mim e ficou lá... Observando-me.

Até que ouço um barulho vindo de um dos beliches... Olho para o lado e vejo Suga se remexendo na cama. Mas foi só alarme falso... Ele se remexeu um pouco, mas logo dormiu novamente.

É sério... Meu coração gelou agora.

Hoseok pareceu não ter se preocupado, pois em nenhum momento parou de me encarar, nem mesmo para olhar Suga. Depois de um tempo assim, ele fechou os olhos e suspirou baixo.

— Ok... Vem... — sussurra pegando nos meus braços gentilmente, me levantando um pouco.

— Hã?

— Não pense que vou passar o resto da madrugada sozinho... — murmura enquanto sorri sacana. Ele me abraça e pede para fechar os meus olhos. Atendo rapidamente ao seu pedido, e em questão de segundos passei do quarto repleto de roncos, para uma superfície super inclinada e com ventos frescos.

Abro meus olhos e vejo que estamos em cima do chalé... Equilibrados, pois o teto era muito inclinado. Quase que caio daqui de cima, se não fosse Hoseok me abraçando e me segurando para tentar me ajudar a não cair.

— Por que me trouxe com você? — pergunto curiosa.

— Para tentar te distrair... Sei o que está sentindo em relação a esse sequestro... — comenta me apertando mais e apoiando seu rosto no meu ombro. — E também... Por que estou me sentindo meio sozinho. — murmura baixinho.

Acabo sorrindo com seu comentário. Ficamos ali em cima, observando as paisagens e conversando sobre coisas aleatórias... Hoseok pode ser até agradável quando quer.

O vento começou a ficar mais frio... Arrepiei e tentei me esquentar com minhas mãos.

— Aquela capa que você sempre usa ia ser bem a calhar agora... — comento tremendo.

Ele nada falou; apenas me observava com um olhar misterioso. Parecia absorver cada palavra dita. Até que o mesmo me lança um olhar cheio de segundas intenções.

— Quem precisa de capa, quando tem Jung Hoseok pra te esquentar. — diz me lançando um sorriso de canto.

— Você é bem convencido pelo visto. — digo dando uma gargalhada enquanto Hoseok me vira de frente pra ele. Hoseok me fez ficar sentada em cima de suas coxas, enquanto fazia carinho em minhas costas.

Ele fica me fitando e logo após se aproxima e me dá um beijo calmo. Ele vai descendo sua mão pela minha cintura, mas eu intervenho e seguro sua mão para que não vá mais para baixo.

 Aos poucos o beijo vai ficando mais rápido. Era um beijo profundo e cheio de desejo... Quando eu estava começando a me “animar”, sinto novamente aquela sensação... A mesma sensação que senti quando nos beijamos no lago das Fadas.

Abri meus olhos e vi que novamente brilhávamos... Novamente aquela mistura de luzes brancas e negras.

Mas o que está acontecendo? Hoseok novamente não parece ter percebido, estava muito concentrado para notar algo.

Eu não vou finalizar o beijo agora como da ultima vez, só por causa disso... Está bom demais pra eu terminar assim.

Levantei-me um pouco com cuidado para não cair e continuei o beijando. Minhas mãos que antes estavam em seus ombros subiram para os seus cabelos negros. Puxei-os com um pouco de força e pude ouvir um baixo gemido vindo de Hoseok enquanto o beijava.

Hoseok que antes me segurava com delicadeza, agora colocou suas duas mãos em volta dos meus quadris e ou puxou fortemente contra ele. Coloquei minhas pernas nas laterais de suas coxas, e fiquei meio ajoelhada. Se não fosse ele me abraçando eu acho que cairia daqui de cima com toda certeza.

Não sei como Hoseok ainda não se desequilibrou daqui de cima.

Novamente sinto aquela sensação, só que bem mais forte... Abro meus olhos novamente e vejo nós dois brilhando com muito mais intensidade do que antes.

Dane-se! Eu não vou parar agora.

Continuo o beijando sem parar, mordo seus lábios... E novamente puxo seus cabelos. Instintivamente me sento em seu colo com brutalidade. De repente sinto algo abaixo de mim... Ah não... Não acredito.

— Ah... — geme Hoseok arrastado entre os beijos. Eu acho que estou passando dos limites. Acho melhor eu tentar parar por aqui.

Quando estou prestes a finalizar o agarra-agarra, sinto uma energia forte saindo de mim. Hoseok interrompe o beijo de repente e olha para cima surpreso... Ergo meus olhos e vejo uma luz e uma espécie de escuridão saindo de nós dois e se estendendo até o céu.

Tentei sair de cima dele meio desorientada e me desequilibrei e acabei tropeçando nos meus próprios pés. Quando estava prestes a cair do teto, Hoseok pega meus punhos e me segura fortemente me impedindo de despencar.

Olhei pra cima novamente e vi que as luzes foram desaparecendo aos poucos... Sento-me do lado dele e suspiro alto.

Estou meio confusa com isso tudo... Por que dessas luzes sempre que nós nos beijamos?

— O que foi isso? — pergunta Hoseok confuso e ofegante.

— Não faço ideia... Isso aconteceu no lago também. — comento enquanto ajeito meus cabelos.

— Sério? — questiona surpreso.

— Você não percebeu?

— Eu estava focado em outra coisa... — me lança um olhar malicioso e sorriso de canto.

Sinto meu rosto esquentando e desvio meu olhar para frente.

— Ela mandou nós nos comportarmos... — comento baixinho.

— E eu estou comportado... Não estou fazendo nada de mais. — cometa piscando.

Ficamos olhando para o nada. Até que me vem uma coisa na cabeça.

— Hoseok... — chamo baixinho.

— Hã?

— O que você é? — pergunto curiosa. Até agora ele nunca me falou que tipo de ser sobrenatural ele era. Talvez essas coisas de luzes saindo durante o beijo tenha algo haver.

— Eu sou um simples humano... — diz ajeitando os cabelos que insistiam em se embaraçar por causa do vento, e também possivelmente por que eu os desembaracei. Haha

— Ué... Mas então como tem todos esses poderes?

Morte passou alguns poderes pra mim quando eu era jovem... Agora eu sou... Uma espécie de ceifeiro... — diz apoiando as mãos atrás de seu corpo e erguendo seu rosto para o céu escuro.

— O que aconteceu pra ela te passar seus poderes? Como se conheceram? — pergunto curiosa. Eu fico me perguntando como ele suporta aquela mulher chata.

— hm... Eu sinto um carinho enorme por ela... Ela é praticamente minha mãe... — diz suspirando. Ele sai de sua posição atual e logo após abraça seus joelhos apoiando o rosto nos mesmos.

— Ela me ajudou em uma época difícil... Teve misericórdia, e cuidou de mim. — sussurra. Posso ouvir sua voz falhada. Ele está... Triste?

— Como assim?  

—... Morte visitava minha família constantemente... Acho que foi por isso que resolveu me ajudar... — murmura entre seus joelhos.

Família? Ela visitava sua família... Mas...

— C-como assim? — não pode ser isso que estou pensando.

 — Eu tinha um pai, uma mãe... E vários irmãos... Sem contar nos primos, os tios mais chegados. — disse olhando para o nada.

— E o que aconteceu?

— Quando eu digo que Morte foi visita-los eu não me refiro no bom sentido... Todos morreram... Um por um... Morte levou toda minha família... — diz franzindo o cenho. Parece que essa historia está o afetando.

— Só eu que sobrei... Até meus amigos... Minhas paixões... Todos foram embora...

— M-mas...

— É por isso que disse que carrego algo que todos abominam... É por isso que eu digo que sou perigoso... Todos que se aproximam de mim... Morrem de algum jeito... — diz se levantando bruscamente me assustando. Fiquei sem reação... Não fazia ideia do que dizer para acalma-lo.

— Não sobrou ninguém... Todos os meus laços... Sempre morriam... — diz apertando seu próprio punho.

— Você acha que morte pode ter causado tudo isso? — murmuro confusa.

— Claro que não... Ela não tem nada haver com isso... O problema sou eu. Eu que sou uma maldição a todos a minha volta... Morte teve pena de mim... Via que todos quem eu amava morriam... Talvez esse fosse o motivo de ter cuidado de mim. — diz andando de um lado para o outro sem se importar se caia ou não. Estava ofegante e parecia que havia se irritado.

De repente ele olha para mim, e começa e me observar com uma expressão de angustia.

— Sai daqui... — murmura.

— O que? — questiono confusa.

— Sai daqui (S/N)... Saia de perto de mim... Eu não podia me aproximar de você... — diz colocando suas mãos na cabeça em claro sinal de desespero.

Levanto-me e tento se aproximar para tentar acalma-lo, mas ele se afasta bruscamente...

—SAI (S/N)! Isso foi um erro... Foi um erro eu ter me aproximado de você... Por que eu não ouvi a Morte? Eu deixei meus desejos falarem mais alto... EU TE COLOQUEI EM PERIGO POR UMA SIMPLES ATRAÇÃO. — grita transtornado. Eu não sei o que fazer... Ele mudou completamente. Eu nunca o vi desse jeito.

— Eu não estou em perigo... Fique calmo! — digo sorrindo e tentando mais uma vez me aproximar um pouco.

— Eu não quero te prejudicar... Eu sou um perigo para qualquer um que se aproxima de mim... Não vê? Não vê que sou um perigo para qualquer um que tenta se aproximar de mim? Somente Morte tem a capacidade de ficar ao meu lado sem danos. Eu carrego uma maldição (S/N)... Até guardiões não podem escapar disso! — diz olhando para o chão. Sua voz estava falhada. Parecia que estava em pânico total.

Morte tentou me avisar... Mas não sei o porquê quando estou perto de você... O desejo fala mais alto que a razão... Eu acabo me esquecendo de todo meu passado... E acabo me esquecendo de que não nasci para ter amigos... — sussurra desesperado. Ele me olha com tristeza e em seguida vira de costas.

Hoseok perdeu a cabeça... Essa historia está tão mal contada... E o pior é que não sei como agir diante disso tudo.

—... Não nasci para ter laços... — sussurra mais uma vez, me olha pelos ombros e em seguida me lança um olhar de quebrar o coração.  

—... Não nasci para viver... — logo após isso pula do segundo andar. Corro até lá e vejo de longe Hoseok correndo para o campo.

Melhor eu deixa-lo sozinho por um momento... Ele precisa pensar... E eu também... Essa historia... Acabou comigo... Mas se Hoseok acha que vou me afastar dele só por causa disso está muito enganado...

Agora mais do que nunca quero ser amiga de Hoseok... Ele possui um trauma... Um passado obscuro... Eu tenho que ajuda-lo de alguma forma!

 

...


Notas Finais


Bom, foi isso... Hoseok... Meu coração quebrou enquanto escrevia esse capítulo! ;-;

Então... O que acharam? Teorias?

Bjs! *3*

Não esqueçam de dar aquele comentário gostoso! *u*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...