História My light, my hope (J-Hope) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Imagine, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rapmonster, Sobrenatural, Suga, Taehyung, Você
Exibições 103
Palavras 3.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha quem voltou??? Pam_Hoseok, meus lindos!!! 💕💕💕

Eu tava fazendo esse capítulo, até que saio rapidinho e deixo aberto no PC... Mas quando eu voltei vi meu pai lendo o comecinho do cap... Quando me viu saiu rindo e falou alguma coisa assim: " É sério que tem gente que lê isso"?
Eu morri de vergonha, e por um momento eu pensei em excluir a fic só de raiva. Mas depois voltei a minha sanidade e voltei a escrever kkkk

87 FAVORITOS!!!!!!!!! É sério mesmo? Já disse que amo vocês? Sim? Não importa! EU AMO VOCÊS DEMAIS, VOCÊS NÃO TEM NOÇÃO! OBRIGADA A TODOS VOCÊS QUE ACOMPANHAM MINHA HUMILDE FIC!!! Acho que só. Eu não sei expressar minhas emoções! ;u;

Bom... Boa leitura! 💕

Capítulo 22 - Você me odeia?


Fanfic / Fanfiction My light, my hope (J-Hope) - Capítulo 22 - Você me odeia?

Fiquei lá em cima do telhado sem saber o que fazer; primeiramente eu não faço ideia do que acabou de acontecer agora com o Hoseok... Ele pirou, entrou em pânico e eu não pude fazer nada para ajuda-lo.

E agora mais um problema... Como que eu desço daqui?...

Sim... Eu sei que sou uma escolhida. Sim... Tenho habilidade de pousar como uma pena. Mas nunca tentei pular dessa altura antes... Digamos que estou com medo mais do pulo do que da queda.

— Tudo tem uma primeira vez (S/N)... E essa é a hora. — digo enquanto me preparo psicologicamente para pular.

Dou uns pulinhos rápidos tentando criar coragem. Olho um pouco para baixo e acabo ficando um pouco tonta. UAU... Essa é nova, eu não sabia que tinha esse desconforto com altura.

Bom... Lá vou eu...

Suspirei profundamente, em seguida peguei impulso e pulei... Em questão de segundos me vi já no chão... Não tive nem impacto.

— Ah... Não foi tão ruim! — comento para mim mesma. Coloco minhas mãos na cintura e suspiro aliviada. Olho em direção ao campo bem lá na frente no horizonte. Hoseok não vai escapar de mim tão facilmente. Eu não vou deixa-lo sozinho agora que sei sobre isso. Eu preciso ajuda-lo.

Akira disse que nós somos a esperança do mundo, que é nosso dever salvar as almas amarguradas. Então é isso que eu vou fazer... Eu serei a esperança de Hoseok...

— Ora, ora... O que temos aqui... — comenta uma voz bem atrás de mim. Dou um pulo pelo tamanho susto que levei, viro em direção à voz e vejo Suga, sentado na entrada da porta, me olhando com um ar acusador.

— Idiota você me assustou... — comento fechando os olhos e colocando uma mão em meu peito, tentando acalmar minha respiração.

— Fala como se eu ligasse para o que acontece com você! — diz ríspido, mas com um sorriso no rosto.

— Por que está acordado há essa hora? Vindo de você é um milagre! — comento lhe lançando um olhar desafiador.

— Eu estava dormindo, só que eu acordei de repente e sem querer olhei de relance o beliche de Namjoon e vi aquele cara em cima de você... Vai me diz, ia rolar altas sacanagens ali, se eu não tivesse me mexido... — comenta arqueando a sobrancelha e me lançando um sorriso de orelha a orelha. — Que vergonha... Tinha 6 homens feitos dormindo ali, e vocês nem ligaram!

— Não seja bobo, eu não ia fazer nada disso... Você que tem uma mente maliciosa. — exclamo cruzando os braços.

— Hm... Me engana que eu gosto. — comenta enquanto apoia seus braços nas coxas e apoia sua cabeça com a mão.

— Olha só... Mesmo que tivéssemos alguma intenção... Isso não te diz respeito. Agora com licença que eu vou dormir, e sugiro que faça o mesmo! — digo enquanto tento atravessar a porta em que ele está sentado.

— Hm... — murmura Suga. Enquanto eu passava pela porta, ele se levantou e segurou meu braço com força. Olhei para ele e em seguida para o meu braço. Ele rapidamente afrouxou suas mãos, mas mesmo assim não me largou.

 — Não confie nesse esquisitão. — exclama me olhando com seriedade.

— Já se olhou no espelho? — questiono soltando meu braço das mãos de Suga.

— Já... Nunca vi reflexo tão lindo em toda a minha vida! — sorri de canto enquanto bagunça um pouco seus cabelos verdes.

— É sério, você tem que parar de ser tão desconfiado assim. Até de mim você desconfia. — alerto enquanto me viro para entrar, só que novamente Suga segura meus braços. Ele se aproxima e fica a centímetros de mim. Sua respiração quente bate em meu rosto; vejo que ele parece pensar. Fico calada esperando algum tipo de coice...  Só que nada veio.

Ele apenas me olhava calado.

— Já está avisada, já fiz minha parte! — diz se afastando rapidamente. Vejo que ele abaixa a cabeça e bagunça novamente seu cabelo.

— Por acaso está tentando me proteger? Não foi você que disse que não dá a mínima para o que acontece comigo? — questiono cruzando os braços e o olhando desconfiada.

— Sequestraram nossos guardiões... Por isso estamos quase sem força. Você é nossa arma secreta, (s/n). Caso alguém arme contra nós ou nos ataque, você tem que estar segura para matar geral com seu poder descontrolado. — diz cruzando os braços também, em claro sinal de confronto.

— Eu não sou uma arma, sou uma pessoa, idiota! Não gosto de matar ninguém! — digo avançando um passo, o reprendendo.

— Tem certeza? Não parece! Hoje mais cedo, você matou muitos vampiros! E o mais engraçado é que enquanto você os massacrava você parecia se divertir com todo aquele sangue jorrando... Parecia uma psicopata. — comenta tombando um pouco a cabeça para o lado, me lançando um olhar — falsamente — inocente.

Rapidamente avanço mais um passo e seguro sua camisa com brutalidade o puxando pra mais perto a fim de confronta-lo. Fitei Suga completamente irada.

 Não é possível que ele esteja dizendo a verdade... Eu nunca seria capaz de me divertir com a morte das pessoas. Nunca seria capaz de ter prazer ao ver a morte de alguém. Sejam pessoas ou vampiros. Eu não sou assim...

...Sou?

O pior é que Suga não parece estar mentindo. Ele parece estar dizendo a verdade... Nua e crua.

O pior é que eu não sei o que ocorreu enquanto eu estava fora de controle... Quando eu retornei a minha consciência vi apenas o massacre que eu tinha feito... Será que eu realmente fiz o que ele disse que eu fiz?

Depois de pensar um pouco, eu decido soltar Suga. Agora isso me deixou bolada... Eu sou realmente capaz de fazer uma coisa dessas?

Argh... Primeiro os guardiões são sequestrados... Depois vem Hoseok com aquela história doida... Agora vem Suga falando isso. Dias de provações... Isso nunca vai passar?!

— Você tem que aprender a tratar melhor as pessoas Suga... As palavras machucam... Um dia você ainda vai sentir na pele o que ouvir certas frases de alguém! — comento o olhando com reprovação.

— Eu sou muito educado com as pessoas que eu gosto. Com o Jimin, por exemplo... Mas com você não. Eu não gosto nem um pouco de você! — diz arqueando as sobrancelhas e estreitando os olhos.

— Tudo isso só porque sou uma guardiã da Luz? — pergunto perplexa. Ele me julga pelos atos egocêntricos de Akira.  Que cara otário.

Suga murmura um “sim” como resposta. 

— Se olharmos por esse lado, então você também vai odiar o escolhido das sombras. Afinal Riki pegou os guardiões... E você pelo visto, generaliza o comportamento de um e acaba julgando isso como o comportamento de todos. — comento enquanto o olho com reprovação.

— Como eu posso odiar alguém que nem conheço? — questiona, me olhando como se o que eu acabei de falar fosse a coisa mais idiota que ele já ouviu na vida.

— Você me julga pelos atos de Akira, sendo que eu nunca demonstrei que sou exibida ou algo assim... Você não deixa brecha para que eu possa mostrar como eu sou de verdade.  Só me acusa e é ignorante ao extremo. Como você pode me odiar sendo que mal me conhece? — questiono franzindo o cenho e colocando o dedo sobre seu peito, o desafiando novamente.

Ele nada diz, apenas fica calado me olhando com indiferença. Já mencionei que odeio essa expressão? Disse e repito.

— Você me julga apenas por eu ser uma guardiã da Luz... Eu nunca te dei motivos realmente para me odiar... Mas já você, me deu todos os motivos do mundo. — digo mostrando língua para o mesmo e me virando para entrar no chalé.

— Então você me odeia? — ouço sua voz atrás de mim novamente. Sua voz saiu baixa e meio... Desapontada... Ou será que é impressão minha? Não importa.

Paro e me viro um pouco para olhar para Suga. Olho em seus olhos e respondo em baixa voz.

— Por incrível que possa parecer... Não! — me viro e corro na velocidade da luz para as escadas.

Vou em direção ao quarto rapidamente, abro a porta com cuidado e entro nas pontinhas dos pés. Subo no beliche e fecho meus olhos tentando pegar no sono. Depois de uns minutos ouvi a porta ser aberta e vi Suga entrando vagarosamente... Ele entrou e foi até sua cama e se deitou. Ele se deitou de lado na direção do meu beliche e ficou ali... Fitando-me...

Viro-me para o lado oposto a fim de não me sentir desconfortável. E depois de ficar vários minutos sentindo os olhares de Suga sobre mim, finalmente adormeço.

 

(...)

 

— (S/N)... Acorde! — ouço uma voz despertando-me do meu soninho. Acordo com certa dificuldade... Meus olhos não se acostumaram ainda com a luz do dia por isso não consigo ver bem quem é o dono da voz doce que me acordou. Olho de relance para o rapaz e vejo uma silhueta parecida com Hoseok.

Ele me acordou? Ele não pediu para eu me afastar? Deve que foi apenas na hora do desespero.

Sorrio ao pensar que ele tinha me acordado dessa forma tão carinhosa e ainda mais por me acordar mesmo com todos os rapazes aqui. Minha visão está começando a se acostumar com o sol forte. Olho novamente para o rapaz e vejo a silhueta de Hoseok se transformando de repente... Mas o que... Jimin?!

— AAAAAAHHHHH! — grito assustada. Jimin grita também pelo susto. Levanto-me um pouco meio desorientada.

— QUE GRITARIA É ESSA NO MEIO DA MANHÃ?? EU QUERO DORMIR, CACETE! — grita Suga, acordando assustado também.

— TODO MUNDO QUIETO!!! OS GUARDIÕES NÃO ENSINARAM A VOCÊS EDUCAÇÃO NÃO? NÃO DEVE GRITAR, PRINCIPALMENTE PELA MANHÃ... TUDO MUNDO PODIA ESTAR DORMINDO, E VOCÊS AÍ SE DESCABELANDO! — grita Jin com as mãos na cintura nos olhando com reprovação. Pelo que posso perceber ele e Jimin estavam acordando os meninos.

— Hyung... Quem está se descabelando aqui é você! — comenta Namjoon andando até ele e dando tapinhas nas costas de Jin, enquanto o olha com divertimento.

— Caramba (S/N)... O que aconteceu? Eu estou feio? Estou com a cara inchada? — pergunta me olhando com angustia e passando as mãos pelo rosto freneticamente.

— N-não que isso! V-você é lindo! Só que... — paro de falar na hora em que eu percebo o que falei. Olhei para Jimin e ele estava completamente vermelho e sorrindo envergonhado.

—... Que dizer... Hã... — murmuro desorientada, sinto meu rosto esquentando. Nem bem acordei e já estou pagando micão. Jimin me lança um sorriso que fez fechar seus olhinhos puxados. Ele coloca a mão sobre a boca tentando esconder o sorriso envergonhado.

— Tão fofa! — diz enquanto vai descendo a escadinha.

Fico parada um pouco, processando o que aconteceu. Observo o quarto agitado na maior vibe, quem me visse agora com certeza acharia que eu tava drogada... Mas é apenas o sono.

 Eles estão muito animados... O que está acontecendo? Eles não estão preocupados com Akira e os outros?

Desço do beliche e chamo Jin e o mesmo vem correndo.

 Perguntei o porquê de eles estarem tão agitados e o mesmo disse que estavam ansiosos... Eles não estavam mais tão preocupados com os guardiões, pois sabiam que os mesmos ainda não estavam em perigo e por que os guardiões sabem muito bem se cuidar sozinhos. Disse também que estavam ansiosos para aprenderem as habilidades para salvar os guardiões.

OK... Pelo menos isso.

Fui ao banheiro e escovei meus dentes junto com Jungkook e V... Não é possível... Não tenho privacidade com esses meninos. Agora só falta eles entrarem no banheiro enquanto eu estiver fazendo minhas necessidades. Ok, isso já é demais.

Depois de escovar meus dentes e tomar um banho... Desço e tomo meu café da manhã ao lado de Jin, Namjoon e Suga.

Conversávamos calmamente... Menos Suga que insistia em não me dirigir nenhuma palavra.

— Onde está Morte? — pergunto curiosa.

— Ela veio mais cedo nos avisar que o trabalho dela hoje está puxado. Ela vai vir depois do meio-dia por aí pra nos treinar! — comenta Namjoon.

— Está puxado? — questiono.

— Algo me diz que é por causa do desequilíbrio... Muitos humanos e seres sobrenaturais estão ficando fracos e outros até morrendo por causa do descontrole de alguns seres! — comenta Jin cabisbaixo.

— Como sabe disso tudo? Não saiu do chalé nesse período! — comenta Suga.

— Um passarinho azul me contou! — diz Jin apontando para a janela, onde se encontrava um lindo passarinho... Azul. OK, dessa vez não foi uma simples expressão.

— Agora aprendeu a falar com os animais, hyung? — pergunta Namjoon surpreso.

— Sim, aos poucos eu estou aprendendo algumas habilidades! — comenta Jin sorrindo meigo, enquanto coloca um pedação de bolo na boca de uma vez só.

Depois de um tempo ali sentados. Namjoon decide quebrar o silêncio.

— (S/N)... Poderia me acompanhar um pouco? — pergunta ele se levantando. Suga instintivamente olha para mim com um olhar misterioso.

— Ah claro... — confirmo um pouco em dúvida.

Olho para Suga rapidamente, e vejo-o me olhando pensativo. Seguiu-me com os olhos enquanto eu saia da cozinha com Namjoon.

Nós seguimos até o corredor, até que Namjoon me surpreende me prensando na parede e colando nossos corpos, me olhando com um ar sedutor.

— O que foi? — pergunto nervosa.

— Eu sempre consegui me controlar, mas quando eu olho para você... Depois daquele eclipse eu não consigo mais me controlar como antes... — murmura chegando perto da minha orelha. Coloca suas mãos na minha cintura, e se aproxima ainda mais de mim. Pude sentir algo... Se chocando contra meu corpo... Namjoon... Ele é bem alto.

— Como assim? — pergunto me fazendo de sonsa. É claro que sei do que está falando, mas não vou me dar ao luxo de responder.

— Eu estou com fome... — responde rapidamente mordendo os lábios de uma forma... Excitante por assim dizer.

— V-você não acabou de comer, Nam? — pergunto novamente me fazendo de desentendida. Namjoon solta uma gargalhada e deixa escapar aquelas lindas covinhas. Mas essa fofura logo é transformada em algo extremamente sexy. Como esse cara consegue passar da água pra o vinho de uma hora para outra?

— Eu estou com fome, (S/N)... Mas não é essa fome que está pensando, garotinha inocente... — comenta acariciando meu rosto ruborizado e sorrindo de canto. Logo depois mexendo em meu cabelo. Quando Namjoon estava se aproximando para me beijar, ouço uma voz bradar forte para nós, nos interrompendo.

— Será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí? — rapidamente reconheço a voz do bendito.

— Yoongi... — sussurra Namjoon com uma pontada de raiva. Olho para Suga e vejo o mesmo no meio do corredor nos olhando com certa raiva, com os braços cruzados e estreitando os olhos.

— Vergonha na cara... Isso é que o povo dessa casa tá precisando! — comenta rude.

— Hyung... Pode parar, se você não sabe aproveitar a adolescência, não atrapalha os dos outros! — exclama Namjoon.

— É... To vendo uma que aproveita muito bem essa adolescência! Hormônios estão em alta aqui! — diz Suga cínico.

— Como assim? — pergunta Namjoon.

— N-nada! Não é nada! — digo saindo da beira de Namjoon. Resolvo sair daquela casa um pouco, eu preciso pensar sem esses homens me rodeando. Quando eu estava passando por Suga, ele segura meu braço e em seguida se aproxima de meu ouvido.

— Primeiro Hoseok, agora Namjoon... Quem será o próximo? — murmura, em seguida assoprando perto da minha orelha pra me provocar. Tiro meus braços de suas mãos e saio andando, o ignorando completamente.

Saio em passos largos daquele chalé... Não aguento mais ficar nessa casa com 6 homens lá dentro... É pressão demais.

Resolvo ir ao jardim para me acalmar um pouco, ficar com as flores vai me ajudar a me esquecer dos problemas um pouco.

Vou andando vagarosamente pelo jardim sentindo o doce perfume das flores que ali havia. Até que vejo lá na frente alguém sentando entre o campo das flores. Hoseok...

Ele estava sentado colhendo flores amarelas, parecia calmo, mas também triste. Estava de olhos fechados sentindo a brisa tocar em seus fios de cabelos.

Decido ficar calada apenas o observando. Ficar assim... Vendo ele se entretendo me dá uma paz inigualável. Até que o mesmo vira em minha direção, e obviamente me vê. Pronto... Aí danou-se.

Antes que ele pudesse se levantar para ir embora, corro rapidamente e o impeço.

— Hoseok... — o chamo com a voz baixa.

— Fique longe... — sussurra olhando para o chão.

— Por favor, não faz isso... — sussurro em forma de súplica.

— Me deixe em paz... — murmura se levantando e segurando gentilmente meus braços, e me olhando nos olhos com certa tristeza. Fico desorientada por um tempo, e ele aproveita minha distração para se distanciar o suficiente de mim.  

Vejo o mesmo seguindo entre as flores, indo em direção ao campo de treino.

Perco um pouco da minha paciência e brado em grande voz.

— VOCÊ ACHA MESMO QUE SÓ POR SABER DESSE SEU PASSADO, EU VOU ME AFASTAR DE VOCÊ? ESTÁ MUITO ENGANADO! — grito, irritada.

Ele para de repente e se vira em minha direção, me lançando um olhar sombrio.

— Não vai? Eu pensava que depois de saber essas coisas, você não iria querer minha companhia... É isso que todos fazem! — grita com certa raiva.

— Ai meu Deus, quanto drama... Eu não vou deixar você assim... Eu não vou te abandonar agora... Professor. — digo deixando escapar um pequeno sorriso no final da frase.

Ele nada fala apenas se vira, suspira e novamente me olha. Em seguida... Desaparece em um piscar de olhos...

Que sacanagem...

Fico uns segundos olhando para o nada até que sinto alguém segurar com rapidez meu ombro me fazendo virar.

— Jin? — exclamo meio confusa, olho para sua face e pude ver o pânico estampado no seu lindo rostinho.

— (S/N)... — segura meus braços tremendo freneticamente.

— O que foi? O que aconteceu? — pergunto angustiada segurando com força seus ombros largos.

— Pâmela... — sussurra apreensivo.

— Pâmela? Quem é? O que aconteceu com ela? — pergunto angustiada por ver o estado tão pavoroso em que Jin se encontra.

— É a pessoa que todos os guardiões da Natureza veem... A pessoa que eu vejo... Um espírito! — OK... Fiquei meio desorientada tentando processar a informação.  Jin olhou para mim e em seguida me apertou ainda mais.

— Não acredita em mim, (S/N)? — grita Jin irritado.

— Claro que acredito em você, Jin! — exclamo tentando ampara-lo. Eu não duvido de mais nada agora, já vi fadas, vampiros, lobisomens, até parece que não vou acreditar em um... Espírito.

— Mas o que aconteceu com esse espírito? O que houve com ela pra você ficar assim? — pergunto.

— Ela é o espírito da Natureza... Quando houve a quebra do equilíbrio... Ela começou a ficar fraca. Mas agora ela está pior, eu não sei como ajudar! — exclama colocando as mãos nos cabelos e arrancando alguns fios em sinal de desespero.

— Tá... Mas como eu posso ajudar?  Eu sou uma guardiã da Luz, somente! — questiono franzindo o cenho.

— Sim... Mas Sung-soo hyung foi sequestrado... Ele também a via... Só você sabe da existência dela nessa casa, (S/N)... Você precisa me ajudar! Eu te imploro! — junta as mãos em forma de súplica.

— Claro Jin! M-mas onde ela está? Ela está aqui conosco? — pergunto o olhando com apreensão.

— Vem comigo! — pega rapidamente minha mão, me puxando para segui-lo.

 

... 


Notas Finais


Sim, meus preciosos! Eu sou o espirito :v
Eu preciso entrar na história de alguma forma, se não eu desanimo e não continuo a fic! U.U
É mania minha, fazer o que... kkk Não me julguem, por favor! *3*

Então... O que acharam? Teorias?

Comentem! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...