História My litte pacifist girl - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne
Tags Chara×frisk, Charisk, Lésbico, Yuri
Exibições 213
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey meus chocolatinhos :3
Essa é minha primeira fic que eu escrevo sozinha
Então desculpe qualquer erro ou o caralho a quatro...
Hope your like ^•^

Capítulo 1 - Bye mom, bye daddy


Fanfic / Fanfiction My litte pacifist girl - Capítulo 1 - Bye mom, bye daddy

-Chara pov. On-

*Toc toc*

Acordo com o barulho de batidas na porta, poha eu tava tendo um sonho ótimo, tinha muito chocolate por sinal... Olho pro despertador...
04:12 DA MADRUGADA?

*Toc toc*

-Ja vou- grito baixo pra não acordar quem ainda dormia, levanto devagar e dou passos arrastados até a porta, assim que abro vejo Tori arrumada, fiz uma cara confusa e me lembrei que papai teria que viajar até a superfície para falar com o rei da superfície, bem, quando eu cai da superfície eram os reis que mandavam em tudo, a não ser que tenham mudado a forma de governo, mamãe me puxou devagar para a sala é me sentou em um sofá, papai passou apressado com mais malas do que eu pensei que levariam.
-Chara- ela disse com um sorriso fraco porém calmo, eu deixei de olhar para papai e minha atenção foi tomada por sua voz.
-eu e seu pai, conversamos ontem à noite e...- deu um suspiro e olhou para baixo, eu lhe olhava curiosa e tensa -...nós não vamos voltar para o underground-
meus olhos cansados se arregalaram, milhões de perguntas enchiam a minha garganta, perguntas do tipo:
"PORQUE?", "COMO NOS FICAREMOS"," NAO PODEMOS IR COM VOCÊS" E "QUEM VAI FAZER MEU PUDIM DE CHOCOLATE"
mais nenhuma dessas perguntas saiam da minha garganta, como Frisk e Asriel reagiriam? Toriel deve ter captado a primeira pergunta que me rondava, "porque?"
-as almas não são suficientes para viajarmos sempre a negócios, teremos que morar lá- o seu olhar se entristecia e eu lhe olhava como se sua explicação não tivesse sido suficiente.
-mais...o que eu direi a eles? Alguém...alguém vai cuidar de nós?- minha voz preocupada ecoou na sala silenciosa.
-Chara minha filha- asgore disse com um olhar terno porém triste em minha direção
-tomamos essa decisão de mudança ontem, e como estamos saindo agora não teremos tempo de solicitar algum monstro para esse trabalho- ele olha para Tori e depois para o chão
-confiamos em você meu amor, cuide deles por nós- meu rosto expressou uma preocupação maior ainda, eu vejo a cena deles chorando abraços com a ida dos nossos pais, eu quis chorar, mais tenho que ser forte por eles, pois se alguma coisa meus irmãos me ensinaram dois ter determinação e nunca perder a esperança, fechei os olhos assentindo a Tori, como se eu prometesse protege-los, assim que abri os olhos vi Toriel com olhos marejados, passei a mão em seu rosto e lhe dei um abraço muito apertado.
-Cha-ra voc tá me sufo-cand- minha mãe disse sem ar.
-Woops, desculpa- disse em tom de brincadeira, ela riu, Asgore que via tudo também riu da situação.
-Chara- disse passando a mão no meu rosto -eu te amo minha filha-
Lhe dei outro abraço menos apertado, papai se aproximou e nos abraçou -eu também amo vocês- separamos o abraço se dirigindo para a porta das ruínas, assim que encaramos a porta Toriel virou pra mim - Chara eu fiz a torta de caramelo com canela dos seus irmãos e o seu pudim, lembre o Azzy de usar a escova nova pra que ele não engula o próprio pelo, e lembre a frisk de passar o remédio nas cicatrizes- disse ela em um fôlego só, eu assenti com a cabeça com uma face confusa -você não vai lembrar né ?- ela perguntou com uma cara de mãe quando o filho faz coisa errada, neguei imediatamente, minha memória é péssima, não vou mentir -huf...tudo bem- ela suspirou e deu um beijo em minha testa- AH e eu deixei cartas para frisk e azzy em cima da mesa da cozinha- ela disse, me olhou triste mais ainda sorrindo, retribui o sorriso e a vi atravessando a porta, e como um corte passando pela minha barriga fechei a porta, o barulho estrondoso atravessou todo o corredor roxo, virei de costas para a porta me encostando, escorregando minha costa até o chão, enterrei minha mão em meus cabelos, e fiquei assim por um tempo, levantei e dei um suspiro, o dia vai ser longo, muitas lágrimas e consolos, pelo menos tem pudim de chocolate, talvez o último que eu coma, melhor eu dar valor a esse pequeno alimento feito pelas mãos de uma mãe de verdade...
Ando ate a sala sento no sofá, cérebro implorou por cafeína, andei até a cozinha é preparei um café, que ta muito bom por sinal, terminei e voltei para o sofa, me deitando e surpreendente adormecendo, pq até onde eu sei, cafeína nos deixa acordado certo?!

-Frisk pov.on-

Acordei assustada, chorando, calma, não foi real, não foi real, só um pesadelo, um pesadelo bobo, foi horrível, preciso conversar com alguém, mais meus irmãos estão dormindo, olho para o lado e vejo Asriel e Ch....Chara? Ela não está na cama, me levanto, as lágrimas não param de cair, estou tão assustada, vou para sala e ela está dormindo no sofá, o que diabos ela tá fazendo no sofá?
Chego perto dela, continuo chorando baixinho, minhas mãos trêmulas tocam em seu ombro a acordando, seus olhos se abrem devagar, ela me olha.
-poha ninguém dorme mais nesse casa não ein?!- ela se senta eesfrega os olhos e me olha, assim que seus olhos bateram em mim eles [os olhos] se arregalaram com um ar de preocupação -F-frisk o que foi? Porque está chorando?- ela passa a mão no meu rosto secando as lágrimas - e-eu tive um pesadelo -
Minha voz trêmula toma conta do local - de-desculpa te acordar - eu disse, minhas mão tremiam e os flashes do pesadelo passavam pela minha cabeça, Chara sorriu pra mim é deu dois tapinhas leves na sua coxa, sentei no seu colo me aconxegando caindo no sono novamente

-Chara pov. On-

Acordei, vi frisk com o rosto escondido no meu pescoço, tão fofa e pequena, heh, levantei com cuidado para não acordar a morena adormecida e vi Azzy no chão da cozinha com um pedaço de torta de caramelo com canela, ele me olha e sorri, não questionei ele estar no chão da cozinha ele sempre gostou de ficar no chão, olhou pra mim
-bom dia Chara...- me olhou com um sorriso -bom dia azzy- disse com a cara enfiada na geladeira pegando água e pondo em um copo... Sentei ao seu lado no chão também, e tomei um gole.
-teve uma boa noite com Frisk, Chara?- disse com a cara mais maliciosa que uma cabra poderia fazer me fazendo cuspir o gole d'agua que tinha acabado de ingerir, olhei pra ele com uma cara de repreensão, -cabra idiota, não aconteceu nada ela só teve um pesadelo a noite e não dormimos- corei e desviei meu olhar do peludo garoto cabra - juntas-
Ele continuava com uma cara maliciosa e disse -voce está corada Chara, olha só, cuidado pra não ser presa isso é incesto viu?!- ele disse terminando de comer sua torta e eu corava mais ainda e fervilhava de raiva - a Chara praticou incesto? - a voz doce da minha irmã ecoou pela cozinha.
-CLARO QUE NAO- gritei olhando para a garota - ESSE FURRY IDIOTA NAO SABE O QUE FALA - apontei para Asriel lambendo os dedos lambregados de torta,
-mudando de assunto- disse agora seria -preciso conversar sério com vcs, sobre mamãe e Papai- andamos ate a sala, eles sentaram no sofá e eu fiquei em pé, contei tudo a eles, claro que eles ficaram muito tristes e abalados, eu também queria chorar, mais precisava ser forte, demos um abraço triplo, e os dois se acalmaram. -alguem lembra da música que a mamãe canta pra gente?- eles me olharam confusos -aquela dos gatos...- o rosto de Azzy iluminou, -eu lembro!- ele disse - é assim : nos gatos já nascemos pobres, porém, já nascemos livres, senhor, senhora, senhorio, felinos não reconheceras- cantarolou, e assim, nos três abraçados, cantamos a música que nossa mãe cantava para que nós dormissemos...


Notas Finais


ACABOU
acho que ficou curto mais tudo bem...
Obrigado por lerem... E obrigado pelo povo que já deu fav 💙
Amo vcs💙
Coração azul, pq azul é a cor mais quente 🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...