História My Little Angel - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kris Wu, Lu Han, Sehun, Tao
Tags Baekyeol, Chanbaek, Shotacon, Taehyung
Exibições 515
Palavras 4.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEMOREMO MAIS CHEGUÊMO!

Desculpem a demora <33333333

Obrigada pelos favoritos *-*

Capítulo 2 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction My Little Angel - Capítulo 2 - Capítulo II

 

Chanyeol encostou o carro na frente do local tão conhecido por si. Sorriu fraco ao lembrar-se da primeira vez que tinha aparecido ali com seus melhores amigos, Oh Sehun e Kris Wu. Hoje seria uma noite especial, era aniversário do Baekhyun e Park tinha preparado uma pequena surpresa. Tinha pedido pra que Luhan e Tao distraíssem o pequeno, e que não deixassem que ele fosse pro quarto. Entrou pela porta dos fundos com a ajuda de Hani e foi pro quarto dele. Pegou o pequeno bolo de chocolate e morango que tinha comprado e colocou na mesa da cozinha, junto com os presentes que tinha comprado dois dias antes. Mandou uma mensagem para os dois chineses avisando que já podiam trazer o mais novo.  

Park estava ansioso em saber se Byun ia gostar da pequena surpresa que ao seu ver era completamente simples, mas sentiu em seu coração em fazer isso pelo garoto que já tinha se tornado uma pessoa extremamente especial para si. Depois da primeira noite que os dois se conheceram, Chanyeol sempre visitava o pequeno. Os amigos caçoavam dele dizendo que ele tinha gostado do menino, mas na verdade o moreno nem sequer tinha tocado nele como os outros clientes faziam. O mais velho chegava, pedia pra passar algumas horas com ele, e às vezes chegava passar a noite com ele, apenas vigiando o loirinho dormir. Os dois conversavam sobre várias coisas, desde assuntos banais à assuntos pessoais. Adorava quando o menor contava suas travessuras quando ia pra escola. Travessuras que pra Chanyeol eram coisas bobas, que todo adolescente faz, mas para o menino Byun era emocionante. Park sentia ainda mais a pureza exalar no sorriso de Baekhyun. 

No rosto do mais velho sempre estava alegre quando estava com o loiro, um sorriso que nunca tinha dado antes, apenas com a sua filha.  

Caminhou até a porta e ficou atrás dela, esperando o pequeno. Escorou a cabeça pra trás na parede e suspirou. Ficou pensando se valia a pena fazer tudo aquilo pelo adolescente. Park se preocupava com Baekhyun, tentando sempre aparecer na boate quando podia e quando não conseguia ir, ligava pra ver se tudo estava bem. O garoto de programa tinha se tornado uma espécie de conselheiro do Park, sempre tentando ajudar o moreno com a esposa, e bem... Chanyeol nunca seguia seus conselhos, mas adorava ouvi-los. Por mais que fosse novinho, Byun era responsável, totalmente diferente dos outros meninos da sua idade.  

Ouviu a porta do quarto ser trancada, então ficou em silêncio.  

 
 

- ... Vai logo na cozinha! Tem uma coisa pra você! - ouviu a voz de Tao. 

- Na cozinha? Por quê na cozinha? - era Baek perguntando de forma confusa. 

- Cala a boca e vai logo Baekkie! - o chinês gritou. Chanyeol riu baixo. Aproveitou e acendeu as velas do bolo. 

 
 

Ouviu a porta ser aberta e fechada novamente, depois de poucos minutos de silêncio, Baekhyun pegou na maçaneta da porta totalmente confuso, mas mesmo a abriu, entrando lentamente na cozinha. Viu um bolo de chocolate com duas velas com os números 1 e 7 na cor azul. Seus olhos automaticamente se encheram de lágrimas. Alguém tinha lembrado de seu aniversário. Pensou que fosse seus hyungs, mas eles já tinham comprado um bolo logo pela manhã. Se virou para trás e viu Park Chanyeol escorado na parede ao lado da porta, sorrindo de canto. Ele estava lindo com os braços cruzados, escorado na parede.  

 
 

- Surpresa. - ouviu a voz rouca do maior soar pelo cômodo.  

- Ch-Channie... Eu... Você... - o pequeno soluçou.  

- Feliz aniversário Baekhyun.  

- Você lembrou! 

- Como eu poderia esquecer? 

 
 

O garoto caminhou até o mais velho e se jogou em seus braços, dando um abraço forte em seu pescoço. Park sentiu-o fungar em seu pescoço, se arrepiando levemente. Acariciou os fios loiros do menor, apertando o corpo magro contra o seu, sentido o aroma doce dele. Adorava abraçá-lo, era reconfortante e tinha se tornado um costume para o mais alto.  

 
 

- Obrigado por existir Channie.  

 
 

Os dois se afastaram minimamente e se encararam.  

 
 

- Acho melhor você apagar as velas.  

 
 

Os dois se sentaram a mesa.  

 
 

- Tem que fazer um pedido Baek! 

 
 

O adolescente assentiu e fechou os olhos, fazendo o seu pedido de todo o seu coração. Abriu os olhos e assoprou a velinha.  

 
 

- O que você pediu hein Baek? 

- É segredo. Se eu contar não vai se realizar!  

- Aish, tudo bem. Toma, espero que você goste. - O mais velho entregou um caixa preta grande e de veludo para o menor, que arregalou os olhos. 

- O que é isso Chan?  

- Seu presente.  

 
 

Byun pegou a caixa com as mãos um pouco trêmulas e abriu. Seus olhos se arregalaram ao ver o que tinha dentro. Viu um colar e uma pulseira. O colar era prateado e tinha um anel como pingente. Já a pulseira era final e de brilhantes. O pequeno ficou encantado com o presente.  

 
 

- Ch-Channie, é lindo! Mas... Eu não posso aceitar. 

- Por quê não? - o moreno franziu o cenho.  

- Isso deve ter sido muito caro, eu não posso.  

- Baekhyun, não importa quanto foi. O que importa é que é um presente meu, e é irrecusável. 

 
 

O menor abaixou os olhos no presente. 

 
 

- Nunca ninguém me deu um presente desse. 

- Então aceite. Eu quero ser o primeiro e o único. - Chanyeol sorriu docemente. 

 
 

O garoto sorriu timidamente, mas assentiu, vendo que não tinha como discutir com ele. Park se levantou e ficou atrás da cadeira onde ele estava sentado. Tirou o colar do estojo preto e colocou na frente do rosto de Byun, que pegou na mão o anel pingente. O circulo era coberto por pedrinhas. Baek viu que dentro do anel estava escrito algo.  

 
 

- "Park Chanyeol". Eu amei Channie. 

- Isso é pra você nunca se esquecer de mim.  

- Isso é completamente impossível. 

 
 

O moreno colocou o colar no pescoço alvo e leitoso de Baekhyun, deixando cair sobre a camisa preta e transparente que ele usava. Ela estava um pouco aberta, dando a visão da clavícula saliente do menor. Depois, pegou a pulseira e braço fino do pequeno, fechando a pulseira. 

 
 

- Prometa que sempre vai usar.  

- Eu prometo Chanyeol.  

- Ok, agora experimente o bolo.  

 
 

Baek assentiu sorrindo. Cortou um pedaço grande e colocou em um prato. Pegou um pouco do doce no garfo e levou até a boca, sentindo o gosto do chocolate e do morango em sua boca. 

 
 

- É muito bom Channie!   

- Que bom que gostou. É o preferido da Jihyo.  

- Ela têm um ótimo gosto! - o pequeno sorriu. Pegou um pouco mais do bolo e deu para o mais velho experimentar. 

- Bem que você podia sair com a gente um dia. Que tal irmos ao cinema? 

- Mas a sua esposa não vai desconfiar? - Byun questionou inocentemente. 

- Por quê desconfiaria? - o mais velho franziu o cenho.  

- De onde você ia surgir com um menino de dezessete anos? Ela conhece o Sehun e o Kris, e de repente você aparece comigo... Vai que ela tenta descobrir de onde eu venho. 

- Você têm razão. Mas quer saber? Eu não me importo. Eu invento alguma coisa.  

 
 

Byun riu continuando a comer e dar o bolo para o amigo. Assim que terminaram os dois foram até o quarto e sentaram lado a lado na cama.  

 
 

- Obrigado pela surpresa. Fazia tempo que eu não recebia uma surpresa dessas. Me fez eu me sentir um pouco mais importante.  

- Baek, você não é um pouco importante. Pra mim você é extremamente importante.  

 
 

O menor sorriu e corou levemente.  

 
 

- O que vamos fazer o resto da noite? - Chanyeol perguntou olhando o rosto delicado e branquinho dele.  

- Como assim?  

- É seu aniversário, você tem que escolher o que vamos fazer.  

- M-Mas você que é o meu cliente. Você que escolhe.  

- Não pense em mim como um cliente. Eu não sou igual os outros.  

 
 

O mais novo assentiu e pensou.  

 
 

- Você gosta de dançar Channie? 

- Olha... Eu sou péssimo, faz um tempo que eu não danço.  

 
 

Ambos sorriram.  

 
 

- Eu também não sou nenhum profissional, mas é que hoje vai rolar uma balada aqui na EXOPLANET a partir das onze e vai até amanhecer.  

- Então nós vamos dançar hoje!   

 
 

O mais alto se levantou e estendeu a mão para o pequeno Byun e o puxou, abraçando sua cintura.  

 
 

- M-Mas você vai ficar?  

- Amanhã é sábado e eu não trabalho. Posso ficar aqui até amanhã cedo. - Park sorriu, depositando um selar na ponta do nariz do menor, fazendo-o corar levemente. - Vamos, porquê eu tenho que mostrar as minhas habilidades de dança pra esse pessoal. 

 
 

Baekhyun riu e foi puxado pelo maior para fora do quarto. 

 
 

-;- 

  

Os dois desceram as escadas e obviamente a maioria dos clientes voltaram a atenção à Baekhyun, que assim como os outros garotos, vestia o famoso uniforme da casa, deixando claro na transparência da sua camisa e seu peitoral magro e suas pernas um tanto volumosas, marcadas pela calça de couro. Chanyeol pegou na mão do menor a entrelaçou na sua, na intenção que os outros parassem de olhá-lo. Baek ficou sem entender, então apenas sorriu fraco. Ambos caminharam até o bar e sentaram nas banquetas. 

 
 

- Olha só se não é ChanBaek!  

- ChanBaek? - o mais novo perguntou. 

- Sim, é a junção do nome de vocês dois.  

- Aish, você inventa cada coisa JongDae-hyung. - o mais novo revirou os olhos. 

- É a verdade. Mas o que vocês estão fazendo aqui? Sempre que sobem pro quarto vocês não descem mais.  

- É que como hoje é o aniversário do Baekkie, nós vamos comemorar. - Chanyeol explicou.  

- Chen, acredita que o Chan-hyung comprou um bolo pra mim? Era de chocolate e morango e tava muito bom! E o hyung me deu esse colar e essa pulseira.  

 
 

Baekhyun parecia uma criança mostrando seus presentes. JongDae puxou o colar vendo que o pingente era um anel. Obviamente viu que o nome de Chanyeol estava gravado. Sorriu e soltou o colar. Chen olhou para o mais alto, maliciosamente.  

 
 

- Ah é Baek? Depois eu quero um pedaço do bolo! E olha... Eu adorei esse colar. Tem um ótimo gosto Park.   

- Sim, com certeza! Chanyeol é muito bonzinho não é mesmo Chen-hyung? - Byun olhou pro mais alto que sorriu sem graça. 

- Com certeza. Extremamente bonzinho. - O barman continuava a olhar Park com seu sorriso de canto.  

- Chen-hyung, pode me servir um copo daquela vodca?  

- Como assim? Você não bebe Baek.  

- Só hoje vai. 

- Olha, tudo bem, mas não vai encher a cara. Você nunca bebeu então tome cuidado. - Chen avisou.  

- Tá bom hyung, eu não sou mais criança! Pega aquele de baunilha, por favor? 

- Ok, vou preparar um drink especial pra você.  

 
 

Chanyeol sorriu ao ver a felicidade do menino.  

 
 

- Nunca tomou nada Baekkie? 

- Não. Os clientes me ofereciam, mas eu nunca aceitei.  

- E por que vai tomar agora? 

- Porque eu quero beber com o meu amigo. Eu confio em você Yeollie.  

- Baek, Baek...  

- Vamos curtir Channie! Hoje a noite é minha, ok?  

 
 

O moreno não pôde fazer outra coisa a não ser sorrir. Ele estava radiante. Depois que Baekhyun pegou o drink com o barman, os dois caminharam até a pista já que as músicas eletrônicas começaram a tocar. 

 
 

- Hey, você é menor de idade sabia? Não pode beber.  

 
 

Tao, Kris, Sehun e Luhan se aproximaram dos amigos.  

 
 

- O que vocês estão fazendo aqui? - Chanyeol perguntou pros amigos.  

- Há! Nós que te perguntamos! Acabamos de chegar. - Sehun sorriu maliciosamente. - Oi Baekhyun, você nunca bebe, por que tá com esse copo? 

- Hoje eu posso.  

- Por quê?  

- É aniversário dele. - Park respondeu seco.  

- Oh! Sério! Então é por isso que o Chanyeol saiu correndo do escritório tropeçando em tudo! 

- Cala a boca Kris. - Chan revirou os olhos.  

- Então, deixa eu te dar um abraço Baekkie. - Oh Sehun se afastou do namorado e se aproximou do pequeno, abraçando ele. - Parabéns pequeno Baby Byun! Muitas felicidades. Muitos anos de vida... 

 
 

Chanyeol semicerrou os olhos ao ver o amigo abraçando a cintura dele.  

 
 

- Tá, tá chega Sehun. - Park empurrou o amigo levemente. 

- Tá com ciuminho é Channie? - Luhan provocou. 

- Nada ver.  

- Então, vem é minha vez de abraçar o Baby Byun. - Kris puxou o loiro. - Muitas felicidades! Eu tenho certeza que o seu lugar no céu tá garantido, porque colocar um sorriso no rosto do Chanyeol... É impossível. A não ser que você seja a filha dele, mas agora vemos que você é a segunda pessoa que consegue.  

- Dá pra vocês pararem? - Park revirou os olhos e puxou o garoto novamente. 

- É ciúmes mesmo! - Tao sorriu. - Parem de provocar o Chanyeol antes que ele vá embora. Deixem os dois em paz.  

- Olha a nossa música meninos! - Luhan gritou, bateu palmas e puxou os dois melhores amigos pra eles dançarem na pista. Chanyeol percebeu que o menor deixou o drink em suas mãos, completamente distraído.  

- Olha, tem três coisas que eu tenho certeza agora. - Kris tirou o amigo de seus devaneios. - Um: Meu chinês tá muito sensual. Dois: Eu vou terminar minha noite no quarto dele, mas especificamente na cama dele. E três: Você está completamente caído por Byun Baekhyun. 

 
 

Park arregalou os olhos.  

 
 

- Percebeu isso agora Kris? Eu notei isso desde que eles se conheceram! - Sehun comentou. - O Chan sempre olhou e olha pra ele com cara de bobão. Um dia eu vou tirar uma foto pra espantar as moscas lá de casa. Ou eu posso fazer um álbum, e o nome do álbum vai ser: O dia em que Park Chanyeol se apaixonou! Vou encher de coraçãozinho gay e colorido.  

- Vocês dois não tem o que fazer? Não é nada disso... 

- Channie, cara. Para que tá feio. Para de negar uma coisa que tá escrito na tua testa em neon.  

- Kris, isso é impossível! Eu e o Baek somos amigos, apenas isso.  

- Amigos? Vos três somos amigos. Você e ele tão num nível mais avançado. - Oh tirou sarro.  

- Você sabe quantos anos eu tenho? Sabe quantos anos ele têm?  

- Sim. Você tem trinta e ele tá fazendo dezessete hoje. O que é que tem? - o chinês o encarou sem expressão no rosto, começando a se irritar. 

- Temos mais de dez anos de diferença de idade. Ele é uma criança e eu sou velho.  

- Velho nada! Eu tenho quase trinta anos e sou novo. - Sehun soco de leve o braço do amigo. - Pare de ficar de enrolação e pega logo ele.  

- Como? - o moreno arqueou a sobrancelha. 

- Você é trouxa? Você é lerdo ou o quê? Vai me dizer que nunca transou com ele? - Kris revirou os olhos e bebeu um gole do seu whisky.  

- Não. Eu nunca transei com o Baekhyun.  

 
 

Sehun e Kris se engasgaram com as bebidas.  

 
 

- Quê?  

- Tá brincando. Me diz que você tá brincando... Pelo amor de Deus. 

- Não, eu não estou brincando. - Chanyeol estava sério.  

 
 

Os dois amigos se olharam pasmos.  

 
 

-  Puta que me pariu Park Chanyeol! - Wu arregalou os olhos o quanto conseguia. 

- O que você faz com ele? - o mais novo dos três. 

- Conversamos, eu juro pra vocês que é só isso. Eu nunca fiz nada com ele! Eu juro pela Jihyo!  

- Então você paga pra passar a noite com ele... Pra ficar conversando? - Wu perguntou, ainda desacreditado. 

 
 

Chanyeol assentiu.  

 
 

- Olha, pra alguém de fora, que não te conhece, você é um retardado. Mas como eu tenho conheço faz muito tempo, eu te digo, Baekhyun está mexendo com você, porque ninguém no mundo paga mais de uma vez pra passar à noite com um garoto de programa e não transa com ele. Mas, eu também te acho um retardado. - Sehun completou. - Minha humilde opinião.  

- É eu nunca pensei que diria isso, mas eu acho que meu amigo Chanyeol está apaixonado. - Wu sorriu. - O que realmente sente por ele? 

 

 

Park suspirou derrotado.  

 

 

- Ele me faz sentir coisas que eu nunca senti antes. Ele... Quando eu estou com ele eu me sinto diferente. Eu consigo enxergar um final feliz pra minha vida. Eu tenho esperanças.  

-  Se eu fosse você eu me espertava pra vida, antes que alguém enlaçado pela sensualidade do seu baby boy, o capture como uma presa. 

 

 

Kris apontou para os três que dançavam animadamente na pista e depois para o bar onde havia um rapaz jovem encarando Baekhyun de forma maliciosa. O pequeno estava tão distraído com os amigos que nem percebeu. Chanyeol cerrou os punhos e sem pensar caminhou até o pequeno, abraçando-o por trás.  

 

 

- Acho que você esqueceu sua bebida comigo. - o mais alto disse perto do ouvido dele.  

- Obrigada Channie. - ele sorriu e experimentou a bebida, sorrindo em seguida. - É muito bom! É docinho Yeol. 

- É sim, mas não exagere.  

- Ok, senhor chato, vamos dançar, ok?  

 

O menor continuou dançando, agora com o mais velho segurando a sua cintura, tentando imitar os passos do garoto.  

Baekhyun tinha dito que não sabia dançar, mas para Chanyeol era completamente o contrário. O loiro mexia a cintura conforme o ritmo da música, de forma envolvente. O mais alto sentiu o Byun ainda mais próximo do seu corpo. Mesmo não sabendo, o pequeno estava provocando Park, que estava tentando não pensar em besteira.  

Ele sorriu ao ver que Byun estava feliz. Fazia muito tempo que não saia pra dançar e não se divertia daquela forma. O pequeno dos olhos de diamantes o fazia se sentir mais jovem, mais vivo. Baek tinha um poder muito grande sobre Park, mas não tinha noção disso. O moreno nunca havia sentido algo parecido. Voltou a pensar no que os amigos disseram, sobre estar gostando dele, achou aquilo uma besteira no começo, mas começou a rever suas atitudes com ele. A vontade de Chanyeol era sempre protegê-lo de tudo. Tinha um cuidado extremo com o garoto que até mesmo lhe surpreendia. Decidiu afastar os pensamentos que estavam rondando sua mente, e voltou a se concentrar no garoto à sua frente. 

 
 

- Channie, vamos pegar mais uma bebida pra mim?  

- Não acha que já foi o bastante? 

- Ah, por favor! Hoje é meu aniversário Chan! - Baek fez um bico fofo.  

- Ok, mas não exagere. 

 
 

-;- 

 
 

Passaram-se algumas horas e Baekhyun já estava bêbado, mas tinha se recusado em deixar a pista de dança. Luhan, Tao e seus namorados estavam próximos dos dois, e todos dançavam divertidamente na pista. 

 
 

- Baekkie, acho melhor você ir dormir.  

- Mas eu quero mais um copo daquele negócio doce. - o menor pediu rindo.  

- Você bebeu três copos e já tá bêbado! Chega por hoje. - Tao o repreendeu.  

- Aish, você não deixam eu me divertir!  

- Estamos cuidando de você, seu ingrato. - Luhan disse.  

- Acho melhor nós todos irmos dormir, por que todos beberam muito. - Sehun suspirou. - Você não está muito diferente dele Luhannie.  

- Calado Sehunnie. Me leve pro meu quarto.  

- Alguém me ajuda a levar o Kris? Esse idiota bebeu além da conta. - Zi Tao revirou os olhos. 

- Hey, eu consigo andar meu amor. - o mais alto riu. 

- Assim espero, porque carregar o Baek é uma coisa, agora carregar um poste como você é outra. - Sehun riu. 

- Eu consigo andar também. - Byun revirou os olhos.  

- Aham, claro. Depois do segundo copo você ficou abraçado com o Chanyeol e não soltou ele. Tá se escorando nele é? - Tao provocou.  

- E-Eu posso andar sozinho. - Baek se soltou do mais alto, mas se desequilibrou, por sorte, Park segurou sua cintura.  

- Ah com toda certeza. - Luhan e Tao riram alto.  

- Aish...  

- Vem Baekkie, vou te levar pro quarto.  

 
 

Os seis saíram da pista de dança e caminharam até a escada. Tao ajudou Kris, Sehun ajudou Luhan, e Chanyeol o Baekhyun. O mais novo de todos encarou a escada e suspirou derrotado.  

 
 

- Acho que eu não vou conseguir subir tudo isso. - disse fazendo manha.  

- Então eu te levo pequeno. 

 
 

Park pegou Baekhyun no colo e começou a subir as escadas. Byun abraçou o pescoço dele e aproximou o nariz, sentindo o seu perfume. 

 
 

- Seu perfume é muito bom Channie.  

- O-Obrigado.  

- Por quê você não me carrega assim, hein Sehun? - Luhan apontou para os dois à sua frente.  

- Sério mesmo amor? 

- Pelo menos você não tem que carregar ele, tá Luhan. Não reclama! - Tao revirou os olhos, ainda ajudando o namorado.  

 
 

Os seis caminharam até os corredores, encontrando KyungSoo conversando com um dos garotos da casa. Os dois estavam com os rostos próximos e trocavam sorrisos.  

 
 

- Kyung!   

- L-Luhan. - Kyungsoo se afastou de imediato do moreno alto. 

- O que conversa tanto com o Kai, hein? - o chinês sorriu maliciosamente.  

- N-Nada. Por que não vai dormir hein? Você tá bêbado. - D.O sorriu disfarçando.  

- Eu vou. Até amanhã! - Tchauzinho Kaaai! - o chinês sorriu. 

- Tchau Luhan. - obviamente Kai riu baixo.  

 
 

Tao e Kris foram logo atrás de Sehun e seu namorado. Tao resmungou algumas coisas em chinês para o parceiro. Chanyeol se aproximou de KyungSoo.  

 
 

- Pode me dar a chave do quarto do Baekhyun? 

- O que aconteceu com ele?  

- Bebeu demais e não consegue se manter em pé. - Park explicou.  

- Olha, é a primeira vez que eu vejo isso. Baekhyun nunca bebe. - Kai ficou surpreso. - O que deu nele?  

- Achou que por ser o aniversário dele podia encher a cara pra comemorar. - Chanyeol explicou. 

- Hey! Eu tô acordado hyung! - Baek se manifestou, mas logo fechou os olhos.  

- Toma a chave. Com certeza que vai acordar com muita dor de cabeça amanhã. Na cômoda dele tem uma caixinha de remédios. - KyungSoo sorriu.  

- Obrigado. Boa noite.  

 
 

Park caminhou ainda com o menor em seus braços. Destrancou a porta e entrou, logo trancou a fechadura. Caminhou com o garoto até a cama e colocou-o cuidadosamente. Byun abriu os olhos e viu o rosto do maior perto do seu. Chanyeol encarou os olhos claros dele, na mesma intensidade. 

 
 

- Chanyeol. 

- Diga Baek. 

- Posso te pedir uma última coisa de presente?  

- O que você quiser Baek. - o moreno assentiu, sem se afastar dele.  

 
 

O garoto hesitou. Era algo que queria há algum tempo, mas tava completamente receoso em pedir, mas hoje não ia deixar a oportunidade  

 
 

- Me beija.  

 
 

Chanyeol engoliu seco, ainda olhando nos olhos dele. Era aniversário dele, e não podia negar um pedido desse. Por mais que Baekhyun deixasse sua cabeça virada, que ele ficasse nela vinte e quarto horas por dia. Por mais que o pequeno Byun tivesse transformado sua vida do dia pra noite. Por mais que quisesse tocar aqueles lábios finos e tão bem desenhados.  

O moreno se aproximou lentamente roçando o nariz no dele. Ambos fecharam os olhos e Chanyeol consumou o ato, tocando seus lábios nos de Baekhyun. Os dois sentiram um arrepio intenso em ambos os corpos, como nunca sentiram antes. Park pediu passagem com a língua e que fora concedida. O garoto deixou que ele explorasse toda sua boca, deixando-se dominar por Chanyeol. O pequeno Baek se viu perdido, completamente envolvido com o beijo. Nunca beijava nenhum cliente, exceto para os que pediam, o que era raro. Sentir a língua quente do mais velho, tocar a sua era como estar no céu. Não havia provado em toda sua vida de garoto de programa tal sensação. Era indescritível.  

Dentro do peito do Park, havia um coração agitado. Parecia que literalmente iria sair da boca. Em todos seus trinta anos, nunca sentiu aquilo. Era bom, muito bom ter os lábios do adolescente junto aos seus. Era possível sentir o gosto de baunilha da vodca que Byun bebeu a noite, e parecia ter ficado ainda melhor ali da boca dele. Era muita coisa pra Chanyeol processar naquele momento.    

Por falta de ar, o mais alto se separou lentamente do menor, abrindo os olhos e vendo-o ainda com os seus fechados. Parecia estar extasiado.  

 
 

- Esse foi o melhor presente com certeza. - ele disse baixo com seu sorriso infantil e puro nos lábios. - Obrigada por existir Park Chanyeol. 

 
 

O mais velho sorriu sem graça. Viu que aos poucos, os olhos dele iam pesando e por fim, Baekhyun dormiu. Saiu de cima dele e suspirou, vendo o quão lindo ele era. Baek era um menino de um coração tão puro e bom que era impossível olhar pra ele e imaginar que ele era um garoto de programa. Mesmo assim, ele não deixou nunca a seu jeito tímido e simples se esvair. Era o mesmo Byun de dois, três anos antes. Chanyeol estava confuso demais, e sabia que Baekhyun era o culpado por isso.  

 

 

Eu nunca acreditei em coisas que duram para sempre. 

Mas se houver você 

Eu realmente quero acreditar...


Notas Finais


Pulseira: http://www.barbarak.com.br/blog/wp-content/uploads/2011/06/B%C3%A1rbara-k-pulseira-.jpg

GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEE o que acharam?????
Comentem chuchus *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...